Arquivo da categoria: pop

[Caixa de Som] Os gaúchos da Eletroacordes traz muito rock n’ roll e psicodelismo no primeiro EP da banda

O que acontece quando um dentista e músico e dois jornalistas, também músicos se reúnem e começam trabalhar juntos?

Claro que só pode dar MÚSICA!
Isso que os gaúchos do Eletroacordes está lançando o EP “Respire Fundo”, que traz um mistura de rock, pop, indie, blues, jazz, psicodelismo, etc. Algo indescritível e  impossível de rotular como muitos outros que surge no mercado.

O trio de Porto Alegre, capital da metrópole gaúcha é formado por Fabrício Costa – (vocal/guitarra), Rodrigo Vizzotto – (Vocal/baixo/teclado) e Elio Bandeira – (bateria) já estão juntos há quatro anos, sempre ecléticos e prontos para fazer mostrar o seu som.

O primeiro EP da banda foi gravado no Estúdio do Morro Apamecor e lançado em março de 2013, porém o grupo havia dado uma pausa na divulgação devido às mudanças de integrantes, projetos pessoais, profissionais e familiares, mas no mesmo ano ele regressaram ao Estúdio Music Box, também em Porto Alegre para finalizar e mixar e lapidar o debuxo.

“Respire Fundo” mostra a banda em múltiplas variações, com o intuito de prender o ouvinte e fazer com que ele perca o fôlego, além das fotos ilustrativas do álbum, que destaca os integrantes em P&B (preto e branco), salientando um registro singular e irônico, mostrando uma observação única do fotógrafo Luciano Lobelcho e do arte-finalista  Clau Sieber para expôr a banda.

Um disco para curtir e compartilhar com todos os amantes de música de verdade, e o melhor, ouvir em alto e bom som, para aproveitar cada segundo do compacto.
Assista abaixo a apresentação da banda no bar Divina Comédia, em Porto Alegre:

O EP da Eletroacordes pode ser baixado gratuitamente no site oficial da banda. Basta acesse o link abaixo e curtir “Respire Fundo” e todo o rock psicodélico dos caras.DOWNLOAD 

Mais informações: MySpace | Twitter | Facebook | Flickr Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Vinicius Lopps canta com alma e compartilha emoção em suas canções

Mineiro de Curvelo, Minas Gerais, Vinicius Lopps, conheceu a música ainda na infância, e podemos dizer que foi amor a primeira vista, ou melhor, a primeira ouvida. Na adolescência resolveu profissionalizar essa paixão, e cantava em festas escolares, nos intervalos das aulas e durante elas  também. Além do mais, foi neste período, que o músico começou a escrever e compôr suas primeiras canções.

Após uma viagem de férias à São Paulo, o artista se encantou pela cidade e decidiu que era lá que ele queria consolidar sua carreira, e iria se mudar e conquistar seu espaço nesta megalópole maluca e corrida.
Chegando em Sampa, Vinicius começou a se apresentar na noite, onde ele conquistou muitos amigos e parceiros, e também ingressou no curso de canto livre, na Escola Técnica de Artes (ETEC de Artes), lugar este que abriu um leque de oportunidade ao jovem cantor, que ama o que faz, e se predispõe apoiar a todos propagando e compartilhando seu som aos quatro cantos da cidade.
Influenciado pela nata do pop-rock nacional, Vinicius adora cantar covers daqueles que o inspiram, entre eles estão, Raimundos, Charlie Brow Jr., Nenhum de Nós, Legião Urbana, etc, além de outros artistas que empenharam para que ele seguisse essa formação.
Cantor de voz rouca e grave, potencializa qualquer música que interpreta, porém ele nunca deixa de  obter conhecimento, sempre estudando, para adentrar a cada dia neste mundo musical tão almejado por todos, mas nem sempre conquistado. Por isso, ele mantêm seus pés no chão para absorver a gnose cultural da música em si, ampliando e compartilhando sua real essência neste universo de refrões monossílabo e de sub-celebridades fingido entender de música.
Atualmente, o jovem músico se apresenta na noite paulistana, também está em pré produção de seu primeiro álbum de inéditas, onde haverá canções próprias e a expressão de ideias peculiares de Vinicius. Criando sua identidade e repartindo sua essência com os ouvintes da verdadeira e original música popular brasileira.

