Todos os posts de Priscila Visconti

Sou uma jornalista, blogueira, produtora de eventos e produtora Cultural. Amo o que faço, pois faço o que amo da minha vida, que é escrever, ler e ver a as coisas de uma visão diferente dos demais seres humanos.

[Cyber Literário] A literatura na era digital

9144424

Pelas andanças que tivemos lá na Bienal do Livro deste ano em São Paulo, percebemos que o livro digital está cada vez mais popular, principalmente entre as crianças, adolescentes e jovens, os que mais vimos utilizando esses livros chamados de e-books. Que são livros eletrônicos, bastante semelhante à um livro convencional, mas que possui o mesmo recursos dos computadores, PDAs, leitor de livros digitais ou até mesmo celulares que suportem esse recurso.

Os formatos mais comuns de Ebooks são o PDF, HTML e o ePUB, necessitando primeiramente do conhecido leitor de arquivos Acrobat Reader ou outro programa compatível, enquanto que o segundo formato precisa de um navegador de Internet para ser aberto. O Epub é um formato de arquivo digital padrão específico para ebooks.

Este dispositivo de armazenamento é de baixo custo e fácil acesso devido à propagação da Internet nas escolas, além de serem vendidos, ou até mesmo disponibilizado para download em alguns portais de Internet gratuita.

O primeiro livro digital pode ser considerado o Index Thomisticus, um índice anotado dos trabalhos de Tomás de Aquino, feito por Roberto Busa no final da década de 1940. Esse fato é muitas vezes omitido, talvez porque o texto digitalizado era (pelo menos inicialmente) uma forma de criar um índice e concordância, ao invés de uma edição publicável.

ebook-tablet

Veja abaixo a linha do tempo dos e-books:

1971: Michael Hart lidera o projecto Gutenberg que procura digitalizar livros de domínio público para oferecê-los gratuitamente.
1993: Zahur Klemath Zapata registra o primeiro programa de livros digitais. Digital Book v.1, DBF.
1993: Publica-se o primeiro livro digital: Do assassinato, considerado uma das belas artes, de Thomas de Quincey.
1995: Amazon começa a vender livros através da Internet.
1996: O projecto Gutenberg alcança os 1.000 livros digitalizados. A meta é um milhão.
1998: São lançados ao mercado os leitores de livros electrónicos: Rocket ebook e Softbook.
1998-1999: Surgem sítios na Internet que vendem livros electrónicos, como eReader.com e eReads.com.
2000: Stephen King lança seu romance Riding Bullet em formato digital. Só pode ser lído em computadores.
2002: As editoras Random House e HaperCollins começam a vender versões electrónicas dos seus títulos na Internet.
2005: Amazon compra Mobipocket na sua estratégia sobre o livro electrónico.
2006: Acordo entre Google en a Biblioteca Nacional do Brasil para digitalizar 2 milhões de títulos.
2006: Sony lança o leitor Sony Reader que conta com a tecnologia da tinta electrónica.
2007: Amazon lança o Kindle.
2008: Adobe e Sony fazem compativéis suas tecnologias de livros electrónicos (Leitor e DRM).
2008: Sony lança seu PRS-505.
2009: Barnes & Noble lança o Nook.
2010: Apple lança o iPad.

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] “Onde você se imagina daqui cinco anos?” – Cinco Anos de Cristiane Broca

9045_445464415499950_689592497_n

Salve salve tripulação, ‘tamô’ na área com mais um Cantinho da Literatura, que até o fim deste ano tem muitas novidades e surpresas para todos vocês, já que a Bienal do Livro de São Paulo, deste ano nos proporcionou muitas pautas para a alegria de todos. Então se preparem, pois cada semana terá um livro ou autor novo aqui na nossa embarcação.

Começando a diversidade de pautas que estamos vivendo, vamos para uma história que vai fazer muitos jornalistas e aspirantes ao ofício se inspirarem na trama, o livro da interiorana Cristiane Broca, da cidade de Aparecida, que esteve na Bienal deste ano aqui na capital paulista, mas que infelizmente não tivemos o prazer de conhecê-la pessoalmente, mas como somos ‘xeretas’ e vivemos fuçando por ai, encontramos o livro dela e entramos em contato com a Cris, para apresentar à vocês um pouco desse enredo, que trás amor, drama e paixão pela profissão.

O livro chama “Cinco Anos”, da editora Ases da Literatura e foi lançado em Julho de 2013 , mas teve o laçamento oficial aqui na cidade de São Paulo, na Bienal Internacional do Livro, com a presença da escritora Cristiane Broca.

