Arquivo da categoria: literatura

Caixa de Som

Não é de hoje que a música pop e cinema estão mais interligados do que nunca. Desde as décadas passadas que as músicas marcam e interagem com os filmes, marcando gerações.

E para você que adora cinema, mas antes de tudo ama música, não pode deixar de ler, o “Almanaque das Músicas Pop no Cinema”.

O livro mostra as trilhas que contaram as histórias por trás da música, apresentando como inciou o surgimento da música pop no cinema a partir dos anos 1950 até as décadas de hoje. De Elvis aos Beatles, de Stepenwolf aos Bee Gees, de Cindy Lauper à Alanis Morissette, de Aerosmith a Bruce Springsteen. São quase 120 filmes e milhares de curiosidades. Bandas que foram criadas a partir do sucesso de um filme, astros que foram descobertos depois de interpretarem um grande músico, filmes que tiveram novo roteiro a partir da escolha de uma trilha… Enfim, um mundo de curiosidades sobre música e cinema, unidos pela trilhas que embalaram gerações e são as mais lembradas até o dia de hoje.

ALMANAQUE DAS TRILHAS: A MUSICA POP NO CINEMA

Autor: Rodrigo Rodrigues
Editora: Lua de Papel
Previsão de Publicação: 25/05/2012 (lembrando que pode ser alterado, caso a editora altere a data de publicação prevista).
Enquanto não saí o almanaque, confira um single que foi sucesso do Aerosmith, que com certeza, todos conhece: “I Don’t Want to Miss a Thing“.


Coloque mais música em sua vida, afinal todos os momentos dela tem uma trilha sonora, basta você prestar atenção.See ya…Patricia Visconti

Poesia na Virada

A Virada Cultural paulistana, é na próxima semana, mas que tal um aquecimento sobre o que vai rolar na oitava edição.
Então se liga por aqui, pois cada dia será uma atração deste evento tão cultural.
Em nossa estreia, falaremos do que vai rolar na Casa das Rosas.

Você curte poesia e literatura, então é na Casa das Rosas que você deve curtir a sua Virada, pois lá haverá leitura de poética, com 12 horas de duração, além de apresentações de muscais, teatro infantil, oficinas de bonecos e Sarau.
Confira a programação abaixo:

