Arquivo da tag: poesia

[Caixa de Som] Phill Veras traz frescor a nova geração musical do Brasil

Semana passada fizemos uma notinha falando sobre apresentação do Phill Veras no Itaú Cultural, e deu uma grande audiência ao site e às nossas redes, até o próprio músico acabou vendo a publicação, então, já que a galera curtiu o som desse jovem maranhense, autodidata, precoce e que vem se destacando como um dos principais artistas da nova geração responsável pela produção nacional. Continuar lendo [Caixa de Som] Phill Veras traz frescor a nova geração musical do Brasil

[Cantinho Literário] Clara Baccarin lança sua coletânea poética “Vibração e Descompasso”

A autora do romance Castelo Tropicais (2015) e do livro de poemas Instruções para Lavar a Alma (2016), está lançando mais uma obra, agora uma coletânea poética, de seus melhores textos durante os dois anos escrevendo para o site CONTI outra. Continuar lendo [Cantinho Literário] Clara Baccarin lança sua coletânea poética “Vibração e Descompasso”

[Total Flex] Vencedoras do Troféu Angelo Agostini batem papo e autografam fanzines em Paranapiacaba, neste sábado

Neste sábado (25) é dia de poesia, fanzine e quadrinho, com a tarde de autógrafos com as vencedoras do 33º Troféu Angelo Agostini – um dos maiores prêmios dos quadrinhos nacional, considerado o “Oscar dos Quadrinhos Brasileiro” -, Thina Curtis e Fabi Menassi, no Café Poeticamente Ilustrado, em Paranapiacaba. Continuar lendo [Total Flex] Vencedoras do Troféu Angelo Agostini batem papo e autografam fanzines em Paranapiacaba, neste sábado

[Total Flex] “A menina e a bolsa em busca de um mundo mais artístico”

aminadabolsa-3

Quando um fotógrafo e uma estudante de psicologia, que é apaixonada por poesia se juntam em criar um projeto diferente, único e artístico, só pode dar algo inovador e criativo. Continuar lendo [Total Flex] “A menina e a bolsa em busca de um mundo mais artístico”

[Caixa de Som] Lítera traz amor e poesia ao caos mundano

literarock

Quem anda diariamente pela região central de São Paulo e Porto Alegre, pode notar stickers pelo chão, postes e muros com o dizeres “Você já viveu um amor impossível?”, aonde todos fotografam e publicam em suas redes sociais com a hashtag #CasoReal, encontrando-se mais de três mil publicações apenas no Instagram. Todavia, alguns postam por achar uma frase poética e uma propagação do amor, mas não sabe o que aquilo realmente significa a quem pertence. Mas, cá estamos para apresentar os românticos a moda antiga da banda Lítera.  Continuar lendo [Caixa de Som] Lítera traz amor e poesia ao caos mundano

[Cantinho Literário] Clara Baccarin traduz a rotina diária de uma forma leve e sutil

12814763_1545791829046698_5674599667770070465_n
Foto: Divulgação

A Bienal Internacional do Livro de São Paulo acabou no último domingo, dia 4 de Setembro, mas seus anseios em propagar novidades e a literatura descrita em seu legado, permanece em nossa embarcação, por isso, os convido a conhecer uma jovem escritora, poeta e mestre literária, Clara Baccarin. Continuar lendo [Cantinho Literário] Clara Baccarin traduz a rotina diária de uma forma leve e sutil

[Caixa de Som] Música e poesia se completam na Bienal de SP

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Como essa semana estamos em especial Bienal aqui em nossa embarcação, na nossa Caixa de Som não será diferente, e vamos adentrar ao mundo músico-literário por aqui também, e falar de uma área pouco visto desta 24ª edição da Bienal do Livro de São Paulo, que é a poesia. Continuar lendo [Caixa de Som] Música e poesia se completam na Bienal de SP

[CAIXA DE SOM] CONHEÇA A BANDA NÃ E SEU ÁLBUM DE ESTREIA “Farpa”

Nã2

NÃ é uma banda “Afropunk Benjaminiana”, idealizada pelo baterista Thiago Babalu e o compositor e guitarrista Michel de Moura, atualmente eles encontram promovendo shows em São Paulo para divulgar novo o álbum de estreia, FARPA.

