Bob Cuspe – O velho punk rabugento volta à cena para fugir de um cenário pós-apocalíptico criado por Angeli

Em novembro de 2021 foi lançado nos cinemas, o longa-metragem de animação em stop-motion do Bob Cuspe, dirigida por Cesar Cabral, o longa Bob Cuspe – Nós Não Gostamos de Gente, a trama conta a história do velho punk que tenta escapar de um deserto pós-apocalíptico que, na verdade, é um purgatório dentro da mente de seu criador, o cartunista Angeli, que passa por uma crise criativa.

Mas antes de chegarmos no filme, vamos conhecer mais esse personagem do famoso cartunista brasileiro, Angeli que lançou a revista Chiclete com Banada, pela Circo Editorial, na qual contava com grandes colaborações de nomes como Luiz Gê, Glauco, Roberto Paiva, Glauco Mattoso e Laerte Coutinho. A Chiclete com Banana é considerada até hoje como uma das mais importantes publicações de quadrinhos adultos já editadas no Brasil.

Bob Cuspe foi criado com a ideia de ‘zoar’ os punks de São Paulo nos anos de 1980, sim como fazia com todas as tribos e grupos. Mas eis que o autor lê um livro de Antônio Bivar para se embasar e acaba se identificando com o tema. O contestador dos esgotos passa a ser, então, quase que um alter ego de Angeli para cuspir na hipocrisia da sociedade.

O personagem apesar de tirar sarro, também era bastante zoado pela população, o cartunista publicava tiras curtas, normalmente de três quadros quase iguais, Angeli soube alfinetar os costumes dos yuppies, da elite financeira, dos revolucionários de botequim e tantos outros que despontaram após o fim da ditadura no Brasil.

Bob Cuspe é um homenzinho verde de moicano e piercing, que cospe na cara de todos e marcou gerações entre os anos de 1980 e 1990, ele foi uma figura polêmica e constrangedora, mas que não deve ser esquecido pela nova geração, afinal ele faz parte da cultura brasileira.

Bob usa uma jaqueta de brim pesado, óculos escuros, quando não de tênis, o coturno do exército siberiano com pontas de faca de cozinha. Além da A munhequeira comprada de um punk nos corredores do metrô parisiense e alfinetes e tachinhas baratas eram peças decorativas em seu corpo.

Fã de heavy metal e punk rock, seus álbuns preferidos são The Clash, Sid Vicious, Ratos de Porão, Sex Pistols e Ramones, bandas que fizeram grande sucesso décadas passadas, mas que ainda é lembradas até hoje. Sua comida favorita é o bolo de fubá da vovó, a comida predileta.

Sempre em cenários punk, Bob Cuspe é um sujeito urbano, vive em esquinas e becos obscuros, às vezes ele está no bar ou no topo de prédio, de onde tinha visão privilegiada para seus disparos. Mas seu lar mesmo era abaixo das calçadas e dos asfaltos – o esgoto.

O personagem que fez sucesso nos anos 80 agora ressurge nos cinemas, recordando as lembranças de quem viveu aquela época, mas sempre deixando claro, de que ele continua tão inconformado com os problemas que milhares de pessoas passavam, só que a maioria mesmo sendo vítima não percebia. Isso não ainda mudou muito até aqui.

O longa Bob Cuspe – Nós Não Gostamos de Gente baseado no personagem do Angeli, com doreção de Cabral, e conta com André Abujamra, Milhem Cortaz e Paulo Miklos no elenco. O filme já está disponível nos cinemas brasileiros e quase que não vai para o Oscar 2022, pois estava rolando uma petição para que o filme fosse indicado na categoria “melhor animação” da premiação, mas infelizmente não deu certo, e por isso o Brasil não terá nenhuma obra cinematográfica representando o país. Mas o filme foi vencedor do Prêmio Contrechamp no Festival de Cinema de Animação de Annecy.

Por Priscila Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s