SÁBADO
16h
Visita especial: Olhar e olhar de novo
Descobrindo a Casa das Rosas por meio do olhar.
Com Núcleo Educativo da Casa das Rosas.
Os visitantes explorarão a Casa a partir de fotografias de seus detalhes, refletindo sobre seu sentido no passado e no presente.
18h
Sarau: Todos os sons
Curadoria: Lucas Nemeth.
Músico: Orlando Scarpa.
Poeta: Ismar Tirelli.
Esta série pretende explorar os férteis e diversos pontos de encontro entre música e poesia, ampliando os limites da canção e criando diálogo entre as duas linguagens.
19h
Apresentação: Energia Brasileira Natural
Por Lucio Agra.
A proposta é uma reperformance, uma leitura crítica do trabalho do duo espanhol Los Torreznos, chamado “Energía Espanhola Normal”. Em vez da dupla, a “re-versão” brasileira usará um único performer e algumas modificações, já perceptíveis a partir do título, mantendo o questionamento básico à normalidade e aos comportamentos tidos como “típicos” e “naturais”.
20h
Show: Paralelas
Com Alice Ruiz e Alzira Espíndola.
Este show, simbiose de música, poesia e literatura, reúne as parceiras Alzira Espíndola e Alice Ruiz, que se conheceram em 1989, por intermédio de Itamar Assumpção, parceiro de ambas.
22h
Show: Poesia é Risco no Lago da Palavra
Com Cid Campos.
Cid Campos traz, neste show, um mix de seus três CDs: Poesia é Risco, No Lago do Olho e Fala da Palavra. A Poesia Concreta comparece com destaque através da musicalização e/ou oralização de poemas de Augusto e Haroldo de Campos, José Lino Grünewald e Ronaldo Azeredo.
Das Katatau – Catatau lido e relido
Leitura do livro Catatau, de Leminski.
Duração: 12 horas.
Por Lucio Agra e grupo Riverão.
Leitura performática integral de Catatau, de Paulo Leminski, realizada por Lucio Agra, com o grupo Riverão (Diego Sampaio, Gabriel Kerhart e Valter von Wolgenweide). Durante a madrugada, num percurso de aproximadamente 12 horas, o grupo, junto ou em revezamento, fará a leitura da prosa poética de Paulo Leminski.
DOMINGO
24h
Sarau: Grande Encontro
Com Sérgio Vaz e Pezão.
O sarau reunirá dois grandes fundadores da Cooperifa em um evento totalmente aberto à participação do público, para a celebração da Poesia.
2h
Um Ensaio Literário
Com Evandro Affonso Ferreira e Marcelino Freire.
Numa bem-humorada performance, os dois amigos, além de lerem trechos de seus trabalhos, conversam sobre suas referências literárias, ofícios e vocação artística. O público também poderá participar fazendo perguntas aos autores.
4h
Show de Ademir Assunção e Banda
Ademir Assunção apresenta uma surpreendente fusão de poesia, blues e rock’n’roll, com sua banda formada por Marcelo Watanabe (guitarra e vocais),Caio Góes (contrabaixo) e Caio Dohogne (bateria).
10h30 – PROGRAMAÇÃO INFANTIL
Oficina de bonecos de corda
Com Paulo Farah André.
A oficina propõe a construção de bonecos e bonecas tendo, como elementos principais, cordas, cordões, fios e lãs. As crianças poderão levar os bonecos para casa no final da atividade.
13h – PROGRAMAÇÃO INFANTIL
Teatro: A Bruxinha
Com Cia. Truks.
A peça traz para os palcos a famosa personagem de Eva Furnari. Com muita simplicidade e momentos de poesia, a Bruxinha nos cativa e encanta com suas pequenas manias, gestos e jeitos. Revela-nos outra face da realidade, carregada de fantasia.
14h30 – PROGRAMAÇÃO INFANTIL
Espetáculo musical: Caixa dos Sons Imaginários
Com Grupo Batucantante.
Será que tudo tem um som? Como é o som do vento? Que som faz um “desbuzifonelificador”? Como se faz som de instrumento musical sem o instrumento? E o que acontece quando o som resolve dormir? Com a ajuda de uma caixa colorida, o Batucantante estimula a imaginação das crianças com um repertório repleto de brincadeiras.
16h
Patuscada!
Sarau da Editora Patuá.
Autores convidados: Aline Rocha, Eduardo Lacerda, Leonardo Mathias, Elisa Andrade Buzzo, Vlado Lima, Anderson Lucarezi, Juliana Bernardo, Lilian Aquino, Lucas Puntel Carrasco, Barbara leite, Willian Delarte, Israel Antonini, Lígia Araújo, Acauam Oliveira, José Vírgínio, Marco Aqueiva, Fatyma Bryto, Rogério Fernandes, Leandro Rafael Perez, Nestor Lampros.
O sarau reunirá, no encerramento da Virada Cultural 2012 da Casa das Rosas, uma amostra da poesia brasileira contemporânea, trazendo ao palco, para leitura de poemas, alguns dos autores publicados pela Editora Patuá nos anos de 2011 e 2012. Conheça mais sobre o trabalho em: http://www.editorapatua.com.br.
SERVIÇO
Virada Cultural 2012 – Virada da Poesia na Casa das Rosas
Sábado, 5 e domingo, 6 de maio.
Casa das Rosas
Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura
Av. Paulista, 37
De terça-feira a sábado, das 10 às 22 horas;
domingos e feriados, das 10 às 18 horas
(passível de alteração, de acordo com a programação).
Tel.: (11) 3285-6986/(11) 3288-9447
Convênio com o estacionamento Patropi: Al. Santos, 74.

Para saber mais sobre a programação do evento, confira o site oficial da Virada Cultural, mas não esqueça de conferir nossas dicas essa semana.

