Arquivo da categoria: teatro

Turma da Monica e Hello Kitty se unem para mostrar o Poder da Amizade

Turma_da_M_nica_e_Hello_Kitty_com_Lissah_Martins_776x437

As duas personagens mais icônicas da cena da cultura pop em todo o mundo, se juntou, para apresentar um espetáculo único e excepcional, em que mostra o verdadeiro significado da amizade. Monica e sua turma e a gatinha mais fofa do Japão, Hello Kitty, estreou no último dia 15 de Setembro, o musical “Turma Da Mônica & Hello Kitty Em O Poder Da Amizade“, no Teatro Opus, na capital paulista. Continuar lendo Turma da Monica e Hello Kitty se unem para mostrar o Poder da Amizade

“Senhora X, Senhorita Y” traz o debate da mulher na sociedade contemporânea

carmen2

A mulher nunca esteve tão em evidência na sociedade quão está atualmente, debates favoráveis pela luta singular e igualitária são assuntos chaves de qualquer roda social, para mostrar quão pertinente e notável a força feminina está presente na comunidade contemporânea, que visa somar uma em todas, se unindo aos homens. Continuar lendo “Senhora X, Senhorita Y” traz o debate da mulher na sociedade contemporânea

Cia Solilóquios Espessos estreia em um espetáculo diverso e contemporâneo

Credito_Vinicius_Santos_4
Foto por Vinicius Santos

Em tempos em que os jovens pouco vai aos teatros, a não ser em algumas exceções, a Cia Solilóquios Espessos apresenta o espetáculo que baseado no poema de Herácliton Caleb, “Café“, trazendo um romance juvenil e adentra a fase adulta. Com estreia a partir de Setembro, no Teatro Nivaldo Santana, em Osasco, região metropolitana de São Paulo.

Continuar lendo Cia Solilóquios Espessos estreia em um espetáculo diverso e contemporâneo

[Total Flex] “Se Meu Gabinete Fala$$e” um espetáculo repleto de humor, delação e ironia

O Deputado mais carismático da TV brasileira estreou sua peça no começo deste mês no Teatro Fernando Torres, em São Paulo. João Plenário traz todos seus projetos, contatos, falcatruas e parcerias, com muito humor e diversão, fazendo o público chorar de tanto rir. Continuar lendo [Total Flex] “Se Meu Gabinete Fala$$e” um espetáculo repleto de humor, delação e ironia

[TOTAL FLEX] ESTREIA DIA 1 DE SETEMBRO EM SÃO PAULO A PEÇA “SE MEU GABINETE FALA$$E”

Foto por Divulgação

Quem nunca sorriu com as piadas sobre a situação do Brasil com o deputado João Plenário? Há mais de vinte anos nós fazendo rir e pensar sobre tudo que acontece no senado e fora dele, o deputado mais amado está de volta com uma temporada de três meses com a peça “Se meu gabinete fala$$e” em São Paulo. Continuar lendo [TOTAL FLEX] ESTREIA DIA 1 DE SETEMBRO EM SÃO PAULO A PEÇA “SE MEU GABINETE FALA$$E”

[TOTAL FLEX] “Fragmentos de Nós Dois” desabafa seus amores no Teatro Augusta

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Apresentando o primeiro projeto autoral do Coletivo Eloquência de Teatro, a peça “Fragmento de Nós Dois” em performance exclusiva até dia 25 de setembro, na sala experimental, no Teatro Augusta, no centro da capital paulista. Continuar lendo [TOTAL FLEX] “Fragmentos de Nós Dois” desabafa seus amores no Teatro Augusta

[TOTAL FLEX] A Fantástica Trupe… apresenta a fábula do espetáculo “A Princesa em Engasgada”

Foto:Renata Porto
Foto:Renata Porto

O espetáculo “A fantástica Trupe em… A Princesa Engasgada” esteve em cartaz em São Paulo e encantou adultos e crianças. Com mensagem sublime, singela, simples , com figurinos de época e linguagem coloquial, explora as virtudes da infância, da inocência de forma cativante com o romantismo, o imaginário, a descoberta e a interação aberta para o desfecho final da história. Continuar lendo [TOTAL FLEX] A Fantástica Trupe… apresenta a fábula do espetáculo “A Princesa em Engasgada”

[TOTAL FLEX] IV PRÊMIO APLAUSO BRASIL 2016 CONDECORA OS MELHORES DO TEATRO NACIONAL

logopremiodef-380x263

Nesta noite tipicamente tropical e aconchegante da última terça-feira, aconteceu o 4° Prêmio Aplauso Brasil de Teatro onde reuniu a classe artística paulistana no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. Continuar lendo [TOTAL FLEX] IV PRÊMIO APLAUSO BRASIL 2016 CONDECORA OS MELHORES DO TEATRO NACIONAL

[Total Flex] ‘Freud e Anna Freud: Uma Leitura Performática’ o espetáculo que humaniza o mito

Caixas caem. Antes empilhadas, agora derrubadas. Causam um eco de desordem; talvez para que o incômodo se faça presente. Como se o cenário dissesse “não viemos falar de perfeição”.