999662_539429256103465_505075955_n

A história trata de uma jovem recém-formada em jornalismo, que faz estágio no jornal de sua cidade, Guaratinguetá, que também cuida do seu pai, já idoso na cidade vizinha de Aparecida. Seu nome é Ângela Barros, que vive no livro um encantados, reflexivo e emocionante.

Cinco Anos é um romance que apresenta diferentes versões de amor. E devido à verossimilhança das emoções dos personagens e suas expectativas em relação ao futuro, ao terminar a leitura será a vez do leitor se fazer a mesma pergunta.

Apesar do amor pela literatura, Cristiane é formada em tecnologia da Informação, um curso que não tem nada a ver com o mundo das obras das letras, mas a paixão pela arte literária era tanta, que a jovem escritora de 30 anos, começou a escrever seu primeiro livro “Cinco Anos”, que foi publicado pela editora Ases da Literatura, quatro anos depois, mas com algum conhecimento dos leitores, pois ela já havia socializado na internet um pouco da história, afinal as redes sociais estão ai para isso, para promover e divulgar os trabalhos, para agregar novos leitores, para a nova literatura moderna.

Mas, Cristiane também já participou de outros trabalhos como antologia de “O último dia antes do fim do mundo”, da editora Novo Século, da antologia “Não é só por vinte contos”, publicada pelo SKOOB, maior rede social de leitores do Brasil, e recentemente da antologia “Crisálida – Amores que transformam”, publicada pelo Widbook, ela também escreve para o blog De Repente Trintei e atualmente trabalha em seu segundo romance. A autora reside em Guaratinguetá/SP, onde divide o seu tempo entre a família, o trabalho na área de Ti, e a literatura.

CapaV2SeloAses - CópiaFicha Técnica
Título: Cinco Anos
Edição: 1ª
Editora: Ases da Literatura
Páginas: 295
Encadernação: Brochura
Idioma: Português

SINOPSE
Ângela Barros é uma jovem jornalista de vinte e um anos. Com um pai doente, endividada e lutando por um emprego que está lhe escapando pelas mãos, vê seu destino mudar após conhecer o também jornalista Marcos Andrade, que lhe faz a pergunta chave: Onde você se imagina daqui a cinco anos?

A partir de então se inicia uma jornada na vida desta jovem batalhadora que, olhando para si mesma, decide marcar o tempo e assumir as rédeas da própria vida. Entre erros e acertos, vitórias e derrotas, ela irá descobrir que tudo tem a hora certa de acontecer, e que somente um amor guiado pelo destino será capaz de libertar seu coração das barreiras que o cercam.

Assista abaixo o Book Trailer do livro “Cinco Anos” e se apaixone pela linda história de Ângela Barros:

 

Trecho de Cinco Anos
“Eles pararam de dançar e se beijaram longamente esquecendo-se da festa, dos convidados, e do mundo ao redor. Ainda havia muitos impedimentos para o que estavam fazendo, mas como não conseguiam se lembrar de nenhum naquele momento, apenas se deixaram levar”.

_MG_2559

Contatos da escritora Cristiane Broca:
Site: www.cristianebroca.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/cristiane.broca.3
Fanpage Cinco Anos: https://www.facebook.com/livrocincoanos
Youtube: http://www.youtube.com/user/cristianebroca
Twitter: https://twitter.com/cristianebroca
Instagram: http://instagram.com/cristianebroca

Por Priscila Visconti

[Cabine da Pipoca] Ela pode controlar você, Lucy o filme!

noticia_719351_img1_lucy

Os seres humanos normais só usam 10% da sua capacidade cerebral, assim o filme traz o personagem Lucy uma jovem que por acidente ganha poderes sobre-humanos. Lucy tem o mundo em suas mãos podendo controla tudo e todos sem correr risco algum.

Para os apaixonados e amantes de ficção científica e ação, vão ficar felizes por terem os dois gêneros em um único filme.

O longa vai trazer um elenco talentoso com os maiores nomes do cinema mundial como Morgan Freeman, Scarlett Johansson, Min-sik Choi, Analeigh Tipton, Amr Waked, Pilou Asbaek, Claire Tran e Julian Rhind-Tutt, e na direção e na criação original fica por conta do francês, Luc Besson.

O lançamento do filme é hoje (quinta-feira, 28) nos cinemas de todo o Brasil, não percam de ver um dos filmes mais aguardados desse ano.

