[Caixa de Som] Música e poesia se completam na Bienal de SP

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Como essa semana estamos em especial Bienal aqui em nossa embarcação, na nossa Caixa de Som não será diferente, e vamos adentrar ao mundo músico-literário por aqui também, e falar de uma área pouco visto desta 24ª edição da Bienal do Livro de São Paulo, que é a poesia.

Mistérios, fantasia e suspense, pode-se ver por várias editoras no decorrer da Bienal deste ano, mas poesia, pouco encontra-se, não sei se as pessoas estão perdendo o dom de sentir umas as outras, pelo toque sensível da poesia, ou os poetas estão ficando mais sérios e sombrios, atrás de suas publicações místicas e misteriosas, com vampiros e caminhos quem nem mesmo o próprio autor sabe para onde ir.

filipem.Porém, dentre esses mistérios encontramos uma editora que destina-se bastante para publicações poéticas, além de musicalizações de poesias, como do poeta, escritor e musicista, Filipe Moreau.

Filipe compõe desde seus 14 anos, já publicou diversos livros, como “História da Rainha”, “Gato” e “A flor lilás: poesia”. Formada em Letras e Arquitetura, nunca abandonou a música, mesclando sua composições e poemas juntos, como em seu repertório poético musical. Além de ser editor no grupo editorial Laranja Original.

Em um desses projetos apresentados na Bienal, o artista apresenta

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

seu projeto “+ Gigante Brasil”, um compacto que reúne diversos gêneros musicais, como jazz, baião, rock progressivo, samba, bossa nova e baladas, somadas a instrumentalização única e peculiar, e com letras que falam sobre a vida, a natureza e o amor, elementos tão ditos atualmente, mas pouco praticado em suma pelas pessoas.

Um disco que traz os pensamentos mais minuciosos de cada individuo, gravado em 2002, mas ainda em plano promocional, Moreau engaja em um novo projeto em parceria com a escritora Clara Baccarin, que lança nesta Bienal seu seu livro de poesias “Lavar a Alma”, qual o poeta irá musicar seus poemas e lançar um compacto musical dessas obras de Clara (na próxima semana, falaremos mais sobre esse livro, no Cantinho Literário).

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Uma mistura bastante comum, em mesclar música e poesia aos ouvidos mais aguçados culturalmente, que necessita de conteúdo e embasamento para inspirar suas vida e rotina, e não apenas refrões monossílabos ou letras sem sentido algum, com ritmos vulgares e pejorativos, como as que tocam nas rádios atualmente.

A essência da arte poética transmitida por artistas que expressam seus sentimentos para puros e profundos em suas poesias, independente para que publico seja, apenas pelo elevando seu conhecimento sublime as almas dos mais sensíveis e apaixonados.

filipemoreau+gigantebrasil

+ GIGANTE BRASIL

1. PRIMEIRO NAMORO
2. ÉPICA
3. À MARGEM DO PROCESSO
4. COQUINHOS PARA JOEL
5. WELCOME TO THE PLETZ
6. FLUIR
7. A-G
8. CONCRETA
9. VALSINHA
10. DORME E SONHA
11. ARJUNA
12. BASE EM D
13. SOB O SOL
14. A LATIN FOR LEILA
15. A HORA EXATA
16. NÓS
17. AP
18. DA FAMÍLIA INDÍGENA
19. BAIÓ – FLOR
20. PROSA PURA
21. PEDRAS
22. TARDE – VOAVOAGEM
23. ANDORINHA
24. MEMÓRIA
25. O RIO

Para saber mais sobre o trabalho de Filipe Moreau, acesse se site oficial, e lá você encontrará um pouco sobre suas obras e sua carreira, como escritor e músico. E para saber mais sobre o disco, é só entrar na página da Laranja Original e conhecer este e outros projetos da editora.

Por: Patrícia Visconti

Anúncios

Uma opinião sobre “[Caixa de Som] Música e poesia se completam na Bienal de SP”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s