[Cabine da Pipoca] “Rei Arthur: A Lenda da Espada” – Aventuras épicas, mas sem perder o clássico da história

O que falar sobre “Rei Arthur: A lenda da Espada”, que é um filme dinâmico, explicativo e distinto ao clássico medieval inglês da espada de Excalibur, com vários flashback, mas de forma desenvolta, com questionamentos e cenas rápidas e francas, ao descrever a cena.

Talvez seja por causa da forma em que Guy Ritchie, diretor do filme o conduz a épica aventura de ação e fantasia, desfazendo a tomada do clássico da espada, mostrando a jornada de Arthur até a definitiva chegada a Excalibur, desde sua infância nas ruas e becos de Londonium até o trono. Trazendo sua lutas, batalhas, decisões a tomar, enfrentar seus demônios, aprender a dominar seu poder, e por fim, unir seu povo e derrotar o tirano Vortigen, que destruiu toda sua família e o afastou de seu destino.

Charlie Hunnam mais carismático do que nunca, dando vida ao Arthur do gueto britânico, truculento, mulherengo, porém justo, mas depois mostrou quem a essência de um verdadeiro rei, e se mostrou um guerreiro, levantando o ânimo nos cinema. Jude Law vive o grande vilão do longa, o obscuro e ambicioso Vortirgen, rei regente e tio do herói, o antagonista conflituoso fica longe da caricatura e bidimensionalidade. Astrid Bergès-Frisbey é uma digna substituta para o Mago Merlin, na pele de sua sofrida aprendiz.

Essa história do Rei Arthur: A Lenda da Espada resgata um tradicionalismo no estilo da fantasia, pois existem magia, criaturas e todo o tipo de elemento sobrenatural, afastando qualquer hipótese de um épico medieval sério, porém o diretor Guy Ritcher, trouxe elementos, com o que muito voga os jovens a lotarem salas de cinema, que foi misturar elementos com o cinema de super-heróis.

O diretor realiza uma eficiente simbiose, explorando bem sua narrativa e dando ênfase para sua história acima da estética. Rei Arthur: A Lenda da Espada surpreendeu à todos, pois prendeu atenção com um roteiro bem amarrado e cenas ágeis e grandiosas de ação, foi um longo eficiente, com uma pérola escondida, dando uma deixa para uma possibilidade de continuações para contar histórias de personagens não abordadas neste filme, como a do mago Merlin e do cavaleiro Lancelot.

O filme rendeu imagens belíssimas, com ótimas tomadas e fotografia, além de um design de produção tipicamente inspirados, que não faz feio em comparação a outras obras do gênero. O figurino é brilhante, pois ao conferir um aspecto quase anacrônico das vestes de Arthur, sempre com sua camisa “tipicamente medieval” aberta, fazendo o protagonista em um herói variante de jaquete de couro, bem típico das produções do diretor Ritcher, mas todos os aspectos são bem práticos e impressionantes.

Rei Arthur: A Lenda da Espada
(King Arthur: Legend of the Sword)
EUA/ Reino Unido, 2017
Direção: Guy Ritchie
Roteiro: Guy Ritchie, Joby Harold, Lionel Wigram
Elenco: Charlie Hunnam, Jude Law, Eric Bana, Djimon Hounsou, Astrid Berges-Frisbey, Aidan Gillen, Tom Wu, Freddie Fox, Annabelle Wallis
Duração: 126 min

Por Priscila Visconti

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s