Confira abaixo um prévia do talento de Vinicius Lopps:


Mais informações: Facebook | Youtube

[TOTAL FLEX] Música de qualidade e gratuita para agitar o seu fim de semana

O fim de semana está aí, e nada melhor do que aproveitá-lo com muita música, poesia e diversão. E para esses adeptos haverá um extensão de programas espalhados pela cidade de São Paulo, desde show gratuito no parque até sarau poético e musical na Avenida Paulista, e o melhor todos GRÁTIS.
Mas, sem mais delongas e confira nossa agenda cultural e a partir desta semana será todas as sextas, trazendo sempre alguma novidade cultural nesta cidade multifuncional.

Venha curtiu o som leve e descontraído de Vinicius Lopps em um ambiente mais aconchegante e livre ainda, no parque. Traga sua toalha, sua garrafinha de água e venha conferir e esse talentosíssimo artista que apenas quer mostrar seu som e contagiar a todos com a sua música. 
Serviço 
Dia: 22/Fevereiro/2014 (sábado)
Horas: 14:00 horas 
Onde: Parque da Juventude 
Endereço: Av. Cruzeiro do Sul, 2.630 – Santana São Paulo/SP 
Entrada Franca 
Concentração: Em frente a lanchonete entre as ETECs; 
Mais informação: AQUI;

________________________________________________________________

Também neste fim de semana, acontece o sarau temático na Casa das Rosas, com muita música e poesia para os fãs de poesias algum ‘botarem’ defeito, pois tem para todos os estilos, do Pop, Rock e Hip Hop, ou seja, todos poderão desfrutar de seu estilo de música favorita, com um ares poético, afinal é na Casa das Rosas, lugar onde a poesias e literatura tomam conta.
No sarau haverá apresentação de bandas e artistas jovens, com projeção e leitura de poemas, diversidade de expressões musicais e repertórios, eletrônico e acústico, do Rock ao Hip Hop. Espaço para expressão de novos talentos e o diálogo entre a música e a poesia. 
Serviço
Quando: 22/02/2014 (sábado) 
Horas: 19:00 horas
Onde: Casa Das Rosas
Endereço: Avenida Paulista, 37
São Paulo/SP
Mais informações:

[Caixa de Som] Nayara Camarozano: Voz de diva e cara de anjo

Nas andanças da vida conhecemos diversos tipos de pessoas, entre boas e más, sinceras e falsas, criativas ou plagiadoras, entre outras.

Esse mundo é formado por um apanhado de cabeças que pensam diferente, mas com um único objetivo, mostrar e conquistar seu espaço neste mundão de bilhões. Como por exemplo, a cantora e publicitária Nayara Camarozano, 23, que apesar de sua imagem meiga e angelical, tem uma voz estrondosamente cativante e marcante, lembrando até um pouco das divas internacionais, com um timbre forte e grave, inesquecível não ouvi-lá e tocar o fundo da alma.

Nayara começou a cantar ainda muito pequena, aos cinco anos já sentiu o desejo em compôr e se

apresentar em festas e eventos familiares, na sala de sua casa, mas foi apenas aos 12 que ela ingressou profissionalmente na carreira.

Além de cantora, Nayara ´é compositora, onde ela descarrega todas suas ideias no papel, que são transformadas em canções, apesar de ser exigente, como qualquer aquariana é, ela gosta de cantar o que está sentindo no momento, para se identificar com a situação e transparecer aquele instante para a música, já que vivemos em uma constante mudança na vida e nem sempre é difícil agradar a todos e até mesmo a própria em uma letra, dizeres da própria artista.
Influenciada por diversos estilo do pop, rock e metal, sua principal musa inspiradora foi  a cantora Tarja Turunen (ex-Nightwish), posteriormente Sarah Brightman, Lorenna McKennitt e Sharon den Adel (Within Temptation). E assim, como seus ídolos, a jovem artista sonha em conquistar o mundo com sua voz, cantando seus estilos favoritos – pop, pop-rock, e até mesmo EDM (Eletronic Dance Music) -, ela busca seu espaço usando a internet para se promover e divulgar seu trabalho, e quem sabe assim as portas se abrem e o sucesso adentra em sua vida, como ela mesmo disse: “… a gente nunca sabe as surpresas que a vida pode nós trazer…”so…I’m open” (“então.. Estou aberta”).
Atualmente Nayara está cantando em eventos na capital paulista e no Coral e Orquestra Art’Encanto, apresentando canções populares e comerciais aos ouvidos dos demais, como Katy Perry, Lana Del Rey e Christina Perri, como a performance que ela fez na Oficina de Artes da Paróquia Nossa do Sagrado Coração, que apesar de ser algo diferente do que ela costuma cantar, foi bastante emocionante e prazeroso subir ao palco e mostrar um pouco do seu trabalho, da sua essência e da sua influência musical.

