Arquivo da categoria: MPB

[Caixa de Som] Vinicius Lopps canta com alma e compartilha emoção em suas canções

Mineiro de Curvelo, Minas Gerais, Vinicius Lopps, conheceu a música ainda na infância, e podemos dizer que foi amor a primeira vista, ou melhor, a primeira ouvida. Na adolescência resolveu profissionalizar essa paixão, e cantava em festas escolares, nos intervalos das aulas e durante elas  também. Além do mais, foi neste período, que o músico começou a escrever e compôr suas primeiras canções.

Após uma viagem de férias à São Paulo, o artista se encantou pela cidade e decidiu que era lá que ele queria consolidar sua carreira, e iria se mudar e conquistar seu espaço nesta megalópole maluca e corrida.
Chegando em Sampa, Vinicius começou a se apresentar na noite, onde ele conquistou muitos amigos e parceiros, e também ingressou no curso de canto livre, na Escola Técnica de Artes (ETEC de Artes), lugar este que abriu um leque de oportunidade ao jovem cantor, que ama o que faz, e se predispõe apoiar a todos propagando e compartilhando seu som aos quatro cantos da cidade.
Influenciado pela nata do pop-rock nacional, Vinicius adora cantar covers daqueles que o inspiram, entre eles estão, Raimundos, Charlie Brow Jr., Nenhum de Nós, Legião Urbana, etc, além de outros artistas que empenharam para que ele seguisse essa formação.
Cantor de voz rouca e grave, potencializa qualquer música que interpreta, porém ele nunca deixa de  obter conhecimento, sempre estudando, para adentrar a cada dia neste mundo musical tão almejado por todos, mas nem sempre conquistado. Por isso, ele mantêm seus pés no chão para absorver a gnose cultural da música em si, ampliando e compartilhando sua real essência neste universo de refrões monossílabo e de sub-celebridades fingido entender de música.
Atualmente, o jovem músico se apresenta na noite paulistana, também está em pré produção de seu primeiro álbum de inéditas, onde haverá canções próprias e a expressão de ideias peculiares de Vinicius. Criando sua identidade e repartindo sua essência com os ouvintes da verdadeira e original música popular brasileira.

Confira abaixo um prévia do talento de Vinicius Lopps:


Mais informações: Facebook | Youtube

[Caixa de Som] Glaucia Cris canta a guerra com astúcia e suavidade

Cantando a guerra, mas com sutileza e delicadeza, a carioca Glaucia Cris traz a música popular brasileira suas transpirações e inspirações, suavizando suas músicas com sua voz forte e alta.

Seu primeiro trabalho foi lançado em 2010, no EP “A Minha Força é Outra”, a primeira faixa a ser trabalhada foi “Caos Confusão”, que tomou tamanha proporção, atingindo um parâmetro maior do que apenas o nacional, ainda mais  pelos ocorridos recentemente, como manifestações, invasões e violência surgiu a inspiração do vídeo clipe lançado nas redes sociais.
O vídeo foi gravado de forma simples, com uma câmera na mão e muitas ideias borbulhando na cabeça, o clipe apresenta as questões de guerra e intolerâncias humanas são colocadas de forma delicada na tela.
Porém, a trajetória musical de Glaucia não começou hoje, pois a cantora inciou sua jornada ainda criança, aos seis anos de idade, onde ela já praticava acordes naquele que seria seu principal instrumento,o violão. Além de cantora e instrumentista, Cris é compositora.
Suas grandes inspirações na cena poética e musical vem de grandes ícones do gênero, destacando-se os principais,  Bandeira, Manoel de Barros, Vinícius de Moraes e Arnaldo Antunes, que foram os que

impulsionaram a cantora compôr suas primeiras letras. Outrossim suas inspirações de músicos nacionais e internacionais, que estão em atividade atualmente, como Calcanhotto, Chico, Caê, Bethânia, Camille, John Mayer, Gil, Donato, Tom, Irmãos Tatit, Ná, entre outros.

