Star Trek celebra 55 anos mostrando um mundo reflexivo aos fãs da franquia

e3j-Eh6-Yx-Eahjeq-KNKUPv-K-1200-80-1024x576

Nesta terça-feira (8), os fãs de Star Trek celebraram o Star Trek Day, que marcou os 55 anos da estreia da série Jornadas das Estrelas, onde deu início ao universo ficcional de umas das franquias mais longevas de todos os tempos, tendo episódios de série e filme ainda lançados até hoje. A franquia foi reconhecida pelo Guinness Book, como série de TV com o maior número de spin-offs da história: seis séries de televisão, duas de animação e treze filmes.

Star Trek se tornou um clássico da ficção científica e uma das produções mais queridas pela comunidade nerd, além de ser uma referência para a história do audiovisual pelo seu pioneirismo em tratar de temas como diversidade e inclusão. Jornada nas Estrelas: O Filme , de 1979, retoma o universo da série original, com os personagens Capitão Kirk (William Shatner), Spock (Leonard Nimoy) e Dr. McCoy (DeForest Kelley), agora mais velhos, de volta a uma U.S.S. Enterprise remodelada.

O filme é seguido por Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan, de 1982, Jornada nas Estrelas III: À Procura de Spock, de 1984, Jornada nas Estrelas IV: A Volta Para Casa, de 1986, Jornada nas Estrelas V: A Última Fronteira, de 1989, e Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida, de 1991, que mantêm o mesmo elenco e dão continuidade a história de origem.

Jornada nas Estrelas: Generations, de 1994, tem início uma nova geração. Além dele, Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato , de 1996, Jornada nas Estrelas: Insurreição, de 1998, e Jornada nas Estrelas: Nêmesis, de 2002, são contemporâneos às séries de televisão DS9 e Voyager, e apresentam histórias de outros personagens, como Picard (Patrick Stewart), Soran (Malcolm McDowell) e Riker (Jonathan Frakes), além do elenco original.

Por fim, na trilogia Star Trek , de 2009, Além da Escuridão – Star Trek , de 2013, Star Trek: Sem Fronteiras , de 2016, a tripulação original está de volta à U.S.S. Enterprise, porém, em um universo paralelo. Assim, novos atores assumiram os personagens antigos. Nestes três filmes, Chris Pine interpreta o Capitão Kirk e Zachary Quinto o Spock.

A franquia de Star Trek é tipo uma space opera criada por Gene Roddenberry, em que ele teve inspiração de faroestes como Wagon Train, junto com referências ao romance As Viagens de Gulliver para a história de aventura e o conto moral. O Star Trek original seguia as aventuras interestelares do Capitão James T. Kirk e sua tripulação dentro de uma nave espacial da Federação Unida dos Planetas: a USS Enterprise. Depois do piloto original, “The Cage”, com um elenco quase totalmente diferente, ter sido rejeitado, a série estreou em 1966 na NBC, tendo três temporadas.

A produção original de Star Trek era inicialmente produzido pela Desilu Productions, com a junção da Desilu e a Paramount Pictures, o estúdio assumiu o controle da franquia. Em 2006, os direitos foram transferidos para a CBS quando ela se separou da Viacom, dona da Paramount. Entretanto, alguns aspectos como os filmes e os direitos de distribuição dos DVDs ainda permanecem com a Paramount.

As histórias de Star Trek são aventuras de humanos e alienígenas que servem a Frota Estelar, em uma armada pacífica que serve a Federação Unida dos Planetas, e seus personagens são essencialmente altruístas, cujos ideais são aplicados nos dilemas apresentados na série. Os conflitos apresentados em Star Trek às vezes representam uma alegoria para conflitos contemporâneos: a série original discute questões da década de 1960, assim como seus spin-offs refletem as questões de suas respectivas décadas.

Mas as questões refletidas na série original incluem – guerra e paz, lealdade, autoritarismo, imperialismo, economia, racismo, existencialismo, religião, direitos humanos, sexismo, feminismo e o papel da tecnologia. Pois quando Roddenberry criou esse universo de Star Trek, ele pensou em um novo mundo com novas regras que podia discutir sobre sexo, religião, Vietnã, política e misseis intercontinentais. Essas são as reflexões que passa ao telespectador, que é tão atual quanto à 55 anos atrás na estreia do primeiro Star Trek.

Pois para Roddenberry, ele desejava mostrar o que a humanidade poderia se transformar se eles tivessem aprendido com as lições do passado, mais especificamente terminando com a violência. Um bom exemplo são os vulcanos, um povo que teve um passado bem violento porém aprenderam a controlar suas emoções e também colocar uma mensagem contra a guerra, como também mostrar a Federação Unida dos Planetas como se fosse uma versão otimista e ideal das Nações Unidas.

Por Priscila Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s