 

A cantora também sonha em gravar em próprio álbum, que provavelmente será composto por canções internacionais, além de muito romantismo e comoção, algo que hoje em dia é raro de encontrar nas prateleiras das lojas de música.
Assista o vídeo de Nayara cantando um cover de “My Immortal”, da banda estadunidense Evanescence:


Mais informações sobre essa jovem e talentosa cantora, acesse abaixo:

Youtube | Facebook

Por. Patrícia Visconti

OBC Awards 2013

O ano de 2013 começou devagar, mas com o passar dos dias muitas novidades foram surgindo, assim como as parcerias, os talentos, as revelações, etc. E este ano que chega ao fim, mais um OBC AWARDS será apresentado os TOPs da nossa embarcação.

Teve música de montão, cinema de qualidade, literatura e poesia, bastante novidades musical e também na interpretação.
Arte que provavelmente vocês iriam ver em outro lugar, já que são talentos brutos e puros, sem intervenções da grande indústria fonográfica, artistas que respiram arte 24 horas por dia, e não se importam apenas em lucrar, mas sim propagar a sua obra.

Então se prepara, pois chegou a hora de conhecer os melhores de 2013 no OBC:

Livro: “Europa na Mochila” – Nil Marques
Autor: Thiago Bechara

Novidades Tecnológicas: Microsoft compra Nokia

Atriz: Kaminsky Ribeiro
Ator: Renato Marckos
Peça teatral ou Musical: “Cabaré – Um espetáculo de dança”
Filme: Hobbit – A Desolação de Smaug

Cantora: Camila Garófalo
Cantor: Uirá França
Rapper e MC: Yan Nick
Banda: PrásKbças Music

Integração de música e arte na obra: Gabriel Gariba

Álbum do Ano: “Hoje” – Godasadog
Música do Ano: “Sobras” – Camila Garófalo
Turnê do Ano: “La Buena Onda” – Rapha Moraes

Revelação no Cinema: Marco Dutra
Revelação musical: Rapha Moraes

Essas foram as nossas apostas para relembrar 2013, e com certeza serão bastante lembrados em 2014, pois talento é algo que nasce consigo, ninguém compra.

Boa festas à todos amigos, colegas, tribulantes e navegantes do nosso barco, e no próximo ano estaremos aqui novamente, compartilhando e propagando o mundo das artes, da música, da literatura e da cultura em geral.

Até mais, pessoal!

[Caixa de Som] Uirá França: O "populesco" em HQ!

A música popular brasileira é bem mais ampla do que a grande mídia dita em seus canais de comunicação, afinal, nossa cultura é rica ao extremo de unir não apenas instrumentos musicais, com voz e percussão, mostramos mais do que música, e sim arte, cultura e uma amostragem de uma sociedade extramente rica culta e diversificada. 

O músico brasileiro, assim como qualquer cantante de outra nacionalidade também têm influências ainda na infância, mas com uma diferença, principalmente aqueles que vivem o regional e aprendem a valorizar o conhecimento popular desde sua origem, retratando melhor em suas canções e composições.
Assim aconteceu com nosso entrevistado de hoje, o músico Uirá França, que assim como grande nomes da música brasileira também começou sua carreira em Brasília, sua cidade natal e atualmente está radicado em Sampa.
Confira abaixo o que Uirá nos contou sobre seu início, carreira, single, expectativas para o novo álbum, shows, produções, inspirações…

OBC – De onde surgiu essa ânsia de ser músico? E quando foram seus primeiros acordes em sua vida? 

Uirá França – Costumo falar que não busquei a música, não ansiei ser músico, a música meio que me encontrou numa dessas esquinas. Aconteceu muito naturalmente. 
Meu pai é compositor, tinha um violão lá em casa, e quando eu não tinha o que fazer, ficava “fuçando”. Na escola todos meus amigos queriam aprender a tocar e pediram um violão de natal, como já tinha violão lá em casa eu adiantei o serviço, mas sem grandes pretensões.

OBC – Quais são suas principais inspirações para compôr e cantar?

