Arquivo da categoria: homenagem

“Turma Mônica – Laços” chega aos cinemas no fim de junho

459d3d8ea692337e458b48ecf564a22c

O primeiro live-action da Turma da Mônica estreia nos cinemas no fim deste mês, e a turnê promocional do longa já começou e promete passar por diversas cidades brasileiras, para mostrar a força desses personagens icônicos dos quadrinhos brasileiros, que agora ganham às telonas num filme memorável que promete emocionar e cativar diversos públicos, com “Turma da Mônica – Laços”. Continuar lendo “Turma Mônica – Laços” chega aos cinemas no fim de junho

Ziraldo será o homenageado do Artist’s Alley da quinta edição na CCXP

ziraldo

Nesta semana o quadrinista Ziraldo completou 86 anos de idade, no dia 24 de Outubro, além do mais ele também recebeu alta do Centro de Terapia Intensiva do Hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro, aonde ele estava internado a quase um mês, após sofreu um AVC hemorrágico.

Porém, além dessa notícia extraordinária da sua volta para casa, o cartunista foi condecorado com o homenageado do Artist’s Alley da CCXP 2018, com pôster e credenciais dos artistas do Menino Maluquinho, produzido pelo conterrâneo de Ziraldo, Vitor Cafaggi. Continuar lendo Ziraldo será o homenageado do Artist’s Alley da quinta edição na CCXP

Autor cria jingle em homenagem à classe política do Brasil

76698527

Lembrando que nesta semana começou o horário eleitoral gratuito e estreou nos cinemas, a continuidade do longa “Candidato Honesto“, apresento uma canção que irá virar hit nestas eleições que se aproximam. Continuar lendo Autor cria jingle em homenagem à classe política do Brasil

CCXP 2017 homenageia a grande dama da dramaturgia brasileira em sua quarta edição

Neste ano a CCXP 2017 teve uma grande surpresa no homenageado da convenção nesta edição, pois começa que não foi O HOMENAGEADO, mas sim, A HOMENAGEADA, e com muito carisma e amor pela arte, Fernanda Montenegro adentrou para receber as honras na maior comiccon do planeta. Continuar lendo CCXP 2017 homenageia a grande dama da dramaturgia brasileira em sua quarta edição

[Total Flex] Renato Aragão recebe homenagens e revela novidades na CCXP 2016

img_0041
Fotos por: Priscila Visconti

Na última quinta-feira (1º), a maior convenção geek e cultura pop do planeta abriu as portas para a sua terceira edição, a Comic Con Experience 2016 trouxe mais do que atrações incríveis ao evento, mas momentos épicos e de realizações para muita gente, dos convidados ao público, até para o homenageado, que neste ano foi nada mais, nada menos do que o trapalhão Renato Aragão, nosso eterno Didi Mocó. Continuar lendo [Total Flex] Renato Aragão recebe homenagens e revela novidades na CCXP 2016

[Total Flex] Adeus “Mestro Linguiça”!

0012870882

Na manhã desta sexta-feira, 17 de junho, os fãs do seriado Chaves acordou mais triste, pois mais um dos integrantes do elenco havia partido para tomar um xícara de café com Deus, sim, o nosso querido e eterno Mestre Linguiça – opps, Professor Jirafales -, partiu para o céu, junto a todos os outros que estão fazendo festa com a sua chegada lá em cima. Continuar lendo [Total Flex] Adeus “Mestro Linguiça”!

[Total Flex] Os 50 anos da comilona mais magrela do Brasil!

magali-melancia

Em 2013, a gorducha, dentuça, que só anda de vermelho e tem um coelhinho que ela não desgruda por nada, e ainda quando ela fica nervosa, sai dando coelhada para tudo que lado, principalmente nos moleques que vivem enchendo a paciência dela, a Mônica. Já em 2014 foi o ano dela já passou, pois esse ano é vez da Magali completar cinco décadas.

cEla adora comer, e sempre que da da uma passadinha na cozinha para beliscar a coxinha, ou uma melancia – a sua fruta favorita – ou qualquer coisa que esteja deliciosamente amostra pronta para ser devorado. Apesar de ser a mais magra da Turma da Mônica.

Magali é a melhor amiga da Mônica, está sempre junto com ela, e a defendendo dos meninos, que sempre a zoam por ser baixinha e gordinha.

magaliFilha de Dona Lili e Seu Carlito, ela habitualmente usa um vestido amarelo, e tem um gato da raça angorá, chamado Mingau, ele é mimoso como a dona, embora não tenha o mesmo apetite.

Uma menina doce e carinhosa, que diferente de Mônica quase nunca fica irritada, a não ser quando não deixam ela comer, pois sua fome é quase que infinita.

Conheça um pouco dessa garota que é magrela, mas ninguém tem um apetite maior que o dela:

E para comemorar os “cinquentão” da comilona mais querida das histórias em quadrinhos, a estação Sé, em São Paulo recebe a exposição organizada pelo cartunista e jornalista JAL (José Alberto Lovetro) que homenageará a personagem Magali.

