‘Inventing Anna’ – A minissérie da Netflix que está roubando corações

image host

Se entregar às séries sobre golpistas e manipuladores vem sendo cada vez mais tentador, e essa parece ser a nova aposta das grandes produtoras. Depois do sucesso da série sobre “O golpista do Tinder” que manipulava mulheres através do aplicativo de relacionamento, “Inventing Anna” é o mais novo lançamento da Netflix dentro desse tema.

A minissérie produzida por Shonda Rimes, baseado no artigo da New York MagazineHow Anna Delvey Tricked New York’s Party People“, de Jessica Pressler, e retrata a história real de Anna Delvey (nascida Anna Sorokin), que viu em um falso sotaque alemão e uma boa postura, a oportunidade de entrar na mais alta classe de Nova York. Fraudando bancos, hoteleiras, empresárias e até namorados apaixonados, Anna se passava por herdeira e convencia a todos com a vida luxuosa que fingia ter. O resultado? Um prejuízo de mais de 275 mil dólares.

image host

Em nove episódios, a história toda é contada pela jornalista Vivian Kent através de entrevistas com Anna já de dentro da prisão, que aos poucos vai voltando seus passos para mostrar como chegou até lá. A repórter vê na trajetória criminal da vigarista o potencial para um artigo interessante, e resolve investigar as entrelinhas dos golpes aplicados.

image host

O interessante, é realmente ver como a personagem manipuladora inicia a série com o sonho de ser influente no mundo da moda, e aos poucos percebe que o caminho para isso será a criminalidade. A solução parece coerente, quando ela pode simplesmente fazer tudo que sempre sonhou somente as custas de sua lábia.

image host

A série mostra também uma crítica na atitude da elite estadunidense de confiar sem muito esforço em quem aparenta ter poder, por isso, quando Anna assume a personalidade de uma socialite nova iorquina, e utiliza das redes sociais para expor o seu extravagante estilo de vida, é facilmente acolhida, e abre ainda mais portas para futuros golpes.

image host

O desenvolvimento do roteiro que faz com que os espectadores se afeiçoem a anti-heroína, é muito bem interpretado pela vencedora do Emmy Awards, Julia Garner, que passa constantemente a sensação de que fingir uma vida glamorosa é a única opção de sua personagem, assim, a série que teria potencial para ser um grande drama, passa a ser divertida e cativante.

por Carol Freitas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s