Uirá França – Gosto de contar estórias com minha música, falar de coisas que passam comigo, com pessoas ao meu redor, coisas do cotidiano mas de uma forma bem particular, dou a quem escuta a minha versão do que acontece. Como exemplo minha última composição #VEMPRARUA, que retrata bem a minha visão e sentimentos em relação às manifestações que aconteceram esse ano no Brasil.

OBC – Quais são suas influências musicais? Por quê?

Uirá França – Sempre, muita música e de todo tipo! 
Graças a Deus lá em casa fomos criados livres de preconceito o que me permitiu acumular uma bagagem cheia de canções boas, de estilos distintos, ao menos pra mim. 
Posso citar alguns nomes que influenciam diretamente meu trabalho atual como, Beatles, Newton Faulkner, John Mayer, Dave Matthews Band, Nando Reis, Frejat, Caetano Veloso entre outros.

OBC – Você disse uma ve que ser pop não necessariamente é ser “populesco”, ou sucumbir a mesmice. O que você traduz com “populesco” e sucumbir a mesmice? Por quê?

Uirá França – Música pop não é sinônimo de música de baixa qualidade, como os artistas que havia citado, eles são prova disso, em vários momentos de suas obras, fizeram canções extremamente populares e de muita qualidade.
O que acontece é que existem músicos acomodados com certas “fórmulas de sucesso”, canções formatadas, que acabam se parecendo demais umas com as outras, afinal se tratam de cópias umas das outras. 
Dá sim, para fazer uma canção com apelo popular mas que tenha conteúdo, contribua pra quem escute, sem ser mais do mesmo.

OBC – Qual o gênero musical você define seu som? Por quê?

Uirá França – Não gosto de limitar minha música a um estilo, mas para responder sua pergunta acho que me enquadro em: Música Popular Brasileira, que para mim não é necessariamente MPB, pois essa carrega uma certa marca que não cabe muito bem na minha música.

OBC – Em sua primeiro EP, lançada em Agosto/2012, o que você mostrou de seu trabalho, e qual o público você quis atingir? Você acha que atingiu ao seu objetivo?

Uirá França – Quando parei para fazer esse trabalho, foquei na canção como ela veio ao mundo pra mim, voz e violão. Quando sentei pra pensar nos arranjos a ideia era descaracterizar o menos possível a natureza das canções e fui muito feliz, já que o EP ficou leve e as melodias são quem guiam os álbum, os instrumentos entram para compôr e não saltar aos ouvidos, a canção é mais importante. 
O público alvo é qualquer brasileiro que goste de músicas boas para cantar ao acordar, de baixo do chuveiro numa roda de violão e por aí vai. 
Não curto a ideia de segregar um público, minha música está aí pra quem goste dela, o que posso dizer é que nela tem muita verdade e amor.

OBC – Como foi a produção desse trabalho?

Uirá França – Fizemos a pré produção toda em meu quarto em Belo Horizonte, Gui Amaral e eu, ficamos meses fazendo e refazendo arranjos, Eu compus todas as linhas de guitarra, violão, baixo e backing vocals, o Gui entrava com sua minuciosa e extremamente bem acabada composição de bateria e somava alguns elementos percussão. 
Terminada a fase do quarto veio a parte prazerosa, gravar o que já estava na ponta das línguas e de baixo dos dedos. Estávamos muito afiados e gastamos pouquíssimo tempo para gravar tudo no Estúdio Gifoni, onde contamos com o excelente trabalho de Fabrício Gavani e Sergio Gifoni na técnica e captação.

OBC – Há previsão para o lançamento do seu álbum de estreia?  Quando e como ele será?


Uirá França – Até o fim do ano esperamos estar com tudo pronto, estamos trabalhando forte nisso e acho que vamos ter um resultado bem legal. Não é a toa que dizem, “trabalhe com o que ama pois assim você não vai precisar trabalhar nunca na vida”, (rs).

Ele vai ser mais músicas do Uirá, mas não “mais do mesmo”.

OBC – Shows, apresentações, performances, clipes…, há algo programado em sua agenda? O que e quando?

Uirá França – Em breve começaremos uma série de shows divulgando o Clipe #vemprarua em São Paulo, e a ideia e já emendar com o lançamento do disco antes do final do ano.
OBC – Quais as expectativas futuras para a sua carreira?

