Todos os posts de Priscila Visconti

Sou uma jornalista, blogueira, produtora de eventos e produtora Cultural. Amo o que faço, pois faço o que amo da minha vida, que é escrever, ler e ver a as coisas de uma visão diferente dos demais seres humanos.

[Cantinho Literário] Mike Dooley mostra a morte para os vivos em seu novo livro

tumblr_mc4d5sDGet1ro2gqjo1_500

Nesta semana aqui no Cantinho Literário será a fez do escritor californiano do estado de Orange, Mike Dooley. Fundador do Clube de Aventureiros Filosóficos pela Internet, atualmente acolhendo 600 mil membros em 182 países, inspirando e enfatizando responsabilidade espiritual em seus livros. Seu livro mais vendido foi o “The Secret”, que foi traduzido em 25 idiomas.

CAPA_As-10-coisasJá seu livro mais recente “As 10 coisas mais importantes que os mortos querem dizer a você”, explora intrigas e profundas questões da existência sob a perspectiva dos que já se foram. Essa sua obra seria como se os mortos pudessem falar com os vivos, fazendo com que as pessoas reflitam sobre a morte as ensinando sobre a vida, pois
esse processo de abrir a mente, busca diversas respostas, realizando novas descobertas e mexendo em algumas pedras no caminho das pessoas.

mike-dooleyO autor desvendou em seu livro “As 10 coisas mais importantes que os mortos querem dizer a você”, os mistérios do universo, mostrando ao leitor uma visão de progredir com consciência e ter a coragem de enfrentar seus próprios medos, como escolhendo seus sonhos, aprendendo seus movimentos, dançando seu próprio ritmo e aumentando suas chances do universo atingir sua forma rápida e agradável.

10-coisas-mais-importantes-que-mortos-querem-dizer-a-voc-680611-MLB20597046751_022016-FMike é um dos poucos escritores que desenvolve essa habilidade de desenvolver a sensibilidade para abordar a difícil questão sobre os acontecimentos da vida, desmonstrando esse entendimento em seus livros e inspirando seus leitores a enfatizarem essa responsabilidade espiritural.

Como em sua obra “10 coisas mais importantes que os mortos querem dizer”, que trata em ensinar a morte para os vivos os fazendo conhecer além deles mesmo, lendo sobre a morte.

Sinopse
Se os mortos pudessem falar, você imagina o que eles nos contariam? O que diriam para amenizar nossa dor pela perda de alguém e acalmar nossos temores sobre a vida após a morte?

E como nos animariam a viver da melhor maneira possível? Nestas páginas, repletas de sabedoria, humor e alegria, o autor best-seller (New York Times) explora as mais intrigantes e profundas questões sobre o além-vida – e sobre esta vida – sob a perspectiva dos que fizeram a transição para a fase seguinte.

as dez coisas 
Ficha Técnica
Editora: Mantra
Autor: Mike Dooley
Páginas: 176
Formato: 14×21 cm
Ano: 2016

Mais informações sobre Mike Dooley
Site | Facebook | Twitter

Por Priscila Visconti

[Cyber Cult] High Care – A tecnologia em prol à saúde

tecsaude

A tecnologia aplicada à saúde está cada vez mais presente no dia a dia das pessoas, seja no tratamento de dores ou na remoção de um câncer. E essa facilidade existe graças a anos de muita pesquisa na área médica e que tem colaborado para a cura e qualidade de vida de pacientes com câncer.

cardiologia-cirurgia-torax
Robô Da Vinci

Um deles, conhecido como HIFU – High Intensity Focused Ultrasound, atua no combate ao câncer de próstata de forma não invasiva, emitindo calor através de ultrassom. E falando em tratamento não invasivo, há também as pesquisas em nano cirurgia.

O Prof. Dr. Karsten König criou em parceria com uma equipe alemã uma ferramenta molecular que tem por objetivo desativar sequências de DNA em células cancerígenas.

Outro avanço tecnologico é o Robô Da Vinci, que permite cirurgias a longa distância. O primeiro teste foi realizado em Simi Valey, na California com o médico em Seatle, há quase dez anos.

