Arquivo da tag: análise

O universo irreal de Amélie Poulain através das cores

IMG-8253

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é um filme francês de 2001, estrelado por Audrey Tautou, dirigido por Jean-Pierre Jeunet e com direção de fotografia de Bruno DelBonnel. A história gira em torno de Amélie, uma jovem cheia de peculiaridades e detalhes que tem sua vida transformada ao encontrar uma caixa repleta de recordações que uma criança havia escondido anos atrás, dentro de seu apartamento. Continuar lendo O universo irreal de Amélie Poulain através das cores

Google Stadia – Uma breve análise e comparação com o cenário brasileiro em geral

googlestadia

O modelo streaming está se tornando uma realidade entre diversos sistemas e plataformas ao redor do mundo enquanto a produção de séries, filmes, músicas e diversas outras mídias está crescendo graças a essa função. Eventualmente, jogos também se beneficiam com isso, facilitando a divulgação e publicação de conteúdos em streams e outros meios.

A Google lançou em novembro a plataforma Google Stadia, na qual transmitirá jogos em 4K nativo uma biblioteca de jogos, e cada usuário terá uma assinatura mensal custando em torno de 10 dólares. O console acompanha um controle e custa 130 dólares. Continuar lendo Google Stadia – Uma breve análise e comparação com o cenário brasileiro em geral

[Cabine da Pipoca] O Exótico Hotel Marigold

o-exotico-hotel-marigold-destaque-610x250

Hoje é dia cinema, aqui na embarcação com o nosso colaborador, que sempre nos ajuda com um filme diferente, Fábio Astaire, que como já dissemos aqui, ele tem o site que fala tudo sobre cinema, o CinemaCom.com.br.

Sempre trazendo dicas, resenhas ou análises sobre o filme, mas não só os filmes comerciais, mas também aqueles que a grande mídia não pauta.

Como análise do filme, “Tratando de Negócios com O Exótico Hotel Marigold”, que é um filme inglês, mas com grande parte das filmagens na Índia, confira análise abaixo.

marigold_evelynMarigold é um filme de John Madden, diretor inglês conhecido pelo premiado Shakespeare Apaixonado (1998), cujo enredo conta as aventuras de um grupo de idosos britânicos decididos em deixar o cotidiano do país de origem para explorar novas experiências na Índia. Já vale a pena assisti-lo pela variedade de temas apresentados numa suave produção, porém este texto dedica-se a dar atenção no seu interessante exemplo de empreendedorismo.

O cenário é composto por nada menos que um velho hotel localizado na cidade de Jaipu, onde expõe visualmente características sociais e econômicas familiares às brasileiras. Seu proprietário é o jovem sonhador Sonny (Dev Patel), movido por atitudes cheias de energia que não são suficientes para comandar um negócio familiar
decadente, ainda que seja um maravilhoso resort no próprio ponto de vista.

Mesmo com a situação precária, ele toma a iniciativa de atender uma clientela diferenciada ao optar pelo público da terceira idade. Porém, os primeiros hospedes não sentem nada bem ao perceber que caíram numa armadilha de propaganda publicada na internet.

Ignorando seus descuidos iniciais, Sonny passa a maior parte de seu trabalho improvisando a estadia dos clientes, além de se perder nos devaneios de um futuro promissor. Logo o que se vê é um grande esforço de uma só pessoa para compensar seu imprudente erro ao enganar os consumidores forasteiros. Por outro lado, eles demonstram todos os tipos de insatisfação possíveis, mesmo na tentativa de se adaptar à inusitada realidade oferecida. É evidente que não há perfil de planejamento no personagem, principalmente quando apresenta seu caótico ambiente aos possíveis investidores. O Exótico Hotel Marigold – Sonny.

Como segundo plano, o longa também mostra outra qualidade duvidosa na prestação de serviço ao abordar o atendimento remoto, já que se trata de um segmento muito explorado pelas novas corporações indianas.

A falta de cordialidade deste canal (sabemos muito bem que não se trata de uma deficiência regional) concede à Evelyn, personagem atuada por Judi Dench, a oportunidade de ser consultora para jovens operadores de telemarketing. Desta forma, ela pôde usar sua vivência tradicional de boas maneiras para ensiná-los como aprimorar sua comunicação a partir do senso crítico.

Comparando os dois casos, é possível perceber que a carência de um lado pode cogitar o potencial do outro. Afinal, uma companhia estruturada por vários colaboradores guiados por funções robóticas podem não ter a sensibilidade de Sonny para cativar fregueses, mesmo que seu serviço não seja estupendo quanto imagina. O que lhe falta é equilibrar seu otimismo visionário com a cooperação de pessoas especializadas em áreas que indicam indiscutível fragilidade, como no caso da administração financeira.

Com o controle da situação, pacientemente o empreendimento hoteleiro deve levar em consideração a estratégia de aproveitar os aspectos turísticos da cidade para se tornar realmente um estabelecimento exótico. Cada personagem mobilizado em conhecer novos horizontes, é responsável por evidenciar seu relacionamento com a cultura da região, bem como consumir o comércio local e principalmente a gastronomia peculiar, quando bem preparada.

MV5BMjIwNjkwMDI2NV5BMl5BanBnXkFtZTcwNDc1ODIyNw@@._V1_SY317_CR0,0,214,317_
O Exótico Hotel Marigold
Título original: Best Exotic Marigold Hotel
Elenco: Bill Nighy, Maggie Smith, Tom Wilkinson, Judi Dench, Dev Patel, Penelope Wilton, Celia Imrie, Ronald Pickup, Tena Desae.
Direção: John Madden
Gênero: Drama
Duração: 124 min.
Distribuidora: Fox Film
Estreia: 2012

Sinopse: Aposentados britânicos viajam para a Índia para morar no que acreditam ser um recém reformado hotel, mas o lugar não é tão luxuoso quanto parecia nos anúncios.

Assista o trailer do filme abaixo:

Por Fabio Astaire