Para maiores informações sobre o filme, trailer, notícias acessem o site www.lucyfilme.com.br.

Confira abaixo o trailer oficial:

Por: Nathália Sant’Ana

[Cantinho Literário] 1ª edição da Flip Paranapiacaba

Sem título1

Esse Cantinho Literário será bem breve, pois a pessoa que vos fala, quer dizer escreve, está bastante cansada e um pouco atarefada com algumas coisas que estão acontecendo, como por exemplo, se preparar para a Bienal do Livro de 2014, que começou na última sexta-feira (22).

Mas só estou fazendo isso, não porque não tenho ‘pautas’ para subir, mas pela preguiça, que ultimamente está me consumindo, mas vamos ao que interessa, afinal ninguém quer saber sobre a minha pessoa e sim sobre o mundo cultural, mas especifico o literário, afinal hoje é dia de literatura e mesmo, sendo breve, aqui estou, trazendo para nossa tripulação.

No Cantinho Literário de hoje, estamos trazendo a Flip Paranapiacaba, que acontece logo depois da Bienal do Livro, que acaba no próximo domingo (31), então para não parar a festa literária, vamos animar e continuar a festança, pois essa será a primeira edição da Flip Paranapiacaba, que ocorre nos dias 4, 5, 6 e 7 de setembro de 2014, das 10h00 às 17h00, na Vila Inglesa, Patrimônio Histórico e Cultural de Paranapiacaba, em Santo André, São Paulo.

A Feira contará com mesas de debates; palestras; oficinas de criação literária; contação de histórias; exposição; instalação sensorial; sala de vídeos; intervenções nas ruas; jogos lúdicos literários, música e comercialização de livros, fanzines literários, e a entrada e as atividades serão gratuitas.

Mais informações acesse os endereços da festa abaixo:
Site | Facebook

Isso ai, depois da Bienal do Livro, a festa literária não acaba, mas sim se estende para Paranapiacaba e todos os poetas, escritores e artistas da arte literária, contam com a presença de todos vocês.

Por Priscila Visconti

[Cabine da Pipoca] “Paraíso” – Uma comédia mexicana de peso

paraiso

Salve salve tripulação adorada, ‘óia nóis aqui tráveis’, trazendo novidades do cinema, que a grande imprensa custa a pautar, pois eles preferem ficar com os grandes blockbusters, pois dão mais dinheiro e nesse mundo capitalista, em que grana é tudo, os longas lado B, não são muito divulgados.

E nessa semana no Cabine da Pipoca, vamos ir para a comédia, aliás faz um pouco de tempo que não falamos de uma película de humor, aqui em nosso ‘transatlântico’, por isso aqui estamos para falar da estreia do humorado filme “Paraíso”, de Marina Chenillo.

Esse filme “Paraíso”, foi escrito, dirigido e editado pela Marina, com produção do Pablo Cruz e com fotografia de Yaron Chenillo, é uma comédia, que quebra dos os padrões de mocinho e mocinha magrelos e cheio de romantismo melado, pois trata de um casal de gordinhos, que já namoram desde à infância,  que vivem super felizes, na capital mexicana, Cidade do México.

O projeto para o qual Marina havia sido inicialmente convidada para escrever o roteiro, era baseado em um conto muito querido pelo produtor Pablo Cruz (escrito por Julieta Arévalo), porque falava sobre a periferia da Cidade do México, onde crescera. Conto e filme são muito semelhantes e, ao mesmo tempo, diferentes. A premissa é a mesma, mas os personagens são diferentes. “Eu me senti perdida nos dois primeiros esboços, porque estava entrando em um mundo que não era o meu. Tive que aprender a torná-lo meu, injetar vida nos personagens. Foram grandes lições para mim.” – Falou a diretora de
“Paraíso”.

10526117_10154400148470357_6209003231879013887_n

Sinopse:
Namorados desde a infância, Carmen e Alfredo vivem felizes em um município próximo à Cidade do México. Alfredo é promovido no trabalho, e o casal é obrigado a se mudar para a capital e se adequar à rotina da metrópole. Os novos valores e relações fazem os dois encararem uma velha condição que pouco os preocupou até aqui: ambos estão acima do peso. Incomodados com os comentários maldosos que chegam aos seus ouvidos, os pombinhos decidem trocar donuts por saladas. Mas novos problemas surgem quando apenas um deles começa a emagrecer.