Tudo o que foi mencionado aqui parece algo tirado de um filme de ficção científica, já que se trata de tecnologia cuidadosamente desenhada para o bem estar humano e não admite falhas, mas há também aquela acessível, simples e que livra da tendinite chata que atrapalha.

Você já deve ter visto a propaganda de algum “remédio” que desliga a dor e se perguntado como funciona. Muito simples, através de impulsos elétricos enviados para o cérebro!

A tecnologia TENS (Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation ou Eletroestimulação nervosa transcutânea) consiste em terapia não invasiva, que envia os estímulos sobre a pele em sessões de até 30 minutos, sendo controlada pelo usuário.

Inspirada em tratamentos fisioterapêuticos, agora ela é comercializada em versão menor (apenas dois eletrodos) no tratamento de dores crônicas como lombalgias e tendinites.

tecnologia-na-sade1

A tecnologia médica é fascinante, mas o melhor ainda é consultar um profissional para que ele prescreva o tratamento adequado. E se o dodói não for muito, ainda vale apelar para a insuperável técnica que atravessa gerações: carinho de mãe!

Por: Beth Tavares

[Cantinho Literário] Mel Duarte lança o livro “Negra Nua Crua”

12717600_1329592957067463_8397647245014540987_n

Integrante do coletivo Poetas Ambulantes e participando do Slam das Minas, a ativista e produtora cultural Mel Duarte lançará o livro “Negra Nua e Crua” no espaço Casa da Goiaba, localizado na Barra Funda.

O evento acontecerá no próximo dia 17 (domingo), realizado pelo projeto Slam das Minas, que é um movimento realizado para inserir as mulheres no cenário da literatura, principalmente em saraus, em que ainda hoje é composto majoritariamente por homens.

944863_596825800476530_1041567644214436773_n“O Slam das Minas-SP é uma batalha de poesias. E por circularmos nessas batalhas a alguns anos sentimos que já estava na hora em criar um espaço apenas para as minas, principalmente para as que não se sentem a vontade em batalhar nos Slams mais frequentados.

O Slam das Minas SP é uma extensão do Slam das Minas- DF quando descobrimos o movimento delas trocamos muitas ideias e decidimos iniciar aqui também”, disse a escritora Mel Duarte, explicando o que é o projeto Slam das Minas.

2Em 2013 a autora, formada em Comunicação Social lançou o primeiro livro entitulado “Fragmentos Dispersos”, e desde então começou a pensar no desenvolvimento do próximo livro.

No segundo livro “NNC”, traz à tona os anseios e reivindicações de Mel, sendo a poesia arma para ganhar voz nos desafios cotidianos de ser uma mulher e negra vivendo nos dias atuais.

A idealização teve do livro teve inicio em 2015, quando Mel passou a agrupar poesias que tinha desejo de publicar e também passou a escrever outras por conta da proposta do livro.

A autora explica os significados para o titulo do livro: Negra fala respeito do meu posicionamento como mulher negra nessa sociedade, trabalha a autoestima das irmãs pretas e consecutivamente a minha.

Nua trabalha as poesias sensuais, eróticas e de amor. E por fim crua trata-se das minhas “viagens” desde questões espirituais até questionamento sobre politica, machismo e politica.

4

Para Mel Duarte a poesia como ferramenta de empoderamento feminino negro é como grito de liberdade para as manas. “Temos varias inquietações borbulhando na mente e aprender a organiza-las em palavras é um exercício que te leva a pensar”, e continua “quando eu comecei a escrever nem sabia a existência da palavra empoderamento,  agora vejo como um caminho acessível. No papel cabe tudo que transborda no peito, assim me descobri e achei algo para me dedicar”, ressalva.

O espaço na literatura para mulheres ainda é sexista segundo Mel, mas acredita na quebra desse paradigma pela nossa geração. “As mulheres sempre escreveram, sempre estiveram na linha de frente, mas vivemos em uma sociedade que “inviabiliza” diariamente, na literatura não é diferente”, pontua Mel.