Mas, Glaucia nunca fica parada, ela está sempre em movimento, buscando novidades e inspirações para enriquecer sua carreira, carreira essa tão prazerosa, mas volúvel, então ela busca se inspirar em fatos do cotidiano, como as injustiças humanas, até mesmo,  pura e simplesmente pequenas questões do cotidiano, para construir suas canções.
2013 foi um ano de muita preparação e realização à cantora, já que ela preparava seu primeiro álbum, que trás a tona  a discussão sobre a guerra e suas dolorosas consequências.
O disco ainda não tem título e ainda não há data de lançamento, já que a multi artista encontra-se em estúdio gravado o mesmo, mas muito em breve um novo som estará surgindo para abrilhantar a música popular brasileira.

Enquanto isso, confira um desafio que a artista realizou na internet, onde seus fãs tinham que mandar histórias de suas vidas, para compôr uma de suas canções. Essa história foi inspirada na história de Camila Salgado Lacerda. Confira abaixo:

Conheça mais o trabalho de Glaucia Cris em seu site e em suas redes na web:

SiteTwitter | Facebook | Youtube | Google + | SoundCloudPor. Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Rapha Moraes: A revelação musical em 2013

Lançando seu primeiro álbum solo, o curitibano Rapha Moraes traz um novo trabalho à sua carreira, que apesar de você nunca ter ouvido falar sobre ele, sua trajetória já é longa pela estrada da arte.

Cantor, ator, compositor, Rapha mostra em sua canções o seu mais íntimo e profundo em suas criações, apresentando sua verdadeira essência musical a um público diverso e principalmente amantes da boa e inteligente música popular brasileira.
Confira o bate papo que o Rapha concedeu à nossa embarcação, com muita simpatia e carisma, ele falou sobre seu início, inspirações, influências, seu projeto solo, novo disco, shows, etc.  Vale muito a pena checar sobre essa revelação da música brasileira que já conquistou publico não apenas no Brasil, mas em vários outros países latino americanos.


OBC – De onde surgiu essa ânsia de ser músico? E quando foram seus primeiros acordes em sua vida? 


Rapha Moraes: Lembro que a primeira vez que tive um insight musical eu tinha uns 5 anos mais ou menos. Vi Chuck Bery tocando na televisão e falei pro meu pai que queria ser igual ele. Nessa idade mesmo dei meus primeiros acordes em uma aula de violão. Mas a música veio naturalmente.
Minhas avós sempre tocaram piano e no colégio meu grupo de amigos era cheio de músicos, por algum motivo. Então, ainda bem, a música me recrutou!

OBC – Quais são suas principais inspirações para compôr e cantar? E também atuar, já que além de cantor, você é ator?

RM: Com certeza as relações humanas. É o que me inspira e move. A vida pra mim é isso, o movimento interno e externo. Conexões.

OBC – Quais são suas influências musicais? Por quê?

RM: A música em geral, que me toca, é uma influência. E o que eu mais gosto mesmo é de canção sabe? Músicas bonitas… letras que me emocionam ou me façam pensar. Posso citar Moska, Fernando Anitelli, Perota Chingo e Jorge Drexler como alguns nomes que admiro muito e me inspiram.

OBC – O que surgiu primeiro em sua vida, cantar ou atuar? Como você “linka” as duas carreiras em sua vida?

RM: Cantar, com certeza. O teatro surgiu através de um grande amigo, Edson Bueno, que me incentivou a estar no palco também como ator. Acho uma delícia o teatro e espero fazer muito mais coisas, porém a música é minha estrada principal. Estar no palco é atuar, seja como for.

OBC – Desde de seu aparecimento, você vem com banda, como está sendo essa experiência na carreira solo?

RM: A experiência está sendo linda. Libertária. É bom fluir e poder compor e logo mostrar pras pessoas. É uma injeção de alegria!