[Catinho Literário] Feliz dia Mundial do Livro

Hoje dia 23 de Abril, é dia mundial do livro, data comemorativa instituída pela UNESCO em 1996, escolhida por ter sido o dia da morte dos escritores Miguel de Cervantes e William Shakespeare, no ano de 1616.
Então para comemorarmos este dia, vamos fazer uma festa literária, com muito romance, drama, ficção, aventura, entre outros temas de livro e festejar muito, pois hoje é dia de ler muito, bebê.
Portanto, é isso que vamos fazer, fazer uma festa com muitos livros.
É isso pessoal, feliz dia mundial do livro e boa leitura e divertimento a todos.
Muaaah muah da autora e anfitriã da book’s party aqui d’O Barquinho.

[Cantinho Literário] Novos autores

Para quem curte um bom romance, com drama e um pouco de suspense não pode deixar de ler O Outro Lado Da Estrada, do Escritor, Roteirista, Cineasta e Músico-Compositor-Produtor. Também, formado na área de Informática. Ator e Diretor de Produções Independentes, Andre Sillres.
Confira um pouco da história do livro, logo abaixo.

Sinopse: O casal apaixonado “Alex” e “Anne” resolve fazer uma viagem ao “Grand Canyon”, no Arizona. Anne sempre quis conhecer esse belo lugar. Alex sai de férias, pega Anne e eles vão, de carro, da “Califórnia” rumo ao “Arizona”. Só que… um …“Imprevisto” acontece, uma… “Ironia do Destino”.

Três assassinos fugitivos de um presídio de segurança máxima cruzam com o casal,na estrada. Ao tentarem violentar Anne, Alex tenta defendê-la, mas acaba levando um tiro na cabeça. Os assassinos violentam Anne de todas as maneiras possíveis e depois a matam.
Mais de uma década depois, Alex volta de um coma, que para os médicos, era irreversível – um… “Milagre”. Até a família de Alex já estava desacreditada. De volta à vida, a primeira coisa que Alex faz é perguntar sobre sua amada “Anne”. Ao receber a notícia de sua morte, Alex não consegue acreditar e entra em desespero.
Um tempo depois, o ex-chefe e dono de uma das maiores empresas de tecnologia dos Estados Unidos e do mundo, Leonard Harris, convida Alex, por considerá-lo como um filho – o filho que nunca teve – para assumir o lugar dele na empresa, como: “Diretor- Presidente”.
Subitamente, semanas depois, Alex começa a ter sonhos estranhos e a ver a sua ex-noiva “Anne” – que antes era uma linda moça – agora, completamente diferente, com uma cara deformada – uma criatura aterrorizante – como se estivesse com ódio dele, tentando, de alguma maneira: ou colocar medo ou alertá-lo de algo.
Alex vai começar a ver, temer, sentir coisas que ele nunca imaginou fazer. Quando ele se der conta do que realmente está acontecendo…
Às vezes, as coisas não são o que nós imaginamos ser. Às vezes, nós vemos, mas não enxergamos, de fato, o que está a nossa frente. Nada acontece por acaso.
Em algumas… “Estradas” há… “Rosas” exalando seus perfumes para você. Mas em outras… há… “Olhos” olhando por ou… para “Você”.
“O Outro Lado Da Estrada” é uma incrível intrigante trama que prende a atenção do leitor do início até o fim. Faz o leitor parar para pensar, colocando-o na posição de Alex, tentando imaginar o que realmente está acontecendo com ele. Tudo isso com muito: “Suspense”, “Ficção” e uma grande dose de “Terror”. Além de um forte romance que vai fazer rir e chorar junto com os personagens principais: “Alex &
Anne”.
“O Outro Lado Da Estrada” conduzirá o leitor a várias… “Estradas da Vida”, chegando a uma que só pode ser cruzada por aqueles que já não estão mais deste lado da “Estrada”. Quando o leitor chegar à última página desse livro, ele vai entender o verdadeiro significado de… “O Outro Lado Da Estrada”.