5

A escritora ainda relata ter crescido sem nenhuma referência no ambiente escolar ou circulo social. “Hoje estamos notoriamente tomando nosso espaço de fala e quando não ele não existe, nós criamos”, enfatiza.

Haverá no dia do lançamento o pocket show da cantora Bia Doxum, com letras de teor critico embaladas pelo rap de autoria dela.

Negra nua crua
Autora: Mel Duarte
Editora: ljumaa
Número de páginas: 76
Arte gráfica por: Nina Viera
Fotografia por: Muriel Xavier
Valor: R$ 20,00

Mais informações sobre a escritora Mel Duarte
Facebook perfil | Facebook fanpage | E-mail | Instagram | Blog

3

Serviço
Slam das Minas e lançamento do livro
Local: Rua Marta, 115 – Barra Funda, São Paulo, SP.
Data: 15/04
Hora: às 16h
Mais informações sobre o lançamento, clique aqui;

Por Gabriela Alves

[Cyber Cult] O dinheiro vivo deve ser substituido até 2030 pelos pagamentos eletrônicos

20111109150537_660_420

O futuro está mais perto do que imaginávamos, já que tudo hoje em dia é feito através de aplicativos móveis ou aparelhos eletrônicos, e segundo uma pesquisa realizado pela IEEE (Instituto de Engenharia Eletricistas e Eletrônicos), o dinheiro de papel pode ser substituído pelos eletrônicos, através de dispositivos móveis.

Por mais que há algumas pessoas, que não se sentem seguras em utilizar o dinheiro virtual, mas até 2030, todos os pagamentos só serão feitos no modo eletrônico, mesmo medo que algumas pessoas tende a pagar suas contas pela internet.

Principalmente os serviços bancários, que são os mais propensos a sofrerem ataques de hackers, porém daqui alguns anos entraremos em uma era que o dinheiro e os cartões de créditos só serão lembrados como peças de museus, pois a era da tecnologia está começando.

Atualmente já é raro ver pessoas com dinheiro na carteira, pois a maioria prefere pagar no cartão crédito ou débito, pela própria segurança para não segurança e também porque, com cartão, facilita a vida podendo parcelar, deixando a conta para pagar no próximo mês.

Nisso as empresas já facilitam utilizando máquinas eletrônicas, que estão substituindo as máquinas de cartões de crédito e débito, facilitando não só a vida do cliente, mas do vendedor, que não precisa mais ter que ir ao banco para depositar, além do dinheiro cair na hora.

Esse vai ser o nosso futuro, menos dinheiro vivo e mais aplicativos para compras, ou seja, o smartphone vai ser nosso melhor amigo, pois tudo vai ser feito através dele.

Principalmente os aparelhos com sistema Android e iOS, que terão mais aplicativos e recursos para essa tecnologia, o Windows Phone, também vai utilizar do serviço, mas como ele ainda é novo nesse recurso de aplicativos, então terão menos dos dois mais utilizado hoje em dia, que são os sistemas operacionais da da Google e da Apple.

Mas, o intuito de acompanhar esta tendência de pagamentos móveis e online há algum tempo se ouve falar em smartphones equipados com uma tecnologia já comprovada pela NFC (sigla em inglês para Near Field Communication ou campo próximo de comunicação). Tornando os pagamentos mais eficazes e fazendo que esse canal de comunicação se torna uma conexão sem fio entre aparelhos, para que esses pagamentos fiquem mais rápido fácil e seguro, substituindo o dinheiro vivo.

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] “Afogados no Nevoeiro” – O primeiro livro psicótico do escritor Hugo Simões

11224626_443905592462343_6279184610777223587_n

Mais uma semana começa e mais um Cantinho Literário abre as portas da cultura por aqui no OBC, tentando trazer o melhor da cultura pop alternativa espalhada pelos becos, vielas e ruas de São Paulo, do Brasil e do mundo, para que nossa tripulação fique por dentro do que está rolando no submundo cultural, que particularmente, está bem melhor que a cultura da massa convencional,  ou seja, aquela que as grandes mídias infectam por ai, defecando em seus computadores, televisões e rádios.