OBC – Como foi a produção desse novo trabalho?

RM: Está sendo! Constante e sempre em movimento. Essa é a graça. Descobrir sempre algo novo e um lugar novo pra conhecer ou conquistar artisticamente.

OBC – Shows, apresentações, performances, clipes…, há algo programado em sua agenda? O que e quando?

RM: Temos algumas datas em Curitiba e São Paulo para esse ano.
Dias 10 de novembro [corrente cultural, Auditório Londrina, 14:30 – Curitiba] e 22 de novembro [Teatro Paiol Curitiba]; e dias 6 de dezembro [SIM SP] e 8 de dezembro [BECO SP].

A ideia é continuar soltando material novo na internet e lá por abril do ano que vem lançar um EP Oficial ou um CD completo!

OBC – Quais as expectativas futuras para a sua carreira?

RM: Espero abraçar a vida como ela vem me abraçando. Arriscar, conhecer gente nova, levar minhas canções para o máximo de pessoas por aí. Cada vez sinto que mais os corações estão abertos e é com eles que vou me sintonizando. A estrada foi feita pra ser percorrida.


O primeiro álbum solo do Rapha chama-se “La Buena Onda”, foi lançado 2013 e até agora contém cinco cinco videoclipes gravados que transborda emoções, entre eles estão os singles, “A Viagem”, “Imprevisível”, “Estação de Nós Dois”, “Viver de Mar” e “Você e Eu”. No próximo ano as músicas serão compiladas em um disco físico para os fãs e admiradores do músico.

Enquanto isso, podemos ouvir o novo projeto do artista em seu canal no SoundCloud:

Além do mais, pode acessar no Facebook oficial do Rapha e estar por dentro de todas as novidades sobre laçamentos de single, EP, shows, fotos, e qualquer outra novidade que o músico divulga em suas rede aos seus fãs.Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Daniel Groove: O maior da geração!

Há alguns anos atrás Daniel Groove liderava a banda Daniel Groove & O Sonso, mas Groove decidiu que chegou a hora de dar novos passos a sua carreira e decidiu lançar seu primeiro álbum solo, intitulado “Giramundo“, foi produzido por composições do músico que estavam guardados na gaveta.

Produzido por Saulo Duarte no fértil bairro do Cambuci, onde funciona o estúdio Cambuci Roots, o disco floresce com uma extensa lista de participações, como Diogo Soares (Los Porongas), Marcelo Calado (Do Amor/ Caetano Veloso), Rian Batista (Cidadão Instigado), Nevilton, Danislau Também (Porcas Borboletas), Bruno Souto (Volver), Beto Gibbs (A Unidade), Reginaldo Lincoln e David Dafré (Vanguart), Victor Bluhm e Vitor Colares (Fóssil), Guilherme Almeida (Pública), além das colaborações de João Eduardo Vasconcelos e João Leão. Em 2010, Daniel já havia lançado junto de sua banda “O Sonso” disco homônimo, pelo selo paulista Baritone Records.

Ouça abaixo o primeiro single do disco “Novo Brega“:

A carreira de Groove não começou com este álbum, já que durante esses anos o músico realizou diversas apresentações em festivais e shows pelas cinco regiões do país, agora ao alcançar sua maturidade artística, lança um disco que está entre o rock, o brega e a MPB, mostrando canções que fazem crônicas da vida e momentos rompentes do cotidiano.
Mas a quem pensa que Daniel seja paulistano, apesar de estar em São Paulo a mais de 15 anos, engana-se, pois o músico é cearense de Fortaleza, onde iniciou sua carreira, dividindo o palco com várias bandas de renomes do rock nacional, entre eles estão,  O Rappa, Nação Zumbi, Los Hermanos, Pato Fú e Titãs, para depois ser apontado pelo mapa Oi Novo Som e outras publicações como revelação musical da região nordeste, nos anos de 2011 e 2012.
Groove traz notas poéticas capazes de revelar em sua suave voz um grande homem, e um dos maiores artistas da geração. Além do mais, ele atua como um dos organizadores da Festa Odara
como diretor musical e compositor de trilhas originais para três peças teatrais.

