Campus Party Brasil 2018 supera as expectativas e número de mulheres no evento

Neste semana tem Campus Party Brasil aqui no OBC, já que no último domingo, dia 4 de fevereiro, aconteceu o último dia da maior feira de cultura tecnológica da América Latina. Neste ano foi o ano dos gamers e das mulheres, pois tinham muitas garotas acampadas e muitas palestrantes e palestras redirecionadas à elas.

A 11ª edição da CPBR teve 12 mil campuseiros, sendo que 8 mil estavam acampados e mais de 130 mil passaram pela Open Campus nos quatro dias do evento, esse é o espaço gratuito do Campus Party.

O aumento das mulheres no evento foi gigantesco, elas  representaram 43% público, um número bem grande perto de 2015, que eram 27%, mas não foi só no número de vistantes, mas também aumentou as mulheres que foram palestrar no evento – “Dobramos o número de palestrantes mulheres e acreditamos que essa é uma tendência sem volta. Como organização, buscamos estimular esse crescimento da participação feminina no universo da tecnologia, trazendo referências que possam inspirar as novas gerações”, complementa Tonico Novaes.

Nos quatro dias a Campus Party teve um grande público e neste ano, a Open Campus teve um grande fluxo de reconhecimento, superando todas as expectativas dos organizadores do evento (e nós do OBC, já fazíamos várias coberturas lá da Open, sem nem entrar na arena…).

Além do mais, o espaço teve diversas palestras, com profissionais
da área e jornalistas, em que o público pode se interagir com os projetos e iniciativas na área de Educação, além de acompanhar uma exposição de projetos culturais ligados à área de tecnologia e robótica. O público também pode brincar com diversos simuladores no espaço Campus Future, sendo os destaques – Biomimetismo na neurociência, Bluetdah e Garatéa-E.

Na Open Campus neste ano, ao invés das tradicionais batalhas de rôbos, nesta edição, foi substituída pelos Drones, que são robôs aéreos, que animaram a galera e levaram o público ao delírio de tanta empolgação e euforia, por mais que as tradicionais batalhas de robôs, era bastante emocionante em que a galera ficava mais eufórica e torcia com todo fervor e empolgação para sua equipe favorita.

Neste ano também os Cosplays teve vez na Campus, pois além da Arena dedicada à eles, com direito a um camarim exclusivo e tudo, eles fizeram uma Parada Cosplay, em que o público pode ver de perto os cosplays e suas fantasias, uma mais incrível que a outra.

Nos palcos da Campus Party Brasil, passaram grandes nomes nesta edição como, Don Tapscott, o papa do Blockchain; o neurocientista Greg Gage e suas baratas cyborgs; Mitch Altman, hacker conhecido por ter inventado o TV-B-Gone, um chaveiro que desliga as TVs em locais públicos; Sharron McPherson, diretora fundadora do consórcio Women in Infrastructure Development & Energy (WINDE); Salvador Bayarri, físico e escritor de ficção científica; e o cartunista criador da Turma da Mônica, o mestre dos quadrinhos nacional Mauricio de Sousa.

A Arena de Startup & Makers, que tem o objetivo impulsionar e capacitar jovens talentos e empreendedores, contaram com 120 startups, tendo como destaque três agências na categoria early stage 3 Marias, Numenu e Easy Diarista, e as Aya Tech e Mod Box se destacaram na categoria growth stage, além de 40 projetos universitários e acadêmicos apresentados no espaço Campus Future, os destaques foram: Biomimetismo na neurociência, Bluetdah e Garatéa-E.

A CPBR 11 marcou também o lançamento do Include, programa idealizado pelo Instituto Campus Party cujo objetivo consiste em criar e montar 10 mil laboratórios de robótica para aproximar jovens (menores de 18 anos) moradores de comunidades carentes da tecnologia em todo o Brasil – “Há alguns anos estamos estudando uma solução para descobrir talentos tecnológicos nas comunidades carentes. Fizemos pesquisas e conhecemos uma série de projetos que tinham a tecnologia como alicerce, tanto no Brasil quanto em outros países, até chegar na formatação do Include”, explica Francesco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party.

O primeiro laboratório inaugurado em Canudo, na Bahia e até junho, Natal (RN), Brasília e municípios do norte de Minas Gerais devem receber dez laboratórios de robótica cada um, todos montados com equipamentos de ponta e a cidade de Pato Branco (PR), também será beneficiada com duas unidades e para este ano, a meta é superar a marca de 50 laboratórios em operação.

A Campus Party foi a visita de autoridades e dezenas de comitivas que vieram de várias partes do país prestigiar o evento, tendo destaque para a presença do secretário de Inovação e Tecnologia da cidade de São Paulo, Daniel Annenberg, e do Governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Farias, que receberá a próxima edição da Campus Party, entre 11 e 14 de abril.

Confira abaixo os principais números da Campus Party Brasil 2018:

– Total de campuseiros: 12.000, sendo 8.000 acampados
– Barracas: sendo 5 mil simples e 1.500 duplas
– Média de idade e sexo dos participantes:

Entre 18 e 29 anos – 60%
Mulheres – 43%
Homens – 57%

Por Priscila Visconti

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s