Todos os posts de Priscila Visconti

Sou uma jornalista, blogueira, produtora de eventos e produtora Cultural. Amo o que faço, pois faço o que amo da minha vida, que é escrever, ler e ver a as coisas de uma visão diferente dos demais seres humanos.

[Cabine da Pipoca] Celebrando os 50 anos da argentina mais famosa dos HQs

13169958

Como foi dissemos na segunda-feira, no Cantinho Literário [veja aqui], que teria mais Mafalda aqui no OBC, aqui estamos falando sobre seu filme que foi lançando no ano de 1982, baseado todo nas tirinhas do escritor argentino Quino.

Pois a festa dos seus 50 anos, ainda vai rolar até o fim deste ano, afinal são poucas animações que chegam a meia década, com a mesma carinha menina, só a Mafalda e a nossa Mônica, que estão com cinquentinha, mas continuam tão fofas como como quando eram crianças.

A personagem principal das tirinhas, Mafalda é uma menina de mais ou menos sete anos de idade, odeia sopa , adora os Beatles e os desenhos do Pica-Pau. Comporta como uma típica menina na sua idade, mas tem uma visão aguda da vida e vive questionando o mundo à sua volta.

Um filme divertido, no qual poderá desfrutar de suas aventuras mais desmiolada. Uma visão crítica do mundo dos adultos que nos fará passar por um momento engraçado.

Título Original: Mafalda – La Película
Ano de Lançamento: 1982
País: Argentina
Audio: Espanhol
Legenda: Português
Direitos reservados ao Canal 7 (TV Publica Argentina)

Assista abaixo o filme completo de Mafalda:

mafalda_foto

 

Por Priscila Visconti

[Cantinho Literário] 50 anos da pequena Mafalda

mafalda_50_aniversario

A garota mais famosa da Argentina, Mafalda completou este ano de 2014 meio século de vida, 50 anos, mas ainda continua com a mesma carinha de menininha, assim como a gorducha da Mônica, que também completou 50 anos este ano.

MAFALDA 50 AÑOS BAJAA personagem da Mafalda começou como uma tira escrita e desenhada pelo cartunista argentino Quino, que teve o nome inspirado pela novela Dar la cara, de David Viñas, e alguns outros, foi criada em 1962 para um cartoon de propaganda que deveria ser publicado no diário Clarín. No entanto, Clarín rompeu o contrato e a campanha foi cancelada. Mas Mafada só se tornou um cartoon de verdade sob a sugestão de Julián Delgado, na época o editor-chefe do hebdomadário Primera Plana e
amigo de Quino.

Mafalda começou a aparecer diariamente no Mundo de Buenos Aires, permitindo ao autor cobrir eventos correntes
mais detalhadamente. As personagens Manolito e Susanita foram criadas nas semanas seguintes, e a mamãe de Mafalda estava grávida quando o jornal faliu em 22 de Dezembro de 1967.

A publicação recomeçou seis meses mais tarde, em 2 de Junho de 1968, no hebdomadário Siete Días Illustrados. Como os quadrinhos tinham que ser entregues duas semanas antes da publicação, Quino era incapaz de comentar as notícias mais recentes. Ele decidiu acabar com a publicação das histórias em 25 de Junho de 1973.

MAFALDA - QUINO

A obra mais famosa de Quino é a tira cômica Mafalda, publicada entre os anos 1964 e 1973, editada em tiras nos jornais, Mafalda questionava todos os problemas políticos, de gênero, e até científicos que afligiam sua alma infantil e, ao mesmo tempo, refletia o conflito que as pessoas da época enfrentavam, sobretudo com a progressiva mudança dos costumes e a já incipiente introdução da tecnologia no cotidiano.

Por isso nós d’O Barquinho Cultural, queremos desejar um feliz aniversário a Mafalda e que ela continue mais 50, 60, 80 e 100 anos, animando, incentivando a leitura e também mobilizando a sociedade para tentar mudar o mundo, ficando livre de qualquer violência.

Felicidades Mafalda!!!

IMG-E97-Mafalda-Nina-50-Anos

PS: Ainda terá mais Mafalda por aqui no OBC.