Uirá França – As expectativas são grandes em relação ao disco novo, uma vez que o EP já teve um feedback muito interessante.
A expectativa é que o disco alcance vôos mais altos, esperamos agenda cheia em 2014, afinal preciso de dinheiro pra comprar ingressos pra Copa do Mundo (rs).

Assista abaixo o primeiro single oficial de Uirá #VEMPRARUA, que já têm mais de 12 mil visualizações no Youtube:


Se você curtiu o trabalho do Uirá, então confira o primeiro disco “Réu Confesso“, lançado em 2012 de forma independente. Além do mais, você poderá fazer o download da faixa “Vagabundo“.
Ouça AQUI
Espero que tenham curtido, e para informações sobre esse grande música, confira os links deles abaixo, enquanto isso, vou garimpar novos talentos para incluir na nossa caixa de som dos tripulantes do nosso barco.
Contato para shows:Maura CostaFones: (11) 98512-4265 | (11) 2985-0563e-mail: maura.costa@gmail.com
Site | Facebook 
Até a próxima, pessoal!Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Ivo Mozart: Um cara simples que só quer viver de coisas boas

Hoje é dia de música, como todos nós sabemos, mas a pauta de hoje foi meio que um estalo de última hora, já que eu tinha outra ideia em mente e acabou não dando certo, mas como um insight de momento ocioso ela surgiu.

Mas vamos ao que interesse…

Com certeza vocês já devem ter ouvido essa música abaixo, já que ela está tocando em diversos veículos de comunicação de todo o país atualmente, além do vídeo ter quase 30 milhões de visualizações no Youtube.

Essa música é ‘Vagalumes‘, da banda Pollo com participação do músico Ivo Mozart, que anda bombando nas paradas de sucessos, tanto o grupo quanto Ivo, que é de quem iremos falar nesta quinta-feira musical da nossa embarcação.

O sobrenome pode ser de músico clássico, mas não é, e muitos menos estrangeiro. Ivo Mozart é um paulistano de 27 anos que já está no ramo da música a algum tempo. Com 15 anos formou sua primeiro banda, com dois músicos bastante conhecidos pelo público adolescente, entre eles estão, o Teco, líder do Rancore e o Conrado baixista do Nx Zero.
Tocou em uma banda famosa de forró no norte do Brasil, fazendo apresentações para mais de 10 mil pessoas, e ainda dava uma dançadinha para galera durante o shows. Um marco que ficou na história de um grande contador de história, que se formou em publicidade e até montou sua própria empresa, onde viajou pelo Brasil inteiro produzindo e eventos.
Mas não era Ivo percebeu que não seu destino não era no backstage, mas sim atuando e se dedicando a música, então ele largou todos os trabalhos, pegou o dinheiro que havia juntado e foi morar na Holanda, isso sem falar nada de inglês.
Fez um mochilão pela Europa, África, Estados Unidos e América do Sul, morou em Barcelona, enquanto fazia aulas de espanhol aprendia inglês na rua e no albergue onde morava, e lá mesmo Ivo organizava festas com muita caipirinha e música, onde o próprio tocava e passava o chapéu, para ganhar algum dinheiro e continuar sua saga de mochileiro ao redor do mundo.
Entre essas viagens, o músico conheceu o UKULELE, um violão havaiano que mudou sua vida. Ivo começou a tocar Ukulele nas ruas da Vila Madalena em São Paulo, em portas dos bares, mostrando à pessoas seu som, e isso ele fez por quase um ano, até que o dono de um dos bares da região o viu tocando, gostou e o convidou para tocar em seu estabelecimento, a partir dai o ele começou a fazer shows.
Um dos singles do cantor o que descreve segundo o próprio Ivo cito em sua biografia, é a canção “Mocinho do Cinema“. Confira abaixo um trecho desta canção:

TUDO O QUE EU QUERO NESSA VIDA E VIVER DE COISAS BOAS!!!SEI QUE NÃO SOU O MOCINHO DO CINEMAE NEM PAREÇO O ROMEU DA JULIETAE SEMPRE USO CHAPÉU VELHO E CAMISETAMAS SEMPRE FAÇO FAZER VALER A PENAPRA SER FELIZ O AMOR TEM QUE SER VERDADEIROFELICIDADE E A CHAVE DO SEGREDOSÓ COM UM SORRISO PONHO CORES NO SEU MUNDO BRANCO E PRETO.
Esse é Ivo Mozart, um cara simples, como ele mesmo se auto-intitula, com letras honestas e chegou para falar sobre coisas boas e compartilhar o simples da vida. Para entender o que tudo isso, confira o primeiro videoclipe oficial do músico, produzido pela Midas Music, do empresário e produtor Rick Bonadio.
A pré produção do primeiro disco de Ivo Mozart está sendo feita, logo mais o CD estará nas lojas. Enquanto o álbum não sai, vamos curtir “Mocinho do Cinema“, primeiro single do Ivo. 
Por Patrícia Visconti