Mas, vamos o que interessa, porque o resto não tem pressa, já dizia Paulo Cintura, da Escolhinha do Professor Raimundo.

Hoje é dia literatura, bebê! E é isso que vamos falar, de um livro, que para quem curte ficção com um pouco de terror, vai curtir essa obra que está na lista dos top seis mais vendidos na Bertrand Online, uma das maiores redes de livrarias de Portugal.

Escritor de Afogados no Nevoeiro, Hugo Simões

O entitulado de “Afogado no Nevoeiro”, do português, nascido em Lisboa, mas que atualmente vive em Nîmes, na França, Hugo Simões. Esse é sua primeira obra literária, que mostra um pouco de como o escritor é, cheio de questões querendo saber o porque das coisas, quem somos e qual a missão de cada um neste mundo, deixando o leitor curioso com a história, querendo ir mais além com com ela.

A história de “Afogados no Nevoeiro” é um thriller psicótico, um gênero da literatura que utiliza suspense, tensão e excitação como principais elementos, que através do terror, o autor consegue segurar o leitor da primeira até a última página, fazendo com que o leva o sentido do questionamento de sua própria existência.

stay_alive

Não vamos entrar muito na história por não queremos dar nenhum spoiler do livro, mas o acreditamos que o autor dever ter tido um pouco de inspiração no primeiro filme da “Bruxa Blair”, em que alguns jovens estudantes, se perdem na floresta e eles encontram coisas estranhas, como gritos, choro de crianças, entre outros acontecimentos inexplicáveis, além de pilhas de pedras e galhos amarrados em árvores pela caminho.

No livro de Simões, grupo de amigos vão para um abrigo na montanha lutar pela sobrevivência, mas no desenrolar da história, eles veem coisas estranhas que se aproximam da casa onde eles estão.

Foi o que achamos um pouco da história, pelo pouco que lemos, afinal é bom dar uma modificada de gênero, dando vez a publicações de terror com suspense, para prender mais o leitor, mas do que o romance com drama. Não estamos querendo menosprezar os outros gêneros literário, afinal toda obra que prende o leitor, é um bom livro.

2323385_orig
Capa do livro

Confira a sinopse abaixo e veja um pouco de Afogados no Nevoeiro
Quando dois casais de amigos, Patrício e Jéssica e Jimmy e Rita, terminam os cursos superiores, decidem tirar uns dias num abrigo de montanha, para descansar e preparar os novos desafios profissionais que se avizinham. Mas as expectativas de descanso dos jovens depressa de dissipam, à medida que um estranho nevoeiro se vai acercando do abrigo e os vai envolvendo, originando comportamentos estranhos que os levarão ao limite da luta pela sobrevivência. Afogados no Nevoeiro é um thriller psicótico onde, através do horror, o autor agarra do leitor e o leva a questionar o sentido da sua própria existência.

Para quem se interessou e quem conhecer mais sobre a primeira obra de Hugo Simões, confira os endereços abaixo e veja onde comprar o livro, que ainda não achamos  em sites e nem livrarias brasileiras, apenas nas portuguesas, mas esperamos que em breve, venha para o Brasil.

Afogados no Nevoeiro – Fanpage
Hugo Simões – Facebook

Disponível para compra em:
Capital Book | Bertrand Online | Wook

1501429_487635724778083_2619625257716685883_o

Por Priscila Visconti

[Cyber Cult] Empresa russa cria ar-condicionado portátil

kvfoeekjh4vyhsnyidd4
Com esse calor que estamos vivendo, todo mundo se aglomera em um local com ar-condicionado, só para espantar o calorão, mas as vezes até o ar fica pouco de tanto calor. Agora já podemos sonhar em ter nosso próprio ar-condicionado, ele é tão pequeno e prático, que pode ser levado na mochila e o melhor é totalmente ecológico, pois exige baixo custo em sua instalação, basta colocar água e pronto, já pode ser utilizado.