Por Priscila Visconti

[Cabine da Pipoca] JUNHO – Os protestos que abalaram o Brasil

10345844_1415138718772910_5264868418111375097_n

Há um mês atrás acontecia um grande acontecimento na história do Brasil, onde as pessoas foram as ruas para manifestar sobre seus direitos e também comemorar a causa do movimento Passe Livre, que era pelos c$ 0,20 centavos da tarifa de ônibus, que havia sido revogado e o atual prefeito Fernando Haddad, acabou não aumentando o valores das passagens.

Baseado nisso, o jornalista João Wainer junto a Folha de São Paulo, produziu o documentário “JUNHO – O Mês Que Abalou o Brasil“, que teve sua estreia no último dia 5 de junho, no cinema e também no iTunes.

As imagens de JUNHO mostra as manifestações desde o momento passivo, quando os manifestantes sobem até a Avenida Paulista, até o quebra-pau, que ocorria após os protestos, entre as manifestantes e policiais, dando a Folha um prêmio Esso de Jornalismo, pela cobertura entre o mundo real e o digital.

JUNHO é uma construção histórica impressionante sobre a presença de mais de um milhão de pessoas nas ruas, os protestos deixaram de ser por “20 centavos” e se transformaram em uma revolta contra a corrupção, a falta de estrutura social e os gastos com a Copa do Mundo, propondo uma reflexão sobre as reais mudanças conseguidas pelo movimento e deixam a pergunta – “Amanhã vai ser maior?”.

O filme que conta com o apoio da distribuidora O2 Play e tem vários nomes que fizeram esta manifestação ganharem repercussão mundial, como Bruno Torturra, da imprensa alternativa Mídia Ninja, Mônica Bérgamo do MPL (Movimento Passe Livre), Demétrio Magnoli e entre outros.

Segue abaixo os locais que está passando o longa JUNHO:

1957873_1425297287757053_5815728354782887182_o

Assista abaixo o trailer de “JUNHO – O Mês Que Abalou o Brasil”:

Para mais informações acesse os endereços do filme abaixo:

Site | Facebook

PS: Só que nessas manifestações não haviam ‘burgueses’ mascarados que fazia dos protestos um campo de guerra, pois em todas que tiveram o ano passado, eram limpas e todos mostravam o rosto e não cobriam e destruíam o patrimônio sem motivo algum.

10348927_1394982354121880_3966515042177330073_o

 Por Priscila Visconti
(orgulhosa de ter feito parte desta história)

[Caixa de Som] A Voz da emoção!

1507611_222891704586358_1631826971_n

O pop rock é muito comum baladas com letras melosas e sentimentais, reunindo ambos os gêneros, com uma pegada mais forte nas guitarras e solos exclusivos de bateria.

Pensando por esse lado, os paulistanos da zona leste de São Paulo, da banda “Voz em Dó”, se encaixariam perfeitamente ao estilo, assim como qualquer outra banda, porém os garotos se destacam, pois além de falarem sobre amor e relacionamentos, eles apostam num encalce peculiar e próprio, pois além de produzirem e compôr suas canções, eles escrevem tocando diretamente para seu público, mesmo que involuntariamente. Uma banda que faz música com a alma, para almas e cabeças pensantes, que visam a música em primeiro plano, e não a fama, como muitos por aí.

“Voz em Dó” é mais do que um grupo de garotos que cantam, mas sim um conjunto de músicos que expressam arte e vivem isso 24 horas, mesmo tendo outras atividades paralelas, eles respiram e mantêm essa paixão e a chama sempre acesa, para que sua música seja propagada e compartilhada, tocando não apenas os mais próximos, mas a todos que apreciam a arte a musicar uma poesia.

Confira abaixo o novo single dos meninos, “Dezoito do Seis”:


Aguarde em breve a entrevista faremos com garotos do “Voz em Dó” aqui em nossa embarcação. Mas, enquanto não acontece isso, conheça mais sobre os meninos na página oficial [AQUI], atualizando diariamente pelos próprio integrantes da banda.

Por: Patrícia Visconti

[Cantinho Literário] Copa do Mundo de Literatura

15439459

Foi neste clima de copa do mundo que a editora britânica Penguin montou seleções literárias com alguns países que estão participando da Copa do Mundo de 2014, afinal a literatura em um estilo que tem tudo a ver com futebol, pois ambos transmite grandes emoções.