Interação entre o elenco e as cores, luzes, sombras e o cenário minimalista. No detalhe, a atriz Janaína Pelizzon. (FOTO: Vanessa Santos)
Interação entre o elenco e as cores, luzes, sombras e o cenário minimalista. No detalhe, a atriz Janaína Pelizzon. (FOTO: Vanessa Santos)

Janaína Pelizzon, atravessa o palco; passos firmes. Segura a moldura de um quadro que a transforma num autorretrato vivo e de repente ela não é mais ela. Acontece, também, com Lenira Fleck e Liana Timm. Quando seus movimentos, expressões e falas tomam forma, as performances transcendem a aparência, revelando as personagens. Em segundos, somos tragados para o século XX e nos vemos dentro da casa dos Freud.

É desse modo que o espetáculo “Freud e Anna Freud” tem início; com abdução do presente para o passado. No subtítulo “Uma Leitura Performática“, reside a proposta que rouba o público da quietude e o carrega para a intimidade do pai da psicanálise.

Imagens ora coloridas, ora preto e branco, surgem e desaparecem ao fundo do palco (como um álbum de fotografias gigante), molduras, caixas, uma cadeira de balanço, corrente, fumaça, luz, sombras e sons; todos os itens auxiliam na ambientação e provocam os sentidos, seguindo cronologicamente a história desde a vinda de Anna mundo.

Telefonema de Martha (Lianna Timm) à sua mãe (Janaína Pelizzo) sobre as complicações no lar dos Freud. Detalhe para a quadro representado em arte minimalista por Lenira Fleck. (FOTO: Vanessa Santos)
Telefonema de Martha (Liana Timm) à sua mãe (Janaína Pelizzon) sobre as complicações no lar dos Freud. Detalhe para Lenira Fleck no quadro em arte minimalista. (FOTO: Vanessa Santos)

No palco, as atrizes mais poderosas que uma hidra de lerna se multiplicam e transformam-se em várias personagens. Os diálogos que envolvem as personalidades, dão nome ao espetáculo e são intensos, amorosos, elucidativos no sentido do nascimento da própria psicanálise.

Retratando o relacionamento entre a esposa Martha Bernays, a filha Anna Freud, a cunhada Minna Bernays e a governanta Paula Fichtl e os problemas familiares, a peça aborda o lado humano de Freud.

 Tentamos  mostrar como [Freud] era na intimidade e desmistificar a impressão de que ele é inalcançável; na verdade, era uma pessoa, como você e eu., explica Lenira, intérprete de Anna (dentre outras personagens).

As duas apresentações que ocorreram no Teatro Augusta, São Paulo, contaram para uma plateia em sua grande maioria estudantes e conhecedores da figura de Freud a história, narrando o nascimento de sua filha, Anna Freud, as agruras da guerra, o exílio em Londres e, finalmente, as considerações sobre o princípio e a herança da psicanálise.

Freud (Liana Timm) e Anna Freud (Lenira Fleck) em um dos intensos diálogos. (FOTO: Vanessa Santos)
Freud (Liana Timm) e Anna Freud (Lenira Fleck) em um dos intensos diálogos. (FOTO: Vanessa Santos)

É uma narrativa centrada em pai e filha  a única que seguiu a carreira de Freud e preservou o legado  que faz a evocação sobre a condição humana, mas muito plural ao destacar a influência do ambiente familiar e de personalidades do mundo intelectual em situações comuns e peculiares que revelam a pluralidade das relações humanas e as fissuras dentro dos relacionamentos.

Os pontos altos além das interpretações vívidas e conversas intensas  são o uso do cenário como mensagens complementares, os flashbacks em que as citações de Sigmund Freud dialogam com as divagações de sua filha e as sessões de Marylin Monroe.

  Marilyn (ou Norma Jeane) amava as obras de Freud e era apaixonada pela psicanálise. Lenira descreve a participação da atriz e modelo norte-americana e continua: Ela chegou a conhecer Anna, com quem realizou entrevistas preliminares em Londres e tempos depois, suicidara-se“.

A aparição de Marilyn Monroe é um pouco alto e divertido do espetáculo (FOTO: Divulgação | Vilmar Carvalho)
A aparição de Marilyn Monroe é um pouco alto e divertido do espetáculo (FOTO: Divulgação | Vilmar Carvalho)

O texto da peça é da atriz Lenira Fleck, também psicanalista. Acompanhando-a na empreitada a artista multimídia Liana Timm e a premiada atriz gaúcha Janaina Pelizzon.

O espetáculo é o 18º texto do projeto Freud e Os Escritores, criado em 2010 e foi dirigido por Graça Nunes e Carlota Albuquerque, mostra a relação de Sigmund Freud (1856-1939) e sua filha Anna Freud (1895-1982).

Além desta, outras montagens foram feitas pelo grupo que propiciaram encontros de Freud com renomados filósofos e escritores. Como Virginia Woolf, Agatha Christie, Hannah Arendt e Simone de Beauvoir.

O espetáculo se dirige ao Rio de Janeiro e tem pretensão de retornar brevemente à São Paulo, entretanto não há data determinada.

Por: Jefferson Gonçalves