Arquivo da categoria: projeto

[Total Flex] Conheça o projeto social que busca levar cultura por meio da literatura

O Instituto Estação das Letra, há mais de 20 anos aposta na cultura e arte, para democratizar a acessibilidade ao conhecimento. A associação têm caráter social privado e sem fins financeiros. Continuar lendo [Total Flex] Conheça o projeto social que busca levar cultura por meio da literatura

Anúncios

[Total Flex] Projeto Via Brasil fomenta o intercâmbio da cultura brasileira

2014 será o ano do Brasil, além dos eventos que acontecerão aqui em nosso país, que somará visibilidade por todo o Planeta, o país ainda será homenageado em outros países no mundo, como por exemplo, o intercâmbio da cultura brasileira, que acontecerá ao longo deste ano no Wexner Center, galeria de arte contemporânea da Universidade de Ohio (Estados Unidos), que está realizando uma iniciativa interdisciplinar intitulada Via Brasil.

O projeto visa apresentar a diversidade cultural da nação brasileira, promovendo uma troca internacional da universidade com a arte e cultura do Brasil. Além do mais, o Wexner Center há uma gama integrada que abrange diversos nichos da nossa cultural, como exposições, filmes, vídeos, educação, juntamente com programações complementares do departamento de artes cênicas, tendo por fim, promover a compreensão e apreciação da arte contemporânea brasileira.
A mostra exposta ao projeto é um resultado de quase três anos de pesquisa e viagens de curadores da universidade, passando pelas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Belo Horizonte, entre outros lugares, conhecendo o trabalho de artistas, curadores e críticos brasileiros. Uma investigação da cultura brasileira atual, através de uma perspectiva de costumes, mostrando uma ampla e vasta programação cultural no Brasil.
Para mais informações acesse o site do Ministério da Cultura, e confira os editais a serem apresentados durante o projeto.

[Cabine da Pipoca] 24 horas em Sampa!

Quantas histórias somariam em um vídeo em um único vídeo?
É isso que alguns alunos do curso dos alunos de Rádio e TV, da Universidade Anhembi Morumbi pensou quando desenvolveu a ideia do trabalho de conclusão de curso, o temível TCC, no projeto SP24.

A ideia é unir várias histórias, vivência, conhecimentos e experiências em 24h dos moradores da cidade de São Paulo, que poderão pegar sua câmera que pode ser uma profissional, digital ou até mesmo a do celular, e gravar a sua ida ao trabalho, a convivência com a família, a noite em uma festa, a sua arte, ideologias, enfim, o que você quiser compartilhar do período de vinte e quatro horas e julgar mais importante ou interessante.
Após a seleção das imagens, o grupo irá fazer uma montagem diferenciada, intercalando vídeos produzidos pelos habitantes da metrópole, valorizando as várias maneiras de como moradores da cidade, sem restrição de sexo, idade, cor, religião ou classe social, vivem as vinte e quatro horas do dia e visando o valor social de uma população que enfrenta constantes desafios, mas que se motiva pela admiração de onde vive.
Sinopse do projeto:
SP24 é um documentário experimental que mostra vinte e quatro horas da cidade de São Paulo pela visão de seus moradores. Com vídeos enviados pelos participantes através do website do projeto, a equipe faz uma montagem paralela exibindo em vinte e quatro minutos, as horas de uma sexta feira, passando por madrugada, manhã, tarde e noite. Durante a montagem, os participantes, pessoas reais e diversificadas, passam por pontos em comum, respondendo perguntas determinadas pelos diretores. Assim, tornando-se o protagonista do SP24 o participante tem a oportunidade de mostrar a sua individualidade em meio ao coletivo turbulento da cidade, mostrando variações pessoais e parte da rica miscigenação paulistana.
Organizadores do projeto:
A Ómega Produções é formada por alunos do último semestre de Rádio e TV da Universidade Anhembi Morumbi. O projeto em questão, o SP24, está sendo desenvolvido para o Trabalho de Conclusão Curso do ano de 2013.
E aí, curte documentário e principalmente adora a cidade em que vive, então coloca a cachola pra funcionar, pega sua câmera e manda bala nas ideias, pois os vídeos escolhidos estarão na conclusão final do trabalho e também irão ser remunerados pela equipe do projeto.
Para mais informações acesse o site SP24 ou envie um e-mail, e vamos fazer juntos um filme bem interativo retratando a nossa querida Sampa. Mas, os interessados devem ser rápidos, pois os vídeos devem ser enviados até o dia 3 de novembro.

[Total Flex] Rua Augusta: A praia dos paulistanos

Todo mundo sabe que na cidade de São Paulo não tem praia, e nem um calçadão como há em Copacabana, no Rio de Janeiro. Porém, os paulistanos se viram como pode, ficam nos bares, nas calçadas, nas ruas, tudo para aproveitar seu happy hour, seu fim de semana ou aqueles momentos de folga.
Um dos locais bastante frequentados por aqueles que adoram curtir esses instantes é a Rua Augusta, um ápice de bares, baladas, teatros, casas de shows, entre outros locais para todo tipo de público se entreter e aproveitar seu desafogo diário e maluco da cidade de Sampa.
Visando nisso, o ator e produtor cultural Sérgio Carrera, 55,  propôs um projeto para criar mais lazer e entretenimento nessa região, tão rica em distração, mas um pouco difícil na locomoção de carros e transportes públicos. Em entrevista ao Barquinho Cultural, Sérgio contou sobre a ideia do projeto, apoios, implantação, segurança, moradores e frequentadores da região.
Confira abaixo a conversa com tivemos com ele:


OBC – Como surgiu a ideia do projeto? Por quê?

