Arquivo da tag: soul

[Caixa de Som] “Haynna & Os Verdes” traz a essência autoral e alternativa aos ouvidos brasileiros

maxresdefault

A banda é formada em Brasília, mas seus integrantes se dividem em a capital do Brasil e Piauí. Formada a cinco anos, “Haynna & Os Verdes” tem como proposta em propagar e difundir a cultura autoral pelo país, mostrando a essência do pop rock nacional, e de suas pluralidades sonoras e poéticas. Continuar lendo [Caixa de Som] “Haynna & Os Verdes” traz a essência autoral e alternativa aos ouvidos brasileiros

[Caixa de Som] MAKUTA: Vozes que sintonizam a emoção

makuta

Hoje em dia muitas bandas se formam, mas poucas tem um embasamento musical e fiel ao gênero e estilo musical, e principalmente uma harmonia ímpar que faz com que o ouvinte se identifique e conheça a real essência do grupo.

makuta 2Mas distinto disso, estão os estadunidenses de Nova Iorque da MAKUTA, que mescla a pop music, com rock, batidas eletrônicas, jazz, blues, clássico e gospel. Uma sintonia peculiar que somados as vozes aos instrumentos, segue um som único e original, eliminando qualquer comparação existente.

Formado pelos músicos Jane (Vocals, Violin, Piano, Viola), Aleata (Vocals, Bass, Harp, Piano), Rose (Vocals, Guitar, Violin, Piano) e Doug (Vocals, Piano, Cello, Guitar), foram descobertos e mostrado a público pelo músico e produtor Timbaland, que também é nova iorquino e apresenta novos talentos em sua produtora, ole-Bluestone, qual também agencia a MAKUTA.makuta 3

Em março de 2016, o grupo lançou seu novo single “Feelin’ Good”, em parceria com Leo Brixx, um rapper da Virginia que vive a música intensamente, compondo e produzindo cada canção, independendo do estilo ou gênero, mas fazendo por amor a sua criação. Essa faixa encontra-se disponível no iTunes e também, para SoundCloud oficial da banda.

A MAKUTA lançou seu primeiro EP em 2014, intitulado “The Kingbird Sessions”, com cinco faixas e traz uma mistura de sons e estilos conectando em perfeita harmonia a banda aos ouvintes, fazendo com que esse álbum seja tocado diariamente, mas transmitindo uma nova emoção a cada descoberta.

makuta 4

Uma banda que mostra a sintonia e harmonia em quatro vozes afinadíssimas em perfeita reciprocidade com a letra e a canção, sem importar com rótulos e distinção musical, mas fazer música de alma e coração, para compartilhar sua verdadeira origem ao mundo.

Assista abaixo a uma performance ao vivo da MAKUTA, no The Gutter, in Brooklyn, NY:

Para conhecer mais sobre a banda acesse:
Site | Facebook | Twitter | SoundCloud | Youtube | Instagram

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Vegga conquista pela originalidade e harmonia

230148_211684675520709_3576240_n

A banda Vegga é a própria autenticidade da música brasileira, genuína e autoral, os paulistas de Jaboticabal fazem um som com uma batida pop, rock, indie e soul. Com letras próprias e harmonia ímpar eles cativam os ouvintes desde o primeiro refrão.

185162_461955933826914_1902870209_nNo início de 2015, a Vegga lançou o EP independente intitulado “Oceano”, contendo seis faixas de composições próprias, que falam de cotidiano, relacionamento, prospecções de vida, amores e desamores, um deleite para os amantes da boa e velha música de qualidade.

Formada por amigos em janeiro de 2011, que tinha mais do que a amizade em comum, mas também o amor pela música. Antes de se juntarem, os integrantes tinham seus projetos distintos, mas de um ensaio informal eles perceberam que juntos a harmonia deles era excepcional, desde então, eles não pararam mais e engatilharam uma carreira sério e busca de seu lugar ao sol.

10629858_773494002673104_5967956934602608888_nO primeiro EP – “Correnteza” – foi lançado naquele mesmo ano que a Vegga foi formada, com quatro canções inéditas e próprias já conquistou alguns fãs pela cidade, região e também, pela Internet. Talvez, o bom recebimento ao grupo remete-se pela originalidade em compôr e dispôr a melodia em plena afinidade da voz com os instrumentos, com a bateria e as guitarras bem marcada e as letras simples, mas repletas de conteúdo e acepção.

