Arquivo da categoria: revelação

[Caixa de Som] Vinicius Lopps canta com alma e compartilha emoção em suas canções

Mineiro de Curvelo, Minas Gerais, Vinicius Lopps, conheceu a música ainda na infância, e podemos dizer que foi amor a primeira vista, ou melhor, a primeira ouvida. Na adolescência resolveu profissionalizar essa paixão, e cantava em festas escolares, nos intervalos das aulas e durante elas  também. Além do mais, foi neste período, que o músico começou a escrever e compôr suas primeiras canções.

Após uma viagem de férias à São Paulo, o artista se encantou pela cidade e decidiu que era lá que ele queria consolidar sua carreira, e iria se mudar e conquistar seu espaço nesta megalópole maluca e corrida.
Chegando em Sampa, Vinicius começou a se apresentar na noite, onde ele conquistou muitos amigos e parceiros, e também ingressou no curso de canto livre, na Escola Técnica de Artes (ETEC de Artes), lugar este que abriu um leque de oportunidade ao jovem cantor, que ama o que faz, e se predispõe apoiar a todos propagando e compartilhando seu som aos quatro cantos da cidade.
Influenciado pela nata do pop-rock nacional, Vinicius adora cantar covers daqueles que o inspiram, entre eles estão, Raimundos, Charlie Brow Jr., Nenhum de Nós, Legião Urbana, etc, além de outros artistas que empenharam para que ele seguisse essa formação.
Cantor de voz rouca e grave, potencializa qualquer música que interpreta, porém ele nunca deixa de  obter conhecimento, sempre estudando, para adentrar a cada dia neste mundo musical tão almejado por todos, mas nem sempre conquistado. Por isso, ele mantêm seus pés no chão para absorver a gnose cultural da música em si, ampliando e compartilhando sua real essência neste universo de refrões monossílabo e de sub-celebridades fingido entender de música.
Atualmente, o jovem músico se apresenta na noite paulistana, também está em pré produção de seu primeiro álbum de inéditas, onde haverá canções próprias e a expressão de ideias peculiares de Vinicius. Criando sua identidade e repartindo sua essência com os ouvintes da verdadeira e original música popular brasileira.

Confira abaixo um prévia do talento de Vinicius Lopps:


Mais informações: Facebook | Youtube

[Caixa de Som] Glaucia Cris canta a guerra com astúcia e suavidade

Cantando a guerra, mas com sutileza e delicadeza, a carioca Glaucia Cris traz a música popular brasileira suas transpirações e inspirações, suavizando suas músicas com sua voz forte e alta.

Seu primeiro trabalho foi lançado em 2010, no EP “A Minha Força é Outra”, a primeira faixa a ser trabalhada foi “Caos Confusão”, que tomou tamanha proporção, atingindo um parâmetro maior do que apenas o nacional, ainda mais  pelos ocorridos recentemente, como manifestações, invasões e violência surgiu a inspiração do vídeo clipe lançado nas redes sociais.
O vídeo foi gravado de forma simples, com uma câmera na mão e muitas ideias borbulhando na cabeça, o clipe apresenta as questões de guerra e intolerâncias humanas são colocadas de forma delicada na tela.
Porém, a trajetória musical de Glaucia não começou hoje, pois a cantora inciou sua jornada ainda criança, aos seis anos de idade, onde ela já praticava acordes naquele que seria seu principal instrumento,o violão. Além de cantora e instrumentista, Cris é compositora.
Suas grandes inspirações na cena poética e musical vem de grandes ícones do gênero, destacando-se os principais,  Bandeira, Manoel de Barros, Vinícius de Moraes e Arnaldo Antunes, que foram os que

impulsionaram a cantora compôr suas primeiras letras. Outrossim suas inspirações de músicos nacionais e internacionais, que estão em atividade atualmente, como Calcanhotto, Chico, Caê, Bethânia, Camille, John Mayer, Gil, Donato, Tom, Irmãos Tatit, Ná, entre outros.

Mas, Glaucia nunca fica parada, ela está sempre em movimento, buscando novidades e inspirações para enriquecer sua carreira, carreira essa tão prazerosa, mas volúvel, então ela busca se inspirar em fatos do cotidiano, como as injustiças humanas, até mesmo,  pura e simplesmente pequenas questões do cotidiano, para construir suas canções.
2013 foi um ano de muita preparação e realização à cantora, já que ela preparava seu primeiro álbum, que trás a tona  a discussão sobre a guerra e suas dolorosas consequências.
O disco ainda não tem título e ainda não há data de lançamento, já que a multi artista encontra-se em estúdio gravado o mesmo, mas muito em breve um novo som estará surgindo para abrilhantar a música popular brasileira.

