Arquivo da tag: profissão

[Fotografia] Tina Gomes: Transforma emoções em cliques!

1233609_214092992085055_1911853187_n

Todos nós temos sonhos e anseios em fazer o que amamos, e se estivermos ganhando dinheiro com isso, é melhor ainda, afinal, como já dizia o dito popular, “trabalhe com o que gosta e nunca precisará trabalhar”.

E é isso que a moradora da Cidade Tiradentes, zona leste paulistana, Tina Gomes, ou melhor, a Tininha, que tem 39 anos pretende para sua vida.

Ela, que está desempregada atualmente, sempre sonhou em ter a fotografia como profissão, porém infelizmente nunca teve condições para poder manter e se sustentar apenas disso. Mas, quem persevera sempre alcança, Tininha continua clicando e compartilhando suas imagens pela web, e em galerias virtuais.

Uma artista que transborda sua essência e realidade, em seus cliques, transmitindo seus sentimentos às lentes da câmera. Um extraordinário talento invisível da fotografia que mostra de forma incrivelmente original e impactante as profundezas da alma.

Imagens extremamente únicas, capturadas em momentos oportunos que conduz o observador a uma reflexão direta e objetiva, sobre mundos distintos e infavoráveis à um mundo que apenas mostra o belo e o fake da sociedade, um olhar empírico do qual emiti a essência da artista da obra.

Para divulgar e demostrar apreço a astúcia desta artista que só quer apresentar sua obra, seu olhar e natureza ao mundo, basta apoiar este projeto de Tina em apoio do Catraca Livre, visando tirar a invisibilidade dos grandes obreiros da arte.

Conheça mais sobre o projeto [veja aqui] e contribua com uma renovação artística nacional, afinal há muita gente boa nas margens da sociedade, enquanto os medíocres bajulam, para roubar o espaço dos autênticos.

Confira abaixo algumas imagens de Tina Gomes:

1377200_218309254996762_1782909868_n

10259855_293897887437898_4394707923588835566_n

10639633_348231018671251_4893826159759890893_n

12429_163289553832066_81960722_n

426602_178084442352577_1084681511_nPor: Patrícia Visconti

[Cabine da Pipoca] O drama entre a Família x a Profissão

aebd09cf4cad1d7f1600c529db2d932c37028350

Você largaria sua família, para viver 24 horas sua profissão?

A Rebecca, do filme “Mil Vezes Boa Noite”, abandonou seu marido e sua filha para vivenciar todo o tempo seu trabalho. Ela é uma fotografa renomada de guerra em atividade, e seu marido a deu um ultimato, fazendo-a escolher entre sua família e sua profissão. Apesar de amar sua família, ela tem uma verdadeira adoração pela fotografia.

Os primeiros quinze minutos deste drama são espetaculares: a fotógrafa Rebecca (Juliette Binoche) começa a acompanhar um estranho ritual de mulheres em um país africano. Após a simulação de um funeral, elas cuidam de uma integrante em particular, lentamente prendendo dezenas de bombas ao seu corpo.

Em poucos minutos, o público descobre junto da protagonista que esta é a preparação de um ato terrorista. Rebecca segue os atos até a inevitável explosão, incrivelmente bem filmada. Ferida e sangrando, ela ainda se aproxima dos corpos para tirar novas fotos. Assista abaixo o trailer de “Mil Vezes Boa Noite”:

Assista abaixo o trailer de “Mil Vezes Boa Noite”:

 

SINOPSE
Rebecca (Juliette Binoche) é uma das melhores fotógrafas de guerra em atividade e precisa enfrentar um turbilhão de emoções quando seu marido (Nikolaj Coster-Waldau) lhe dá um ultimato. Ele e a filha do casal não suportam mais sua rotina arriscada e exigem mudanças, mas ela, apesar de amar a família, tem verdadeira adoração pela profissão.

20140924-poster-mil-vezes-boa-noiteMil Vezes Boa Noite (Tusen Ganger God Natt) Gênero: Drama Classificação Etária: 14 anos

Direção: Erik Poppe
Elenco: Juliette Binoche, Nikolaj Coster – Waldau, Chloë Annett
Países: Noruega, Irlanda e Suécia. (2013)
Tempo: 118 minutos

 

 

Veja abaixo 3 boas razões para assistir!
– Vencedor do grande prêmio especial do júri do 37° Festival Internacional de Cinema de Montreal.
– Teve sua primeira aparição no Brasil no Festival do Rio deste ano.
– Com uma das grandes atrizes do cinema francês contemporâneo, Juliette Binoche.

Por Priscila Visconti