Arquivo da tag: literatura

[Cantinho Literário] 1ª edição da Flip Paranapiacaba

Sem título1

Esse Cantinho Literário será bem breve, pois a pessoa que vos fala, quer dizer escreve, está bastante cansada e um pouco atarefada com algumas coisas que estão acontecendo, como por exemplo, se preparar para a Bienal do Livro de 2014, que começou na última sexta-feira (22).

Mas só estou fazendo isso, não porque não tenho ‘pautas’ para subir, mas pela preguiça, que ultimamente está me consumindo, mas vamos ao que interessa, afinal ninguém quer saber sobre a minha pessoa e sim sobre o mundo cultural, mas especifico o literário, afinal hoje é dia de literatura e mesmo, sendo breve, aqui estou, trazendo para nossa tripulação.

No Cantinho Literário de hoje, estamos trazendo a Flip Paranapiacaba, que acontece logo depois da Bienal do Livro, que acaba no próximo domingo (31), então para não parar a festa literária, vamos animar e continuar a festança, pois essa será a primeira edição da Flip Paranapiacaba, que ocorre nos dias 4, 5, 6 e 7 de setembro de 2014, das 10h00 às 17h00, na Vila Inglesa, Patrimônio Histórico e Cultural de Paranapiacaba, em Santo André, São Paulo.

A Feira contará com mesas de debates; palestras; oficinas de criação literária; contação de histórias; exposição; instalação sensorial; sala de vídeos; intervenções nas ruas; jogos lúdicos literários, música e comercialização de livros, fanzines literários, e a entrada e as atividades serão gratuitas.

Mais informações acesse os endereços da festa abaixo:
Site | Facebook

Isso ai, depois da Bienal do Livro, a festa literária não acaba, mas sim se estende para Paranapiacaba e todos os poetas, escritores e artistas da arte literária, contam com a presença de todos vocês.

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] Bienal do Livro 2014, começa nesta semana em São Paulo

topo_bienal

Salve salve tripulação linda, ‘tamô na área’, com o nosso Cantinho Literário e trazendo as novidades do mundo literário, que essa semana tem encontro das principais editoras, livrarias e distribuidoras do país, na maior feira de literatura da América Latina, que é a 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que é um dos eventos que mais agrega público da capital paulista.

O evento reúne mais de 400 editoras, livrarias e distribuidoras renomadas Nacionais e Internacionais, que expõem suas principais obras, apresentando seus lançamentos e proporcionando encontros com vários escritores, bate-papos e seções de autógrafos, despertando o gosto pelos livros, atraindo diversas pessoas, de todas as idades e classe social.

Assim como nas edições anteriores, a Bienal do Livro de São Paulo, traz bate-papos com escritores renomados nacional e internacional como Harlan Coben, Cassandra Clare, Ken Follett, Sally Gardner, Hugh Howey, Maurício de Sousa, Raphael Draccon, Carolina Munhóz e Affonso Solano, marcando presença nessa festa.

Além disso, este ano terá uma programação preparada pela Câmara Brasileira do Livro (CLB) em parceria com o Sesc-SP, oferecerá ainda atrações como A Escola do Livro – em que serão ministrados cursos para os profissionais do setor – , e o espaço Cozinhando com Palavras, comandado pelo chef André Boccato – no qual atividades que visarão unir gastronomia, literatura e cultura serão realizadas. É possível conferir o cronograma completo de atividades.

images-cms-image-000368298

Serviço
23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
De 22 a 31 de Agosto de 2014
Anhembi – São Paulo – SP

Pavilhão de Exposições do Anhembi
Avenida Olavo Fontoura, 1.209 – Santana
02012-021 São Paulo

Telefone: (11) 3060-5000
E-mail: info@bienaldolivrosp.com.br
Website: http://www.bienaldolivrosp.com.br

Contatos Bienal do Livro de São Paulo 2014:
Site: http://www.bienaldolivrosp.com.br/
Blog: http://blog.bienaldolivrosp.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/Bienaldolivrosp
Twitter: https://twitter.com/bienaldolivrosp
Instagram: http://instagram.com/bienaldolivrosp
Youtube: http://www.youtube.com/user/22bienal
Flickr: https://www.flickr.com/photos/77424025@N02/

10580243_850914961587688_3957822925019919284_n

Por Priscila Visconti (ansiosa para Bienal do Livro SP)

[Cantinho Literário] Ethernia – Legend of Raython Livro I, de Kamila Zöldyek

ethernia

Salve salve tripulação, hoje é segunda-feira, então é dia de literatura aqui no O Barquinho Cultural, trazendo novidades e também novas caras da arte da escrita e literária.

Nesta semana, vamos entrar no mundo dos mangás, com o lançamento do livro da escritora Kamila Zöldyek, que já está com esse pronto desde o ano de 2008, mas só agora ela teve a oportunidade de lançá-lo para o público, já que lançar uma publicação não é barato e exige tempo e claro, o mais importante, dinheiro.