Assista o videoclipe de “Novo Brega”:

Conheça mais sobre Daniel Groove curtindo sua página no Facebook, onde você irá saber sobre apresentações, lançamentos, shows, etc, pois com certeza será de grande valia e um bom entretenimento com muita música boa para curtir com seus amigos, amor e para a família toda.Por hoje é só, e até semana que vem com mais música de qualidade em nossa caixa de som!Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] O ajudante que virou rapper

Rapper, brasileiro, compositor, DJ e músico, essa são algumas das atividade que Jason Salles faz ao longo de seus 15 anos de carreira.
Influenciado pelos vizinhos que tocando em festas do bairro, fez com que o garoto de impressionasse bastante começando acompanha-los para ajudar a montar os aparelhos de som, fazendo com que alguns anos mais tarde ele já estava discotecando pelas pistas do todo Brasil, e ainda, participando de festividades com grandes nomes no cenário da música nacional e internacional.

Confira abaixo à entrevista que Jason concedeu aos nossos tripulantes, onde eles falou sobre carreira, o novo álbum “Não Pare o Baile”, singles, shows, futuro…

1- Quando você descobriu que queria ser cantor?
Em 2006 gravei minha primeira música cantando ao em vez de fazer scratchs nas faixas dos artistas como era de costume  gravei uma música chamada “Pele Chocolate” que entrou na mixtape “Copa do Mundo” produzida pelo Rapper Cabal, muitas garotas comentavam na net que elas amavam ouvir aquele som, e sempre perguntavam quem cantava, daí me despertou a vontade de gravar como cantor e usar minhas próprias composições.
2 – Deve haver uma banda que te acompanha nos shows, certo? Como vocês os conheceu?
Meu projeto “Não Pare o Baile” conta com uma formação de 4 profissionais, sendo 2 B-Boys, 1 DJ(DJ Raco) e 1 MC de apoio (MC Felipe Chileno).

3- Você já possuí singles, DEMOs e EPs lançadas? Quais?
Tenho o single “Pele Chocolate” (2006) e hoje em dia o álbum “Não Pare o Baile” que teve o single de estréia “La Dee Da” part. de Lino Krizz (Racionais MCs).
4- Quais são as suas principais influências? Por quê?
Mos Def, Talib Kweli, Lil Wayne, Drake, Rick Ross, Tyga e Big Sean, Brazucas referencia foi Racionais, MVBill, Criolo, Flávio Renegado, Jadiel Oliveira, Lino Krizz, Rael e Emicida. Cada a sua maneira me influenciaram no meu estilo de cantar, seja na batida ou na levada da rima, todos foram minha inspiração, para compôr e cantar!!!
5 –  Você próprio compõe suas canções?
Sim todas as faixas do álbum são composições minhas.


6 – Você prefere composição própria ou cover? Por quê?
Própria, pois tem minha verdade nas letras e rimas.
7 – Como você promove seu o trabalho?
Promovo através de fanpage, meu Site e Blog, pois fiz muitos fãs na internet nesses 15 anos de estrada da noite. Tocando no Brasil todo consigo unir os fãs do mundo online com os fãs que frequentam festas e eventos.
8 – Você acredita que há oportunidade na cena musical alternativa no Brasil? Por quê?
Acredito muito na cena musical alternativa, muitos artistas hoje considerados popular vieram da cena underground, como Marcelo D2, Emicida, Criolo e outros mais que hoje se encontram time de elite da cena musical brasileira.

9 – Já há planos para o lançamento de seu disco? Será o primeiro, ou você já possuí outro álbum lançado anteriormente?