[Total Flex] Um escambo cultural em SP

Foto: Victor Máximo

No último domingo (24) aconteceu a primeira edição da festa-bazar ESCAMBAU. Um evento que visa propagar a arte e cultura alternativa escondida nos becos da grande metrópole paulistana. E o Barquinho Cultural esteve lá e conferiu o que rolou na festa mais “POP ART” de Sampa.

O Sol e calor estava propício para sair de casa e conhecer novas artes e curtir um ambiente entre amigos, muita arte e diversão.

A festa ocorreu no Hostel Alice, na Vila Madalena, zona oeste paulistana, um albergue bem cultural e oportuno para uma tarde dominical bem cultural.

Organizado pelo jornalista Amauri Terto, o evento foi de extremo êxito e promoção artística, como fotografia, artesanato, designer, artes plásticas, música, etc. Talentos ainda não reconhecidos pelo grande público que puderam apresentar um pouco de suas obras aos presentes a festa.

Próximas edições do ESCAMBAU já estão em andamento, com mais cultura, arte, e novos artistas que só querem exibir e propagar seu trabalho para o mundo.

Em breve trataremos novidades sobre a segunda edição da festa. Enquanto isso, acesse e confira algumas imagens do evento.

[Caixa de Som] "Breakfast Can Wait "- Música nova de Prince!

2013 definitivamente dá sinais de que será majestoso para a música pop.

Depois de Destiny’s Child, Justin Timberlake, David Bowie e Black Sabbath a surpresa boa fica por conta do cantor, multi-instrumentista americano Prince.O artista é ícone graças a sua musicalidade e ao comportamento desde que surgiu no final da década de 70 e nunca conseguiu passar despercebido seja pela música que faz , pelo sex-appeal  ou por excentricidades como trocar o nome artístico por um que ninguém conseguia pronunciar!

A novidade é que ao que tudo indica Prince está prestes a lançar material novo. Acaba de vazar a música “Breakfast Can Wait” que é recheada com a sonoridade funk com a qual o cantor trabalha tão bem e que o permite mostrar ainda mais sua voz ,seja ela com falsetes ou não. O cantor já havia lançado em novembro o clipe da música “Rock’n’roll Love Affair” através de um perfil curioso no twitter @3rdeyegirl e no site é possível comprar as faixas “Screwdriver” e “Breakfast Can Wait” por US$0,88 cada!

Nada foi dito em relação a um novo álbum mas Prince já andou fazendo shows em terras americanas no que parece ser um ensaio para algo maior.

Eu fico por aqui mas não sem antes mostrar a faixa “Breakfast Can Wait” e o clipe de “Rock’n’Roll Love Affair”.

E aqui está o clipe de Rock’n’Roll Love Affair que foi dirigido por Chris Robinson conhecido por seus trabalhos com artistas como Alicia Keys em “Falling”, Joss Stone em “You Had Me” e Busta Rhymes feat. Mariah Carey em “I Know What You Want”.

[curiosidade: Tem como diabos ficar parado ouvindo Prince?]

por The Freaky

Cantinho Literário entrevista Jaime Matos

E aí tripulação, estão prontos para mais uma saga de entrevistas aqui n’O Barquinho Cultural, pois 
hoje é tem entrevista em nossa embarcação e o entrevistado da vez é do paulistano de Capão Redondo, que é poeta, músico e um com uma extensa carreira na área cultural, ele é Jaime Matos, filho de um baiano e uma paulista.
Teu perfume
Tem muito feromônio
Até meus anjos estão flertando
Seus demônios
Por: Jaime Matos
Vamos conhecer um pouco desse literário que tem muita cultura para repassar a todos os seres humanos…

1. O que significa arte literária pra você?

A literatura pra mim é uma grande fonte de informações. Sempre é mágica na sua essência quanto mais livros leio, aprendo todo dia.
O corpo precisa de um alimento, o celebro também precisa de informações pra melhorar o seu conhecimento. Quando dormimos também nos alimentamos, a literatura do sono é o sonho. A literatura pra minha é o alimento do conhecimento, o grande passaporte pro mundo.