Por isso, estamos aqui para promover e divulgar não só o lançamento, mas também a sua autora, que com apenas 22 anos, a jovem Kamila consegue passar a noite sem piscar vendo Doctor Who.

Passa metade do dia desenhando e a outra metade imaginando o que vai desenhar, pois ela é apaixonada por mangás e animes, por isso suas histórias são baseado nesse segmento.

Então não custa nada ajudar uma jovem escritora, realizar seu sonho de publicar um livro, para assim vir outras sagas, para agradar e fazer com todos se apaixone com essa história com personagens carismáticos, e com batalhas incríveis. Com os elementos clássicos da literatura fantástica, como elfos, magos e um cenário medieval, a obra se diferencia das demais no gênero por sua linguagem e verossimilhança dos diálogos.

Os protagonistas são adolescentes e, diferente do que comumente encontramos em histórias como esta, falam como adolescentes, pensam como adolescentes e agem como adolescentes.

Sinopse:
Você acredita em destino? Acredita que duas pessoas que nasceram e cresceram em condições e lugares inversos podem ser destinadas a encontrar e mudar a ordem de todas as coisas? A história de Raikou e Elektra começa assim. Ela, princesa entediada. Ele, escrivão do imperador inimigo. Duas vidas que corriam em direções opostas e aparentemente intangíveis. Elektra resolveu sumir de Raython depois de uma das comuns brigas com seu pai, porém não imaginou que cairia no território de Ethernia, império que está em guerra contra o seu há séculos. Muito menos imaginou que encontraria Raikou, o insolente de olhos azuis, que se dispôs a ajudá-la, por motivos que ela queria descobrir. Seu encontro foi apenas o começo dos fatos que mais tarde foram cantados sob o nome de “A lenda de Raython”, ou Legend of Raython na língua local, e Ethernia é o primeiro volume de sua narrativa. Pronto para começar a acreditar em destino?

Assista abaixo o vídeo da campanha de crowdfunding do livro Ethernia, de Kamila Zöldyek:

10409567_796274907084300_516099413945711873_n

Mais informações:
Faça sua contribuição em: http://catarse.me/pt/ethernia
Blog: http://thundersempire.blogspot.com.br/
Fanpage: https://www.facebook.com/legendraython
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/175171-ethernia

Contatos:
Facebook: https://www.facebook.com/kokyoBR
Twitter: https://twitter.com/kokyonoticias
Instagram: http://instagram.com/kokyochannel
Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/296448-kamila-zoldyek

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] Lançamento de Desolada, de Agatha de Assis

481759_383410941775799_823610544_n

Já era para ter subido este lançamento faz um tempo, mas com a correria e falta de tempo do dia-a-dia, acabamos esquecendo, mas não somos tão malvadas assim, pois mesmo que já passou o lançamento oficial do livro, estamos aqui para promover e divulgar este livro, para quem gosta de uma leitura com muitos mistérios, sedução e porque não dizer um pouco de drama e um romance sobrenatural.

Este é o novo livro da escritora Agatha de Assis, que lançou no último dia 19 de julho, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro o livro “Desolada”, mas para quem não conseguiu ir no laçamento ou é de outro estado, não tem problema, pois os livros estarão nas livrarias após a Bienal do Livro, em São Paulo,  que acontece nos dias 22 a 31 de Agosto.

Porém quem é da cidade do Rio de Janeiro, pode encontrar em qualquer livraria da praça, pois por já está sendo comercializado o manuscrito da Agatha pela povoação.

Mas também, pode garantir pelo site da Editora Deuses ou então com a com a própria autora, por inbox pelo Facebook, ou por e-mail, para garantir o livro, que pode ser que venha autografado, já que nas primeiras semanas que lançou a Agatha envia o livro para seus leitores, com uma dedicatória, mas basta entrar em contato e perguntar à ela se quem compra diretamente com ela, ainda ganha esses mimos literários.

Mas para quem gosta de uma boa leitura e um livro com história e um enredo legal, é uma ótima pedida este livro da escritora Agatha, pois a leitura não é cansativa e você consegue de interagir com os personagens, quase que adentrando no livro e se a pessoal ainda gostar de um romance sobrenatural, com um pouco de drama, vai adorar “Desolada”.

Para quem for a Bienal do Livro em São Paulo, a escritora não estará nesta edição da feira, por isso quem quiser conversar com ela, basta escrever à ela através das redes sociais, que ela responderá as dúvidas, perguntas e elogios sobre o “Desolada” e também de suas outras obras.

Sinopse:
“Na Primeira Guerra Mundial um anjo seduziu uma misteriosa e inocente ruiva chamada Paola. Com isso, Dakota acordou convicta de que esteve no passado,  o pesadelo mudou sua vida. Perseguida pelo mal, cercada por mistérios que envolvem a sua linhagem, o passado humano e a queda dos anjos, tenta decifrar o oculto, sendo mera fantoche. E sua vida é indispensável ao mal real vivo e não só em seus pesadelos.