A personagem de Maurício de Sousa será retratada por 60 imagens com diferentes estilos, produzidas por diversos artistas brasileiros, como Baptistão, William Medeiros, Bruno Honda, Mônica Fuchshuber, Crís Carnelós, Amorim, entre outros as próprias filhas do autor, Magali e Marina.

A mostra “Flashexpo Magali” inaugurou nesta semana, no dia 10 de abril e vai até no fim deste mês, dia 30, no metrô Sé, em São Paulo.

Por: Patrícia Visconti

[Cantinho Literário] A Literatura Alemã Contemporânea

Esta semana, aqui no Cantinho Literário será em homenagem aos 24 anos da queda do muro de Berlim, que aconteceu neste mês de novembro, do dia 9, por isso que nesta semana será especial literatura alemã e para quem não se lembra o que foi esta barreira, vamos dar uma refrescada na memória da nossa tripulação.
A construção do muro de Berlim, na Alemanha foi construída pela República Democrática Alemã durante a Guerra Fria, que circundava toda a Berlim Ocidental, separando-a da Alemanha Oriental, incluindo Berlim Oriental.

Mas vamos a literatura e depois destrinchamos sobre a história do muro de Berlim, desde sua construção, até a sua queda no ano de 1989. A literatura alemã, integra as línguas alemã, Suíça e na Áustria, mas existem algumas correntes de literatura influenciadas em maior ou menor grau por dialetos (por exemplo, alemânico). Um desenvolvimento inicial da literatura em alemão ocorreu no período do alto alemão médio no início da idade média.
A literatura moderna em alemão começa com autores do Iluminismo (tais como Herder) e atinge seu formato “clássico” no início do século XVIII com o Classicismo de Weimar (Goethe e Schiller). Mas vamos encurtar a história da literatura alemã, se não ficaremos falando desde o ano de 700 depois de Cristo, por isso, iremos focar mais na literatura contemporânea.
A literatura contemporânea, que começou no século XX é profundamente marcada pela ruptura pela II Guerra Mundial e pelo exílio.”  Boa parte da obra desse autores exilados ficou dispersa por diversos países, e, até hoje, pesquisadores e editores procuram recuperar esses trabalhos bem como a história literária alemã desse período. Entre os autores que ficaram na Europa durante a II Guerra, é recorrente o tema da ruptura causada pela guerra e da necessidade de “reescrever a própria identidade”. 
Por outro lado, a partir da década de 1970, desenvolve-se a chamada literatura intercultural, uma tendência que se desenvolveu inicialmente na Alemanha e, posteriormente, em outros países de língua alemã. Trata-se de uma literatura feita por estrangeiros e inicialmente tratava sobretudo da problemática da imigração, “denunciando a discriminação, registrando o isolamento, o estranhamento, a perda da identidade ou a luta para redefini-la”.
Autores da literatura alemã contemporânea:
Ficção científica, fantasia: Andreas Eschbach, Frank Schätzing, Wolfgang Hohlbein, Peter Schmidt, Andreas Winterer
Literatura Pop: Dietmar Dath, Christian Kracht, Benjamin von Stuckrad-Barre, Rainald Goetz.
Literatura migrante ou intercultural: Feridun Zaimoglu, Wladimir Kaminer, Rafik Schami, Aglaja Veteranyi, Carmine Gino Chiellino
Poesia: Marcel Beyer, Uwe Kolbe, Thomas Kling (1957-2005)
Aforistas: Hans Kruppa
Suspense: Ingrid Noll
Novela: Charlotte Link
Erótica: Charlotte Roche
Para dar um anseio maior na litertura alemã, se liga nesta dica sobre a litertura alemã, escrita pelo autor Otto Carpeaux, que conta a história da arte literária, desde Hegel e Marx, passando pela arte da música, artes plásticas e passando até na literatura da Psicanálise de Freud e Jung.
Confira a sinopse do livro “A História Concisa da Literatura Alemã” – Otto Maria Carpeaux
“A Literatura alemã está na origem de toda a cultura ocidental. Filósofos como Hegel, Marx, Nietzsche, Schopenhauer, Heidegger; A reforma protestante com Luthero; Romancistas e poetas como Kafka e Goethe; e ainda na música, nas artes plásticas, na literatura da Psicanálise com Freud e Jung, enfim, uma influência gigantesca na vida, no pensamento e na forma como vivemos. 
Nesta Obra de Otto Maria Carpeaux você encontra uma síntese dos grandes momentos, livros e autores da literatura alemã, e conta com uma avaliação crítica de sua importância para a cultura e o desenvolvimento do país e sua influência nos principais movimentos culturais do mundo contemporâneo. Uma forma concisa de conhecer a literatura da “Terra dos poetas e pensadores.” 

[Cantinho Literário] Homenagem ao Eça de Queiróz

Tripulação d’ O Barquinho Cultural, queremos pedir desculpa por não postarmos nada nesta semana, mas estava um caos aqui na redação e na quarta e quinta-feira, não tínhamos nem mesa para produzirmos os textos.
Mas como somos repórteres sérias, bem influentes e não gostamos de ficar paradas, enquanto rolava o caos por aqui, nossas mentes não parava um segundo se quer, pois buscávamos e criávamos pautas para suprir essa perda de semana, então se liguem nesta embarcação, porque terá textos incríveis em OBC.
Como em nosso Cantinho Literário, que homenagearemos o grande escritor francês – português,  Eça Queiróz, que nesta semana completou 113 anos de sua morte.

