Arquivo da tag: compositor

[Total Flex] Marcos Zeeba lança seu primeiro projeto solo em São Paulo

11178263_876447829093096_3726381029229522249_n

Em promoção de seu primeiro EP, “So Complicated”, o cantor e compositor Marcos Zeeba fará seu primeiro show no dia 18 de novembro, no Na Mata, em São Paulo, apresentando um pouco de seu som autoral e alguns covers que o influencia.

Dentre esses covers estão “Yellow”, do Coldplay; “You Know I’m Not the Only One”, de Sam Smith; “Pumped up Kicks”, do Foster The People; “Valerie”, da Amy Winehouse; “Lonely Boy”, do Black Keys; “Unaware”, do Allen Stone, entre outras. Entre as músicas autorais estão a pop roqueira “So Complicated”; o rock vigoroso de “You & You”; a mescla característica do músico em “Give it Up”; e a balada “Colors”.

10254981_822592837811929_2022585850246338674_n

Zeeba nasceu na California, mas se mudou para São Paulo na adolescência, sua paixão pela música sempre foi única, tanto que aos 19 anos ele regressou aos Estados Unidos para se tornar um profissional do ramo, onde foi estudar Music Business em Los Angeles, e sua vocação já estava formada.

10363816_879838678754011_8635435564447109483_nNesta época, o músico era guitarrista e compositor do Bonavox – grupo roqueiro com influência do brit pop, numa linha Coldplay meets Keane – fazendo seu nome do circuito norte-americano da música, sendo selecionados pelo Grammy Amplifier Competition, levando-os a se apresentar no tradicional festival South by Southwest, além de abrirem a turnê de Allen Stone.

Porém, Marcos Zeeba queria dar outros ares a sua carreira, e alguns anos mais tarde ele resolveu seguir carreira solo, dando origem ao “So Complicated”, um projeto que contém cinco faixas que transitam pelas frequências alternativas e independente, percorrendo do pop-rock ao indie rock, lançado em junho de 2015.

998579_534163389988210_1950480819_nEsse EP traz discussões sobre amor e relacionamentos, com algumas batidas punk rock e uma energia um pouco sarcástica, para os corações aquebrantados, tendo com a primeira impressão a aproximação amigável e bem-humorada de assuntos relacionados ao coração.

 

Confira abaixo o lyric video deo single homônimo ao EP, “So Complicated”:

Serviço

Marcos Zeeba em SP
Data: 18 de novembro
Horário: Abertura da casa às 19h30;
Banda de abertura “After Blue” às 21h30;
Show às 22h.
Duração: 1h30
Local: Na Mata
Endereço: R. da Mata, 70 – Itaim Bibi/ SP.
Tel.: (11) 3079-0300
Entrada: R$40,00 | Lista amiga: R$30,00

Para mais informações acesse:
Site | Facebook | Twitter | Instagram

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] James Bantu transmiti suas percepções sociais com muita rima e poesia

10478217_519771304815933_8999626670008189347_n
Foto por: Tiago Santos

Paulistano, rapper, poeta, instrumentista, dançarino e compositor, James Bantu é o que podemos chamar de um artista completo.

10537162_545144058945324_3302722565606122399_nCom sua voz doce e sutil, faz árduas críticas sociais, dando voz àqueles que nunca são ouvidos pela sociedade atual, mostrando que nem só de pobreza e sofrimento vive a periferia das grandes cidades, onde a festa e as brincadeiras fazem parte da arte e da história dessa gente, afinal, não é só nos grupos elitistas que há cultura.

JBSuas letras autorais influenciado pelos rappers estadunidenses, mas mixando com o estilo e jeitinho brasileiro de impôr cultura negra em seu estilo, sempre com muita rima, afinação e harmonia, em estilos que vão além do RAP, mas também passando pelo soul, funk e pop em suas canções.

Estudou canto e dança na Escola Técnica de Artes de São Paulo, onde lá absorveu todo conhecimento para ser um multiartista e levar sua arte e sua música além das fronteiras que ele vivência, mas para lugares que ninguém o conhecia.

JB 2

Um artista nato, de um carisma ímpar que transpira poesia e conquista seu público com suas canções, arte e percepções filosóficas, histórias negras cotidianas, discursos refinados de identidade e outras sutilezas.

Conheça, ouça e veja um pouco do trabalho de James Bantu:

Para saber mais sobre esse grande propagador da cena do rap do nacional atual acesse:

Facebook | Twitter | Instagram | SoundCloud

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Lucas Almeida e sua dádiva em instrumentalizar sua paixão pela música

11924971_869084829848798_6475144423437183735_n

Ele tem apenas 21 anos, mas toca tanto quanto os grandes celebres da guitarra. Paulistano de nascimento e residência, Lucas Almeida sempre quis aprender tocar bateria, mas pela falta de espaço que tinha em sua casa, seus pais resolveram lhe dar uma guitarra aos 12 anos de vida.