Este livro é uma história de mudança, superação, e mesmo quando o medo domina o âmago do ser humano de uma forma horripilante, mesmo quando perdemos o controle de nossas emoções, habitando no vácuo em nós, tornando-nos uma vazão ao mal que nos rouba a voz, nossa vontade, nossas vidas, mesmo assim é preciso ter fé e acreditarmos em nós mesmos, como termos a certeza de uma Força Maior.

Este livro é uma viagem pelo tempo, trazendo-nos respostas profundas, repleto de sabedoria e do poder do amor, de um doce amor, e, mesmo no fim, ensina que o amor ainda continua. Intenso, envolvente e carismático. Seja desolado do início ao fim.”

Assista o book-trailer do livro “Desolada”, feito por Sales Rodrigues:

 

936737_381440335306193_481324098_n
Informações do livros:

Editora Deuses: http://www.editoradeuses.com.br
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/362678-desolada
E-mail: livrosdeagathadeassis@gmail.com
Facebook (fanpage) “Desolada”: https://www.facebook.com/desoladaagathadeassis

Contato da escritora Agatha de Assis:
Facebook: http://www.facebook.com.br/ag.deassis
Facebook: https://www.facebook.com/escritoraagathadeassis (fanpage)
Twitter: @AgathaMPdeAssis
Instagram: http://instagram.com/agathadeassis
Site: http://www.agathadeassis.com.br/
Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/626802-agatha-de-assis
10386749_721648654619064_2523614068401028010_n

PS: Nós da equipe d’O Barquinho Cultural, queremos um exemplar autografado, viu dna Agatha!!! hehehe

Até semana que vem e até a próxima com mais literatura aqui em nossa embarcação.

Por Priscila Visconti (correndo atrás de novas caras da literatura brasileira)

[CANTINHO LITERÁRIO] 12ª edição da Flip 2014

poster-flip-2014

Nesta semana começa a festa literária mais badalada de todo o mundo, que é a FLIP – Feira Literária Internacional de Paraty, que empeçar nessa quarta-feira (30) e vai

até domingo (03), realizando a sua 12ª edição com a tradição literária, trazendo grandes autores e homenageando escritores e poetas, que já se foi, mas que  deixaram suas obras para continuar eternizada na terra, como os autores Ubaldo Ribeiro, Rubem Alves e Ariano Suassuna, que já foram homenageado em outras edições da Flip e provavelmente terá uma celebração à eles, em alguma mesa ou espaço da feira.

Mas a festa este ano conta com mais de 40 convidados inéditos em sua história e show de abertura gratuito da cantora Gal Costa. Entre os diversos recortes da programação estão humor, arquitetura, ciência, pensamento indígena e crítica ao poder, característica do homenageado Millôr Fernandes.

Além da presença de autores mundialmente respeitados, como Julian Barnes, Don DeLillo, Eric Hobsbawm e Hanif Kureishi, a primeira Festa Literária Internacional de Paraty, realizada em 2003, inseriu o Brasil no circuito dos festivais internacionais de literatura. Ao longo de suas edições seguintes, a Flip ficou conhecida como um dos principais festivais literários do mundo, caracterizada não só pela qualidade dos autores convidados, mas também pelo entusiasmo do público e pela hospitalidade da cidade.

Nos cinco dias de festa, a Flip realiza cerca de 200 eventos, que incluem debates, shows, exposições, oficinas, exibições de filmes e
apresentações de escolas, entre outros, distribuídos em Flip . A programação principal, como FlipMais, FlipZona e Flipinha.

Flip 2014 – Festa Literária Internacional de Paraty
Dias: 30 de julho a 3 de agosto de 2014
Onde: Paraty/RJ

Mais informações:
Autores convidados: www.flip.org.br/flip2014.php?opcao=Autores
Programação principal: www.flip.org.br/flip2014.php?opcao=mesas_literarias
Informações de ingressos: www.flip.org.br/ingressos2014.php

Contatos:
E-mail: flip@flip.org.br
Website: http://www.flip.org.br
Facebook: https://www.facebook.com/flip.paraty
Twitter: https://twitter.com/flip_se

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] A ABL está ficando cada dia mais vazia…

ariano-suassuna

Assim como no post passado, nesta semana nossa embarcação está de luto, pois no último dia 23 de julho mais um mestre da literatura nos deixou.

b1553d206bcabe60dc69692e63b5dd5d457Ariano Suassuna, um grande preeminente defensor da cultura nordestina brasileira, além de ser um idealizador do Movimento Armorial e autor de obras icônicas nacionais, como Auto da Compadecida e O Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta.

Paraibano de nascimento, mas pernambucano de coração, já que o escritor se mudou ainda criança para Recife com sua família, e foi na infância que assistiu suas primeiras peças de mamulengo e a um desafio de viola, qual o influenciou muito em seu jeito de escrever e improvisar, sendo umas de suas marcas registradas em suas obras produzidas posteriormente.