Enquanto isso, confira um desafio que a artista realizou na internet, onde seus fãs tinham que mandar histórias de suas vidas, para compôr uma de suas canções. Essa história foi inspirada na história de Camila Salgado Lacerda. Confira abaixo:

Conheça mais o trabalho de Glaucia Cris em seu site e em suas redes na web:

SiteTwitter | Facebook | Youtube | Google + | SoundCloudPor. Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Pop Latino MADE in UK!

Ela é londrina, mas tem algo em suas veias que soa latino. Gabriella Rego tem 22 anos, nasceu e vive em Londres, é cantora e compositora, adora música pop e fã assumida de Jennifer Lopez.
Assim como muitos músicos, Gabi também ingressou cedo nesta carreira tão prazerosa, pois alegra e contagia a todo mundo, mas tão concorrida por causa de uma seletividade e relação de escolha que a Indústria fonográfica difere os verdadeiros músicos, com os produtos de marketing neste ramo.
Mas, a jovem cantora nunca desistiu e sempre lutou pelos seus objetivos e sonhos, correndo atrás e buscando o que almeja. 
Gabi bateu um papo com nossa embarcação e nos contou tudo sobre sua carreira, como ela começou, suas influências, sobre a gravação de seu primeiro álbum, além de seus sonhos e expectativas futuras para sua carreira.

Confira abaixo a entrevista concedida por Gabriella Rego:
OBC – Há quanto tempo você canta?

Gabriella Rego – Eu comecei a cantar com 12 anos na escola secundária. Comecei primeiramente a cantar músicas clássicas, pois havia testes de canto no colégio, onde treinei para passá-los. Dois anos depois, continuei as minhas aulas numa escola de música em Isleworth. Então, a partir dai comecei a fazer aulas de piano e também conclui essa disciplina durante as classes. 
Aos 17 anos, gravei duas músicas em um estudio em Londres; Com 19 anos, concorri numa competição de canto e cheguei até a semi-final. 
Depois um estúdio em Farringdon enviou um email para trabalhar com eles, para gravar outro disco. Passei um ano a escrevendo e gravando o meu primeiro CD ‘Need to Know‘ que esta disponível no iTunes e Amazon e também na loja de HMV em Uxbridge (Zona 6 de Londres). 
OBC – Quais são suas principais influências musicais?
GR – Principalmente, a Jennifer Lopez sempre foi uma das minhas inspirações. Adoro as canções da J.Lo, e como ela lutou para realizar o seu sonho de ser uma diva pop. Também gosto muito da Whitney Houston, Shakira, e Jessie J.
OBC – Você já realiza apresentações em algum lugar? Há quanto tempo? Onde? Qual seu repertório?
GR – Sim ja há dois ou tres anos. Esses últimos seis meses estou um pouco parada, pois a faculdade e desde ai tenho tido muito trabalho, além de poupar dinheiro suficiente para realizar um sonho pessoal. Porém, em meu tempo livre estou estudando piano e também escrevo músicas novas. 
Sei que o meu sonho leva tempo para realizar, mas sempre vou sonhar por ele e nunca desistir.
OBC – Quando surgiu a ideia de gravar vídeos e publicar na internet? Por quê?
GR – Sempre vi pessoas pôr suas musicas na Internet e sempre achei uma grande ideia e uma muito simples para mostrar ao mundo a sua voz. As pessoas da nossa geração utilizam a net todos os dias e por isso essa é uma maneira de criar uma relacao entre elas. Entretanto, comecei a publicar vídeos no Youtube há tres ou quatro anos.
OBC – Você também compõem? Caso sim, de onde surge suas inspirações para escrever?
GR – Sim componho. As minhas inspirações vem das minhas experiências que vivi e vivo ate hoje, e tambem dos meus amigos e da minha familia. Gosto muito de escrever músicas. 
As musicas no meu primeiro CD são todas minhas. Se alguém quiser um CD meu, pode pedir através do meu site, que envio pelos Correios. 
OBC – O que almeja para seu futuro na carreira musical?
GR – Vamos ver, sonho em criar uma carreira musical, seja em Londres, Portugal, ou na América. Gostaria muito de viver o meu sonho e vou tentar tudo para realizá-lo.
Assista abaixo o single homônimo do primeiro álbum da Gabi, “Need to Know“:

Contatos:
Twitter: @gabriellaregouk

[Caixa de Som] DuoVert: Outros Planos, outras emoções

Fazia tempos que não ouvia algo semelhante ao som do Duo Vert. Banda formada pelos mineiros e amigos, Cleiton Souza e Rafael Faria há dez anos atrás, na cidade de Contagem/MG.