Para saber mais sobre o autor, o livro e como comprar ou baixar, basta acessar os links abaixo e conferir mais informações sobre…
Onde Comprar – clique aqui
Clube de Autores – Informações sobre o livro e o autor
Site oficial do Andre Siller
Twitter oficial @AndreSillres e @MrSillres (Para contato mais próximo com o autor)
Mas é isso ai, se você curtiu, não deixe de comprar ou baixar o livro, pois para quem curte um romance, com drama, suspense e um pouquinho de ficção (que esqueci de falar lá em cima hehe), este livro é um prato cheio.
Boa leitura a todos e bom divertimento.

[Cantinho Literário] Incentivar as crianças a ler é estimular o conhecimento

Hoje, dia 18 de abril comemora-se o Dia Nacional do livro Infantil. 
Dia qual vale reforçar o incentivo da leitura entre nossos pequenos, já que atualmente o índice de leitura entre as crianças vem caindo a cada dia.

O dia nacional do livro infantil, foi criado com o intuito de promover a leitura entre as crianças e adolescentes, mas a data não foi por acaso escolhida neste dia. Já que em 18 de Abril de 1882, foi quando  Monteiro Lobato nasceu e como o autor foi um grande propagador e incentivador da literatura Infanto-Juvenil, rendeu-se a homenagem à ele.
Entre as obras mais notáveis de Monteiro Lobato, vale ressaltar “Jeca Tatu”, “A Menina do Nariz Arrebitado” e “O Sítio do Pica-pau Amarelo”, sendo que o último trabalho mencionado inspirou uma produção televisiva. O escritor brasileiro foi responsável por criar personagens inesquecíveis, como Narizinho, Pedrinho, a boneca Emília, o Visconde de Sabugosa e a Cuca.
A pessoa que lê desde pequena, é mais cognitiva, adquire novos conhecimentos e estimula a imaginação e criatividade, porém, apesar de todos esses atributos, as crianças estão lendo cada vez menos no Brasil,  de acordo com dados levantados pela Fundação Pró-Livro em parceria com o Ibope Inteligência, a quantidade de livros lidas entre os 5 a 10 anos caiu de cinco livros por pessoa, durante todo esse período.
É triste, é lamentável, mas acreditamos de que esse futuro não será irreversível, pois ainda iremos construir um país de leitores, e o melhor de bons leitores, independendo do que eles façam em sua vida. Porque quem lê é mais criativo, perceptivo e culto, além de ampliar seus conhecimentos e sua visão perante ao mundo em geral.
E ai, vai continuar presenteando seu filho, sobrinho, primo, amiguinho, com brinquedinhos de plásticos que logo, logo irão para o lixo, ou vai dar um livro e incentivar a criançada a ter mais conhecimento?
Pense bem, pois um livro é conhecimento e não causar invejinha aos amiguinhos!
É isso ai.. Até próxima!

[Cantinho Literário] Quem lê é mais feliz

Pesquisadores da Universidade de Washington e Lee (EUA) constataram esse efeito com um teste bem simples: colocaram voluntários para ler uma história bem curtinha, fizeram algumas perguntas para identificar o quanto cada um tinha curtido o que leu e aí derrubaram, sem querer querendo, um monte de canetas no chão.
O estudo conta que, quanto mais “transportadas” para dentro da história as pessoas tinham sido, maiores eram as chances de levantarem o bumbum da cadeira para ajudar a recolher as canetas.
A explicação é que quando lemos algo que realmente mexe com a gente, criamos empatia pelos personagens da história — e quanto maior essa empatia, mais propenso a gente fica a ser bacana com os outros na vida real. 
Quem lê é mais culto e sabe entender mais sobre o mundo, pois o leitor de verdade, sabe fazer uma leitura e recordar dos primeiros livros que leu, agora quem lê, porque é obrigada ou lê só por ler, não consegue sentir as emoções e sempre falam que as histórias são sempre iguais, pois não tem imaginação de sentir as emoções que um livro pode transmitir.
E ai, você anda lendo muito?