Essa criação é de uma startup russa, que arrecadou dinheiro para o projeto através de um financiamento de crowfunding. Nesse investimento, os criadores do Evapolar, arrecadaram US$ 382 mil, pelo site da campanha de financiamento coletivo, que isso representa quase 300% do que a empresa precisa, para colocar o plano em prática. O aparelho será lançado ainda este ano, em junho.

qtnbcciiwg4ome7b2gvz

O Evapolar é uma espécie de condionador portátil, que promete acabar com o calor de uma forma individual, ele tem o formato de uma caixa, pesa 1,6 kg e tem dimesão de 16 cm, além de ter o reservatório de água que tem capacidade para 710 ml, que precisa ser abastecido a cada seis a oito horas e o consumo do aparelho é de no máximo 10W e o poder de resfriamento é de 500W com temporatura mínima de 17 ºC.

20160315124756Sua manutenção é bem simples, seu cartucho, tem que ser substituído uma vez por ano o cartucho de evaporação e a duração do componente varia de acordo com o uso do aparelho e a quatidade de água inserida. O ar-condicionado vem com dois cartuchos, o principal e um extra.

O funcionamento acontece por nanofibras de basalto que atuam no processo de evaporação da água que é resfriada pelo equipamento ligado à tomada. Quando a água do reservatório acaba, o produto funciona como um ventilador convencional. Assim, não há o uso de gás freon, tóxico ao meio-ambiente.

vf3qa1ehyxbdxeag4gxaO Evapolar é a nova cara da tecnologia, para quem mora sozinho e não pode pagar os gastos de ter um ar-condicionado, pois é simples, prático e portátil, e quem se interessou já pode dar sua contribuição lá no site e o valor inicial para adquirir o produto para a reserva é de US$ 180 doláres (cerca de R$ 700 reais).

Veja abaixo mais informações sobre ar-condicionado pórtatil

Site | YouTube | Twitter | Facebook

Clique aqui para ajudar o projeto pelo site do financiamento coletivo

 sug9ngs6xkl6vuwvqo3u

 

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] Literatura pelos ônibus da capital peruana

12508779_148054625571381_1515693363506679112_n

Como já sabem, aqui no OBC, buscamos o que há de interessante, rentável e também barato para a sociedade, não importa quem seja e nem de onde é, o que vale é divulgar e falar sobre literatura. Nesta semana falaremos sobre um aplicativo peruano que inciativa a leitura nos ônibus da capital, é o “Chup de Mango”.

O projeto incentiva a leitura pelas cidades peruanas, pois o usuário dos coletivos só baixam em seua smartphones ou tablets o QR Code, e depois lê várias obras literárias espalhadas pelos ônibus. Afinal hoje em dia todo mundo vive em função do celular, então nada mais justo que unir algo que as pessoas não tira da mão, com o incentivo a leitura para que todos tenham o hábito de ler, mas sem precisar tirar o aparelho das mãos.

12745798_170657686644408_6306870979809106672_nEsse projeto é para conscientizar as pessoas da capital peruana a lerem, já que em Lima há poucas bibliotecas públicas e o hábito da leitura é baixo, então o coletivo “Chup de Mango” tomou a iniciativa para que as pessoas leiam mais, espalhando pelos ônibus da cidade, vários trechos de obras, para que os usuários vejam e leiam através de seus aparelhos eletrônicos.

O projeto já existe há um ano e meio e a intenção dele é trabalhar junto com as pessoas que querem mudar o país através da leitura, ainda o “Chup de Mango” não tem apoio da prefeitura da cidade, mas os organizadores estão correndo atrás, para que esse simples e humilde projeto se torne hábito em Lima. Também há algumas ONGs que ajudam o projeto, além dos voluntários espalhados pela cidade que promovem o projeto através dos ônibus.

Esse projeto é pioneiro no Peru, porém no metrô de Medellín, na Colômbia já tem alguns pontos do Chup de Mango.

