Arquivo da categoria: EUA

[Total Flex] Projeto Via Brasil fomenta o intercâmbio da cultura brasileira

2014 será o ano do Brasil, além dos eventos que acontecerão aqui em nosso país, que somará visibilidade por todo o Planeta, o país ainda será homenageado em outros países no mundo, como por exemplo, o intercâmbio da cultura brasileira, que acontecerá ao longo deste ano no Wexner Center, galeria de arte contemporânea da Universidade de Ohio (Estados Unidos), que está realizando uma iniciativa interdisciplinar intitulada Via Brasil.

O projeto visa apresentar a diversidade cultural da nação brasileira, promovendo uma troca internacional da universidade com a arte e cultura do Brasil. Além do mais, o Wexner Center há uma gama integrada que abrange diversos nichos da nossa cultural, como exposições, filmes, vídeos, educação, juntamente com programações complementares do departamento de artes cênicas, tendo por fim, promover a compreensão e apreciação da arte contemporânea brasileira.
A mostra exposta ao projeto é um resultado de quase três anos de pesquisa e viagens de curadores da universidade, passando pelas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Belo Horizonte, entre outros lugares, conhecendo o trabalho de artistas, curadores e críticos brasileiros. Uma investigação da cultura brasileira atual, através de uma perspectiva de costumes, mostrando uma ampla e vasta programação cultural no Brasil.
Para mais informações acesse o site do Ministério da Cultura, e confira os editais a serem apresentados durante o projeto.

[Cantinho Literário] Loja abandonada vira biblioteca pública nos EUA

Salve salve tripulação mais cultural de toda internet, tudo tranquilo com vocês?

Esperamos que sim, pois estamos de volta ao mar cibernético mais cultural da web, com o diversas novidades, dicas e entrevistas do mundo da cultura, com algumas modificações em nossa equipe e tentando renovar o layout do site, para que ele fique com uma cara mais ‘clean’ e moderno.

Mas vamos ao que interessa, pois hoje é apenas o primeiro dia de 2014 aqui no OBC, que já começa com mudanças, assim como aqui no site.

Essa nota estava guardando desde quando saímos de férias e já havia prometido, que quando voltássemos iria falar sobre ela, então ‘se liga na parada’, porque essa ideia é boa e bastante útil.

A empresa Meyer, Scherer & Rockcastle transformou uma antiga loja Walmart abandonada na cidade de McAllen, Texas, em uma biblioteca de 124.500 metros quadrados, isso é o tamanho de 2,5 campos de futebol, sendo a maior biblioteca pública de um único piso dos EUA. A reforma derrubou o teto antigo e as paredes do edifício, deu ao que sobrou uma demão de tinta branca e começou a trabalhar adicionando espaços envidraçados, detalhes arquitetônicos que aumentavam a luminosidade interna e muitas fileiras de livros.

A McAllen Pubilc Library tem uma sala acusticamente separada para jovens, 16 espaços para reunião, 14 salas de estudo e 64 laboratórios de informática. Além disso, espaços anexos incluem um auditório, uma galeria de arte, um sebo e um café.

Atualmente existe um grande numero de lojas abandonada nos Estados Unidos, que, durante as últimas décadas, ficam largadas em espaços enormes à espera de novos donos. Mas ao menos um desses terrenos ganhou utilidade e se transformou na maior biblioteca pública do país.

Isso seria uma grande ideia para a reutilização de prédios abandonados pelos grandes centros urbanos de todo o Brasil, pois antes uma biblioteca, que leva cultura e entretenimento à todos, do que um monte de entulho que só enfeia e não serve para nada no país.

Para mais informações sobre a McAllen Pubilc Library, acesse o site da biblioteca:

msrdesign.com
www.mcallenlibrary.net

[Cabine da Pipoca] Luz, câmera, ação e Hollywood

Nesta semana, como é a última semana letiva aqui no OBC, depois só em 2014, afinal, somos filhos de Deus e também merecemos descanso, apesar de não ganhar milhões, trabalhamos tanto ou até mais, daqueles que vivem esfregando seus recibos, holerites e 13º salário na cara dos outros. Mas deixa essa história para lá e vamos falar de algo mais útil, que é sobre cultura.
Que para os amantes de cinema, principalmente os hollywoodianos, irão adorar a pauta desta sexta-feira, na qual é sobre a história da capital do cinema nos Estados Unidos, a cidade de Hollywood, que antes não passava de uma cidade praiana como qualquer outra.

