Arquivo da categoria: arte

Lucas Santos: O jovem sonhador que transmite o amor através de suas artes

107829887-121094989657367-404834714426672294-n

O virginiano de 28 anos, Lucas Santos é um apaixonado por cultura pop, principalmente pelas artes plástica, em que ele transpassa todo seu amor para seus trabalhos em que começa rabiscando a lápis em seu caderno de desenho e acaba em uma admirável obra em tinta óleo sobre a tela. Continuar lendo Lucas Santos: O jovem sonhador que transmite o amor através de suas artes

O caos e o descaso com a história e a cultura no Brasil

image

Nossa cultura está um caos, e nossa história sendo destroçada pelo descaso humano e social que temos que enfrentar diariamente, vivendo em uma comunidade altamente consumista, egocêntrica e mesquinha, que visa tanto o status em ter grandezas no futuro, mas não resguarda seu passado e as lutas e momentos que o fez chegarem até aqui. Continuar lendo O caos e o descaso com a história e a cultura no Brasil

Michelle Rezende – Uma conexão ímpar e inerente com o mundo das artes

michellerez_.jpg

Essa mineira de Belo Horizonte, radicada em São Paulo, mas que já passou por diversos estados do país, tem na arte um estímulo ímpar em seus objetivos mais empíricos. Michelle Rezende, tem 34 anos e sua paixão pelos quadrinhos, animação e ilustração veio desde a infância, sendo um refúgio da realidade. Continuar lendo Michelle Rezende – Uma conexão ímpar e inerente com o mundo das artes

Plataforma digital conecta galeria de artes com os artistas e o público

0

Você já pensou em visitar diversas galerias de artes no Brasil, sem sair de casa, e ainda, interagir com artistas, colecionadores e apreciadores das artes?! Continuar lendo Plataforma digital conecta galeria de artes com os artistas e o público

33ª Bienal São Paulo enfatiza novas experiências entre artistas e visitantes

bienal
Nesta sexta-feira (07) começou na Bienal do Ibirapuera, a 33ª Bienal de Arte de São Paulo, com o tema “Afinidades afetivas“, e vai até dia 09 de Dezembro. Continuar lendo 33ª Bienal São Paulo enfatiza novas experiências entre artistas e visitantes

[Total Flex] Wallpeople: Transformando expressões humanas, em arte urbana!

11000883_10153308381667432_6308018183256173820_n

Que tal expressar seu amor pela cidade de São Paulo resenhando histórias em forma de desenhos nos muros do Largo da Batata?

No próximo sábado, 6, acontece o Wallpeople São Paulo 2015 – Escrevendo Muros (Writing Wallpeople), com muita arte, música e criatividade, onde todos pode participar e expressar sua ideia e relação artística com a cidade.

Uma ideia que se originou em Barcelona, na Espanha e visa convidar as pessoas a criar e fazer parte do unico momento num espeço urbano específico, compondo a arte dentro da sociedade, tornando-a em uma única coisa.

No Brasil, a projeção foi do portal “Olhe os Muros“, dispõe em mostrar que são nos muros que podemos encontrar a cidade de uma cidade, em seus grafites, lambe-lambe, stencil, e tudo que interfere na urbanidade social daquela comunidade, suas histórias, seus relatos, sua vivência.

Fazer com que as pessoas olhe mais para seu redor, ainda mais hoje em dia, onde todos parecem robotizados mirando para seus smartphones conferindo seus “likes” e seus “posts”, e esquecendo que além daquele mundinho que ela cria, há uma imensidão para ser vista e admirada, há pessoas criando e proliferando a arte e a cultura local, enquanto compartilha algo “legal” a quilômetros e distância. Além do mais, a monotonia mundana acaba alienando as pessoas, e fazendo com que elas apenas enxergue o que está diante do seu nariz e o que elas querem ver, fechando os olhos e as mentes para qualquer manifestação alternativa que acontece ao seu redor.

A proposta do “Olhe os Muros” é sensibilizar as pessoas para que olhem não apenas os muros, mas tudo o que há em volta deles, se transformando em um espaço que sirva para conectar experiências e para compartilhar fotos, opiniões, ideias, tudo isso e muito mais.