O projeto conta com obras populares como “O Pequeno Príncipe”, “Madame Bovary”, “Drácula”, “Dom Quixote” e outras que são de domínio público podem agora ser lidas em smartphones e tablets nos ônibus de Lima, através de códigos QR, graças a um projeto de incentivo à leitura.

12717784_170657646644412_9027127298745402263_nOs organizadores não tem ideia de quantos downloads foram feitos em um ano e meio, mas eles só sabem que desse tempo para cá o número de pessoas que compartilham da ideia pela internet só aumentou, e que a toda semana há mais uma nova linha de ônibus que agrega ao projeto.

Quem sabe um dia o Brasil se una ao Peru e esse projeto chega à nosso país, afinal assim como Peru e a Colômbia, o Brasil também precisa ser incentivado a leitura, mas de uma forma natural e não forçada, como dita a grande mídia.

Vamos torcer para que o Brasil se une com o Peru e esse projeto, chegue logo em nossa nação, pois seria uma boa ideia ter QR Codes literários, espalhados pelas grandes capitais brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre e Recife.

21513_169528423424001_1555799706930565388_n

Para conhecer mais sobre o projeto acesse, veja os endereços abaixo

Facebook | E-Mail

Por Priscila Visconti

[Cyber Cult] Spotify – A nova moda em streaming de música

spotify

Tanto se fala desse aplicativo Spotify, mas pouca gente conhece ou tem ele, para isso estamos aqui para explicar e apresentar a todos o que é o Desenvolvedor Spotify, que começou a ser desenvolvida em 2006 pela equipe Spotify AB, em Estocolmo, na Suécia. A empresa foi fundada por Daniel Ek, ex-diretor tecnico da Stardoll e Martin Lorentzon, co-fundador da TradeDouble.

O Spotify é um aplicativo de música em streaming, podcasts e vídeos, que fornece conteúdo provido de restrição de gestão de direitos digitais das grandes empresas, como BBC, Sony, EMI, Warner Music Group e Universal. O Spotify AB, apesar de ter começado a ser desenvolvida em 2006.

A empresa só foi lançada em outubro 2008, e em 2010 o serviço já tinha cerca de 10 milhões de usuários, incluindo 2,5 milhões dos usuários com assinatura, atualmente o Spotify está em torno dos 75 milhões de usuários, 20 milhões pagantes do serviço, que os pagantes são os Premium, em que podem romover anúncios e a qualidade do áudio é melhor e permite baixar músicas para ouvir offline, os não pagantes, só podem ouvir quando a internet estiver ligada.

running-og

Recentemente o Spotify lançou a playlist ‘Running’, para a platadorma Android, ideial para quem gosta de ouvir música durante as atividades físicas. Hoje o aplicativo tem em todo mundo, mas até 2010, só era conhecido na Europa, depois que foi para Estados Unidos, em 2011, que o serviço se expandiu para todo o mundo, fazendo negociações com grandes gravadoras e assim também foi lançado o Spotify App e o App Finder com parceiras, na qual incluia nomes como Rolling Stone, We Are Hunted, Top10, Songkick, The Guardian, Soundrop e Last.fm.

Desenvolvedor Spotify Ltd.
Plataforma Microsoft Windows, Mac OS X, GNU/Linux (.deb), iOS, Android, Palm, Windows Phone, Symbian OS, PlayStation 3, Playstation 4
Lançamento 2006 (9–10 anos)
Versão estável 1.0.20.94 (15 de Dezembro de 2015)
Idiomas Inglês, espanhol, francês, português
Linguagem C++
Gênero(s) Streaming
Licença Proprietário
Estado do desenvolvimento Ativo

iphone-artist-outdoor

Mais informações sobre o Spotify, acesse os endreços abaixo

Site | Instagram | Twitter | Facebook

Download do streaming Spotify
Google Play | iTunes

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] A luta pela sobrevivência em “O Regresso”, de Michael Punke

4_4

Já que não podemos falar diretamente sobre o Oscar, afinal aqui é a editoria de literatura, mas podemos falar um pouco indiretamente, ou seja, dos livros que foram inspirações aos filmes, que estavam concorrendo ao Oscar 2016, que aconteceu neste domingo, dia 28, em Los Angeles. Como o filme “O Regresso”, que estava concorrendo em 12 categorias e foi baseado no livro, de Michael Punke.