No final da década de 1940, ingressou a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilo Borba Filho, com quem fundou o Teatro Estudante de Pernambuco, lugar que escreveu sua primeira peça, Uma Mulher Vestida de Sol, e desde então foram uma peça por ano, entre elas Cantam as Harpas de Sião (ou O Desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Os Homens de Barro foi montada no ano seguinte.
o-escritor-poeta-e-dramaturgo-ariano-suassuna-usa-maquina-de-escrever-1378496045568_956x500
Formou-se na faculdade em 1950, e também recebeu o Prêmio Martins Pena, pelo Auto de João da Cruz, regressou à Taperoá – interior da Paraíba, qual o escritor viveu sua adolescência até início da fase adulta – para curar-se de uma doença pulmonar. Durante sua volta, escreveu montou a peça Tortura de um Coração (1951), e no ano seguinte não se conteve e voltou a morar em Recife.

A partir deste ano dedicou sua vida a advogar, mas sem abandonar da literatura, das artes e do teatro. Foi nesta época que foram criadas as obras, O Castigo da Soberba (1953), O Rico Avarento (1954) e o Auto da Compadecida (1955), peça que o projetou em todo o país e que seria considerada, em 1962, por Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.

ariano-suassuna-microfoneFoi professor na de Estética na Universidade Federal de Pernambuco, e durante este período foi encenada a sua peça O Casamento Suspeitoso, em São Paulo, pela Cia. Sérgio Cardoso, e O Santo e a Porca, foi encenada a sua peça O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna, A Pena e a Lei, premiada dez anos depois no Festival Latino-Americano de Teatro.

Sua parceria com Hermilo Borba Filho era tão forte, que juntos fundaram o Teatro Popular do Nordeste, e na montaram as peças, Farsa da Boa Preguiça e A Caseira e a Catarina. No início da década de 1960 interrompe sua carreira de dramaturgo, e dedica-se plenamente às aulas na UFPE. Onde defende a tese de livre-docência A Onça Castanha e a Ilha Brasil: Uma Reflexão sobre a Cultura Brasileira. Aposenta-se como professor em 1994.Ariano Suassuna, escritor e Secretario da Cultura de Pernambuco

Foi membro fundador do Conselho Federal de Cultura (1967), nomeado pelo Reitor Murilo Guimarães, diretor do Departamento de Extensão Cultural da UFPE (1969). Ligado diretamente à cultura, iniciou em 1970, em Recife, o “Movimento Armorial”, interessado no desenvolvimento e no conhecimento das formas de expressão populares tradicionais. Convocou nomes expressivos da música para procurarem uma música erudita nordestina que viesse juntar-se ao movimento, lançado em Recife, em 18 de outubro de 1970, com o concerto “Três Séculos de Música Nordestina – do Barroco ao Armorial” e com uma exposição de gravura, pintura e escultura. Secretário de Cultura do Estado de Pernambuco, no Governo Miguel Arraes (1994-1998).

Ariano_Suassuna1Escreveu prosas de ficção, entre elas o Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971) e História d’O Rei Degolado nas Caatingas do Sertão / Ao Sol da Onça Caetana (1976), classificados por ele de “romance armorial-popular brasileiro”.

No início de 1990, Suassuna ingressou ao seleto grupo dos membros da Academia Brasileira de Letras e também, à Academia Pernambucana de Letras, em 2000 assumiu a cadeira 35 na Academia Paraibana de Letras, além de ser nomeado como Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
image
Homenageado em diversos nichos da arte, Ariano Suassuna sempre honrou sua nacionalidade e defendendo com unhas e dentes as produções nacionais, mostrando que o Brasil é sim refujo de bons artistas e boas obras, só precisa se pôr no mesmo patamar das peças estrangeiras, visada a cultura brasileira e principalmente a nordestina, o sertão a riqueza mais custoso a ser propagado, por isso ele utilizava-se bastante deste cenário em suas produções.

Viveu 87 anos, sendo que no mínimo 70 dedicados plenamente a literatura, respirando a arte de produzir e escrever até mesmo após sua aposentadoria.

frase-a-humanidade-se-divide-em-dois-grupos-os-que-concordam-comigo-e-os-equivocados-ariano-suassuna-120414

Mas, como ninguém está aqui para viver eternamente, no dia 23 de julho de 2014 um Acidente Vascular Cerebral (AVC), causou a morte do escritor e dramaturgo, fazendo com que sua matéria corporal fosse embora, mas sua obra e o que ele deixou em vida, permanece para sempre na literatura nacional, e também em todos os países que suas obras já foram levadas.

Por: Patrícia Visconti

[CANTINHO LITERÁRIO] LUTO NA LITERATURA BRASILEIRA

Joao Ubaldo Ribeiro e Rubem Alves_fotos_20-07-2014.jpg

A literatura brasileira perdeu dois grandes escritores da literatura brasileira, este final de semana, os autores Ubaldo Ribeiro e Rubem Alves.

O escritor baiano, mais que morava à tempos no Rio de Janeiro, Ubaldo Ribeiro, que tinha 73 anos,  faleceu na madrugada de sexta-feira (18), vítima de uma embolia pulmonar.