Hollywood é um distrito da cidade de Los Angeles na Califórnia de grande importância na constituição da identidade cultural dos Estados Unidos, e está situado a noroeste de Downtown Los Angeles. O distrito se tornou famoso mundialmente pela concentração de empresas do ramo cinematográfico e pela influência que exerce na cultura global. Os produtores de cinema se destacaram em Hollywood em busca de luz natural disponível no local.
Com o passar das décadas, Hollywood se tornou símbolo do poderoso e fantástico cinema estadunidense, sediando premiações e abrigando homenagens públicas para os mais destacados artistas de cinema e musicais do mundo. O local também é famoso pelo grande letreiro chamado Sinal de Hollywood e pela enorme concentração de pessoas ricas e famosas que moram no distrito ou distritos próximos.
Mas dois motivos atraíram os primeiros produtores da indústria cinematográfica americana para Los Angeles, o clima californiano e a distância de Nova York.
O primeiro era perfeito para filmagens, o sol brilhava o ano todo e as paisagens podiam ser facilmente adaptadas às mais variadas tramas há ali tanto deserto quanto mar e montanhas para serem utilizados como cenários naturais. 
O segundo motivo explica-se pelo fato de os cineastas e produtores tentarem escapar do controle de patentes que o inventor americano Thomas Edison (1847-1931) tentava impor em Nova York.
Hollywood se tornou símbolo do poderoso e fantástico cinema estadunidense, sediando premiações e abrigando homenagens públicas para os mais destacados artistas de cinema e musicais do mundo. O local também é famoso pelo grande letreiro chamado Sinal de Hollywood e pela enorme concentração de pessoas ricas e famosas que moram no distrito ou distritos próximos.
Devido à sua fama e identidade cultural como o centro histórico de estúdios e astros de cinema, a palavra “Hollywood” é frequentemente usada como uma metonímia do cinema americano, e é muitas vezes usada alternadamente para se referir à Grande Los Angeles em geral. As alcunhas StarStruck Town e Tinseltown referem-se a Hollywood e sua indústria cinematográfica. 
Atualmente, grande parte da indústria do cinema se dispersou em áreas vizinhas, como a região de Westside, entretanto, significativas indústrias auxiliares, tais como empresas de edição, efeitos, adereços, pós-produção e iluminação permanecem em Hollywood, como o backlot da Paramount Pictures.
Veja abaixo o quadro de ascensão e glória da meca cinematográfica:
1887:  Horace Wilcox, um milionário do setor imobiliário, tenta transformar uma região de campos de cevada, nos arredores de Los Angeles, em comunidade religiosa. Sua mulher, Daeida, é quem batiza o povoado de Hollywood, em homenagem à casa de campo de amigos da família em Chicago
1903:  As terras de Hollywood são compradas por uma organização dirigida pelo general Moses Hazeltine Sherman. Empreendedor nato, Sherman – que, no futuro, seria sócio dos proprietários do jornal Los Angeles Times – foi um grande incentivador da expansão das ferrovias na região, dando impulso ao crescimento urbano
1907:  Fugindo de uma tempestade em Chicago, a equipe de O Conde de Monte Cristo termina o filme em Los Angeles. O astro Francis Boggs gosta do clima e fica por lá, criando o primeiro estúdio californiano. No mesmo ano, The Power of the Sultan (O Poder do Sultão) seria o primeiro filme todo rodado em Hollywood
1909:  O diretor Charles French – que também atuou em mais de 200 filmes até a década de 40 – bate um recorde. Ele produz, para a Bison Company, mais de 185 curtas-metragens em apenas oito meses! É um sinal inequívoco de que a indústria cinematográfica local começa a esquentar para valer
1914:  É fundado o primeiro grande estúdio, a Paramount, que teve origem num estúdio chamado Famous Players Film Company, comandado por Adolph Zukor. Em 1925, surge a Metro-Goldwyn-Mayer, ou MGM. Ambos representam a consolidação definitiva da capital do cinema mundial
Hollywood sempre será sempre lembrada como a cidade do cinema, por proporcionar grandes filmes, com histórias e elencos magníficos, sempre buscando trazer a magia do arte cinematográfica, para todos, mostrando que todos podem sonhar, pensar e sentir, através das telonas dos cinemas. Essa é Hollywood, a cidade da magia do cinema.

[Caixa de Som] Do Texas para o Mundo

Com apenas 17 anos, Mary Sarah já tem uma trajetória musical bastante extensa para uma alguém que mal saiu da adolescência. Uma das revelações da música country estadunidense.

Começou a cantar aos oito anos de idade, na igreja, depois passou a gravar suas canções em fitas-cassete e enviar à rádios locais.

Aos 12 anos (2007), Mary excursionou por seu país em uma turnê que durou seis meses como vocalista e dançarina destaque da banda Kidz Bop, onde ela apresentou 18 canções produzidas por Razor & Tie

Records (os mesmos agentes da atriz Dakota Fanning). O tempo passou, e em 2009, agora com 14 anos, a jovem cantora regressa ao Texas e continuou sua performance local e regional no Orpy Theaters, Towns, Town Squares e em eventos de caridades, onde ela pode aperfeiçoar a cada dia sua habilidade vocal e na guitarra.
Depois foi só sucesso, convites e shows atrás de shows. Mary Sarah foi convidada em 2012 para tocar junto com o ícone da música country, o quarteto The Oak Ridge Boys, que descobriu a cantora através no Youtube, e aproveitaram para lança-la no mercado. E no começo de 2013, ela ingressou em estúdio para gravar seu primeiro álbum country, previsto para ser lançado no verão dos Estados Unidos.
Ela se mudou com sua mãe para Nashville para se dedicar ainda mais ao projeto, que conta com a produção de Kent Wells e está sendo gravado no lendário estúdio “The Soundkitchen”.
Suas principais influências vão do pop atual a lendas do country estadunidense, entre eles estão, Carrie Underwood, Taylor Swift, Patsy Cline, Loretta Lynn, Dolly Parton, Connie Frances, Lynn Anderson, Bruno Mars.

E ai, ficou curioso em conferir o som de Mary?

Então se liga no player abaixo:

Site | Twitter | Facebook | Youtube | G+ | Instagram Por Patrícia Visconti