[Cantinho Literário] O Espetacular Homem-Aranha de Volta ao Lar e sua trajetória nos quadrinhos

Salve salve tripulação, nesta semana tem Homem-Aranha nos cinemas, e para dar um gás nesta estreia, que já promete arrasar, todo dia aqui no site, durante esta semana terá um post do Cabeça de Teia, por isso não deixa de conferir, pois selecionamos coisas incríveis do Spider-Man, e claro que na quinta-feira, terá a crítica exclusiva d’OBC, afinal dia 6 de julho é o grande dia para os fãs e admiradores desse herói que agrada à todos, pois você pode gostar de qualquer super-herói, mas quando chega no Homem-Aranha, é unânime a preferência, pois todo mundo gosta daquele moleque nova iorquino.

Nesta segunda, é literatura, então vamos falar da edição que a Salvat lançou em 2013, que reúne as edições 30-35 de The Amazing Spider-Man (volume 2), que tem o roteiro de J. Michael Straczynski, arte do John Romita Jr., Scott Hanna fez arte final, as cores são do Dan Kemp e Avalon Studios, com edição de Axel Alonso e Joe Quesada.

Na história Peter decide deixar de ser Homem-Aranha, para ter uma vida normal com sua esposa Mary Jane, mas no desenrolar da trama, ele é forçado a pegar suas teias e se tornar o Aranha novamente, e nesta decisão, seu casamento acaba entrando em crise, e para piorar as coisas, um estranho misterioso começa a espreitar
sua esposa Mary Jane.

O herói vai procurar sua esposa por toda a parte, chegando a viajar até a Latvéria, mas quando ele a encontra seu casamento passa por uma crise, e a Mary Jane acaba o deixando, pois uma provocação dura demais, vai abalar o relacionamento do casal.

O Homem-Aranha foi criado na década de 60, em 1962 para ser mais exata, pelo roteirista e mestre Stan Lee, que depois do sucesso com o Quarteto Fantástico e Hulk, o roteirista buscava por no super-herói, então enquanto ponderava sobre o complicado problema em sua cadeira, Lee percebeu uma mosca andando na parede, então imediatamente percebeu que aquela era a resposta, em criar um sujeito que pudesse andar pelas paredes como um inseto.

Então Stan Lee fugiu de seus personagens adultos e criou um adolescente com o nome de Peter Paker, afinal Spider-Man foi o primeiro herói adolescente e que não era ajudante, isso já quebrou todas as tradições do roteirista. Stan procurou ajuda de Jack Kirby, mas decidiu voltar atrás, pois o estilo de Kirby de super-heróis musculosos não cairia muito bem, então foi atrás de Steve Ditko, que além de criar a roupa, ele também teve a ideia de dar ao herói os lança-teias, no qual são sua marca registrada.

O personagem se mostrou um sucesso instantâneo, especialmente com o público adolescente da Marvel, e não demorou muito para que o Aranha ganhasse sua própria história, que atualmente há vários títulos do Spider-Man, sendo que o principal, The Amazing Spider-Man, é o mais longevo com mais de 700 edições publicadas em toda a parte do planeta.

Você Sabia?
O Aranha passou muito perto de jamais deixar a prancheta de desenho. O editor-chefe da editora, Martin Goodman, não queria usar o personagem por achar que o medo das pessoas em relação às aranhas poderia afastá-las da revista, além de duvidar que alguém realmente fosse querer ler um gibi sobre um adolescente.

Por Priscila Visconti

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s