Neste sexta-feira dia 16 de agosto, completou 113 anos da morte do romancista, contista e porque não dizer jornalista, Eça de Queiróz, ele faleceu no ano de 1900, em sua casa de Neuilly-sur-Seine, perto de Paris, tendo funeral de Estado e ele está sepultado em Santa Cruz do Douro.
Aos 40 anos casou com Emília de Castro, com quem teve 4 filhos: Alberto, António, José Maria e Maria. Eça escreveu diversas obras do gênero romantismo/realismo português, como “Os Maias”, “O Primo Basílio”, “O crime do padre Amaro”, entre outros.
Seu último livro foi “A Ilustre Casa de Ramires”, é sobre um fidalgo do século XIX com problemas para se reconciliar com a grandeza de sua linhagem. É um romance imaginativo, entremeado com capítulos de uma aventura de vingança bárbara que se passa no século XII, escrita por Gonçalo Mendes Ramires, o protagonista.
Trata-se de uma novela chamada A Torre de D. Ramires, em que antepassados de Gonçalo são retratados como torres de honra sanguínea, que contrastam com a lassidão moral e intelectual do rapaz.Foi também o autor da Correspondência de Fradique Mendes e A Capital, obra cuja elaboração foi concluída pelo filho e publicada, postumamente, em 1925.
Fradique Mendes, aventureiro fictício imaginado por Eça e Ramalho Ortigão, aparece também no Mistério da Estrada de Sintra. Seus trabalhos foram traduzidos em aproximadamente vinte línguas.

Cronologia sumária

Obras

O mistério da estrada de Sintra (1870)
O Crime do Padre Amaro (1875)
A Tragédia da Rua das Flores (1877-78)
O Primo Basílio (1878)
O Mandarim (1880) (eBook)
As Minas de Salomão (1885) (tradução)
A Relíquia (1887)
Os Maias (1888)
Uma Campanha Alegre (1890-91)
O Tesouro (1893)
A Aia (1894)
Adão e Eva no paraíso (1897)
Correspondência de Fradique Mendes (1900)
A Ilustre Casa de Ramires (1900)
A Cidade e as Serras (1901, póstumo)
Contos (1902, póstumo)
Prosas bárbaras (1903, póstumo)
Cartas de Inglaterra (1905, póstumo)
Ecos de Paris (1905, póstumo)
Cartas familiares e bilhetes de Paris (1907, póstumo)
Notas contemporâneas (1909, póstumo)
Últimas páginas (1912, póstumo)
A Capital (1925, póstumo)
O conde de Abranhos (1925, póstumo)
Alves & Companhia (1925, póstumo)
Correspondência (1925, póstumo)
O Egipto (1926, póstumo)
Cartas inéditas de Fradique Mendes (1929, póstumo)
Eça de Queiróz entre os seus – Cartas íntimas (1949, póstumo)
O “Primo Basílio”, fez tanto sucesso, que no ano de 2007,  o diretor Daniel Filho, transformou a obra de Eça de Queiróz em um longa-metragem, com personagens já conhecido pela população desta década.
Mas alguns anos antes, esta mesma obra, já foi adaptada nas telas do cinema, por Georges Pallu, no ano de 1922, sendo uma obra homônima e com artistas da época, como Amélia Rey Colaço como Luísa, Raul de Carvalho como Jorge e Robles Monteiro como Basílio.
Confira o trailer abaixo, do ano de 2007, pois não encontramos esta versão cinematográfica de 1922:

Bom leitura à todos e até semana que vem, com mais literatura aqui em nossa Cantinho da Literatura.Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] A Vida do Seu Madruga

Para os fãs de Chaves, está à venda um novo livro, que em verdade é em homenagem ao rei e mestre Seu Madruga, “O Diário do Seu Madruga”. 
O livro escrito pelo gaúcho Antonio Felipe Purcino, o livro conta de uma forma ficcional e livremente inspirada nos roteiros de Roberto Gómez Bolaños, a história do Seu Madruga, pelo ponto de vista do próprio Madruguinha.

Os fatos como a mudança do Seu Madruga para a vila, o nascimento da Chiquinha e a viagem para Acapulco estão lá, que logo mais terá uma entrevista exclusiva com o autor, que estamos preparando para toda tripulação do site.
A venda exclusivamente online, em formato impresso ou em e-book, clicando aqui;
O Diário do Seu Madruga – Por: Antonio Felipe Purcino
“O Diário do Seu Madruga conta, de maneira ficcional, a história do Seu Madruga, um dos mais queridos personagens da série “Chaves”, a partir da visão do próprio Madruguinha. 

Ao longo de 25 anos, o Seu Madruga conta sua história, relembra acontecimentos de sua vida, o que inclui momentos como o nascimento da Chiquinha, sua chegada à vila, a viagem a Acapulco e muitas coisas mais.”