Arquivo da tag: profissional

Dijjo Lima mostra que estudos e trabalho árduo fazem o sucesso

dijjo_color_superman_ink_sample_jonas_trindade_pg001_pencil_by_jose_luis
Diego Lima, ou mais conhecido como Dijjo, é cearense, aquariano e designer por formação. Antes de adentrar ao mundo editoriais dos quadrinhos já trabalhou como designer gráfico, cinegrafista, fotografo e até instrutor de Muay Thai. Porém, sua paixão pela nona arte era insípida, já que desde a infância ele acompanhava e lia,  na Wizard – publicação americana da editora Wizard Press (atual Wizard Entertainment Group), que se tornou uma das principais referências para quem trabalha no mercado – e a partir daí buscava inspiração em diversos artistas que trabalhavam na publicação, como Jim Lee e Rob Liefield, desempenhando ainda mais o anseio em desenhar, que no futuro se transformou em colorir. Continuar lendo Dijjo Lima mostra que estudos e trabalho árduo fazem o sucesso

[Total Flex] Natália Marques – A colorista que sonha em pintar Gotham City

Lápis de RB Silva
Arte final de Adriano Di Benedetto
Cores de Natália Marques

Ela começou desenhar ainda na infância, mas foi na adolescência que descobriu seu verdadeiro dom, que é colorir, para seguir seus próprios traços e cores. Continuar lendo [Total Flex] Natália Marques – A colorista que sonha em pintar Gotham City

[Total Flex] Irmãos fazem de um gosto pessoal, uma forma de empreender e propagar a cultura geek no país

Ser geek está tão em alta hoje em dia, que em qualquer lugar que você vá, encontra alguém com uma camiseta de heróis, filmes, personagens de cartoons, etc. Uma difusão plena da cultura pop, que está contagiando o público brasileiro e enraizando ainda mais, esse nicho cultural por aqui. Continuar lendo [Total Flex] Irmãos fazem de um gosto pessoal, uma forma de empreender e propagar a cultura geek no país

[Cyber Cult] TI: Do backstage a personagem principal

dia_profissional_ti_2014

Nesta semana os profissionais da Tecnologia de Informação comemorou seu dia – 19 de Outubro -,todavia não assim como em outras áreas eles pouco têm o que comemorar, já que além de não terem um conselho ou um sindicato, seus trabalhos são pagos dependendo de seus trabalhos ofertados às empresas, e cá entre nós, eles são uns anjos da guarda quando a Internet caí ou o laptop trava meio no meio da produção de um projeto.

Eles estão no backstage das empresas, bancos, hospitais, entre outros serviços, hoje em dia um profissional primordial com o avanço que a tecnologia caminha, e para explicar melhor sobre como um técnico da informação trabalha, nossa redação bateu um papo com a analista de sistema, Liceana Rodrigues, 28, formada no Centro Universitário Luterano de Manaus em 2009, e atualmente mestranda em Gestão de Tecnologia da Informação na Universidade do Estado de Manaus.

Confira abaixo a entrevista:

O Barquinho Cultural: Por quê você escolheu a área de TI? E qual a sua formação acadêmica?

10440168_308226609350390_4102801431967551752_nLiceana Rodrigues – Escolhi TI por influência dos meus amigos, que eram nerds/geeks como eu, e eles me indicaram “Sistemas de Informação” como a área do conhecimento que desenvolve software e projetos de tecnologia. Eu não tinha a menor ideia de onde isso me levar, na época. Foi meu tiro no escuro mais certeiro, até agora.

OBC: Com o mercado em alta, em relação a outras profissões, como está a concorrência em TI? Por quê?

LR ​- ​Não tenho certeza quanto ao resto do país, mas estamos em crise em Manaus. Muitas empresas fechando e amigos mudando de profissão. Eu​ não pretendo mudar de á​rea, sou apaixonada por aquilo que faço. E tenho em mente me manter no mercado e procurar oportunidades no segmento que eu escolhi, dentro de TI.

trampo_lillyOBC: Explique um pouco sobre essa área,e quais os benefícios e malefícios da profissão?

LR ​- Com o advento da internet, informação disponível ao alcance de todos, os profissionais de TI precisaram se reinventar. Afinal, existem muitos vídeos ensinado como se formata um computador (risos). O profissional de TI hoje, é a pessoa que busca inovar. Criar novas tecnologias, novos processos, novas facilidades e meios de diminuir a distancia entre a tecnologia e as pessoas. Seja com aplicativos de celular, uma funcionalidade nova em um site de um banco, um dispositivo novo a ser usado em hospitais, por exemplo. Ainda existe muito o que desbravar, e muito a entregar para a sociedade.

A grande ​desvantagem é o não reconhecimento dessa realidade: os profissionais da tecnologia da informação não são as pessoas que só vão consertar o seu computador. Existe muito mais por trás de cada um. Um perito em processamento digital de imagens, um gerente de projeto, um criador de aplicativos que inova todos os dias… E por aí vai.lice_trampo

A grande vantagem é ver o mundo à frente das outras pessoas. Eu consigo ver hoje, na universidade que eu sou mestranda, e na fábrica que trabalho, tecnologias que só vão estar disponíveis no mercado, para o usuário final, daqui uns quatro anos. Isso é muito incrível.

OBC: O que você visa no futuro para a área de TI? Por quê?

LR ​-​ Futuro… O futuro é muito incerto. Pessoalmente, eu quero muito voltar a ser só pesquisadora. Trabalhar com pesquisa e desenvolvimento, porque é ali que nascem as grandes inovações, você tem mais liberdade criativa. Quero estar a um passo do resto das pessoas. Acho que é isso que move todas as pessoas, buscar novos desafios.lilly_trampo

Apesar da área de TI ser uma carreira tão nova, mas já sofre com a crise de mercado, pela evolução que a informação e pela escassez de profissionais qualificados na área, além da falta de incentivo que o país dá aos trabalhos científicos desenvolvidos para os especialistas desta área, por isso muitos optam em trabalhar nas empresas multinacionais e realizar os projetos e trabalhos no exterior, pela burocracia exigida no país e a falta de incentivo dos nossos governantes.

Por: Patrícia Visconti