A é formada por, Thiago Babalu (Bateria), Bjanka Vijunas (Voz), Fernanda Broggi (Voz) , Rafael Noleto (Voz) , Thiago Pereira (Double Bass) , Renato Ribeiro (Guitarra Violão) , Rogério Martins (Percussão) , Michel de Moura (Guitarra). Continuar lendo [CAIXA DE SOM] CONHEÇA A BANDA NÃ E SEU ÁLBUM DE ESTREIA “Farpa”

[Cantinho Literário] Ana Cristina Cesar é homenageada na Flip 2016

A escritora é a segunda mulher a ser homenageada na feira, após Clarice Lispector em 2005.

tumblr_nudf9295jB1tj7w1co1_1280
Ana Cristina Cesar

A Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), teve como homenageada nessa edição a poetisa Ana Cristina Cesar (1952 – 1983), percussora do movimento Poesia Marginal. A escritora influenciou toda uma geração, principalmente, na poesia brasileira contemporânea.  E se mostra viva, mesmo após cometer suicídio aos 31 anos.

Ana Cristina morreu em 1983, pouco antes de publicar seu primeiro livro, “A teus pés”, quando cometeu suicídio, desencadeado por um quadro de depressão. Na obra continha textos ainda não publicados até o momento, além de um poema inédito, que dá nome a obra. Anteriormente, ela já havia publicado seus escritos em livros artesanais e em antologias (categorização de um conjunto de obras).

Durante a Ditadura militar Ana C., participou do movimento Poesia Marginal, ou Mimeográfo, cuja produção era voltada para meios alternativos de circulação, devido a censura imposta pelos militares.

Ainda na infância, antes de ser alfabetizada, ditava oralmente  poemas para a mãe passa-los para o papel. Aos sete anos, Ana Cristina publica pela primeira vez no jornal Tribuna da Imprensa, alguns de seus poemas.

618289-400x600-1
Entre livros , lentes e corpo despido. Foto: Kátia Muricy.

Lançamentos de livros com obras de Ana Cristina

Apesar da morte precoce, Ana Cristina deixou uma obra vasta e também intensa. A companhia da letra relança agora, o livro Poética, incluindo os escritos de: Cenas de abrilCorrespondência completaLuvas de pelicaA teus pésInéditos e dispersosalém de artigos e textos soltos.

Um dos destaques da Flip 2016 foi o lançamento do livro Inconfissões, fotobiografia de Ana C. Organizado pelo poeta Eucanaã Ferraz, e publicado pelo Instituto Moreira Sales. A ordem cronológica da obra é invertida, começando com as últimas fotos da poetisa, e regressa até a sua infância. Segundo Eucannã, a ideia é mostrar: no final ninguém morre.

 

Lista de lançamentos na Flip 2016:

MCMáfia, de Misha Glenny

Retrato de um viciado quando jovem , de Bill Clegg

Vozes de Tchernóbil, de Svetlana Aleksiévitch

Rostos na multidão, de Valeria Luiselli

Depois a louca sou eu, de Tati Bernardi

Vento sul, de Vilma Arêas

Poética, de Ana Cristina Cesar

Profissão Repórter 10 anos, de  Caco Barcellos

A Guerra Não Tem Rosco De Mulher, de Svetlana Aleksiévitch

Cinema e Psicanálise (Vol.5), de Ana Lucilia Rodrigues, Christian Ingo Lens Dunker

Visibilidade da mulher na literatura

No livro “A teus pés”, a escritora questiona frequentemente o papel da mulher dentro de uma sociedade conservadora. Como se lê no poema “A sete chaves”:

A sete chaves

“Vamos tomar chá das cinco e eu te conto minha
grande história passional, que guardei a sete chaves,
e meu coração bate incompassado entre gaufrettes.
Conta mais essa história, me aconselhas como um
marechal do ar fazendo alegoria. Estou tocada pelo
fogo. Mais um roman à clé?
Eu nem respondo. Não sou dama nem mulher
moderna.
Nem te conheço.
Então:
É daqui que eu tiro versos, desta festa – com
arbítrio silencioso e origem que não confesso –
como quem apaga seus pecados de seda, seus três
monumentos pátrios, e passa o ponto e as luvas.”

A Flip ineditamente abriu o evento com um sarau, onde nomes como o da poetisa Mel Duarte declamaram versos. Veja aqui a participação de Mel Duarte na Flip | Entrevista com Mel para OBC.

13347690
Reprodução do acervo Ana Cristina Cesar/MS.

Por: Gabriela Alves