Assista abaixo o Lyric Video de “Oxigênio”, pertencente ao EP “Oceano”:

Para conhecer mais sobre a Vegga, acesse os links abaixo:

Site | Facebook | SoundCloud | Twitter

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Beto Soul apresenta uma nova vertente a MPB

910_267032423446200_2122295670_n

Com sua voz potente e repleta de ritmo, o paulista de São Caetano do Sul, criado na zona leste de São Paulo, Beto Soul descobriu sua ânsia pela música ainda na infância, inspirado pelo avó materno, mas foi após sua irmã mais velha dar um violão à ele que as primeiras poesias e canções começaram a serem criadas.

Cantando seu cotidiano, suas letras podem ser alocadas na vida de qualquer habitante de uma metrópole caótica e apaixonante como São Paulo, dividindo ideias e repartindo sentimentos, mesmo não ditos da boca para fora, mas apenas vistos nos olhares de cada um.

10806261_432963823519725_5877905244125049169_nBeto já participou de diversos festivais e circuitos culturais, entre eles o festival “Ultra Som”, promovido pela extinta MTV, qual ele conquistou o primeiro lugar, e incluiu uma música na coletânea lançada pela emissora em parceria com a Abril Music, além de outra participação importante no Projeto “Rumos Musicais”, realizado pelo Itaú Cultural, reunindo canções de diversas parte do Brasil em diversas vertentes.

1888569_412848408864600_8600222899063933695_nSeu primeiro foi lançado em 2002, intitulado “Gema do Mundo”, sob a direção e produção musical de Julinho Teixeira, e Beto apresentava em seu repertório releituras de grandes nomes da MPB, entre eles Caetano, Gil, Djavan, Clube da Esquina, João Bosco e Marisa Monte, entre outros, na noite paulistana.

Cinco anos depois, em 2007 o segundo disco do artista, o “Mais Além” saía do forno, mais livre e maduro em suas criações, Beto faz um tour pelo pop, jazz, soul e MPB. Este projeto ele rompeu as fronteiras e atravessou o oceano para propagá-lo, indo à Espanha e Itália mostrar um pouco de seu trabalho autoral e qualitativo para a música mundial.

10450518_334974579985317_772229661597965345_n

Com uma carreira solidifica e ciente do que ele quer apresentar ao seu publico, Beto irá lançar seu terceiro álbum, mas dessa vez ele escolheu apenas uma versão eletrônica, já que o disco será apenas lançado em EP com apenas seis faixas, dentre essas quatro em parceria com o produtor musical Ricardo Parronchi.

Beto Soul traz uma nova faceta para a música popular brasileira, abordando assunto que falam de amor, medos, cotidiano, verdades e mentiras que martelam na cabeça de qualquer pessoa sobre o mundo em que vivemos, além de músicas dançantes e descompromissadas, para agregar até mesmo os ouvidos mais seletos musicalmente.

Assista abaixo o primeiro videoclipe “A cidade das esquinas pouco iluminadas”:

Para conhecer mais sobre o Beto Soul, acesse:
Site | Facebook | Instagram | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Os “Primos Distantes” mais próximos da música

9711_427384277352363_747866628_n

Eles não são primos, tampouco distantes, são apenas dois amigos que se conheceram há 13 anos atrás, quando tinham uma banda na época do colégio, e por intermédio dela as influências musicais os uniram, a partir dai a parceria foi crescendo e proliferando em forma de sons e ritmos.

Caio Costa e Juliano Costa se conheceram em 2001, e desde então 971016_455302237893900_1309347552_nsempre fazendo música e compartilhando suas ideias relacionadas no mundo musical, apesar do projeto da dupla se tornar oficial apenas em 2013 e o primeiro álbum – homônimo a banda – só em 2014 .

A banda que tem influências pop, rock, mpb, mas eles não se focam apenas nesses estilos, pois adoram mixar com outros gêneros, já que no próprio som dos garotos podemos ouvir uma sonoridade meio folk, indie e até soul. Mas, é basicamente essa a essência do grupo, não se rotular e deixar que o público defina seu estilo.

269200_420901814667276_444991967_nAlém do mais, Caio e Juliano compõem suas próprias canções, e conta com grandes músicos os acompanhando na instrumentalização e também nas parceria das composições, entre eles estão Thales Othón, Renato Medeiros, Victor Chaves e Rafael Castro, que também produziu e masterizou o primeiro compacto da dupla.

Um som autêntico e sagaz, com letras originais que remetem ao cotidiano, a sociedade, relacionamentos, a rotina de uma pessoa comum que apenas quer viver e ser feliz, mas da sua própria maneira, e não da forma que querem impôr à ela.

Assista abaixo um pouco do recado da dupla no videoclipe do single “Dragão”:

Para conhecer mais sobre a Primos Distantes acesse:
Site | Facebook | SoundCloud | Youtube

Para fazer o download gratuito o primeiro disco da Primos Distantes, acesse o site oficial da dupla e ouça um pouco mais os garotos.