Trailer de “Paraíso”:

 

FICHA TÉCNICA
Título original: Paraíso
Direção: Mariana Chenillo
Roteiro: Mariana Chenillo

Produção: Pablo Cruz
Fotografia: Yaron Orbach
Edição: Mariana Chenillo

Elenco: Andrés Almeida
Daniela Rincón
Luis Geraldo Mendez
Anabel Ferreira

Gênero: Comédia
País: México
Ano: 2013
Tempo: 105 minutos
Classificação: a verificar

Por Priscila Visconti

[Total Flex] Atitude – Quando um passo leva à conclusão

10609384_10202493939101513_1548801721_n

Ele cuidava de uma criança. Fazia carinho no cabelo do menino. Eu observava de longe aquela cena que parecia ser de novela. Ele estava sentado no chão, ao lado do garoto que tinha adormecido havia pouco tempo.

Eu observava. Observava tudo. Desde o olhar, o sorriso, o movimento das mãos entre o cabelo da criança e até a forma como parava para pensar. Não sei o que acontecia ao redor. Era só ali que eu me concentrava. Era só nele que eu me perdia.

Quando percebi, já andava em direção a ele. Ninguém se importava com a nossa presença. Então, sentei ao lado dele, olhando a movimentação que ocorria ali. Ainda não sabia o que estava acontecendo. Só estava ali, aproveitando o momento.

Minhas mãos começaram a brincar com o cabelo da criança também, como um pretexto para me aproximar dele. Disse qualquer coisa sobre a forma doce do menino que dormia e vi que os olhos do cara ao meu lado brilhavam. Um sorriso nos lábios e minhas mãos ficaram sem ação.

Trocamos algumas palavras. Sobre o tempo, sobre o que acontecia, sobre as pessoas, sobre a criança. Tempo suficiente para que meus dedos se enroscassem dos dedos dele, como por acidente. Tempo suficiente para que ele percebesse e enroscasse os dedos dele nos meus, de propósito, entendendo o que eu desejava e afirmando o que também queria.

A partir daí, só me lembro do beijo. Calmo, sereno, sentimental.

Respiramos. Meu olhar, mais do que nunca, era nele. E ele também me fitava.

Com semblante sério, me puxou para mais um beijo.

Agora, eu observava de perto aquela cena. Mais que isso, participava. Até acordar.

Por Fábio Rodrigues

[Cantinho Literário] Bienal do Livro 2014, começa nesta semana em São Paulo

topo_bienal

Salve salve tripulação linda, ‘tamô na área’, com o nosso Cantinho Literário e trazendo as novidades do mundo literário, que essa semana tem encontro das principais editoras, livrarias e distribuidoras do país, na maior feira de literatura da América Latina, que é a 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que é um dos eventos que mais agrega público da capital paulista.

O evento reúne mais de 400 editoras, livrarias e distribuidoras renomadas Nacionais e Internacionais, que expõem suas principais obras, apresentando seus lançamentos e proporcionando encontros com vários escritores, bate-papos e seções de autógrafos, despertando o gosto pelos livros, atraindo diversas pessoas, de todas as idades e classe social.

Assim como nas edições anteriores, a Bienal do Livro de São Paulo, traz bate-papos com escritores renomados nacional e internacional como Harlan Coben, Cassandra Clare, Ken Follett, Sally Gardner, Hugh Howey, Maurício de Sousa, Raphael Draccon, Carolina Munhóz e Affonso Solano, marcando presença nessa festa.

Além disso, este ano terá uma programação preparada pela Câmara Brasileira do Livro (CLB) em parceria com o Sesc-SP, oferecerá ainda atrações como A Escola do Livro – em que serão ministrados cursos para os profissionais do setor – , e o espaço Cozinhando com Palavras, comandado pelo chef André Boccato – no qual atividades que visarão unir gastronomia, literatura e cultura serão realizadas. É possível conferir o cronograma completo de atividades.

images-cms-image-000368298

Serviço
23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
De 22 a 31 de Agosto de 2014
Anhembi – São Paulo – SP

Pavilhão de Exposições do Anhembi
Avenida Olavo Fontoura, 1.209 – Santana
02012-021 São Paulo

Telefone: (11) 3060-5000
E-mail: info@bienaldolivrosp.com.br
Website: http://www.bienaldolivrosp.com.br

Contatos Bienal do Livro de São Paulo 2014:
Site: http://www.bienaldolivrosp.com.br/
Blog: http://blog.bienaldolivrosp.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/Bienaldolivrosp
Twitter: https://twitter.com/bienaldolivrosp
Instagram: http://instagram.com/bienaldolivrosp
Youtube: http://www.youtube.com/user/22bienal
Flickr: https://www.flickr.com/photos/77424025@N02/