O filme estreou na primeira semana de fevereiro, no dia 4, e teve o ator Leonardo DiCaprio como o protagonista, mas uma pena que não podemos falar da emoção que sentimos ontem ao ver DiCaprio ganhando seu primeiro Oscar e também, levou na categoria de melhor diretor, para o cineasta e produtor mexicano, Alejandro Iñarritu. Mas, sem delongas e vamos focar no livro, afinal somos o Cantinho Literário e não o Cabine da Pipoca… hehe

Também fazia tempo que não falávamos de um livro por aqui, estávamos mais promovendo eventos e nos projetos literários, que também são bem legais e uteis para o nosso Cantinho, mas é sempre bom falar de uma obra literária, e ultimamente são poucos livros bons que viram filmes, como este em questão, que nos chamou bastante atenção.

“O Regresso” é baseado na vida do caçador Hugh Glass, aonde ele foi atacado brutalmente por um urso e abandonado por seus colegas, mas sobreviveu por seu desejo de vingança e pela sua sobrevivência. O caçador Glass, teve ferimentos graves por todo seu corpo, até mesmo no couro cabeludo quase separou seu crânio, cortes muito profundo nas costas e teve sua garganta quase toda aberta pelas garras do animal.

regresso_2-750x380

O livro se refere de como o Hugh Glass superou o ataque pelo urso e sobreviveu pelo longo caminho que percorreu, e por ser deixado por seu grupo de expedição e ter que continuar a caçada sozinho, enfrentando até mesmo um ataque de um animal selvagem e quase ter morrido.

“O Regresso” mostra que por mais dificuldade que passamos, tudo pode ser superado, mesmo que esteja sozinho e seja atacado por animais selvagens, no livro era um urso, mas pode até ser o mosquito da dengue, mas se formos fortes, conseguimos superar tudo.

A narrativa do livro é toda em terceira pessoa, mas a dimensão da vida de Hugh Glass pode sentir como se fosse em primeira, pois é só a vingança de ter sido deixado para trás por seus colegas de expedição e a sua vontade de viver, eram maiores que tudo, então mesmo todo ferido e sozinho aquele homem conseguiu seguir seu caminho.

revenant-leo-banner-1280jpg-9b4220-1280w_rqfb

Sinopse
Em 1823, os caçadores da Companhia de Peles Montanhas Rochosas desbravavam as terras inexploradas dos Estados Unidos, enfrentando diariamente o clima implacável, as feras selvagens e a ameaça constante de confronto com os índios, que defendiam suas terras da invasão dos homens brancos.

Em uma das missões da companhia, Hugh Glass, um dos melhores e mais experientes caçadores do grupo, fica frente a frente com um urso-cinzento, é atacado e termina gravemente ferido, claramente sem chances de sobreviver. Os homens que deveriam esperar sua morte e lhe oferecer um funeral apropriado o abandonam, levando consigo as armas e os suprimentos.

Entre delírios, Glass os observa fugindo e é tomado por um único desejo: vingança. Uma determinação cega que o torna capaz de atravessar quase cinco mil quilômetros de terras intocadas e selvagens, fugindo de predadores, sobrevivendo à fome e à agonia dos ferimentos mais terríveis, a fim de concluir seu objetivo.

Inspirado em fatos reais e escrito em uma prosa arrebatadora, O Regresso é uma notável história de obsessão, um romance sobre um homem cuja vida foi ao mesmo tempo salva e condenada pela sede de vingança.

untitledO Regresso
idioma: Português
encadernação: Brochura
formato: 16 x 23
páginas: 272
ano de edição: 2015
edição: 1ª
autor: Michael Punke
tradutor: Maria Carmelita Dias

Por Priscila Visconti