O álbum “Não Pare o Baile” é meu primeiro trabalho lançado pra valer, com produção e assessoria de peso.
10 – Você se intitula independente? E como faz para manter as gravações, shows e lançamentos da banda?
Sou um artista independente, mas já tenho uma boa bagagem de shows acompanhando vários artistas, e também como DJ solo em varias casas pelo Brasil, uso esse recurso para divulgar minha música e de vários artistas do cenário do RAP!!!
11 – Quais os seus planos futuros? EPs, singles, CDs, clipes, shows… 
Meu próximo passo é lançar videoclipes das músicas do álbum, criar uma logo marca ou um selo, e fazer shows com uma boa estrutura, incluindo banda futuramente!!! Pois pra mim o céu é o limite.
Jason Salles é um músico que difundiu o rap com a música popular brasileira inovando e propagando o cenário alternativo do gênero por todo o país.
Ouça um dos singles do DJ e músico, qual ele está muito bem acompanhado, com a diva do rap nacional Leilah Moreno.

E para aqueles que curtiram o som e Jason, poderão ouvir o novo disco dele quando quiser, pois rapper disponibilizou seu álbum na íntegra e de grátis em seu site oficial, para que todos pudessem e ouvir quando você quisessem, e ainda, compartilhar com seus amigos.Até a próxima semana, com muita música a todos os navegantes de nosso barco!Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Gaby Amarantos é brega com orgulho!

Pra quem pensa que artistas de brega não conseguem ter sucesso fora dos estados do norte do país e/ou nos barzinhos “risca-facas” eu vus apresento Gaby Amarantos. Nascida no estado de Belém do Pará, esta carismática cantora de 34 anos lançou seu primeiro álbum em 2012 intitulado “Treme” e vem se destacando muito graças, não apenas ao carisma de Gaby, mas também pela qualidade da produção de suas músicas. SIM. São músicas que circundam a Mpb, o Carimbó e o Tecnobrega. E não pense que ela se intimida e/ou não se orgulha de ser brega. Se pra nós da região sudeste do país Brega é sinônimo de algo feio, fique sabendo que para artistas como Gaby ser brega é uma qualidade pra lá de positiva.


O álbum de estreia foi produzido por Luiz Félix Robatto e dirigido por Carlos Eduardo Miranda.
Em suas letras bem feitas Gaby mostra que tem referências e que está longe de ser algo fabricado, fake ou qualquer coisa que não seja autêntica. Os singles lançados para o álbum foram “Xirley”,”Ex-Mai Love”, “Chuva” e “(Ela Tá)Beba Loca”.

O clipe divertidíssimo feito para divulgar o single de  “Xirley” foi dirigido por Luan Rodrigues em nome da Produtora Greenvision! No clipe Gaby mostra a evolução entre dona de casa que quer ser famosa até a chegada ao estrelato. Tem que ser muito mal humorado pra não curtir o clipe. -Qualquer semelhança entre esse vídeo e “Come Into My World” de Kylie Minogue é méra coincidência.

Gaby já foi premiada no VMB da Mtv(Melhor Capa, Melhor Artista Feminino, Melhor Artista do Ano), no Premio Multishow(Novo Hit) e no APCA(Melhor Cantora).

Graças á personalidade de Gaby e sua visão artística é comum ve-la chamar atenção pelas roupas que usa. Essa característica já rendeu a ela apelidos como Lady Gaga da Floresta e Beyoncé do Pará. Mesmo que essas não sejam referências na música de Gaby ela se diverte com os apelidos que só comprovam o seu apelo pop!

Gaby não tem medo de expressar opiniões sejam elas pelo seu manequim ou pelas questões politicas que envolvem os negros, LGBTs, mulheres e índios.

Resumo da ópera : Gaby está na mídia e no top 10 do iTunes mostrando que tem muita gente boa fora do eixo sul-sudeste fazendo música popular de qualidade e que esses artistas talvez só não tenham mais projeção na mídia por falta de cuidados e de visão de carreira. Será Gaby um fenômeno musical que ajudará a evidenciar mais essa cena ou será um caso isolado? O que você acha?