Com uma pegada levada ao pop-rock e letras sentimentais e emotivas, as músicas remetem a vivência daqueles que estão ouvindo as canções. O som atual é mais cru, mais sentimental e tem influências de Nickelback, Daughtry e Third Day.
Porém, o Duo Vert não foi sempre assim, apesar dos garotos se conhecerem há alguns anos, o grupo nem sempre foi o mesmo, pois houve diversas idas e vindas em outras bandas, antes deles se consolidarem na formação atual, o reencontro aconteceu em 2009, mas apenas em 2012 a dupla produziu um novo material, o primeiro EP da banda.

Outros Planos” traz algo simples, claro e objetivo, que tem como finalidade propagar sua música e arte aos quatros cantos do país. Apresentando composições próprias, como a homônima ao título do EP e “O Sol”, além de covers renomados da música popular brasileira, “Canção da América”, de Milton Nascimento e “Time is On Mu Side”, Jerry Ragavoy.

As letras simples e que tocam direto na alma mostram a essência da banda, pois eles contam o dia-a-dia de qualquer individuo que vive, ama e sonha em realizar suas conquistas almejadas.

Ouça a dupla apresentando uma versão acústica de “What Goes Around Comes Around”, de Justin Timberlake:


Para conhecer mais o trabalho dos garotos, acessem  site oficial deles ou então curtam a página no Facebook da banda.Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] A essência retrô em um mundo contemporâneo

Não é de hoje que o sul do país é fortemente conhecido pela revelação de bandas de rock nacional no cenário alternativo, talvez por causa do clima bucólico e frio das tardes de outono que o inspira os gaúchos a poetizarem suas ideias e musicarem suas inspirações.

Entre essas bandas podemos listar várias, entre elas o Bidê ou Balde, Apocalypse, Cachorro Grande, Engenheiros do Avaí, Fresno, entre outras que começaram lá na ponta do Brasil e hoje são sucesso no país inteiro.
Vindo nessa mesma pegada, a banda gaúcha Vilionnes, lançou neste segundo semestre de 2012 o primeiro videoclipe da banda, O Hippie, O Profeta e O Cientista, que visa um retrato musical folk, com a letra em prosa, relembrando o tempo quando o amor era mais válido do que o dinheiro e o poder, além de enfatizar em momentos de naturais da vida, como andar de bicicleta e caminhadas pelo parque, visando a ideia de mais amor e menos motor, trazendo a tona o afeto perdido no caos que vivem as grandes metrópoles hoje em dia.
A banda foi formada em 2009 em uma tarde no Parque Farroupilha, em Porto Alegre, onde os integrantes Matias Jardim (Bateria), Pedro Ourique (Baixo), Jean K. Loregian (Voz, Violão, Guitarra, Harmônica e Ukulele) e Sanntiago A. (Voz, Violão e Guitarra) se reuniam pelo parque para fazer um som e trocar ideias musicais, desde então a amizade surgiu e as harmonias foram incorporadas a mistura do grupo, além do anseio de mostrar seu trabalho ao mundo.
Atualmente o grupo segue gravando seu primeiro EP, mas o primeiro single qual já saiu o videoclipe de O Hippie, O Profeta e O Cientista já pode ser conferido no canal oficial dos garotos no Youtube. Confira abaixo e tire suas conclusões por si só!

O vídeo foi gravado em junho de 2013, na capital gaúcha, e retrata um dia na vida de um homem solitário, em seu cotidiano comum, que percorre por lugares lindos e memoráveis com sua bicicleta.
Pedalando com seu livro, ele para em um parque lê um pouco e come uma fruta, em um centro urbano seu estilo de vida é o mais próximo da natureza, percebendo o presente e observando cada detalhe daquela cidade, com um caráter existencial em um meio onde vive, interage diretamente com sua essência.