10580243_850914961587688_3957822925019919284_n

Por Priscila Visconti (ansiosa para Bienal do Livro SP)

[Cabine da Pipoca] Descanse em Paz, Robin Williams!

rip-robin-williams

E mais um astro do humor nos deixou essa semana, o grande ator e comediante, que conquistou à todos com suas imitações, como a interpretação do alienígena Mork, da série Mork & Mindy, ou então se emocionou em Sociedade dos Poetas Mortos, como o Professor de Inglês John Keating inspira seus alunos a um amor pela poesia e aproveitar o dia.

Williams é descendente de ingleses, galeses e irlandeses pelo lado de seu pai, e de franceses pelo lado materno. Cresceu frequentando a Igreja Episcopal, embora sua mãe praticasse a Ciência Cristã. Cresceu em Bloomfield Hills, Michigan, onde estudou na Detroit Country Day School, em Woodacre, condado de Marin, Califórnia, onde frequentou uma escola pública, a Redwood High School.

Também frequentou o Claremont McKenna College (então chamado de Claremont Men’s College) por quatro anos. Tem dois meio-irmãos: Todd (morto em 14 de agosto de 2007) e McLaurin.

Sempre era destaque nos filme, desde 1980, ganhando diversos Oscars, como a melhor ator coadjuvante por sua performance no filme Good Will Hunting, de 1997, e também conquistou dois Prêmios Emmy do Primetime, seis Globos de Ouro, dois prêmios do Screen Actors Guild e cinco Grammys.

O Próprio Robin Williams se descreveu em um entrevista em programa nos Estados Unidos, que ele é uma criança quita, quando pequeno, mas sempre brincalhona, pois sempre gostou de imitar tudo que via, sua primeira imitação foi a de sua avó, feita para sua mãe, mas que não foi capaz de superar sua timidez até entrar para a aula de dramaturgia no Ensino Médio e se apaixonar pelos palcos.

Mas apesar de mostrar muita alegria e humor nos palcos, Williams tinha seus problemas pessoais, com drogas, álcool e a depressão e foi esses problemas que levou o ator a se suicidar em sua casa, pois desde a década de 70 ele começou a ter o vício em cocaína, foi ai que ele começou a beber com frequência

Williams foi internado diversas vezes, sendo na última vez no ano de 2009, devido a problemas cardíacos, por consequência do uso abusivo das drogas, fazendo com que cancelar alguns de seus espetáculos solo de stand-up. A cirurgia foi realizada em março de 2009, no qual foi substituído uma válvula da aorta.

Neste terça-feira (11), o astro foi encontrado morto em sua casa, em em Tiburon, Califórnia, por volta do meio-dia, por asfixia devido o enforcamento com um cinto, fazendo com que Robin Williams cometesse suicídio, por causa da depressão na qual ele estava passando, por problemas pessoais de sua vida.

Nós d’O Barquinho Cultural sentimos muito pela perda desse grande mestre do humor, televisão e do cinema, principalmente os de Hollywood, pois o mundo não perdeu só um comediante, mas sim um grande astro, que conseguia transformar qualquer cena, em algo divertido, mesmo ela sendo triste.

Premiações:

video-robin-williams-gano-el-oscar

Oscares da Academia
Melhor ator (coadjuvante/secundário)
1997 – Good Will Hunting

Emmy Awards
Atuação individual em programa de variedade ou música
1986 – Carol, Carl, Whoopi and Robin
1987 – ABC Presents: A Royal Gala

Prêmios Globo de Ouro
Melhor ator (série cómica ou musical) em televisão
1978 – Mork and Mindy
Melhor ator (comédia ou musical) em cinema
1987 – Good Morning, Vietnam
1991 – The Fisher King
1992 – prêmio especial – Aladdin
1992 – Mrs. Doubtfire

Prémio Cecil B. DeMille
2005 – Pelo conjunto da obra

Prémios Screen Actors Guild
Melhor elenco
1996 – The Birdcage
Melhor ator coadjuvante em cinema
1997 – Good Will Hunting
Outros prêmios

Grammy – melhor gravação de comédia
1980 – Reality…What a Concept
1988 – ABC Presents A Royal Gala
1988 – A Night at the Met
1989 – Good Morning, Vietnam
2003 – Robin Williams – Live 2002

Grammy – melhor álbum falado
2003 – Live 2002

Por Priscila Visconti