Ubaldo Ribeiro era membro da Academia Brasileira de Letras (ABL), desde 1994 e ocupava a cadeira 34, na qual era de Carlos Castello Branco. O escritor era Jornalista e Cientista Político e tem mais de 20 livros publicados em cerca de 16 países.

suas principais obras estão Sargento Getúlio (1971), Viva o Povo Brasileiro (1984) e O Sorriso do Lagarto (1989). João Ubaldo Ribeiro recebeu, em 2008, o Prêmio Camões, concedido pelos governos de Portugal e do Brasil, para autores que contribuem para o enriquecimento da língua portuguesa.

Ribeiro também venceu, por duas vezes, o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro. Em 1972, conquistou o Jabuti de Melhor Autor, por Sargento Getúlio.  Em 1984, venceu na categoria Melhor Romance, por Viva o Povo Brasileiro.

No mesmo final de semana, no domingo (20), morreu o filósofo e pedagogo, Rubem Alves, vítima de uma pneumonia, em Campinas, interior de São Paulo. Alves era de uma família de protestante, estudou teologia no seminário Presbiteriano do Sul, tendo sido pastor de uma comunidade presbiteriana no interior de Minas.

Era cronista, pedagogo, poeta, filósofo, contador de histórias, ensaísta, teólogo, acadêmico, autor de livros infantis e até psicanalista.

Vítima de perseguição durante a ditadura militar,exilou-se então com a família e foi estudar para a Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, onde se doutorou.

A sua tese foi publicada em 1969 com o título “‘A Theology of Human Hope” (“Teologia da Esperança Humana”), foi autor de diversas obras infantis como “A volta do pássaro encantado” e “A pipa e a flor”.

Rubem é autor de “Tempus fugit”, “O quarto do mistério”, “A alegria de ensinar”, “Por uma educação romântica” e “Filosofia da ciência” e um texto biográfico inserido no seu site oficial, e mencionado pela Globo, pode ler-se o que pensaria da morte: “Eu achava que a religião não era para garantir o céu depois da morte, mas para tornar esse mundo melhor, enquanto estamos vivos”.

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] Literatura Marginal – A literatura em sua forma simples e popular

L.M-pequeno

A literatura popular, é o conjunto de formas simples da arte verbal do povo, aos autores e seus contributos teóricos, esta literatura também é apresentada com outras denominações: literatura oral, literatura tradicional, etno-literatura ou literatura marginal.

O principal defensor do nome “literatura popular” é, sem dúvida, Viegas Guerreiro, que afirma preferi-lo por ser o de “de mais extenso significado”, já que “cabe nele toda a matéria literária que o povo entende e de que gosta, da sua autoria ou não”.

A denominação de literatura popular, em face da ambiguidade do termo “popular”, tem levantado as objecções de alguns teóricos, como é o caso de Victor Aguiar e Silva, para quem esta literatura exprime, de modo espontâneo e natural, na sua profunda genuinidade.

O espírito nacional de um povo, tal como aparece modelado na particularidade das suas crenças, dos seus valores tradicionais e do seu viver histórico.

Os textos são considerados contos populares, lendas, mitos, provérbios, ditos populares, apodos, adivinhas, lengalengas,
orações, rezas, fórmulas de superstições e de mezinhas, esconjuros, orações com escárnio, pragas, agouros ou profecias, galanteios ou piropos, quadras, autos populares, romanceiros, cancioneiros, excelências, entre outros.

Principais Autores:

No Brasil: Ferréz (Capão pecado), Plínio Marcos (Dois perdidos numa noite suja), Maurício Mirisola (Azul do Filho Morto), Eduardo Alves da Costa (No Caminho com Maiakovsky), Roberto Piva (Paranóia), José Agripino (Panamérica).

No Mundo: Henry Miller, Charles Bukovsky, Ferlinguetti, Pedro Juan Gutiérrez, e o espetacular Venedikt Erofeev, um russo absolutamente marginal, autor de Moscou-Petushky.

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] Flip traz Millôr Fernandes como homenageado nesta edição

1

A 12ª edição de Festa Literária de Paraty (FLIP), está chegando, e neste ano o homenageado da vez será o dramaturgo, editor, tradutor, artista gráfico, uma das figuras mais marcantes da imprensa brasileira, Millôr Fernandes, porém neste ano por função do Mundial de futebol, a festa será realizada entre os dias 30 de julho a 3 de agosto.

145Millôr que faleceu em agosto de 2012, aos 88 anos e trazia toda irreverência do humor em seus textos, reunindo várias áreas do conhecimento em seus trabalhos, traduzindo de obras shakesperianas, cartum, jornalismo e o hai-kai, rompendo fronteiras e propagando a ponte entre as artes.

Este ano será a primeira vez que a Flip homenageia um autor contemporâneo, que presenciou em diversas edições anteriores e foi um dos convidados da primeira festa em 2003.