FICHA TÉCNICA:
Direção Geral: Francine AzevedoRoteiro: Francine Azevedo, Gabriel Lodi e Camila Afonso de AlmeidaAssistente: Rafael BidartCâmera: Eugênio BarbozaEdição: Gabriel PessotoFigurino: Camila Afonso de AlmeidaProdução: Jéssica Bazzanella, Sandro Barreto, Evander Bica, Fredi, Henrique Arsego.Atores: Rodrigo Apolinário, Camila Afonso de Almeida e Reissoli Moreira. Figurantes: Duda Meneghetti, Rafael Berezuk e Renan Kendy.Make Up: Bebel OsorioPor Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Da "vitrolinha" de brinquedo às pick ups de mixagem

Ultimamente andamos divulgando bastante eventos musicais, mostrando release de novas bandas ou cantores, mas pouco falamos dos DJs, que na cena musical atualmente é importante quão qualquer outro artista que faz música, e também quer apresentar seu trabalho à sociedade.

Afinal, o DJ não é apenas aquele que troca a música na balada ou arranhando os vinis nos shows dos outros músicos.
Um DJ também é um artista, aquele que seleciona e roda as mais diferentes composições,previamente gravadas para um determinado público, trabalhando e apresentando um conteúdo novo, diversificando seu trabalho, sendo na rádio (FM), pistas de dança, clubes e boates.
Atualmente, diante diversos fatores envolvidos, entre eles público alvo, lista de canções, o meio e o desenvolvimento da manipulação do som, há diferentes tipos de DJs, sendo que nem todos usam na verdade discos, alguns podem tocar com CDs, outros com laptop (emulando com softwares), entre outros meios.
Por isso, entre tantos DJs que há em todo o Brasil e no mundo querendo mostrar seu trabalho, nós conversamos com o DJ Heisen Berg, que nos contou como começou sua paixão pelo mixagem, remix, pick ups, suas influências, anseios e desejos da sua carreira.


Confira abaixo a entrevista que o DJ concedeu aos navegantes do O Barquinho Cultural:

OBC Há quanto tempo você é DJ?
DJ Heisen Berg Como todos, comecei ouvindo uns vinis das antigas, tinha uma “vitrolinha” que minha mãe me deu de presente a dez mil anos atrás(rsrs); por eu sempre gostar de música, eu sempre preferia ficar ouvindo-as por horas, trocava muitas vezes por uma brincadeira qualquer com meus colegas de infância; mas foi em fevereiro de 1991, que tudo começou de forma coordenada.
OBC Quando surgiu essa ânsia de que você queria ser um DJ? 
DJ Heisen Berg Como já disse, sempre tive o desejo de lidar com música na infância e em fevereiro de 1991, através de um curso, o start foi dado, e era uma loucura, pois esperava a semana inteira voando para chegar o sábado, e ter mais um dia de “aula”, era uma época muito bacana, muito romântica para quem gostava de música, vinil, toca-discos, etc…
OBC Quais são suas principais influências musicais? Por quê? 
                                   
DJ Heisen Berg Com relação a influências, poderia citar Moby, ele faz um trabalho fantástico (ele mescla diversos estilos num mesmo álbum ou show, e tudo soa perfeitamente alinhado ), Lighthouse Family (voz agradável aos ouvidos, arranjos simples e harmonia perfeita), Pet Shop Boys (músicas com arranjos sofisticados e letras algumas vezes densas demais para alguns, todavia, são o maior grupo de música eletrônica de todos os tempos ), fora esses poderia citar: Frank Knuckles, Carl Cox, Morcheeba, MPeople, Seal, Paul Van Dyk; mais eclético que isso eu não sei!!!
OBC Quais são suas inspirações no nicho de DJ? Por quê?  
                                         
DJ Heisen Berg Me inspiro em alguns djs das antigas, pois os atuais não tem muito oque me inspirar, curto muito o Memê (o cara já nasceu top, em atitude, respeito aos outros, além ser um super dj!), Mau Mau 
(verdadeiro Rei do Techno nacional, está na estrada faz tempo e nunca deixou cair sua qualidade profissional), da safra nova, tem um dj de Fortaleza chamado Claudio Ferraz, que faz um trabalho interessante por lá ( ele joga nas onze posições, produz, toca, divulga suas baladas e é um cara super carismático) e é lógico, não poderia deixar a “velha guarda” de lado, Frank Knucles (cara é um dos pais da House-music, ajudou a criar, tocar e difundir o estilo pelo mundo afora, tornou muita gente conhecida com seus remix).
OBC Você acredita que depois deste ápice dos DJs concretizaram sua carreira fazendo parcerias com artistas pop, a carreira está mais valorizada no mercado? Por quê?        
                                                                           