Caixa de Som

O que acontece quando se junta dois garotos de Salvador e dois de São Paulo?
Não, não é sacanagem, como vocês devem estar pensando agora.
Acontece música! E música boa, de qualidade e original!

Os irmãos Victor e Alexandre Meira sempre tiveram uma ligação muito forte com a música, aprenderam tocar instrumentos ainda na infância e antes de montar a banda já brincavam de compor. Mas foi quando os meninos vieram para a megalópole paulistana que o Bratislava surgiu, junto com os paulistas Edu Barreto e Ricardo Almeida.

Uma mistura de rock, MPB, música cigana e uma pitada de poesia: essa é a real identidade da Bratislava, que os integrantes não gostam de rotular com um único gênero – preferem que o público decida o estilo do grupo.

Em novembro deste ano a banda lançou seu primeiro disco, intitulado ‘Carne‘, que apresenta as vivências, memórias, andanças e questionamentos, botando contra a parede coisas como os costumes sociais, a normalidade, os vícios da memória, a vida eterna e o paradoxo da perfeição. Foram quatro meses de trabalho árduo e produção de alta qualidade para que a finalização ficasse à altura das expectativas dos garotos, que ainda haviam lançado apenas o EP “Longe do Sono“, em 2011.

E por falar em EP, internet e divulgação, os integrantes estão sempre conectados nas redes sociais, interagindo com seus fãs, trocando mensagens e trazendo novidades de novos singles, fotos, vídeos e shows da banda.

A Bratislava é a prova de que música e poesia podem, sim, caminhar juntas!


Conheça um pouco mais da Bratislava:

Integrantes:
Victor Meira (baixo/vocais)
Alexandre Meira (guitarra/vocais)
Edu Barreto (guitarra)
Ricardo Almeida (bateria)

E por hoje é só galerinha, até a próxima semana com alguma novidade do mundo da música ou entrevista exclusiva propagando novas caras do cenário musical.

Segue abaixo os contatos dos garotos da Bratislava. E fiquem ligados, pois os shows de lançamento do álbum ‘Carne’ virão a todo vapor em 2013.

Caixa de Som

Quinta-feira chegou e junto com ela, música boa por ai… Ainda mais se for música popular brasileira e produzida de uma forma bem intimista dentro do apartamento.

Estou falando do ex vocalista da banda Alice, Cícero Lins, 25 é cantor e compositor, que após lançar dois discos bem Rock n’ Roll com sua ex banda e se formar na faculdade de Direito, o rapaz mostrou um lado maduro da vida de um jovem adulto, discutindo sobre solidão, saudades, paixões e memórias.

Com um mescla em um só artista, o garoto busca influência em Chico Buarque, Caetano Veloso, Tom Jobim, Los Hermanos, The Beatles e Radiohead, criando a partir daí o seu próprio estilo e identidade, dando uma nova cara para a música nacional.
O lançamento deste primeiro disco independente foi em junho de 2011, chamado “Canções de Apartamento”, cujo as letras e a produção do álbum foram feitas em seu próprio apartamento, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro e visa essa nova etapa na carreira profissional, mas também pessoal do musico. Músicas com arranjos simples e enxutas.
O primeiro single e a primeira faixa desse CD é “Tempo de Pipa”, uma canção um pouco melancólica, mas que traz na suavidade da voz de Cícero a leveza do e o toque de alma do ápice da música.
Além de Cícero (voz, guitarra, baixo, violão, piano e percussão), o álbum conta com a participação de Paulo Marinho (bateria) e Bruno Schulz (acordeon).
Confira o vídeo da canção abaixo:


E ai, curtiu o som do Cícero, então aproveita e acessa o seu site oficial e baixa seu CD na íntegra e curta um rock, pop, indie e um estilo único que tem a cara da nova geração da música brasileira.
Até mais e um feliz dia internacional das mulheres (para todas nós)!@nickacarter