[Cantinho Literário] Sarau Musical na Casa das Rosas


No último Sábado, dia 7 de Abril, a Casa das Rosas, organizou o Sarau todos os sons, que mostrou utilização da poesia e música de uma forma cancioneira, ou seja, de uma forma cantada.

A mostra do Sarau todos os sons, já teve a primeira edição, que foi no dia 3 de Março e agora em sua segunda edição no dia 7/Abril, contou com artistas como, a artista plástica e poeta, Janaína Tokitaka, que foi acompanhada pelo curador do evento, compositor e músico Lucas Nemeth, que focou na produção de música experimenta inspirada nos compositores eruditos do século XX, mas trazendo uma visão atual sobre a música atual, para que a apresentação saísse do tradicional.

Todas as apresentações do Sarau, foi composta nesse segmento, um músico e um poeta, porque além de serem duplas que já se conhecia, não fujiria do contexto do evento, que foi um sarau de música e poesia.


Confiram algumas fotos do que aconteceu no Sarau todos os sons.


Clique na imagens para amplia-las;
Créditos: Casa das Rosas

Cantinho Literário – Dia mundial do livro infantil


Hoje dia 2 de Abril é dia mundial do livro infantil, afinal todo mundo já leu aquelas histórias clássicas de Princesas, como Cinderela, Branca de Neve e A Bela adormecida, ou então a coleção completa ou parte dela, da Turma da Mônica, do Tio Patinhas, ou então do Donald.

Afinal, essas histórias fizeram parte dos princípios literários de todas as pessoas que curtem ler um bom livro.

Feliz dia internacional do livro para todos.

[DICAS] Cantinho Literário



Para o nosso Cantinho Literário não ficar sem sua publicação semanal, pois a autora se atrasou um pouco com a pauta, fiquem com algumas dicas de lançamentos de livros e para todos os estilos, desde pessoas que curte romance, música e tecnologia, em verdade mais para quem é um Applemaniac.. hehe

Mas para semana que vem, estou trabalhando em uma pauta, que com certeza, todos irão adquirir hábitos de comprar livros por lá, estou falando daquelas máquinas de livros que há nos metrôs metropolitanos de Sampa, que desde seu lançamento nas estações paulistanas, faz muito sucesso entre os amantes de livros e também aumentou o número de usuários dos metrôs, que colocaram mais literatura em suas vidas.


Então, aguardem, pois semana que vem, esta matéria promete, mas enquanto isso, fiquem com os últimos lançamentos dos últimos dia.

Autor: Sparks, Nicholas

Editora: Arqueiro

Categoria: Literatura Estrangeira / Romance

Sinopse:
Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois.

Autor: Heatley, Michael
Editora: Edições Ideal
Categoria: Literatura Estrangeira / Biografias e Memórias
Sinopse:
Nirvana, Foo Fighters, Queens Of The Stone Age, Them Crooked Vultures, Paul McCartney, Tom Petty, Killing Joke, Tony Iommi, David Bowie, Mike Watt, Garbage, Nine Inch Nails, Prodigy, Cat Power. O que poderia facilmente ser o line-up de um festival de grande porte é na verdade um pedaço do currículo de Dave Grohl, músico dos mais ocupados do planeta que é especialista em fazer com que tudo que ele toque vire ouro. A Edições Ideal traz ao Brasil o livro “Dave Grohl – Nada A Perder”, biografia de Michael Heatley com mais de 200 páginas que conta a história do queridinho do rock desde sua infância em Springfield, Virginia, até o sucesso gigantesco do Foo Fighters com seus discos e clipes, passando pelo período com uma das bandas mais influentes da história, o Nirvana. Curiosidades, declarações polêmicas, bastidores, (muitos) elogios de gente importante e trabalho duro compõem esse livro que explica como um baterista do hardcore tornou-se o líder, vocalista e guitarrista de uma das bandas mais requisitadas e premiadas dos últimos anos.
“Nada A Perder” tem 11 capítulos organizados de forma cronológica, discografia e videografia de Grohl. Prêmios e fatos conhecidos sobre o cara e suas bandas até segredos como a perda da virgindade para uma jogadora de basquete, uma banda cover de Beatles tocando em seu casamento e o desconforto de Kurt Cobain em lançar um mega hit do Nirvana por ser parecido com uma música de outra banda são apenas algumas das passagens que o leitor irá encontrar em “Nada A Perder”, da Edições Ideal.