Essa edição terá curadoria do editor e jornalista Paulo Werneck. E terá Gal Costa na abertura do evento, levando à Paraty músicas de seu último trabalho, que mistura MPB, rock, eletrônico e dub-step, criado por Caetano Veloso. Canções como “Folhetim” e “Barraco Total” fazem parte do line up do show de abertura da Flip.

C-50-CF-CULTURA-Já_estão_a_venda_os_ingressos_para_a_Flip_2014

Os ingressos já estão a venda pela internet, no site da Tickets for Fun, pelo telefone 4003-5588 e nos pontos de venda credenciados (a lista completa dos pontos de venda está disponível no site ticketsforfun.com.br). O preço dos ingressos da sessão de abertura e das mesas da programação é de R$ 46 (inteira)/ R$ 23 (meia).
Para mais informações acesse o site oficial da Flip e fique ligado nas novidades que acontecerão na festa: www.flip.org.br.

Por: Patrícia Visconti

[Cantinho Literário] Cartunista Quino – O Pai da pequena Mafalda

QUINO e MAFALDA

Já que neste mês foi dedicado ao especial da Mafalda e em julho é aniversário de seu pai, então vamos como encerrar junho falando sobre o cartunista argentino mais famoso do mundo, o grande Joaquín Salvador Lavado Tejón, mais conhecido como Quino. Um pensador, historiador gráfico e criador do desenho mais famoso de toda a Argentina e do mundo.

Quino é filho de imigrante espanhóis de Andaluzia, mas ele nasceu na província de Mendonza, na Argentina, em Guaymallén, no dia 17 de julho de 1932, que sempre deve o gosto pela arte do desenho, já que desde os 3 anos o pequeno Quino, apelido dado por seus familiares, para diferencia-lo de seu tio.

Quino perdeu seu pai e sua mãe, muito próximo um do outro, sua mãe faleceu em 1945 e seu pai em 1948 e no ano seguinte ele abandona a Faculdade de Belas Artes com a intenção de se tornar um autor de banda desenhada, e logo vendeu o seu primeiro desenho animado, um anúncio de uma loja de seda. Tentou encontrar trabalho no editorial Buenos Aires, mas não consegue. Depois de fazer o serviço militar obrigatório em 1954, estabeleceu-se em Buenos Aires em condições precárias.

A sua primeira página no humor semanal Isto é, de logo se seguiram outras editoras: Leoplán’ TV Guide, Ver e Ler Damas y Damitas’, Usted, Panorama, Adam, Atlântida, Che,no jornal Democracia, etc. Em 1954 começou a publicar regularmente no Rico Tipo e no Tia Vicenta e Dr. Merengue. Logo depois começa a tirar fotos de publicidade.

Publicou as suas coleções primeiro mo livro “Mundo Quino” em 1963, e logo surgiram algumas encomendas para algumas páginas numa campanha de publicidade encoberta por Mansfield, uma empresa de electrodomésticos.

Sua obra mais famosa é a tira cômica Mafalda, publicada entre os anos de 1964 e 1973, que eram editadas em tiras nos jornais, em que Mafalda questionava todos os problemas políticos, gêneros, até os científicos que afligiam sua alma infantil e, ao mesmo tempo, refletia o conflito que as pessoas da época enfrentavam, sobretudo com a progressiva mudança dos costumes e a já incipiente introdução da tecnologia no cotidiano.

quino-y-mafalda

Veja abaixo um exemplo de algumas tiras onde Mafalda ouve no rádio:

“O Papa fez um chamado à paz”
E, com sua ingenuidade infantil, responde ao aparelho:

“E deu ocupado como sempre, não é?”

Apesar de ter sido interrompida ainda no começo dos anos 1970, Mafalda possui uma legião de fãs, e o trabalho de Quino ainda tem reconhecimento internacional, como um dos maiores cartunistas do mundo. Quino criou vários personagens, mas a personagem mais famosa é Mafalda, uma menina de quase 8 anos que odeia sopa.

Veja abaixo a cronologia do cartunista Quino:

Quino_Foto1932: Nascido em San Jose, Mendoza, Argentina, em 17 de Julho. O mais novo dos três irmãos

1935: Quino descobre o que é a paixão de sua vida quando seu tio Joaquín (artista comercial) entretém uma noite com seus desenhos

1945: A morte de sua mãe. Nesse mesmo ano, faz parte da [Escola [de Belas Artes de Mendoza]

1948: A morte de seu pai. Deixe a Escola de Belas Artes, porque ele quer se dedicar ao desenho humorístico

1950: Desenha o seu primeiro desenho animado para a publicidade

1951: Sofre sua primeira derrota para ir para Buenos Aires e não vender suas piadas em revistas e jornais

1954 Conseguir finalmente aceitar que a primeira página de piadas sem palavras no Es Este semanal

1955 – 1959: Contribuir páginas de humor em inúmeras publicações.* 1960: Já ter um posicionamento bom trabalho como colaborador em diversas publicações casado Alicia Colombo, o seu parceiro para a vida.