DJ Heisen Berg Depende! Depende da oportunidade, as vezes existe um excelente dj lá no sertão nordestino (uso o sertão como referência à distância e não a qualidade de seus djs), fera em fazer remixes, todavia, aqui no grande centro, eixo Rio-São Paulo, se ele não tiver alguém que o apresente e divulgue, ele será apenas mais uma pérola no fundo do oceano, seu cachê continuará baixo, ele continuará desconhecido e nada  mudará, o que deu esse “up”, foi o fato que muitos filhos de produtores musicais, namorados(as), etc, começaram a tocar como djs e essas influências fizeram algumas coisas acontecerem.

OBC Pretende lançar algo em breve? O quê? Quando?     
                                               
DJ Heisen Berg Yes! Estou preparando agora em estúdio, uma versão do discurso de Martin Luther King “I Have a Dream”, eu já estava com essa ideia na mente e você sabe que esse ano comemora-se cinquenta anos desse discurso que inspirou milhões de pessoas mundo afora, acredito que essa semana ainda estará pronto, eu te mando em primeira mão ok!!!
OBC A profissão de DJ foi regulamentada a pouco tempo, ainda há preconceito em relação à carreira?    
                                                                            
DJ Heisen Berg Antigamente dizia-se que não era profissão, que era coisa de vagabundo (eu mesmo fiz o curso sem meu pai saber), hoje com tantas “celebridades” e “djs”, as coisas deram uma certa virada de mesa, mas ainda há muito que se fazer, pois há uma grande quantidade de garotos tocando e se o cara não for famoso, o pessoal dos clubes não quer pagar um cachê decente, porque no fundo eles não acreditam que ser dj, é uma profissão e sim um “bico” de final de semana!

OBC O que você acha de “artistas momentâneos” atacarem as pick-ups dando uma de DJ, apenas por hobby? Isso gera uma banalização a profissão?              
                                                                                                        
DJ Heisen Berg Agora você chegou no ponto, há um tempo atrás eu vi um vídeo, de um dj dizendo que as “celebridades”, ganham um cachê alto, porque levam muita gente às boites, eis a questão: Você faz curso, ensaia, ensaia, compra equipamento (que custa caríssimo no Brasil, devido aos impostos), faz de tudo para manter-se conectado ao mundo real da música e na esmagadora maioria das vezes não é reconhecido, aí vem a dita “celebridade” (palavra que está banalizada de uns anos para cá), com seu pendrive de set mixado, fingindo tocar (não são todos, só 99%), faz caras e bocas, tira fotos, bebe pra caramba e sai da boite com status de top dj! Se isso não for banalizar, eu não sei o que é!
OBC Onde você toca ultimamente?    
                                                                       
DJ Heisen Berg Na verdade estou concentrado na gravação de meu trabalho, mas também estou com meus parceiros do grupo Dinastia Gospel ( rap gospel, eu disse que sou eclético! rsrsrs ), ultimamente estou tocando em eventos de hip-hop com meu parceiro das horas difíceis, DJ Adriano Gotardi, junto a uma ONG aqui em Americana e região.
OBC Shows, apresentações, performances, parcerias… Há alguma a apresentação agendada?

DJ Heisen Berg Bom, nesse sábado (31-08), estarei num evento que engloba hip-hop, grafite, batalhas de MCs e Skate, estarei tocando lá e tocarei em primeira mão a versão que fiz de “I Have a Dream” ao vivo e na madrugada estarei em Campinas. Dia 07-09 estarei em Campinas novamente, 14-09 em Rio Claro num fetival de hip-hop, dia 21-09 (meu aniversário ) em Diadema; a lista vai longe (rsrsrs), mas se alguém me quiser em sua festa, é só entrar em contato:  
E-mail: nayrarec@gmail.com       
Telefone: (19) 98919-5952
Blog: djheisenberg.blogspot.com
Confira o videoclipe da primeira música de trabalho de Zhoë! (DJ Heisen Berg), com a particpação do cantor Rodrigo Costa no vocal e produção feita por Jhésus Brito, no estúdio A3, em Americana-SP.