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Quem disse que Bahia é só axé? Shalin e os Attemporais

shalin

Eles levam um balanço muito dançante, pulsante, com raízes soul, funk, pegadas rock, mais outros ritmos que bebem nas fontes africanas, como o ijexá, o samba, o jazz, o reggae e ainda transitam pela embolada, o maracatu, chula, ragga, dub, capoeira, enfim, a proposta é não se fixar em um só estilo, reproduzindo o caldeirão cultural que existe na Bahia – que tem muito mais do que o axé e o arrocha dos carnavais.
bloga_shaShalin Way, nascida em Salvador em 1977, é filha de Jacks Wu, cantor e compositor, parceiro da patota de Tim Maia e seus Velhos Camaradas (Hyldon, Cassiano, Fábio, entre outros), que a influenciou a seguir a linha soul music. É de Wu a música “Deus, a Natureza e a Música”, que dá nome ao segundo disco de Hyldon, de 1976. Shalin estudou canto erudito na Universidade Federal da Bahia e, em 1998, estreou como solista do coral Acbeu, sob a regência do maestro
Cícero Alves Filho.

Integrou como cantora, de 1995 a 1999, a banda Naum, que atuava no circuito alternativo de Salvador. Em 2005, cantou a faixa “Talismã”, de Alexandro Videro, no projeto Balaio Atemporal, pela gravadora carioca Guitarra Brasileira, dirigido por Renato Piau. O CD tem participações, além de seu pai, de Tim Maia, Luiz Melodia, Armandinho, Fábio, Léo Gatti e Fernanda Morais e um time de músicos e arranjadores da pesada.

bloga_tavisNo mesmo ano, com o instrumentista e diretor musical Tavis “Black” Magalhães, concebe a banda Attemporais (nome inspirado no CD do Balaio), com o qual se apresenta desde então. Já se apresentou em diversos espaços pela Bahia e outros estados. Segundo diz, o som da Attemporais tem “uma concepção bem brasileira, mas com uma linguagem universal com identidade e personalidade construída ao longo do tempo”.

Tavis Black começou a estudar violão clássico aos 13 anos na Federal da Bahia, onde aprimorou o conhecimento musical e instrumental em diversos cursos e workshops. Concluiu o curso técnico de música em 1998, mas, apesar da formação erudita, pendeu para a música popular, produzindo outros artistas no estúdio Tríade, de sua propriedade. Por ali passaram nomes como Léo Gandelman, Luiz Melodia, Nico Assumpção, Márcio Montarroyos, Arthur Maia, Peninha, Beto Guedes, entre outros, que forneceram a bagagem diversificada que hoje imprime nas músicas e produções do Attemporais.

sha_tav

Neste sábado (28), Shalin e os Attemporais estreiam novo show, o “Viagens Attemporais”, que será realizado na Livraria e Espaço Cultural Porto dos Livros, em Salvador. Além do pocket-show, o evento terá exposição do artista visual Edson Ferrer e o relançamento do livro “Quando o amor faz feliz”, de Cymar Gaivota. O show começa às 20h, com ingressos a R$ 15. O Porto dos Livros fica no Largo Porto da Barra, loja 2.

Neste vídeo, Shalin e os Attemporais cantam “Bahia com H”, de Hyldon e Jacks Wu, gravada por Hyldon em seu disco “Soul Brasileiro”, lançado em 2009:

Enquanto Shalin e os Attemporais não pintam por aqui, conheça o trabalho deles pelos seus canais no Youtube e no Soundcloud.

YouTube | SoundCloud | Facebook

Ouça aqui o disco “Balaio Atemporal”!

Por: Carlos Mercuri, do Blog por Bloga

[Caixa de Som] Heloisa Lucas: A voz rouca e uma atitude louca!

10953949_10205892495296967_4606488788313261494_n

Ela é negra, linda e tem uma voz incansável de se ouvir. Heloisa Lucas, sempre foi uma apaixonada por música, principalmente o pop, o jazz, o rock e o soul, tanto que suas grandes influências são grandes divas da cena musical internacional, como Whitney Houston, Etta James, Mariah Carey, Stevie Wonder, Gladys Knight, e também nacional entre eles Tim Maia e Elis Regina. Mas, esse anseio surgiu quando a cantora tinha apenas 13 anos, influenciada pela grande diva do pop, Mariah Carey.