1962: Faz sua primeira exposição em uma biblioteca de Londres

1963: ano crítico na vida do autor. Ele publicou seu primeiro livro coleção de desenhos animados, “Mundo Quino”, e fazer a Mafalda quadrinhos para uma agência de publicidade que o utiliza.

1964: A 29 de setembro Mafalda vê a luz no semanário Primera Plana

1965: O Diário de O Mundo começa a publicar a tira de Mafalda

1966: primeira compilação de tiras de Mafalda em um livro. A edição se esgotou em dois dias.

Quino_Mafalda

1967: No final do ano é interrompido Mafalda pelo desaparecimento do mundo. Quino, entretanto continua a desenhos animados página que vem fazendo há anos e continuaremos com ele até hoje.

1968: É retomado publicação no semanário Sete Dias. Mafalda, depois de ser publicado em alguns outros países da América Latina, apareceu pela primeira vez na Europa em uma coleção de textos e humor, realizada em Itália.

1969: “Mafalda o rebelde”, o primeiro livro dedicado ao Europeu Mafalda. Este livro publicado na Itália introduziu o Umberto Eco

1970: A partir deste ano Editorial Lumen começa a editar os livros de Mafalda, que permanecem no mercado até hoje

1971: O semanário El Triunfo, Madrid, começa a publicar seus cartuns. Mafalda se estende por toda a Europa

1972: Depois de ter assinado contratos de merchandising para evitar a especulação com o personagem, Quino assinar um contrato para uma série de animação dirigido por Mafalda Catu. Ele também publicou “Eu não gritar:” Editorial Siglo XXI Argentina. Sucesso em todo o mundo transborda Mafalda Quino.

1973: Estamos começando a divulgar as caricaturas. Em 25 de julho Quino entregues nos últimos quatro tiras e faz Mafalda e seus amigos disparou. Ele publicou seu terceiro livro sem Mafalda, “Se eu fosse você …”, Editorial Siglo XXI Argentina.

1974: Publicado em “Dez anos Mafalda”

1976: move Quino para Milão

1977: “. Declaração dos Direitos da Criança” Executa a pedido de UNICEF

1978: Quino recebe o Troféu Palma de Ouro Salão Internacional de Humor Bordighera

1979: Lançado por Quino, Glénat começar a editar tiras coloridas de Mafalda. Publica “As pessoas no seu lugar.”

1981: Em Buenos Aires abre uma característica Mafalda, a montagem de curtas feitos para a televisão, também foi o lançamento dos primeiros livros no Brasil.

1982:. O Exposição Internacional de Humor de Montreal nomeou-o Cartunista do Ano’ Publica “Nem a arte nem parte.”

1983: Executa desenhos de Mafalda para uma campanha de dentistas argentinos sobre a higiene oral. Publica “Deixe-me inventar”.

MAFALDA - QUINO1985: Desenhos para propaganda de alguns programas de nutrição, saúde e cultura do governo argentino. Publica “Quinoterapia”. Primeiros curtas-metragens produzidas e realizadas em Cuba em páginas de humor de Quino “Quinoscopio”.

1987: Publicado em “Sim, querida …”

1988: Sua cidade natal, Mendoza. distingue o título de Cidadão Ilustre Mestre da Sensibilidade, Humor e Nacional de Justiça e projeção internacional. Desenhe um cartaz para a chancelaria argentina comemora Direitos Humanos e os cinco anos de democracia na Argentina.

1989: No 25 º aniversário da Mafalda é publicada “Mafalda inédita.” Publicação do “poderoso, arrogante e impotente.”

1991: Publicados “As pessoas nascem”.

1992: Madrid é organizado na exposição “O Mundo de Mafalda”. Publica “Tudo Mafalda”.

1993: 1 edição do “All Mafalda”, Editorial de la Flor. D.G. Productions, Inc. em colaboração com a TVE produzidos 104 episódios de desenho animado Mafalda feitas por John Register em ICAIC, curtas-metragens que não tenham sido comercializadas na televisão na Argentina. Publica “Eu não estava!”, Editorial de la Flor.

1994: Milan são realizadas nos trinta anos de Mafalda com uma reunião em Circolo della Stampa, na presença de Umberto Eco, Marcello Bernardi Fulvia Serra (diretor Linus revista) e Roman Gubern (presidente do Instituto Cervantes, em Roma).

1995: A partir da publicação de páginas de Quino humor no País Semanal, o jornal de domingo o país de Madrid.

1996: Publicado na Argentina “Cuentecillos e outros distúrbios” por George Timossi, ilustrado por Filipe feita por Quino. Publicado “Quão ruim é o povo”.

1997: Obtenha um prêmio de Placa de Prata curioso, dado pela Madrid Associação dos Empregadores de restaurantes e cafés, para ajudar com demonstrações gráficas se espalhar para o prestígio e cozinha. Também recebeu o prêmio da Associação dos Ilustradores de Madrid.