Na seleção canarinho, só tem craque, a editora convocou clássicos como Machado de Assis e Guimarães Rosa a contemporâneos como Paulo Coelho e Daniel Galera.

copa-do-mundo-literatura

Se liga a escalação brasileira e também no time de Portugal, que ao contrário do jogo estreia com Alemanha, só tem craque de bola, pois foram convocados os melhores jogadores para seleção portuguesas, por isso aguardem no próximo jogo da seleção dos Patrícios, porque eles prometem inovar nesta copa de literária.

brazil_team_share

portugal_team_share

 

Por Priscila Visconti
Tks: Flip – Festa Literária Internacional de Paraty

[Cabine da Pipoca] Málevola – A rainha má da Bela Adormecida

joliemalevola2

Tudo bem que este filme já faz um tempo desde sua estreia, mas como não falamos dele aqui na Cabine da Pipoca e também já estamos atrasados na pauta de cinema.

Por isso, este filme está aqui no OBC, pois ele foi líder de bilheteria em seu lançamento, ficando semanas no primeiro lugar em vendas de ingressos, este longa é o “Malévola”, que é uma adaptação doo clássico da Walt Disney Pictures, A Bela Adormecida de 1959, retrata a história a partir da perspectiva da antagonista, Malévola.

No elenco trás a musa de Hollywood Angelina Jolie, no papel da vilã Malévola, Elle Fanning, como a Princesa Aurora aos 16 anos, o jovem ator Brenton Thwaites como Príncipe Phillip e grande elenco para retratar o conto da Bela Adormecida, na versão da vilã da história.

O filme dirigido por Robert Stromberg e produzido pela Walt Disney Pictures, a partir de um roteiro escrito por Linda Woolverton, estreou nos cinemas brasileiros no final de maio, na sexta-feira dia 30, com pré-estreia na quinta, dia 29, nos formatos Disney Digital 3-D, RealD 3D, e IMAX 3D, bem como nas salas de cinema convencionais, com opiniões divididas entre os críticos de cinema.

O filme traz a história de uma das vilãs mais icônicas da Disney diretamente do clássico A Bela Adormecida. Malévola é uma jovem linda e de coração puro, nascida e criada em um reino pacífico na floresta, até o dia que um exército o invade e ameaça a harmonia do território, então ela surge como a feroz protetora do reino, mas acaba sofrendo uma impiedosa traição, um ato que dá início a transformação do seu coração puro em pedra.

Mergulhada em vingança, Malévola enfrenta uma épica batalha contra o sucessor do rei invasor e coloca uma maldição na sua filha recém-nascida, Aurora. Com o crescimento da garota, Malévola percebe que ela é a chave para a paz no reino e talvez até para a verdadeira felicidade da vilã.

page

Sinopse
Baseado no conto da Bela Adormecida, o filme conta a história de Malévola (Angelina Jolie), a protetora do reino dos Moors. Desde pequena, esta garota com chifres e asas mantém a paz entre dois reinos diferentes, até se apaixonar pelo garoto Stefan (Sharlto Copley).

Os dois iniciam um romance, mas Stefan tem a ambição de se tornar líder do reino vizinho, e abandona Malévola para conquistar seus planos. A garota torna-se uma mulher vingativa e amarga, que decide amaldiçoar a filha recém-nascida de Stefan, Aurora (Elle Fanning). Aos poucos, no entanto, Malévola começa a desenvolver sentimentos de amizade em relação à jovem e pura Aurora.

Trailer do filme em HD

 

Elenco 
Angelina Jolie como Malévola, a auto-proclamada “Senhora de Toda Maldade”
Ella Purnell e Isobelle Molloy como Jovem Malévola
Elle Fanning como Princesa Aurora / Briar Rose coma a Bela Adormecida6
Eleanor Worthington Cox e Vivienne Jolie-Pitt como a Jovem Princesa Aurora
Sharlto Copley como Rei Stefan
Toby Regbo e Michael Higgins como Jovem Stefan
Brenton Thwaites como Príncipe Phillip
Juno Temple como Thistlewit
Sam Riley como Diaval
Miranda Richardson como Rainha Ulla
Imelda Staunton como Knotgrass
Lesley Manville como Flittle
Kenneth Cranham como Rei Henry
Angus Wright como ajudante do Rei Henry
Hannah New como Rainha Leah
Peter Capaldi como Rei Kinloch

Por Priscila Visconti

[Caixa de Som] Música e futebol: Duas paixões mundial em uma única mostra

10343005_757931564251270_6213532591454021513_n

Como todos sabemos, futebol é uma paixão nacional, e com as proximidades da Copa do mundo que será sediado no Brasil neste ano, não podemos deixar de fora da nossa embarcação, afinal por aqui futebol e música são unanimidade por aqui.

