Arquivo da tag: Semana de Arte Moderna de 22

[Cantinho Literário] Mario de Andrade – O poeta paulistano que marcou A Semana de Arte de 22

mario-de-andrade

O problema com o Explore ainda continua, por isso estou aceitando ajuda com meu PC, para não atrasar os posts aqui no Cantinho Literário, pois tenho muitas  pautas para caçar e muitos novos escritores para descobrir, que estão espalhados por esse mundão chamado INTERNET e por esses motivos, vamos no clássico da literatura e falar um pouco sobre o poeta, escritor, crítico literário, musicólogo, folclorista e ensaísta, Mário de Andrade.

Mário Raul de Moraes Andrade, era paulistano e foi um dos pioneiros da poesia moderna ao lado de Oswald de Andrade, Tarsíla do Amaral entre outros, sendo uma das figuras principais do movimento de vanguarda de São Paulo, A Semana Arte Moderna de 22, se tornando o polímata nacional do Brasil.

Andrade fazia ensaios fotográficos, no qual ele cobria para ampla variedade de assuntos, desde literatura, história e até no cenário musical, que eram divulgados  nos pequenos e grandes veículos da imprensa da época.

Ele já trabalhou como professor de música e colunista de jornal, publicou seu maior romance, Macunaíma, em 1928, mas continuou a publicar obras sobre  música popular brasileira, poesia e outros temas de forma desigual, sendo interrompido várias vezes devido a seu relacionamento instável com o governo brasileiro.

Sempre polêmico em suas obras, como Amar (1927) e Macunaíma (1928), ele foi um dos primeiros escritores a gerar um escândalo na época, contando a história de  um adolecente e uma mulher madura, uma alemã contratada pelo pai do jovem. O segundo, desde sua primeira edição, é apresentado pelo  autor como uma rapsódia, e não como romance, é considerado um dos romances capitais da literatura brasileira.

Já Macunaíma vem do trabalho etnográfico do alemão Koch-Grünberg, conforme relata o próprio autor. Koch-Grünberg, no livro Von Roraima zum Orinoco, recolheu lendas e histórias dos índios taulipangues e arecunás, da Venezuela e Amazônia brasileira.

A partir desses materiais, Andrade criou o que ele chamou rapsódia, um termo ligado a tradição oral da literatura. O livro editado por Tele Ancona Lopes possui  extenso material sobre o intertexto deste livro.

Mas no final de sua vida, se tornou o diretor-fundador do Departamento Municipal de Cultura de São Paulo formalizando o papel que ele havia desempenhado durante muito tempo como catalisador da modernidade artística na cidade e no país.

Mário de Andrade deixou um legado de poesia, música e muita cultura, não só para a cidade de São Paulo, mas para todo o Brasil, pois a Biblioteca Municipal  de São Paulo, foi trocado de nome na década de 60, se tornando Biblioteca Mário de Andrade de São Paulo.

Além de vários poemas, no qual ele sempre marcava seu
amor pela cidade na qual ele nasceu e morreu. O escritor faleceu em sua casa em São Paulo, no dia 25 de fevereiro de 1945, aos 51 anos, devido a um enfarto no coração.

frase-ja-nao-tenho-tempo-para-mediocridades-mario-de-andrade-107206

Por Priscila Visconti
(só espero que até semana que vem,
eu esteja com um navegador descente.
)

[Caixa de Som] Sampa mostra sua essência cultural no centro da cidade

terra_da_garoa_-_crc3a9dito__marcos_ribas

São Paulo é uma cidade pluralmente cultural, muitos espetáculos, show, além de restaurantes e eventos acontecendo ao mesmo. São multi gêneros e para todas as idades e classes sociais.

Mas, o que faltava na cidade era uma atração que remetesse a essência da cidade e também do país, estava escassa, insuficiente para uma metrópole tão erudita e rica quão São Paulo.

Todavia, desde outubro de 2013 foi inaugurada a casa de espetáculo Terra da Garoa. Sediada no centro histórico da capital paulista, o estabelecimento oferece uma atração diferenciada e com os clássicos da música popular brasileira em evidência, além de um experiências gastronômicas, como o cardápio oferecido no Musical permanente da casa, “SAMPA – O MUSICAL”.

O musical é exclusivo da casa, criado por Ulysses Cruz, e faz referência a cidade paulistana do início do século 20, enfatizando o cenário cultural daquela época, principalmente a Semana de Arte Moderna de 22, mostrando uma reunião da MP com os versos de Oswald de Andrade, brilhantemente interpretado pelo ator José Rubens Chachá.

A apresentação é oferecido todas as sextas e sábados, e o cardápio foi criado pelo chef André Boccato fazendo uma surpreendente leitura do jantar oferecido pela tradicional família Prado, aos modernistas na Semana de Arte de 1922.

SERVIÇO

“SAMPA – O MUSICAL”
Local: Terra da Garoa
End: Avenida São João, 555 – Centro
São Paulo – SP

Entrada: quintas, R$ 120. Sextas e sábados, R$ 190.

Sextas-feira:
Abertura – 19h
Espetáculo – 21h45
Sábados:
Abertura – 20h
Espetáculo – 22h30

Tel: 11 3361-3538
Site: www.terradagaroa.com.br

Por: Patrícia Visconti