2. Música e poesia para você é…

Na pizza da cultura e da arte, se eu fosse um pizzaiolo minha pizza seria meio a meio, metade Poesia e metade Musica. Ambas andam juntas. Sou compositor quando minhas musicas são cantadas, e são poesias minhas musicas quando são lidas.
3. Qual seu estilo literário favorito?

Não tenho definição, mas gosto de Fernando Pessoa, Zê da Luz, Carlos Drummond , Castro Alves , Jose de Alencar e muitos outros.
4. um músico favorito… João Bosco
6. um autor favorito… Jose Saramago
7. Sarau pra você é…

Pra mim o sarau é a maior rede social de poetas em comum. É o encontro de pessoas que comungam a palavra, mostrando as suas manifestações pela voz, pelo texto, no conteúdo das suas experiências pelas suas vivencias. Os poetas põem sempre a alma no papel. 
Todas as pessoas que vão a um sarau querem mostrar os seus trabalhos e ver obras de outros poetas ou artistas que participam do grupo.
As pessoas pensam que redes sociais são facebook, twitter e outras formas de comunicação.
Na realidade as redes sociais são “ferramentas de comunicação” Exemplo: Um tipo de rede social é um Sarau dentre muitas , a verdadeira rede de pessoas.
8. Jaime por Jaime…

A vida é um grande palco onde atuamos sempre, aprendendo, rindo, chorando, vivendo da melhor maneira, usando sempre o bom senso e boa vontade, procurar nunca prejudicar os outros e a si mesmo.
9. Jaime o mundo literário…

Talvez hoje o Sarau pela literatura seja uma moda, enquanto ela existe vamos aproveitar pra sugar toda sua melhor essência. Muitos aparecem poucos resistem e se mantêm.
10. Promova-se… Conte-nos um pouco de suas histórias, idéias, projetos, da sua
vida literária e onde podemos encontrá-las?
Nascido no capão redondo, criado na Bela Vista, meu pai um bom baiano, minha mãe uma linda paulista. Antigamente quando fazia uma letra de musica assinava com Jaime Borbagato, era uma maneira de ser lembrado usava um chapéu na cabeça e morava na região da zona sul. Hoje já não
assino como borbagato, assino como Jaime Matos.
Sou formado “em marketing, compositor, musico e Personal Dance – Fui bolsista da Academia Jaime Aroxa”, trabalho como representante comercial e divulgador cultural. 
Já Participe de uma coletânea com dois textos chamada “Poetas do Sarau Suburbano” Ritmo e Poesia, organizado por Alessandro Buzo. Participei também de áudio book chamado “Play na Poesia “.
11. Deixe seus contatos:
Twitter: @jaimeborbagato
Facebook: Jaime Matos
Jaime Matos é um grande exemplo em cultura, poesia e sarau e para quer gosta deste estilo livre de literatura, não pode deixar de frequentar pelo menos uma vez na vida a um sarau.
Esta arte literária, de estrutura simples, mas com conteúdo nobre, que mostra a cultura de país, estado, cidade, bairro ou rua, como ela é, sem interrupções de nada, pois o verdadeiro promotor cultural, é aquele que não se importa de organizar uma grande festa, com famosos e muitos holofotes ou então organizar uma roda literária para poucas pessoas em um cômodo de sua casa.
Pois ser um divulgador da cultura pop, pois a cultura pop não é só Lady Gaga, Beyonce e Britney Spears, cultura pop é a banda de rock que ensaia na garagem todos os dias, a menina ensaiando alguns passos de dança na pracinha do bairro e também os grupos de ‘rappers‘ que se encontram em lugares estratégico da cidade para mostrar seu ‘beat box‘ em uma competição com muito hip-hop e diversão.
Isso é promover a cultura pop, sem destrinchar uma parte dela e levá-lo para o público que não gosta só de efeitos, imensos lugares e preços altos.
Já que abrimos esta entrevista com uma sentença, nada mais digno de encerra o Cantinho Literário com uma frase do poeta, então fiquem com Jaime Matos abaixo.
Boa semana a todos e até a próxima, que aliás,  semana que vem não haverá entrevista, pois terá especial semana de Natal aqui no Cantinho Literário.
Até mais…
Por: Priscila Visconti (mostrando a cultura pop como um diamante não lapidado pelo homem)