“Liga das Mulheres Cientistas” – Uma obra precisa e encorajadora, que aproxima a sociedade das ciências

girls-icj

A história das mulheres nas ciências nunca foi difundida e incentivada, ainda mais no Brasil, que nem os homens recebem tal grado, tampouco as meninas, que têm de se preocupar apenas com as frivolidades de uma sociedade rasa e mesquinha, que apenas visa as aparências e não pelo conteúdo. Porém, um professor de uma escola em Limeira, interior paulista, mostrou que este cenário poderia ser cambiado, e resolveu reunir um grupo de garotas do Ensino Médio do Colégio Portal de Limeira e desenvolveram a história em quadrinhos, Liga das Mulheres Cientistas.

O professor PhD e pós doutorando da UNICAMP, Yuri Meyer, que sempre sonhou com uma Academia diversa e igual para todos, em que a sociedade pudesse adentrar e somar aos experimentos estudados e desenvolvidos por lá, desmistificando a capacidade intelectual das mulheres, incluindo-as em diferentes cenários do campo científico.

Dentro da academia, assim como em outros setores da sociedade, também existe a desigualdade de gênero, infelizmente. Como exemplificação podemos citar diversas cientistas que sofreram (e ainda sofrem) com esta questão e, nota-se, inclusive que muitas áreas carecem de mulheres por terem uma conotação errada de que ‘é só para homens’, comenta o Dr. Meyer.

whatsapp-image-2020-07-16-at-13-59-14

Visando tal desigualdade, o Dr. Meyer pode somar sua ideia e experiência, em um propósito de promover o campo entre as mulheres, nascendo assim o livro Liga das Mulheres Cientistas, ” qual pude levar às minhas alunas esta temática tão importante. Assim, incentivar as meninas foi a minha chance de fazer com que essas jovens pudessem levar à sociedade uma temática tão importante através de uma linguagem que pudesse atingir as crianças“, afirma o professor.

E assim, fundiu uma comunidade científica, dando estímulo às garotas para seguirem na área e levarem o projeto como experiências em suas vidas profissionais, mas também pessoais. Como a estudante Lara Nonato comentou em entrevista, alegando que mesmo que ela não siga carreira nas ciências, irá levar essa prática para sua vida. Afinal, ela tem apenas 18 anos, e acabou de entrar na universidade, no curso de Marketing, e muitas coisas podem acontecer, até quem sabe um dia ela desenvolver um projeto prático no campo das ciências sociais, com intuito de promover e incentivar outras garotas, como seu professor fez em seu colégio.

Aprendi muito e me sinto extremamente feliz e ter feito algo tão grande! Aprendi muito e tenho certeza que todas as experiências que eu tive ao decorrer desse projeto vou levar para o resto da minha vida, tanto profissional como pessoal também!“, exclama a estudante.

Já a aluna Maria Carolina Grochoski, que também integrou o projeto coordenado pelo professor Yuri, se sentiu grata e esperançosa com a produção deste livro, levando incentivo e propiciando o caminho para que as meninas possam ser quem elas quiserem. Além é claro, da oportunidade ímpar de conhecer a vida e a carreira de grandes cientistas em suas respectivas áreas.

Maria Carolina ainda completou afirmando aos leitores da HQ, que a obra vai “mudar sua visão de mundo e perceber que podem seguir a carreira que quiserem independente da pressão social. É muito importante mostrar a essas meninas que existem muitas mulheres que quebraram barreiras e estigmas para conseguirem alcançar seus sonhos, e é essa a mensagem que queremos passar, que o lugar da mulher é onde ela quiser!”.

A estudante ainda esclarece dizendo que “quebrar os paradigmas intrínsecos à nossa sociedade é um caminho duro, porém que deve ser feito. Nas últimas décadas muitos movimentos vêm contribuindo para a dissolução desses padrões, e nosso livro faz parte desses movimentos. Com o foco nas crianças, podemos já ir mostrando a importância de não impor barreiras sociais tanto na escolha profissional, quanto no cotidiano”. E ela finaliza dizendo que “quando trabalhamos com a base de nossa sociedade, as crianças e jovens, estaremos formando adultos conscientes que não propagarão mais essas barreiras para com os diferentes gêneros e etnias“.

O projeto ainda contou com as artes do ilustrador Maicon Medeiros, que apesar de já ter diferentes obras expostas em galerias e eventos culturais, este foi seu primeiro trabalho editorial publicado de maneira independente, qual o artista se sentiu orgulhoso e agradecido pelo convite do professor.

yuri-e-maicon

O Dr. Yuri já conhecia um pouco do meu trabalho. Quando ele me convidou para ilustrar o projeto, eu não tinha publicado nenhum livro em formato quadrinho. Meus trabalhos anterior eram focados em livros infantis. Mas, quando ele me apresentou e explicou como seria o projeto, de cara já percebi o potencial didático e uma abordagem bem interessante. Entrei de cabeça no projeto pois o Dr. Yuri é um professor muito competente e as alunas bem engajadas“, pronuncia Maicon.

E por fim, este projeto não apenas é um crescimento profissional a cada integrante remanescente nele, mas também visa dar oportunidades da sociedade introduzir na Academia, tanto que a HQ foi uma das finalistas na 33ª Troféu HQ Mix, nas categorias, Publicação Independente de Grupo e Publicação Infantil, que infelizmente acabou não ganhou o troféu da “Bruxinha”, personagem da desenhista e escritora Eva Furnari, que foi esculpido pelo artista Wilson Iguti, mas, levou estímulo e menção científica e cultural para a comunidade.

liga-das-mulheres-cientistas-15062020151050905

Já que, apesar de não terem levado o Oscar dos Quadrinhos nacionais, o livro irá em breve entrar nas escolas públicas, firmando uma parceria com a Prefeitura de Limeira, aonde eles doarão 1300 exemplares para que este projeto chega também aos estudantes, realizando uma aspiração do professor Yuri.

Uma obra totalmente didática, com cunho instrutivo e informativo, dando incentivo e colocando a Academia como algo igualitária na sociedade, e não algo distante e desnecessária à vida e rotina de jovens que estão construindo seu caráter e discernimento, pois como mencionou a estudante Maria Carolina, em uma citação do filósofo Pitágoras; “Educai as crianças e não será preciso punir os homens”.

por Patrícia Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s