Mas, essa paixão pelos acordes já vem desde cedo, tendo a música como base em sua formação e educação familiar, já que em sua família sempre tinha um violão em casa, e ele era o ápice das festas e confraternizações.

11951371_10204425457947948_8207847622553690765_n

Quando Lucas tinha 10 anos, um amigo emprestou o DVD do show “G3 live in Denver”, com Joe Satriani, Steve Vai e Yngwie Malmsteen, e desde então se encantou pelo instrumento, cambiando a percussão dos pratos pelos acordes da guitarra. O músico assistia tanto esse DVD, que hoje ele nem funciona mais!

Como um autêntico músico ele não segmenta seus estilos e influências, apesar de ter começado a pesar para o lado da música por causa do rock, mas ele ouve de tudo um pouco, jazz, fusion, choro, etc, como ele mesmo diz, “se alguém fuçar o meu celular vai encontrar desde John Coltrane a Fundo de Quintal”.

1939695_728176130606336_5035436818754274700_n

Assim como suas influências musicais, no meio das guitarras Lucas não tem preconceito, de artistas instrumentais como, Charlie Parker, Chet Baker, John Coltrane, Weather Report, Trio Corrente, Cama de Gato, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, entre variadas estilos e gêneros musicais, desde o rock, com Jimi Hendrix, no jazz, Wes Montgomery e na música brasileira, Nelson Faria, entre outros que se formos listar aqui ficaremos até amanhã citando sua inspiração nas guitarras.

Seu maior sonho é um dia viver 100% de música, sendo compondo, produzindo, ensaiando, gravando, e buscando seu espaço entre os instrumentistas na cena nacional, sem importar com estilo e categoria musical, apenas mostrando ao público, sua grande paixão.

11745380_10204180070173407_3572641455854703002_n

Atualmente, o músico toca em uma banda de rock gospel, onde eles estão prestes a lançar o primeiro EP. Além do mais, ele também toca numa banda de baile “Soun’d Boa”, faz freelas em outros grupos, tocando pela noite paulistano e também, dá aulas particulares de guitarra. Lucas pretende lançar no próximo ano seu próprio canal no Youtube, onde ele irá produzir alguns vídeos próprios, para divulgar um pouco mais de seu trabalho, e também ensaio para um duo acústico, sem previsão de lançamento, assim como seu primeiro compacto instrumental.

Confira a performance de Lucas na apresentação juntamente com a cantora Diana Marinho e a Banda Dendê na Garoa:

E para conferir outros vídeos deste artista afinado nos acordes, acesse seu Facebook, e assista outras performances de Lucas Almeida.

>>> Veja + <<<

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Jethro “Alonestar” Sheeran traz urbanidade para a música pop

10155031_10152627430876631_42560709416412441_n

Ele é britânico, londrino de Bristol, já fez participações com grandes nomes da cena pop atual e recentemente ganhou dois prêmio de suma importância para sua assessão profissional, entre eles o “Exposure Music Awards” nas categorias, “Melhor Artista Masculino” e “Melhor Música Urbana”.

Jethro Sheeran, ou melhor o Alonestar é um artista que sabe mixar o hip hop perfeitamente com a música pop, fazendo com que a música fique leve e atraente ao ouvinte novato que ainda não conhece seu trabalho, fazendo com que as pessoas se prenda ao escutá-lo, querendo ouvir outras faixas de seu trabalho.

Recentemente, Alonestar lançou seu sexto EP, “Warrior”, que contou com colaborações de Ed Sheeran, Rosie Ribbons, Ja Ja Soze and Lifford, e pode ser conferido no iTunes, e também está sendo um dos EPs mais tocados no verão londrino, com muito entusiasmo em cada performance do músico.

Além de cantor, Alonestar é também compositor e produtor, tanto que maioria de suas canções são produzidas pelo próprio, que sempre agrega experiência pessoais as letras, mostrando um pouco de sua intimidade para seu público. Como por exemplo a faixa “Lost and Taken”, qual ele escreveu falando sobre um sequestro que sua filha Skyla Rain sofreu com sua mãe, quando estava indo à Trinidad, e também a respeito de lembranças de quando ele era garotinho, e havia se perdido de sua mãe.

Confira um trecho de “Lost and Taken” abaixo:

I love you my baby, you take my air, I’m outta control, I want to escape this feelin, cos my life is nothin without you, I miss you my darling, you take my breath You’re living inside me, Can’t control my feelings, I’m so lost without you.