Autor: Sander, Peter
Editora: Universo dos Livros
Categoria: Administração / Administração Geral
Sinopse:
O que Steve Jobs faria se estivesse no meu lugar? Diferentemente das biografias existentes que se prendem a passagens da vida de Steve Jobs, este livro apresenta de maneira inédita o modelo de gestão criado por ele a frente da Apple e que a transformaram na empresa mais valiosa do mundo. A partir da comparação das visões convencionais de gestão com o modelo implantado por Jobs, o autor mostra o quanto o CEO da Apple foi diferente, e apresenta o novo modelo de liderança de Jobs dividido em seis partes, que incluem consumidor, visão, cultura, produto, mensagem e marca, capturando assim a essência da genialidade de Jobs que poderá inspirar e guiar gestores e líderes que pretendem ter sucesso a frente de empresas em diferentes segmentos de atuação.
É isso ai pessoal, boa leitura e bom divertimento a todos, pois nós aqui d’O Barquinho, agradamos todos os públicos e por isso que escolhemos três lançamentos das últimas’TOP’ de linha, para agradar a todos.
Boa semana a todos

[ESPECIAL] Jornalismo Literário

 
“É muito melhor cair das nuvens que de um terceiro andar!”
Machado de Assis

Chegando a reta final do nosso especial, Jornalismo Literário, e claro, que o melhor ficou para o fim, pois com certeza, todo mundo conhece e já leio pelo menos um livro deste autor.
Na Fuvest, este autor é figurinha carimbada, pois seus livros são leitura obrigatória e o Dom Casmurro é o campeão nisso.. hehe Se você pensou em Machado de Assis, acertou, pois ele foi, não só um grande autor mundial e jornalista, mas também foi uma pessoa de muita garra, percepção e inteligência.
Machado de Assis, estudou até a quarta série do primeiro grau e tampouco fez faculdade, mas ainda pequeno foi autodidata e aprendeu a ler sozinho. Era filho de uma lavadeira e um operário, carioca da gema e amante pela escrita, poesias, contos e literatura.
Foi o célebre do realismo no Brasil, considerado o maior expoente da literatura brasileira e do Realismo no Brasil, desenvolve em sua ficção uma análise psicológica e universal e sela, portanto, a independência literária do país. 
Machado de Assis,  foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, junto com outros grandes autores, Lúcio de Mendonça, Machado de Assis, Inglês de Souza, Olavo Bilac, Graça Aranha, Medeiros e Albuquerque, Joaquim Nabuco, Teixeira de Melo, Visconde de Taunay e Rui Barbosa.
Bom mas eu sou apenas uma inspirante a Machado de Assis e tenho muito que aprender, para chegar a nível de mestre.
Então… Tenha uma ótima diversão, emoção e prazer, lendo abaixo, um pouco da história e das principais obras do pequeno Machado.