Um abraço e muito obrigado, e quero dizer à você que está começando, que não desista, mesmo que seja difícil, persista, se esse for realmente sua vocação, você irá longe“! DJ Heisen Berg
Assista abaixo o vídeo qual o DJ Heisen Berg se apresenta e conta um pouco sobre o início de sua carreira:
Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] O Lúdico dos Poetas

Alguns dizem que ele é louco, outros os chamam de pensador, mas Mister Lúdico é mais do que apenas um músico pop da atualidade.

Obstinado por obsessões passageiras, vive entre o moral heroico social,  anti-mofo humanístico privado de respirar na conturbação caótica de uma metrópole engarrafada. Esse é Mister Lúdico, um rebento predileto do senhor do Sol.

Um artista, músico e com compreendedor intelectual dos fatos, eventos e hipóteses criado por uma sociedade caótica e com mil ações e realizações abortada durante a rotina diária.

Além do mais, o artista é conhecido por trabalhados realizados na televisão, como a MTV e na internet (Lengendários), e lançou recentemente o bucólico e ecológico videoclipe, ‘Savanna’, no qual o músico prática yoga e toca violão imaginário, enquanto transmite a mensagem “vislumbre o seu elo com o mundo animal, esqueça o que tu pensas, pois tudo é igual”. Mister Lúdico também divulgou na íntegra para audição o disco ‘Zunha de Violeiro’, que mostra atmosfera psicodélica do início ao fim aos elementos que compõem o álbum folk, que são distribuídos por suas faixas, voz, violão, viola e gaita.

O disco é considerado por Lúdico, “um santo remédio sonoro-homeopático a todos que buscam novos horizontes na música, sem perder o teor inexpugnável dos suspiros que vêm do coração toda vez que se escuta uma moda de viola caipira, superando os limites impostos pela mesmice repetitiva dos que apenas continuam copiando bases e melodias de artistas que já se foram, fazendo como Isaac Newton, que continuou os estudos de onde Galileu Galilei tinha parado exatamente quando morreu“, [ouça aqui].

Lúdico é apenas um poeta criativo e pensante, que propaga o Rock n’ Roll e as ideologias ecológicas e naturais à um mundo que apenas visa o querer e poder, um grande inspirador de Sócrates, Alexis Arguello, Utnapshtim,Buddy Rich, Ramones, Jack Kirby, Tex Willer e Tião Carreiro.

Assista abaixo o primeiro videoclipe do álbum ‘Zunha de violeiro’:


Para conferir mais sobre a vida, carreira, apresentações e novidades sobre o músico, acesse seu Facebook oficial.Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Ivo Mozart: Um cara simples que só quer viver de coisas boas

Hoje é dia de música, como todos nós sabemos, mas a pauta de hoje foi meio que um estalo de última hora, já que eu tinha outra ideia em mente e acabou não dando certo, mas como um insight de momento ocioso ela surgiu.

Mas vamos ao que interesse…

Com certeza vocês já devem ter ouvido essa música abaixo, já que ela está tocando em diversos veículos de comunicação de todo o país atualmente, além do vídeo ter quase 30 milhões de visualizações no Youtube.

Essa música é ‘Vagalumes‘, da banda Pollo com participação do músico Ivo Mozart, que anda bombando nas paradas de sucessos, tanto o grupo quanto Ivo, que é de quem iremos falar nesta quinta-feira musical da nossa embarcação.