Como Alonestar mesmo disse, sua música é sua terapia, e escrever por isso que transcende as barreiras da produção convencional, pois ele acrescenta sentimentos e ações pessoais a suas canções, e não apenas faz música para vender discos e ganhar fama instantânea, sendo cru e honesto, refletindo suas realizações e frustrações, algo recorrente na vida de qualquer pessoa no mundo, em que corre, trabalha, se apaixona, ama e vive, construindo seu próprio tempo.

Assista abaixo o videoclipe “Skyla Rain”, single escrito e produzido por Jethro ALONESTAR Sheeran:

Para conhecer mais o trabalho de Alonestar acesse:

Facebook | Twitter | SoundCloud | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Caique Bordão leva a música à alma das pessoas

11206078_775119059268927_594147801165361982_n

Ele é cantor, compositor e vive em São Paulo, nesta megalópole inquietante que em cada esquina surge um artista, sendo ele da música, da literatura, da música, etc.

Caique Bordão, está divulgando o pré-lançamento do seu primeiro EP “Musicantarolando”, no próximo mês, na abertura do show de lançamento do DVD da banda Voz em Dó, no Espaço Alma D’Alma, no dia 21. Estudou regência na Escola Técnica de Artes de São Paulo, com sua voz doce e sutil, seu estilo poderia ser definido como música pop, já que a guitarra e a percussão batem na mesma sintonia e harmonia.

10898006_702888489825318_8451587932131644907_nUm artista que respira e vive música 24 horas por dia, se apresenta nos grandes palcos, nos bares, nas estações de metrô ou na rua, onde a democracia é verídica e real, e as pessoas dizem na cara o que acham do seu trabalho, sem meias palavras ou vírgulas em excesso, mostrando a voz e o instrumento, o artista nu e cru, como ele realmente é, sem efeitos de estúdios nem nada, apenas sendo ele mesmo.

Levando a arte para quem mais precisa, em um mundo onde é correria domina o ser das pessoas, apresentar um novo som, é alegrar o dia daquele que às vezes só precisa de uma inspiração para compartilhar um sorriso.

10445953_694426084004892_5058507071942763296_n

Confira esse talento em ação, no vídeo abaixo do single “Minha Menina”:

Para conhecer mais sobre o Caíque acesse:
Facebook | Youtube | Instagram

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Roberto Terzini traz sutileza e leveza a música popular contemporânea

10704113_1572020083020893_8495174320844214196_n

Sabe aquela música boa para ouvir num sábado a tarde, de boa em casa, sozinho, apenas curtindo e apreciando a melodia e a letra da canção? Pois bem, isso que transmite as canções de Roberto Terzini aos ouvintes que escutam a sua música numa primeira vez.

Natural de São Paulo, cidade qual vive até hoje, Roberto se formou na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, mas seus planos não era apenas cuidar de números, gerências e tampouco engravatar-se atrás de uma mesa, pois a música proliferou mais alto, e o seu amor pelo ritmo e melodia transcendeu pelas ondas da web.

Além de cantor, Terzini é instrumentistas e compositor, e adora juntar suas ideias com a dos seus ídolos, criando uma nova composição, dando contemporaneidade a canção.

Com uma voz doce e cativante, sua potencialidade vocal enobrece a música popular brasileira da atualidade, que apenas visa refrões monossílabos e letras sem sentindo algum.

Um músico com essência e origens dos grandes ícones da música, mas com a originalidade do mundo novo e moderno, gerando uma nova inspiração para a música popular.

394858_540462699306559_1977947482_n

Confira abaixo a primeira composição própria que Roberto publicou em seu canal no Youtube, o vídeo da música “Marinheiro”:


Para conhecer mais sobre o trabalho do música acesse:


Facebook | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Ricardo Stoco apresenta as nuances do Rock ‘n Roll

RicardoStoco-680x274

Como todos sabemos a maioria dos músicos começam sua trajetória musical na adolescência, mas essa influência vem bem antes, ainda na infância, uns influenciados pelos pais, familiares, amigos, outros por ídolos, mas cada um tem a sua história para relatar com almejado o sucesso.

Nosso artista da vez também começou muito cedo, aos 12 anos ele já arranhava sozinho em seu violão e com 14, ingressou em sua primeira banda, e desde então já arriscava em dedilhar e compôr suas próprias canções.

Ricardo Stoco, um paulista que adora o universo do rock, tanto que suas principais influências são as bandas Ramones e Toy Dolls, mas ele escuta de tudo, sem julgar estilo ou gênero, apenas visando a originalidade, soando verdadeiro e atingindo-o seus ouvidos diretamente, sem muitos efeitos e cópias. Além do mais, o músico adora compor, um de seus hobbies favoritos, e esses empenhos ajudam muito Stoco a escrever, especialmente a sonoridade e timbre.