Mural da edição do Wallpeople 2013.
Mural da edição do Wallpeople 2013

Além das intervenções artísticas nos muros da região do Largo da Batata, haverá apresentações das bandas Ouro e Chá e Embues Beer Band, e também a participação de Seu Molina, levando cultura, literatura, poesia e arte para os paulistanos.

COMO PARTICIPAR?

1. Qualquer pessoa pode participar! Vá para o Largo da Batata, ao lado do muro do Mercado, no dia 6 de junho, às 14h.
2. Você vai encontrar três histórias já iniciadas no muro. Escolha uma.
3. Pense em uma continuação para a história, de modo que ela siga fazendo sentido, e cole-a no muro.
4. Leia outras histórias e participe delas também!
5. Seja criativo: crie, invente, produza! Além das histórias coletivas, haverá espaço para outros trabalhos. Você pode reinterpretar uma obra literária em uma ilustração, fazer stêncil de um poema ou um tributo a algum autor ou livro, etc.
6. Em cada história, você vai encontrar uma pessoa da organização do Wallpeople, que vai lhe dar todo apoio e materiais necessários para você colaborar com as histórias. Lembre-se que as letras devem ser legíveis e grandes para que possam ser lidas com facilidade.

SERVIÇO

Wallpeople São Paulo 2015
Data: 6/ Junho/ 2015
Horário: 14h às 18h
Local: Largo da Batata – São Paulo/ SP
Entrada e participação: FREE
Mais informações: Facebook

Por: Patrícia Visconti

[Total Flex] Arte, sociedade e COMPARTILHAGEM!

1383336_630532197055302_1751095947522422456_n

Sabe o que acontece quando uma professora de inglês cansa da sala de aula e resolve inovar e propagar a arte com objetos que iriam para o lixo, e ainda convida seus filhos e a comunidade para compartilhar disso? Ocorre uma COMPARTILHAGEM!

Isso mesmo, Compartilhagem um projeto que visa divulgar o consumo consciente, utilizando-se de peças recicláveis transformando-as em algo para decoração ou adornos para si mesmo.

10615427_629147777193744_4882671266800273863_nA ideia surgiu quando a professora Renata Penna, 40, cansou da rotina árdua das salas de aula, e há três meses atrás começou a criar mandalas com alguns CDs inutilizados, a partir dai ela com o dom de lecionar e ensinar algo novo para as pessoas, ensinou aos seus filhos, que hoje realizam e propagam uma arte única e especial para a comunidade.

Além de ofertar cursos, para que a ideia seja difundida e procrie, retirando utensílios que a sociedade descarta diariamente no lixo, em algo novo e artístico, ajudando ONGs e Instituições carentes e unindo uma família e a comunidade que a cerca dela.

Para conhecer mais dessa iniciativa acesse o site da COMPARTILHAGEM, e ficar ligados nos cursos, exposição e também sobre o projeto.

Por: Patrícia Visconti

[Total Flex] A arte OCUPA a OUVIDOR 63

10489962_706617232737236_3468047748975222085_n

Não é de hoje que São Paulo é uma cidade multi, multi no tamanho, mas manifestações sociais, na arte e populacional, basta andarilhar pela capital paulistana que a cada esquina encontra-se algo novo, diferente e irreverente, para mudar os ares dessa selva de pedras.

10527326_726936164038676_6571153279441746832_nNas artes não é diferente, são centenas de artistas espalhados pelas ruas, mas com pouco estímulo e incentivo à eles, fazendo com que muitos têm de levar seus trabalhos para as ruas, e conseguir alguns centavos para seu sustento.

Visando nisso, um grupo de artistas resolveu ocupar desde o dia 1º de maio, o prédio da Rua Ouvidor número 63, um prédio de 13 andares de propriedade do CDHU, desocupado há dez anos, tornando àquele lugar não apenas um centro cultural, mas sim a residência destes artistas, que na maioria das vezes vem de outro Estado, para conquistar seu espaço da cidade grande, e não possuí um lugar para morar.

São diversas atividades artísticas, desde mús10372074_690904634308496_4067142248056251736_nica, artes plásticas, cênicas, fotografia, dança, desenho, etc, todos juntos com o mesmo propósito, transformar o ócio de pedra em residência artística e cultural para a cidade. Limparam as salas, consertaram os encanamentos, mexeram na fiação e decoraram os ambientes de modo bastante cultural e despojado, fazendo com que a vizinhança do Ouvidor não apenas se incomode com o barulho,
mas faça parte desse grande movimento cultural criado em São Paulo, integrando a capital à cultura de rua.

