Filmes para os apaixonados pelo “quarto poder”

6yz93abw1dn9o4k1frhkm865g.jpg

De Super Homem a Carie Bradshaw as produções do cinema e TV estão repletas de personagens jornalistas icônicos.

As obras que falam especificamente do universo jornalístico usam as mais variadas abordagens para retratar histórias e reportagens da vida real ou até mês o dia-a-dia e os dilemas do famoso “quarto poder”.

Por isso, para aqueles que se interessam pelo tema vale a pena relembrar alguns títulos que retratam com muita competência e até mesmo por um viés humorístico uma das profissões mais essenciais para a sociedade moderna.

Confira a seguir, a lista do Barquinho Cultural de filmes sobre jornalismo:

The Post – A Guerra Secreta (2017)

377b6536f34662ca7fc923f834202d33.jpg

Em The Post temos uma história baseada em fatos reais que coloca em foco as dificuldades de ser um jornalista em tempos que existe muitas restrições do que pode ser publicado ou não.

Com o intuito de dar um ânimo financeiro para o seu jornal o The Washington Post, Kay Graham (Meryl Streep), tem planos quase finalizados de lançar suas ações na Bolsa de Valores.

Entretanto, em paralelo a esse processo surge uma grande oportunidade de divulgar documentos sigilosos que evidenciam uma mentira criada pelo governo sobre a real atuação dos EUA na Guerra do Vietnã.

A partir daí, o editor chefe do jornal, Ben Bradlee (Tom Hanks), tem o objetivo de convencer Kat e todos os responsáveis pelo The Post de que essas informações devem virar notícia sejam quais forem as consequências.

Spotlight – Segredos Revelados (2015)

Cena-de-SPOTLIGHT-SEGREDOS-REVELADOS-Spotlight-2015-de-Tom-McCarthy.jpg

Vencedor do Oscar e também baseado em acontecimentos reais, o longa-metragem Spotlight- Segredos Revelados mostra como aconteceu a investigação dos jornalistas do The Boston Globe nos casos de pedofilia
ligados aos membros da igreja católica de Boston.

O filme expõe de maneira realista os esforços necessários para se concluir uma investigação jornalística polêmica que muitas vezes por vários motivos pode ser deixada de lado pelos veículos de comunicação.

Diário de um jornalista bêbado (2012)

the-rum-diary_2011_bruce-robinson-and-johnny-depp.jpg

Farto de sua vida e trabalho em Nova York, o jornalista Paul Kemp (Johnny Depp) embarca em uma nova aventura trabalhando para um jornal local em Porto Rico.

Em meio suas experiências regadas a muita bebida e drogas, Paul conhece um empresário que tem planos de explorar todo o potencial capitalista de Porto Rico. Sabendo de todas as ilegalidades dos objetivos de Sanderson, o jornalista se vê em uma encruzilhada e precisa decidir entre se aliar ao empresário mau caráter ou expor a verdade.

A discussão proposta pelo filme que pode ser considerado uma comédia mediana pauta exatamente a questão da ética e quais são os verdadeiros deveres de um jornalista.

Uma manhã gloriosa (2010)

20190220-morning-glory-cast.jpg

Com ar mais leve e cômico, Uma manhã gloriosa fala sobre a fusão do entretenimento e informação, proposta bem comum em programas matinais.

Becky Fuller (Rachel McAdams) é uma produtora que enfrenta o grande desafio de reestruturar um programa televisivo matinal desastroso e de baixa audiência.

Porém a missão da personagem torna-se ainda mais complicada quando ela precisa trabalhar com um jornalista conceituado da emissora que não acredita na junção do entretenimento com o jornalismo sério.

Apesar de ter um enredo simples e clichê, o filme da uma boa visão de um dos dilemas do mundo jornalístico, afinal entretenimento pode ser considerado jornalismo?

O Quarto Poder (1997)

jor-o-quarto-poder.jpg

A trama é baseado na rotina de um repórter de TV (Dustin Hoffman) que está em baixa com suas pautas e matérias transmitidas, apesar de no passado ter sido um profissional de respeito de uma grande emissora.

Desde então, fazendo pautas atemporais e sem nenhuma relevância no museu de história nacional, ele testemunha um ocorrido que pode mudar sua vida, quando o segurança do museu (John Travolta) e volta ao seu local de trabalho no dia em que o repórter estava presente, e causa uma afronta, em que dispara acidentalmente numa colega de trabalho.

O repórter sempre ligado dos acontecimentos vê uma grande oportunidade em voltar a ter evidência nas grandes mídias, fazendo-o com que o ex-segurança lhe dê uma matéria exclusiva à ele, cambiando emoções e comoções da opinião pública, relatando sua lastimável história.

Porém, o que ninguém esperava era a manipulação dos fatos, para dobrar e evidenciar a audiência em primeiro plano, deixando a verdade omitida e escandalizando a informação, mostrando quão o poder da mídia em manipular os fatos podem transformar cidadãos comuns em heróis ou vilões da sociedade.

Por Gabriela Garcia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s