Stoco gosta de ouvir novidades, e experimentar novos sons, porque assim ele aprende cada vez mais, conhecendo novos timbres, novos ritmos e novas músicas, saindo um pouco da zona de conforto e adentrando a algo novo e nunca ouvido antes. Como ele mesmo diz: “Não me apego só a o que ouço em casa para compor.

E sempre ouvindo novidades Ricardo pretende em breve lançar seu primeiro EP – ainda em pré-produção -, recentemente ele lançou o single ‘Desabafo’, e têm curtido a repercussão do público, que mostrou interesse ao trabalho do músico e estão sempre buscando em conhecer mais sobre ele, tanto que em breve ele lançará sua segunda canção, ainda sem título definido, afinal ele compõe, produz, grava e divulga quase que tudo sozinho, então às vezes o processo demora um pouco.ricardostoco

Mas, seu intuito principal é ganhar o público e conquistá-los com sua música, e para isso Stoco busca sempre se aprimorar como profissional e ser conhecido como tal, um músico que ama o que faz, e faz o que ama, sem restrições de estilos e visando sempre o seu objetivo, apoderar-se da sua música e fazê-la dela seu passaporte para o tão almejado sucesso.

OUÇA AQUI!

Ouça o primeiro single de Stoco, ‘Desabafo’, uma canção que relata as vivências de um alguém que quer seguir um rumo, mas ainda não decidiu para onde seguir. Confira abaixo:

Mais informações: Site | Facebook | SoundCloud

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Os 100 anos do grande propagador da cultura baiana

“… escrevi 400 canções e Dorival Caymmi 70. Mas ele tem 70 canções perfeitas e eu não.” — Caetano Veloso

Dorival Caymmi

Se ele estivesse vivo, estaria completando 100 anos de vida, mas infelizmente ele nos deixou alguns anos atrás, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer renal que possuía havia nove anos.

dorivalcaymmi1Dorival Caymmi foi um grande propagador da cultura baiana pelo Brasil e o mundo, compunha inspirado nas tradições daquele povo, qual era ele era um nascente, soteropolitano com muito orgulho, cantava com muita influencia na música negra. Desenvolveu seu estilo próprio em se apresentar e compôr suas canções, sempre espontâneo em seus versos, com bastante sensualidade e riqueza melódia.

Caymmi conheceu a música ainda na infância, ouvindo parentes tocando piano, além do mais, seu pai, apesar de ser funcionário público, também era músico amador, tocava piano, violão e bandolim. Já sua mãe, era dona de casa, mas adorava cantar ouvindo rádio.



Mas, foi ouvindo seu fonógrafo e depois a vitrola, Caymmi sentiu ânsia em compor. Ainda menino, cantava no coro da igreja, era baixo-cantante, aos 13, começa a trabalhar na redação do jornal O Imparcial, como auxiliar, em 1929, com o fechamento do jornal, o poeta torna-se vendedor de bebidas. Aos 16 (1930) escreveu sua primeira música, “No Sertão”, e aos 20, estreia finalmente como cantor e violonista em programas da Rádio Clube da Bahia.

Depois disso Caymmi passou a se apresentar com o musical “Caymmi e suas canções praieiras”, performances que rendeu os primeiros prêmios de sua carreira, como compositor, além de concursos de músicas carnavalesca, com o samba “A Bahia também dá”.68D6A854B5924695A5AAF0BDD927E271

O sucesso do músico era tanto, que o diretor da Rádio Clube o incentiva a seguir sua carreira ao sul do país, segue para o Rio de Janeiro para conseguir um emprego como jornalista e realizar o curso preparatório de Direito.
Com o apoio de alguns parentes e amigos, fez alguns trabalhos na imprensa, excedendo ao ofício em ‘O Jornal’, do grupo Diário Associados, mas não parou de compor e cantar, perseverando em seu musical.

Um poeta que cantou sucessos populares, como em suas composições “Saudade de Bahia”, “Samba da minha Terra”, “Doralice”, “Modinha para Gabriela”, “Maracangalha”, “Saudades de Itapuã”, “O Dengo que a nega tem”, “Rosa Morena”, entre outras.

Foi casado com Adelaide Tostes – a cantora Stella Maris -, com quem teve três filhos, os também cantores, Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi.

MDorivalCaymmiSerieCapa

Ouça abaixo um dos grandes sucessos de Caymmi, “Rosa Morena”:

dorival

Por: Patrícia Visconti