O sobrenome pode ser de músico clássico, mas não é, e muitos menos estrangeiro. Ivo Mozart é um paulistano de 27 anos que já está no ramo da música a algum tempo. Com 15 anos formou sua primeiro banda, com dois músicos bastante conhecidos pelo público adolescente, entre eles estão, o Teco, líder do Rancore e o Conrado baixista do Nx Zero.
Tocou em uma banda famosa de forró no norte do Brasil, fazendo apresentações para mais de 10 mil pessoas, e ainda dava uma dançadinha para galera durante o shows. Um marco que ficou na história de um grande contador de história, que se formou em publicidade e até montou sua própria empresa, onde viajou pelo Brasil inteiro produzindo e eventos.
Mas não era Ivo percebeu que não seu destino não era no backstage, mas sim atuando e se dedicando a música, então ele largou todos os trabalhos, pegou o dinheiro que havia juntado e foi morar na Holanda, isso sem falar nada de inglês.
Fez um mochilão pela Europa, África, Estados Unidos e América do Sul, morou em Barcelona, enquanto fazia aulas de espanhol aprendia inglês na rua e no albergue onde morava, e lá mesmo Ivo organizava festas com muita caipirinha e música, onde o próprio tocava e passava o chapéu, para ganhar algum dinheiro e continuar sua saga de mochileiro ao redor do mundo.
Entre essas viagens, o músico conheceu o UKULELE, um violão havaiano que mudou sua vida. Ivo começou a tocar Ukulele nas ruas da Vila Madalena em São Paulo, em portas dos bares, mostrando à pessoas seu som, e isso ele fez por quase um ano, até que o dono de um dos bares da região o viu tocando, gostou e o convidou para tocar em seu estabelecimento, a partir dai o ele começou a fazer shows.
Um dos singles do cantor o que descreve segundo o próprio Ivo cito em sua biografia, é a canção “Mocinho do Cinema“. Confira abaixo um trecho desta canção:

TUDO O QUE EU QUERO NESSA VIDA E VIVER DE COISAS BOAS!!!SEI QUE NÃO SOU O MOCINHO DO CINEMAE NEM PAREÇO O ROMEU DA JULIETAE SEMPRE USO CHAPÉU VELHO E CAMISETAMAS SEMPRE FAÇO FAZER VALER A PENAPRA SER FELIZ O AMOR TEM QUE SER VERDADEIROFELICIDADE E A CHAVE DO SEGREDOSÓ COM UM SORRISO PONHO CORES NO SEU MUNDO BRANCO E PRETO.
Esse é Ivo Mozart, um cara simples, como ele mesmo se auto-intitula, com letras honestas e chegou para falar sobre coisas boas e compartilhar o simples da vida. Para entender o que tudo isso, confira o primeiro videoclipe oficial do músico, produzido pela Midas Music, do empresário e produtor Rick Bonadio.
A pré produção do primeiro disco de Ivo Mozart está sendo feita, logo mais o CD estará nas lojas. Enquanto o álbum não sai, vamos curtir “Mocinho do Cinema“, primeiro single do Ivo. 
Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Do Texas para o Mundo

Com apenas 17 anos, Mary Sarah já tem uma trajetória musical bastante extensa para uma alguém que mal saiu da adolescência. Uma das revelações da música country estadunidense.

Começou a cantar aos oito anos de idade, na igreja, depois passou a gravar suas canções em fitas-cassete e enviar à rádios locais.

Aos 12 anos (2007), Mary excursionou por seu país em uma turnê que durou seis meses como vocalista e dançarina destaque da banda Kidz Bop, onde ela apresentou 18 canções produzidas por Razor & Tie

Records (os mesmos agentes da atriz Dakota Fanning). O tempo passou, e em 2009, agora com 14 anos, a jovem cantora regressa ao Texas e continuou sua performance local e regional no Orpy Theaters, Towns, Town Squares e em eventos de caridades, onde ela pode aperfeiçoar a cada dia sua habilidade vocal e na guitarra.
Depois foi só sucesso, convites e shows atrás de shows. Mary Sarah foi convidada em 2012 para tocar junto com o ícone da música country, o quarteto The Oak Ridge Boys, que descobriu a cantora através no Youtube, e aproveitaram para lança-la no mercado. E no começo de 2013, ela ingressou em estúdio para gravar seu primeiro álbum country, previsto para ser lançado no verão dos Estados Unidos.
Ela se mudou com sua mãe para Nashville para se dedicar ainda mais ao projeto, que conta com a produção de Kent Wells e está sendo gravado no lendário estúdio “The Soundkitchen”.
Suas principais influências vão do pop atual a lendas do country estadunidense, entre eles estão, Carrie Underwood, Taylor Swift, Patsy Cline, Loretta Lynn, Dolly Parton, Connie Frances, Lynn Anderson, Bruno Mars.

E ai, ficou curioso em conferir o som de Mary?

Então se liga no player abaixo:

Site | Twitter | Facebook | Youtube | G+ | Instagram Por Patrícia Visconti

[Caixa de Som] O ajudante que virou rapper

Rapper, brasileiro, compositor, DJ e músico, essa são algumas das atividade que Jason Salles faz ao longo de seus 15 anos de carreira.
Influenciado pelos vizinhos que tocando em festas do bairro, fez com que o garoto de impressionasse bastante começando acompanha-los para ajudar a montar os aparelhos de som, fazendo com que alguns anos mais tarde ele já estava discotecando pelas pistas do todo Brasil, e ainda, participando de festividades com grandes nomes no cenário da música nacional e internacional.