A programação do prédio é voltada para todos aqueles que tem interesse cultural e social, é sempre afixada na entrada do prédio, que não há um porteiro ou recepcionista, basta entrar, subir e conferir10308295_690907117641581_8702340626420828671_n a programação do dia – divulgada também na página no Facebook. Dentre essas programações há oficinas (de dança, vídeo ou bambolê), apresentações performáticas, dramáticas e musicais, exposições artísticas, exibições cinematográficas, entre outras atividades. Além do mais, o imóvel ainda serve de moradia, como foi dito acima, para que os artistas, possam desenvolver e planejar melhor seus projetos em questão.

Um projeto que mobilizou até mesmo o prefeito Fernando Haddad que ficou interessado em conhecer a ideia do projeto e também pelo que eles fazem por lá, já que isso inspira para que novos grupos floresçam seus pensamentos e dão diretriz em suas visões políticas. Transformando ideias em realizações, cimento em cultura e arte em soluções para desenvolvimento solidário e humano na cidade.

10441948_707863849279241_725749316656920088_n
Para mais informações sobre oficinas, apresentações ou até mesmo para visitar por curiosidade, acesse o Facebook do coletivo, que lá sempre traz novidades sobre o acontece no edifício.

Por: Patrícia Visconti

[Cyber Cult] Arte nas planilhas do Excel

O japonês Tatsuo Horiuchi, de 73 anos, transformou o programa do Excel em um software para fazer desenhos incríveis, formando obras de artes inacreditáveis.  
Para quem não conhece, o Excel é mundialmente conhecido por ser capaz de criar inúmeras planilhas e fazer os mais variados cálculos, menos por suas capacidades artísticas, mas nas mãos de Horiuchi, ele ganhou outro propósito.

Tatsuo descobriu seu talento somente 13 anos atrás, quando estava prestes a se aposentar, então logo após sua aposentadoria, o idoso havia bastante tempo livre, então procurou novas habilidades para aprender de um jeito não muito convencional. 
Quando viu que muitas pessoas faziam gráficos no Excel, ele decidiu criar verdadeiros desenhos artísticos na ferramenta. Ele sempre possuiu um interesse em artes gráficas, porém não sabia qual método utilizar para expressar suas imagens.
“Os softwares gráficos são bastante caros, porém o Microsoft Excel já vem pré-instalado nos computadores com Windows, além de possuir mais funcionalidades e ser mais fácil de utilizar do que o Microsoft Paint”, disse o moderno artista japonês. Tatsuo também tentou realizar alguns trabalhos com o Word, porém preferiu mesmo utilizar o software de planilhas da Microsoft.
O mais interessante é que Horiuchi jamais usou o Excel no trabalho; aprendeu tudo quando decidiu usar o software para desenhar (e ele já tinha 60 anos na época). 
No ano de 2006, o trabalho do idoso foi reconhecido com o prêmio Excel Autoshape Art Contest com imagens que foram consideradas muito superiores ao trabalho de seus rivais.
Abaixo veja o download de duas obras do artista Tatsuo Horiuchi, que pode ser visualizado no próprio Excel:

[Total Flex] Artista plástica cria bazar virtual para compartilhar suas obras

Você já imaginou um bazar de arte virtual, onde o artista apenas quer propagar suas obras e compartilhar com seus amigos e amantes da arte seu trabalho?
Pois bem, foi isso que a paulista de São Bernardo do Campo, Mariana Fakih, 23, fez.
Com traços fortes e desenhos bastante coloridos, Mariana acredita que suas obras mesclam um pouco do impressionismo e expressionismo, remetendo toda a criatividade de Fakih.
Essa é a primeiro bazar virtual que a artista realiza, e em uma semana diversas pessoas arrematou suas artes por algum objeto pessoal que tinham em casa, já que seu grande objetivo é divulgar seus trabalhos e conhecer novos amantes da pintura, desenhos e artes plásticas.

Conheça um pouco das obras de Fakih:

Para conhecer mais sobre o “Black Mari“, que acontece até o próximo dia 13 de Dezembro (sexta-feira), pode acessar a página de eventos que a artista criou para cambiar, vender e divulgar seu trabalho.