Machado de Assis (Joaquim Maria M. de A.), jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 21 de junho de 1839, e faleceu também no Rio de Janeiro, em 29 de setembro de 1908. 
É o fundador da Cadeira nº. 23 da Academia Brasileira de Letras. Velho amigo e admirador de José de Alencar, que morrera cerca de vinte anos antes da fundação da ABL, era natural que Machado escolhesse o nome do autor de O Guarani para seu patrono. Ocupou por mais de dez anos a presidência da Academia, que passou a ser chamada também de Casa de Machado de Assis.
Filho do operário Francisco José de Assis e de Maria Leopoldina Machado de Assis, perdeu a mãe muito cedo, pouco mais se conhecendo de sua infância e início da adolescência. Foi criado no morro do Livramento. Sem meios para cursos regulares, estudou como pôde e, em 1854, com 15 anos incompletos, publicou o primeiro trabalho literário, o soneto “À Ilma. Sra. D.P.J.A.”, no Periódico dos Pobres, número datado de 3 de outubro de 1854. Em 1856, entrou para a Imprensa Nacional, como aprendiz de tipógrafo, e lá conheceu Manuel Antônio de Almeida, que se tornou seu protetor. Em 1858, era revisor e colaborador no Correio Mercantil e, em 60, a convite de Quintino Bocaiúva, passou a pertencer à redação do Diário do Rio de Janeiro. Escrevia regularmente também para a revista O Espelho, onde estreou como crítico teatral, a Semana Ilustrada e o Jornal das Famílias, no qual publicou de preferência contos.
O primeiro livro publicado por Machado de Assis foi a tradução de Queda que as mulheres têm para os tolos (1861), impresso na tipografia de Paula Brito. Em 1862, era censor teatral, cargo não remunerado, mas que lhe dava ingresso livre nos teatros. Começou também a colaborar em O Futuro, órgão dirigido por Faustino Xavier de Novais, irmão de sua futura esposa. Seu primeiro livro de poesias, Crisálidas, saiu em 1864. Em 1867, foi nomeado ajudante do diretor de publicação do Diário Oficial. Em agosto de 69, morreu Faustino Xavier de Novais e, menos de três meses depois (12 de novembro de 1869), Machado de Assis se casou com a irmã do amigo, Carolina Augusta Xavier de Novais. 
Foi companheira perfeita durante 35 anos. O primeiro romance de Machado, Ressurreição, saiu em 1872. No ano seguinte, o escritor foi nomeado primeiro oficial da Secretaria de Estado do Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, iniciando assim a carreira de burocrata que lhe seria até o fim o meio principal de sobrevivência. Em 1874, O Globo (jornal de Quintino Bocaiúva), em folhetins, o romance A mão e a luva. 
Intensificou a colaboração em jornais e revistas, como O Cruzeiro, A Estação, Revista Brasileira (ainda na fase Midosi), escrevendo crônicas, contos, poesia, romances, que iam saindo em folhetins e depois eram publicados em livros. 
Uma de suas peças, Tu, só tu, puro amor, foi levada à cena no Imperial Teatro Dom Pedro II (junho de 1880), por ocasião das festas organizadas pelo Real Gabinete Português de Leitura para comemorar o tricentenário de Camões, e para essa celebração especialmente escrita. De 1881 a 1897, publicou na Gazeta de Notícias as suas melhores crônicas. 
Em 1880, o poeta Pedro Luís Pereira de Sousa assumiu o cargo de ministro interino da Agricultura, Comércio e Obras Públicas e convidou Machado de Assis para seu oficial de gabinete (ele já estivera no posto, antes, no gabinete de Manuel Buarque de Macedo). Em 1881 saiu o livro que daria uma nova direção à carreira literária de Machado de Assis – Memórias póstumas de Brás Cubas, que ele publicara em folhetins na Revista Brasileira de 15 de março a 15 de dezembro de 1880. Revelou-se também extraordinário contista em Papéis avulsos (1882) e nas várias coletâneas de contos que se seguiram. Em 1889, foi promovido a diretor da Diretoria do Comércio no Ministério em que servia.
Grande amigo de José Veríssimo, continuou colaborando na Revista Brasileira também na fase dirigida pelo escritor paraense. 
Do grupo de intelectuais que se reunia na Redação da Revista, e principalmente de Lúcio de Mendonça, partiu a idéia da criação da Academia Brasileira de Letras, projeto que Machado de Assis apoiou desde o início. Comparecia às reuniões preparatórias e, no dia 28 de janeiro de 1897, quando se instalou a Academia, foi eleito presidente da instituição, à qual ele se devotou até o fim da vida.
A obra de Machado de Assis abrange, praticamente, todos os gêneros literários. Na poesia, inicia com o romantismo de Crisálidas (1864) e Falenas (1870), passando pelo Indianismo em Americanas (1875), e o parnasianismo em Ocidentais (1901).
Paralelamente, apareciam as coletâneas de Contos fluminenses (1870) e Histórias da meia-noite (1873); 
os romances Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878), considerados como pertencentes ao seu período romântico. A partir daí, Machado de Assis entrou na grande fase das obras-primas, que fogem a qualquer denominação de escola literária e que o tornaram o escritor maior das letras brasileiras e um dos maiores autores da literatura de língua portuguesa.
A obra de Machado de Assis foi, em vida do Autor, editada pela Livraria Garnier, desde 1869; em 1937, W. M. Jackson, do Rio de Janeiro, publicou as Obras completas, em 31 volumes. Raimundo Magalhães Júnior organizou e publicou, pela Civilização Brasileira, os seguintes volumes de Machado de Assis: Contos e crônicas (1958); Contos esparsos (1956); Contos esquecidos (1956); Contos recolhidos (1956); Contos avulsos (1956); Contos sem data (1956); Crônicas de Lélio (1958); Diálogos e reflexões de um relojoeiro (1956). Em 1975, a Comissão Machado de Assis, instituída pelo Ministério da Educação e Cultura e encabeçada pelo presidente da Academia Brasileira de Letras, organizou e publicou, também pela
Civilização Brasileira, as Edições críticas de obras de Machado de Assis, em 15 volumes, reunindo contos, romances e poesias desse escritor máximo da literatura brasileira.
OBRAS:

Romances
Ressurreição, (1872)
A mão e a luva, (1874)
Helena, (1876)
Iaiá Garcia, (1878)
Memórias Póstumas de Brás Cubas, (1881)  
Casa Velha, (1885)
Quincas Borba, (1891)
Dom Casmurro, (1899)
Esaú e Jacó, (1904)
Memorial de Aires, (1908)
Coletânea de Poesias
Crisálidas, (1864)
Falenas, (1870)
Americanas, (1875)
Ocidentais, (1880)
Poesias Completas, (1901)
Peças de teatro
Hoje Avental, Amanhã Luva, (1860)
Queda que as mulheres têm para os tolos, (1861)
Desencantos, (1861)
O Caminho da Porta, (1863)
O Protocolo, (1863)
Teatro, (1863)
Quase Ministro, (1864)
Os Deuses de Casaca, (1866)
Tu, só tu, puro amor, (1880)
Não Consultes Médico, (1896)
Lição de Botânica, (1906)
Coletânea de Poesias
Crisálidas, (1864)
Falenas, (1870)
Americanas, (1875)
Ocidentais, (1880)
Poesias Completas, (1901)

Contos selecionados
“A Cartomante”
“Miss Dollar”
“O Alienista” (†)  
“Teoria do Medalhão”
“A Chinela Turca”
“Na Arca”
“D. Benedita”
“O Segredo do Bonzo”
“O Anel de Polícrates”
“O Empréstimo”
“A Sereníssima República”
“O Espelho”
“Um Capricho”
“Brincar com Fogo”
Coletânea de contos
Contos Fluminenses, (1870)
Histórias da Meia-Noite, (1873)
Papéis Avulsos, (1882)
Histórias sem Data, (1884)
Várias Histórias, (1896)
Páginas Recolhidas, (1899)
Relíquias da Casa Velha, (1906)
Contos selecionados
“Uma Visita de Alcibíades”
“Verba Testamentária”
“Noite de Almirante”
“Um Homem Célebre”
“Conto de Escola”
“Uns Braços”
“A Cartomante”
“O Enfermeiro”
“Trio em Lá Menor”
“O Caso da Vara”
“Missa do Galo”
“Almas Agradecidas”
“A Igreja do Diabo”
Por: @pii_littrell (Uma admiradora master por Machado de Assis… hehe)
PS: Isso vai pra @nickacarter, pela vitória de 2×1 ontem (Domingo)… Chupaaaaaaaaaaaaaaaaaaa Porcada, aqui é CORINTHIANS mano! hauhauhuahuahuahua