Arquivo da tag: coletivo

Causos de Visagens para Crianças Maluvidas – Uma HQ alusiva aos contos amazônidas em respeito a floresta e aos seres que vivem nela

Logo-Color

A cada dia os quadrinhos nacionais está sendo democrático e distinto, trazendo novas facetas e histórias envolvente que engajam e mergulham o leitor em produções insignes, que transcende em prol ao desenvolvimento cultural e social do país, transformando ideias e realizações, induzindo e levando mais pessoas a conhecerem culturas até antes distante dos grandes centros. Continuar lendo Causos de Visagens para Crianças Maluvidas – Uma HQ alusiva aos contos amazônidas em respeito a floresta e aos seres que vivem nela

GRL PWR Festival – Música, arte e solidariedade

62bdbc97-9468-4431-880e-f9d600294e47

Um festival com muito empoderamento e musicalidade acontece para agitar a primeira sexta-feira do mês de Outubro, com grandes mulheres da cena do rock-pop alternativo que irá mobilizar e socializar por uma causa nobre em prol as mulheres em situação vulnerável. Continuar lendo GRL PWR Festival – Música, arte e solidariedade

Coletivo de mulheres do ABC Paulista vão invadir o jardim da Casa das Rosas

No sábado (5), as artistas do Grande ABC irão invadir a Casa das Rosas. O Coletivo Colcha de Retalho estará propagando e entretendo à todos, em uma tarde recheada de atrações culturais como sarau, poesia, zines, hqs, caricaturas e muita arte.

Continuar lendo Coletivo de mulheres do ABC Paulista vão invadir o jardim da Casa das Rosas

“Eduardo e Mônica” – Um romance intrínseco sobre diferenças e adversidades

Eduardo-e-Monica-RED

Quem um dia iria dizer que a relação desse casal tão distinto, mas ao mesmo tempo tão conexo, chegaria às telonas, em uma produção única e envolvente, que levaria o público para dentro do romance singular, criado pelo poeta contemporâneo da música brasileira, Renato Russo. Continuar lendo “Eduardo e Mônica” – Um romance intrínseco sobre diferenças e adversidades

Marcelo Perdido canta com sutileza o amor e as diversidades

Marcelo-Perdido-Que-Bom

O cantor e compositor carioca radicado em São Paulo, Marcelo Perdido, apresenta seu novo single, “Que Bom“, que antecipa seu próximo álbum e chega com um clipe de animação feito pelo próprio artista. Continuar lendo Marcelo Perdido canta com sutileza o amor e as diversidades

Yannick encarna um “Caçador de Androides” em seu novo álbum de inéditas

67378376-2345597128828886-3783343541795684352-o
Foto por Tiago Santana

O rapper paulistano Yannick Hara acaba de lançar seu novo álbum, um projeto intrínseco, autêntico e visceral, com composições autorais, que retratam desde a sociedade cyberpunk, cotidiano, amores, relacionamentos, vivência neste mundo louco e caótico qual vivemos, e estamos sempre buscando nossa existência e espaço dentre milhões que nos cercam. Continuar lendo Yannick encarna um “Caçador de Androides” em seu novo álbum de inéditas

Larissa Palmieri – Uma entusiasta da cultura pop que tem paixão pela escrita

44162578-2134310096885579-1301619684780539904-n
Nesta semana como já tem uma crítica do Cebolinha Recuperação, do jovem quadrinista Gustavo Borges, vamos apresentar mais os autores que nos cercam por esse mundão, fazendo com todo carinho e amor suas obras e nos agraciando em uma boa leitura e claro, propagando ainda mais a cultura nacional. Continuar lendo Larissa Palmieri – Uma entusiasta da cultura pop que tem paixão pela escrita

Jovens brasileiros se reúnem em um projeto independente para propagar os quadrinhos nacional

31225495_563652277367289_8923692347338784768_n
Divulgação

Um grupo de jovens quadrinistas independentes se juntaram para produzir uma paixão de todos os envolvidos no projeto, fazer quadrinhos. Os envolvidos são da periferia de São Paulo, Osasco e até do interior de Minas Gerais.

Continuar lendo Jovens brasileiros se reúnem em um projeto independente para propagar os quadrinhos nacional

Festival Bananada traz uma especial DazMinas em sua 20ª edição

banner_bananada_1280x640

Já em sua vigésima edição, o Festival Bananada continua mesclando diversas tribos e culturas em um único espaço, reunindo gastronomia, artes, política, skate, surfe, economia, negócios, e claro, música da clássica a popular, muitos artistas de renome já passaram por lá

Continuar lendo Festival Bananada traz uma especial DazMinas em sua 20ª edição

[CANTINHO LITERÁRIO] Poetas Ambulantes espalham poesia pelos transportes públicos da cidade

DSC_0272
Os poetas acreditam que faz parte da natureza do artista ser um provocador.

Por volta das 19h do dia 11, uma sexta feira, um grupo de pessoas se reunia próximo às catracas da Estação Butantã, linha 4 – Amarela, carregando livros, poesia e vontade de difundir arte para quem estivesse por ali. São os Poetas Ambulantes iniciando mais uma intervenção urbana. O coletivo existe desde setembro de 2012, quando a primeira saída foi realizada. Ele surgiu a partir da iniciativa de duas amigas, Luz Ribeiro e Carol Peixoto, frequentadoras de saraus, que sentiram a necessidade de levar poesia para outros cantos da cidade.

Inspirados nos vendedores ambulantes, presentes diariamente nos transportes públicos, o coletivo percorre diferentes linhas de trens, ônibus e metrôs, declamando poesias e entregando livros aos passageiros que aceitam participar da intervenção.

Mas, antes de iniciar a ação, o coletivo se reúne em círculo para realizar uma espécie de oração e relembrar as principais instruções da intervenção. Ao final dessa reunião, os participantes entoam a frase lema do coletivo: “Uma vez Poetas Ambulantes e nada será como antes”. 

DSC_0263
Passageira ganha livro após declamar poesia.

O coletivo em si é composto por seis integrantes fixos, responsáveis por organizar as saídas, mas, como elas são abertas ao público, qualquer um pode participar. “Quanto mais gente puder vir e somar nesses dias, melhor”, explica a integrante Mel Duarte, 27.

Os encontros acontecem uma vez ao mês e as datas são divulgadas através das redes sociais do grupo. Embora alguns passageiros ironizem a ação, a maioria se agrada com a intervenção. “Por serem apresentações abertas, as pessoas se sentem muito à vontade”, diz o professor e também integrante do coletivo, Jefferson Santana, 27.

A respeito da crise política, social e econômica que o país enfrenta, eles reforçam a importância da poesia como forma de expressão. “Precisamos estar o tempo todo em debate e utilizar as palavras ao nosso favor, porque as pessoas têm muita dificuldade de encará-las. Elas sabem apontar, mas não sabem argumentar. A poesia tem um espaço muito positivo para ajudar nisso”, explica Mel.

Assuntos que estão em pauta no cotidiano, como redução da maioridade penal, foram temas de algumas saídas do coletivo para que os passageiros sejam provocados a refletir.  “A poesia é uma arma de combate”, finaliza Jefferson.

Acompanhe o coletivo pelas redes sociais:

Facebook | Instagram | Blog 

Texto e fotos por: Fernanda Pereira