1998: primeiro livro Ediciones de la Flor reissued de Quino, “Mundo Quino”, com um prefácio do autor. Distingue-se pela Ministério da Cultura, Governo da Cidade de Buenos Aires como’ Master of Arts em reconhecimento do seu trabalho. Recebe B’nai B’rith Direitos Humanos, organização que concedido anualmente a pessoas que se destacaram na promoção e proteção dos direitos humanos. Publique seu website.

1999: “. Eu não gritar” Em abril, Ediciones de la Flor reeditado o livro O Biblioteca Internacional Quino convidados a San José Costa Rica, sob os auspícios do jornal The Nation.

2000: O Livro Instituto Cubano apresenta a exposição “O Mundo de Quino” em Centro Wilfredo Lam, local da Nona Feira Internacional do Livro de Havana . Litexa Boliviana SA Quino convidados a La Paz Bolívia, por ocasião da Feira do Livro, promovido pela Lloyd Aereo Boliviano ea cidade de La Paz. Desta vez, a relação estabelecida com o público levou-o a se comprometer a frequentar a Feira do Livro.

2001: Durante Julho e Agosto faz uma exposição itinerante de humor na Bolívia. Por sua vez, em Grécia, por ocasião do quinto Humor Internacional, Quino mostra uma amostra de seus desenhos e algumas tiras de Mafalda, sob os auspícios do Ministério da Cultura da Grécia e da [ [Unesco]]. Em outubro, ele foi convidado para a International Comic Feira de Gijón. Por ocasião do Humor Gráfico exposição latino-americana, a Universidade de Alcalá de Henares é nomeado professor honorário de Humor. Em novembro, Glénat Edições e Hachette Canadá convidam Quino para 23 ° Salon du Livre de Montreal. Em dezembro, Quino foi premiado com o prestígio Humor Gráfico Quevedos, pelos Ministérios da Educação e da Cultura e dos Negócios Estrangeiros Espanha.

2002: Em setembro, ele foi convidado para expor suas obras de humor e Mafalda no “Salão Internacional 21Ème Caricatura, du Dessin de Presse et d’Humour”, Saint Just-lo Marte. Em novembro, o IILA (Instituto Ítalo-Latino Americano) e Embaixada da Argentina organizou Roma a exposição Quino “Il Padre di Mafalda tem altri figli” na Scuderie del Palazzo Santacroce.

2003: Faça uma exposição de seu trabalho e uma palestra na cidade de White Bay, Argentina. Abre o Feira Internacional do Livro de Guayaquil Equador. Em setembro, ele realizou uma exposição de seu trabalho em Biarritz, França para marcar o festival de CITA 2003. A Universidade de Guadalajara dá o prêmio-homenagem “La Catrina” e realizou uma exposição de seu trabalho.

Quino-y-Mafalda (1)2004: Abre em Milão a exposição “Viajar com Mafalda” comemorando os 40 anos desde a primeira publicação da personagem na Argentina. Em Julho, Ediciones de la Flor publica seu novo livro, “O que este unpresentable”. Em agosto, em Buenos Aires abriu a exposição “Quino, 50 anos”, celebrando 50 anos de publicação de seus primeiros desenhos de humor na revista deste Es A exposição, em seguida, mudou-se para Córdoba e Mar del Plata. Em novembro, Éditions Glénat (França) organizou em Paris uma homenagem a Quino acompanhada por uma exposição de desenhos de colegas franceses Mafalda entreter, e lançar o livro “A unpresentable presente.” Em 17 de novembro é declarado Cidadão Ilustre de Buenos Aires.

2005: A exposição “Viajar com Mafalda” é apresentado em Roma, Nápoles Zagarolo (Roma), Voghera (Pavia), Jesolo ( Veneza), Bolonha e Barcelona. A exposição “50 Anos Quino” A Argentina continua sua turnê se apresentando em Rosário Casilda, Mendoza San Rafael.

2005: Ganhou um Prince Claus Award

2007 – Presente: Retire do desenho, embora continue a publicar suas tiras.* 2008: Apresentado na parede de um metro, tiras de Mafalda.

2009: Deixe tiras publicadas no Live Journal, depois de escrever uma carta anunciando que ele deixou a revista.

2009: uma peça original com Mafalda feito para o jornal El Mundo na exposição “Bicentenário: 200 Anos de Humor Gráfico” que o Museu de Desenho e Ilustração feito no Museu Eduardo Sivori de Buenos Aires, homenageando os mais importantes criadores nos quadrinhos na Argentina através de sua história.

Quem é Quino:

quino

Nome completo
Joaquín Salvador Lavado Tejón

Nascimento
17 de Julho de 1932 (81 anos)
Argentina, San José, Guaymallén, Mendoza

Nacionalidade
Argentina e Espanha (cidadania)

Ocupação
Cartunista

Principais trabalhos
Mafalda

Prêmios
B’nai B’rith (1998)

Site
http://www.quino.com.ar/

Por Priscila Visconti (caçando pérolas da literatura do Brasil e no mundo)