Não é de hoje que a música caminha paralelamente com a bola, na década de 30 a pequena notável, Carmem Miranda, fez uma homenagem aos torcedores brasileiros que sonhavam em ir à copa na França em 1938, e a partir daí a música ganhou os estádios, motivando os jogadores, animando os torcedores e propagando a cultura de cada país.

vitrolaE para divulgar essa cultura que motiva multidões e conquista seleções, o Sesc Pompéia contará um pouco dessa história, desde o último dia 16 de maio até 13 de julho, na exposição “Música de Chuteiras”, ocupando a Rua Central, o Hall do Teatro e o Conjunto Esportivo. Idealizado pelo SESC, do jornalista Marcelo Duarte, com projeto cenográfico do arquiteto Álvaro Razuk, além do acervo de dois grandes colecionadores de música de o futebol no Brasil, o radialista gaúcho Beto Xavier, um especialista no tema. Em 2009, ele lançou o livro “Futebol no País da Música”, a mais completa obra do gênero no Brasil, e o colecionador Francisco Antônio Neto, piauiense de Campo Maior e radicado em Curitiba, encantou-se com a ideia de começar uma coleção temática. Francisco participa de feiras de discos de vinil e é figura conhecida nos sebos de várias capitais. E ainda tem uma rede de colaboradores espalhados pelo mundo que procuram discos para ele.

A mostra apresenta mesas interativas e cabines interativas, depoimentos de compositores e intérpretes, na hora de compôr suas canções, além de apreciar as letras e histórias, dentre conferir gols marcantes de Copas do Mundo conquistados pela seleção brasileira.

Itapema-Futebol-no-País-da-Música2Ademais a exposição apresenta os hinos de 32 países participantes, e também os hinos oficiais da FIFA, desde o início destas escolhas em 1962, com o grupo Los Ramblers que apresentou “El Rock Del Mundial” na terceira edição do tradicional Festival Internacional da Canção de Viña Del Mar, realizado no Chile, país que sediaria a Copa do Mundo daquele ano. Os roqueiros aproveitaram a euforia do público com o Mundial para produzir uma canção temática, embaçando assim o mundial naquele ano. Assim, surgindo uma tradição, escolhendo uma canção oficial a cada Copa do Mundo.

E por falar em tradições, umas dessas canções “hino da Copa”, a música “Waka Waka”, da cantora colombiana Shakira é considerada a música oficial de maior sucesso até os tempos atuais, e na exposição o visitante irá descobrir que ela é uma adaptação de “Tsamina” ou “Zangaéwa” e virou hit internacional do grupo camaronês Gold Songs, ainda em 1986. Dentre outras curiosidades do mundo da música, no mundo da bola.



Uma mostra que agregará fãs não apenas de futebol, mas principalmente dos admiradores de música e de história, pois essa será uma grande narrativa de ambas tradições e paixões mundial.

SERVIÇO:

Sesc Pompeia apresenta a exposição “Música de Chuteiras”,
na Rua Central, no Hall do Teatro e no Conjunto Esportivo

Data: De 16 de maio a 13 de julho 2014
Horários: terça a sábado, das 11h às 21h, domingos e feriados, das 10h às 20h
Classificação indicativa: Livre
Local: SESC Pompeia
End: Rua Clélia, 93
Telefone para info: (11) 3871-7700

E já que estamos falando de música, um MC que anda fazendo sucesso com um música em homenagem ao mundial no Brasil, mas que não entrou como música oficial da Fifa, com quase 30 mil visualizações no youtube, o MC Guimê, traz irreverência e efervescência nova para comemorar a Copa do Mundo, com um dos jogadores mais bem pagos atualmente no Brasil, Neymar Jr e do rapper Emicida.

O videoclipe da canção “País do Futebol” é uma realização em parceria com o longa-metragem, “Pelada, futebol na favela” e foi dirigido por, Fred Ouro Preto. Confira abaixo:


Por: Patrícia Visconti

[Cantinho Literário] Vai com Deus poeta!