Confira abaixo à entrevista que Jason concedeu aos nossos tripulantes, onde eles falou sobre carreira, o novo álbum “Não Pare o Baile”, singles, shows, futuro…

1- Quando você descobriu que queria ser cantor?
Em 2006 gravei minha primeira música cantando ao em vez de fazer scratchs nas faixas dos artistas como era de costume  gravei uma música chamada “Pele Chocolate” que entrou na mixtape “Copa do Mundo” produzida pelo Rapper Cabal, muitas garotas comentavam na net que elas amavam ouvir aquele som, e sempre perguntavam quem cantava, daí me despertou a vontade de gravar como cantor e usar minhas próprias composições.
2 – Deve haver uma banda que te acompanha nos shows, certo? Como vocês os conheceu?
Meu projeto “Não Pare o Baile” conta com uma formação de 4 profissionais, sendo 2 B-Boys, 1 DJ(DJ Raco) e 1 MC de apoio (MC Felipe Chileno).

3- Você já possuí singles, DEMOs e EPs lançadas? Quais?
Tenho o single “Pele Chocolate” (2006) e hoje em dia o álbum “Não Pare o Baile” que teve o single de estréia “La Dee Da” part. de Lino Krizz (Racionais MCs).
4- Quais são as suas principais influências? Por quê?
Mos Def, Talib Kweli, Lil Wayne, Drake, Rick Ross, Tyga e Big Sean, Brazucas referencia foi Racionais, MVBill, Criolo, Flávio Renegado, Jadiel Oliveira, Lino Krizz, Rael e Emicida. Cada a sua maneira me influenciaram no meu estilo de cantar, seja na batida ou na levada da rima, todos foram minha inspiração, para compôr e cantar!!!
5 –  Você próprio compõe suas canções?
Sim todas as faixas do álbum são composições minhas.


6 – Você prefere composição própria ou cover? Por quê?
Própria, pois tem minha verdade nas letras e rimas.
7 – Como você promove seu o trabalho?
Promovo através de fanpage, meu Site e Blog, pois fiz muitos fãs na internet nesses 15 anos de estrada da noite. Tocando no Brasil todo consigo unir os fãs do mundo online com os fãs que frequentam festas e eventos.
8 – Você acredita que há oportunidade na cena musical alternativa no Brasil? Por quê?
Acredito muito na cena musical alternativa, muitos artistas hoje considerados popular vieram da cena underground, como Marcelo D2, Emicida, Criolo e outros mais que hoje se encontram time de elite da cena musical brasileira.

9 – Já há planos para o lançamento de seu disco? Será o primeiro, ou você já possuí outro álbum lançado anteriormente?

O álbum “Não Pare o Baile” é meu primeiro trabalho lançado pra valer, com produção e assessoria de peso.
10 – Você se intitula independente? E como faz para manter as gravações, shows e lançamentos da banda?
Sou um artista independente, mas já tenho uma boa bagagem de shows acompanhando vários artistas, e também como DJ solo em varias casas pelo Brasil, uso esse recurso para divulgar minha música e de vários artistas do cenário do RAP!!!
11 – Quais os seus planos futuros? EPs, singles, CDs, clipes, shows… 
Meu próximo passo é lançar videoclipes das músicas do álbum, criar uma logo marca ou um selo, e fazer shows com uma boa estrutura, incluindo banda futuramente!!! Pois pra mim o céu é o limite.
Jason Salles é um músico que difundiu o rap com a música popular brasileira inovando e propagando o cenário alternativo do gênero por todo o país.
Ouça um dos singles do DJ e músico, qual ele está muito bem acompanhado, com a diva do rap nacional Leilah Moreno.

E para aqueles que curtiram o som e Jason, poderão ouvir o novo disco dele quando quiser, pois rapper disponibilizou seu álbum na íntegra e de grátis em seu site oficial, para que todos pudessem e ouvir quando você quisessem, e ainda, compartilhar com seus amigos.Até a próxima semana, com muita música a todos os navegantes de nosso barco!Por Patrícia Visconti