543941_10202062194581843_1039849565_nUma artista independente que luta para conquistar seu lugar, num mercado tão acirrado e defasado, com músicas sem letras e melodias, a batida perfeita e a intonação adequada fazem a diferença na hora da apresentação, deixando qualquer padrão exigido pela indústria fonográfica descartado, quando o talento e carisma são ápice da arte. Porque como a Heloisa mesmo acredita: “Para quem tem personalidade, discernimento e humildade o sucesso não irá deixar influenciar”.

Atualmente a cantora segue se apresentando pelas noites e às vezes pelo dia na grande São Paulo, com suas duas bandas, qual ela faz vocal, sendo elas “Heloisa Lucas & Quarteto Groove” e a “Mesa do Rock”. Bandas que Helo conheceu através de amigos dos amigos que os apresentaram, enquanto a “Mesa do Rock” já conhecia os integrantes faziam um bom tempo pelas andanças na cena alternativa paulistana.1450243_10202639949065344_701931432_n

Heloisa canta com a alma e a perseverança de que seu público será atingido pela sua música, sua obra e sua arte, algo que ela preserva muito, e isso hoje em dia é raro encontrar em cantoras que não apenas visam a vaidade e o egocentrismo, como ela mesmo diz compartilhar música com peculiaridade e originalidade, pois esse é seu desejo como cantora e como artista.

“Meu plano é continuar cantando sempre. Sempre mais e mais. Propagar sempre a música boa e de qualidade”.

Confira uma apresentação da artista no espaço Armazém Cultural em São Paulo:

 

Para quem quiser assistir mais vídeos da cantora, acesse seu canal no Youtube, ou então acesse a página do Quarteto Groove no Facebook.

Por: Patrícia Visconti

[Cabine da Pipoca] Cássia Eller: Uma artista sem fronteiras!

9vtd5lr9jrdx3vos6e9ot28ae

Há 14 anos atrás falecia um dos ícones mais irreverentes da música popular brasileira, com voz rouca e seu jeito moleca de ser, Cássia Eller deixou mais que um legado na música, mas também para a sociedade.

Teve sua pré-estreia na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, com estreia nacional no dia 29 de janeiro de 2015. Dirigido por Paulo Henrique Fontenelle, o documentário que traz um pouco sobre a vida e a obra dessa grande artista, que apesar de ser tímida por trás dos palcos, tinha uma força gigantesca e inquieta em suas performances dentro dele.

20672487Cássia Eller foi um grande marco da MPB no final da década de 80 e nos anos 90, que teve sua carreira interrompida em 2001, aos 39 anos, após sua morte precoce decorrente de um infarto repentino no coração.

Um filme sobre a cantora, a mãe, a mulher que expôs sua vida pessoal e rompeu barreiras, deixando um belo legado social e artístico. Além de depoimentos de nomes de suma importância da música nacional, como Nando Reis, Oswaldo Montenegro, Zélia Duncan, entre outros, além da própria Cássia.

Confira abaixo o trailer oficial do documentário:

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] COSMOGUM: Harmonia e emoção completa um único som

300540_295815853776119_392877275_n

Batida rock, blues, soul, funk e letras que ditam sobre relacionamentos, emoção e amor, esse é a COSMOGUM. Banda paulistana formado pelos amigos, Eddu Ferreira, Luiz Junior e Sam Tiago Almeida.

Um som nada comercial quão ouvido nas rádios atualmente, e por isso nos chamou atenção, pela originalidade e essência musical do grupo em produzir música de verdade, sem se importar com fama ou grana. Fazendo música com emoção, e transmitindo essa sensação àqueles o que escutam.

O primeiro álbum da banda – divulgado apenas em EP – foi lançado no ano passado, e foi uma produção árdua durante todo o ano de 2012 no apartamento 603, que por coincidência leva o nome do disco pela veracidade dos acontecimentos. Um disco que sintoniza a verdadeira essência e harmonia da banda, tão harmonioso que soa perfeito aos ouvidos mais apurados, uma única sensação que impressiona pela audição.

Mas, sem mais delongas e vamos ao finalmente e apresentar que são de verdade a COSMOGUM. Confira abaixo o videoclipe do single ‘Regra de 3’, presente do álbum de estreia dos garotos:



Quer conhecer mais sobre a COSMOGUM, se liga nos endereços da banda abaixo:

Site | Youtube | Twitter | Facebook

1489099_740119986012368_472600285_n
Apresentação da banda no Puxadinho da Praça. – Foto de: Daniel Moura


E quem quiser ouvir e baixar o álbum dos garotos, pode ‘downloadar’ e escutar no site oficial da banda, o disco na íntegra e inteiramente gratuito para ouvir quando quiser.

Por: Patrícia Visconti