393435_116466061804703_2022581466_n

Esta semana aqui no Cantinho Literário, será uma singela homenagem ao grande escritor, poeta e cordelista Manoel Monteiro da Silva ou simplesmente Manoel Monteiro, como assina seus trabalhos, nasceu em Bezerro, Pernambuco, no dia 4 de Fevereiro de 1937.

Nos deixou nesse final de semana, depois de ficar quase uma semana perdido de sua família. O Pernambucano de 75 anos, é um dos maiores cordelistas do Brasil, com uma extensa produção diversificada, abarcando toda a área da atividade humana, com suas métricas e rimas envolvendo suas narrativas e prendendo o leitor do inicio ao fim de seus textos.

A obra de Manoel Monteiro já está sendo aplicada na educação de Campina Grande/PB com um novo contexto, o de passar conhecimento sobre questões atuais, de forma atrativa e acessível a qualquer faixa etária, grau de escolaridade e nível social.

A literatura de cordel, ainda é bastante rica nas regiões do norte e nordeste e as obras do seu Manoel, é uma das mais utilizadas nas escolas, para ensinar os jovens de hoje, a conhecerem as métricas simples e rápidas de um cordel, para que essa literatura não se acaba assim do nada, por isso ele foi responsável pela implantação de folhetos de cordel nas salas de aula de Campina de Grande.

Todavia, Campina Grande decretou luto de três dias, em homenagem ao escritor, já que ele foi um dos grandes cordelistas em atividade dos últimos anos, deixando diversas obras, para ser estudada e ensinada nas escolas literárias, pois o poeta se foi, mas sua obra será eternizada para sempre.

Assista abaixo a matéria sobre o documentário “Manoel Monteiro – em vídeo, verso e prosa” realizado em parceria com a TV Cultura para o Programa DocTV, em 2007, no o estado da Paraíba.



Cordel composto para o lançamento do DVD do SÃO JOÃO CULTURAL que se realizará nos 13, 14 e 15 de Junho, deste ano de 2014:

1897740_498610960247720_640802125_n

…Folclore: Lembrança antiga
Da cultura popular
Qualquer folguedo que tenha
essa herança secular
Deve ser bem preservado
Para não ser apagado
Quando o futuro chegar.

Por isso em 2013
LULA CABRAL despertou
E a palavra – CULTURAL
Ao festejo acrescentou
Pois festa dessa estrutura
O que mais tem é cultura,
Disso, ninguém se lembrou…

Para conhecer mais da obra do autor, acesse a rede social do poeta:

Facebook

Vai com Deus seu Manoel Monteiro!!!

10314478_1431128753825358_5222508645110042710_n

Por Priscila Visconti

[Cabine da Pipoca] “A Culpa é das Estrelas” estreia nos cinemas

ACulpa_DasEstrelas_Filmes

Nesta semana, na quinta-feira (5), estreou o filme mais esperado por todos os leitores, pois lançou no cinema “A Culpa é das Estrelas”, baseado no livro do autor norte-americano John Green.

A história é narrada por uma paciente com câncer de 16 anos de idade, chamada Hazel Grace, que é forçada por seus pais a participar de um grupo de apoio, onde posteriormente se encontra e se apaixona por Augustus Waters, de 17 anos, ex-basquetebolista amputado.

O filme que tem Shailene Woodley e Ansel Elgort, interpretando Hazel e Gus, é baseado na história real de dois adolescentes que se conhecem em um grupo de apoio a paciente com câncer, então eles se conhecem e acaba embarcando em uma linda história de amor, entre duas pessoas diferentes, mas ao mesmo tempo tão parecidas.

Data de Lançamento
5 de junho de 2014

Gênero
Romance

Estúdio
20th Century Fox

Estrelando
Shailene Woodley
Ansel Elgort
Willem Dafoe
Nat Wolff
Laura Dern
Sam Trammell
Mike Birbiglia
Emily Peachey

Realizado por
Josh Boone

Escrito Por
John Green

Roteiro por
Scott Neustadter, baseado no livro de John Green

Produzido por
Marty Bowen
Wyck Godfrey

Sinopse:
Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico.

Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Trailer legendado de “A Culpa é das Estrelas”:

Mais informações:
Site | Facebook

RTEmagicC_fe3d412cb6.jpg

Por Priscila Visconti