Sérgio Carrera: As ideias não surgem de repente. Os Aliados do Parque Augusta já realizam o Pic Nic à Moda Antiga há três anos. Ele acontece em pleno asfalto da rua Augusta. Quando a ideia surgiu, nem acreditávamos muito que iríamos conseguir fechar a rua mais emblemática de São Paulo para realizar um picnic. E aí aconteceu. Fomos convidados a fazer parte da programação oficial da Virada Sustentável, que tem essa filosofia de ocupar os espaços públicos para o lazer e a diversão. A cada ano que passa mais adeptos ao nosso evento e, também, a cada dia que passa mais pic nics pela cidade. Isso me chamou a atenção do quanto as pessoas estão carentes e necessitadas de convívio social. Vivemos trancados em nossos bunkers residenciais, com medo da violência nas ruas. Quando as manifestações de junho ocorreram e as ruas e avenidas foram fechadas, como a Paulista, viu-se a galera curtindo o asfalto em seguida, seja de bike, skate, ou só sentadas papeando. Achei super legal isso. São essas as possibilidades das pessoas se conhecerem, compartilharem bons momentos e tornarem suas vidas mais prazerosas. Por que, então, não propor o fechamento de um quarteirão da própria Augusta, a Copacabana de Sampa, que mistura todas as tribos, a rua mais eclética, famosa e divertida? Assim surgiu a proposta do Calçadão da Augusta. E o mais bacana é que depois que a proposta foi lançada, fui descobrindo que isso já acontece em grandes cidades, como Londres, Nova York, com o Parque Suspenso que revitalizou o downtown e Bogotá, que virou referência de planejamento urbano, priorizando o individuo.
OBC – O projeto já foi apresentado à vereadores da região? Há apoio de algum deles? Há possibilidade do prefeito sancioná-lo?
SC: Eu apresentei informalmente ao subprefeito Marcos Barreto. O vereador Nabil Bonduki é favorável, mas preferi observar a reação do público ao projeto antes de percorrer a Via Sacra da burocracia e a resistência dos órgãos públicos para viabilizar as boas ideias para a cidade. Sempre acreditamos “na existência dourada do sol, mesmo que em plena noite, nos bata o açoite”. O percurso é árduo, mas sou guerreiro e determinado, vide o Parque Augusta – 10 anos de luta incansável!
OBC – O que os frequentadores da Rua Augusta pensam a respeito do calçadão? E do parque? E os comerciantes? E os moradores?
SC: A proposta mexe com os interesses particulares de alguns, mas grande parte recebeu a proposta com entusiasmo, exceto os moradores da quadra em questão. Porem, os argumentos usados inconsistentes e cheios de possibilidades hipotéticas, como se não pudesse voltar atrás se os benefícios não forem compensadores. Um dos benefícios seria salvar a Augusta da elitização. São diversos empreendimentos na rua, descaracterizando-a completamente. A Augusta sempre foi festiva e notívaga. Éla é famosa por isso,  cartão postal da cidade, mas em breve se tornará uma rua residencial como outra qualquer. É isso que precisamos evitar. São vários coletivos lutando para impedir que isso aconteça: Em Defesa da Rua Augusta, Salve o Baixo Augusta, entre outros. Enfim, sempre haverá os pessimistas do contra. Não vê os que já estão protestando contra o Ibirapuera ficar 24h aberto, nos finais de semana? Por que não? Vamos experimentar, sair da mesmice, mudar paradigmas, conhecer o novo. A vida é isso. Quanto ao Parque Augusta, o desejo de vê-lo criado é unanime e surpreendentemente cresce cada vez mais aqueles que estão dispostos a tudo para defender a última área verde do Centro. A 5ª região mais seca da cidade.
OBC – Onde exatamente será implantado o calçadão? E o parque?
SC: Sugeri o quarteirão entre as ruas Antonia de Queirós e Marques de Paranaguá, por algumas razões: a possibilidade de desviar o trânsito sem grandes transtornos, pois há opções tanto para descer quanto para subir. Outra razão é que neste quarteirão acontece o maior agito, pois concentra ali quase 20 bares e baladas no momento. O Parque Municipal Augusta será o portal do Calçadão da Augusta, pois está localizado na Augusta, entre as ruas Caio Prado e Marques de Paranaguá. Quem tem um pouco mais de visão urbana, consegue perceber que a  região pode ganhar um imenso boulevard diversificado, começando na Avanhandava, com restaurantes e já calçada, conectando-se com o Cultura Artística, emendando com o point teatral da Praça Roosevelt, passando pela rua Gravataí, que pode virar um calçadão também, chegando ao verdejante Parque Augusta, portal do Calçadão Festivo e Boêmio da Augusta. Percebe o quanto poderá ficar especial esta região?
OBC – Como será desviado o tráfego de carros e ônibus da região? Não irá “tumultuar” algumas linhas de ônibus?
SC: Na verdade, a proposta visa estimular as pessoas a saírem sem carro. Vem aí o METRÔ CONSOLAÇÃO, que poderá funcionar 24h nos finais de semana. Mas, de qualquer maneira, o motorista terá várias opções para descer, via Frei Caneca, Bela Cintra, Consolação e 9 de Julho. Para subir, o motorista terá a Consolação e a 9 de Julho, por onde já passam a maioria das linhas de ônibus. Além do que, ônibus só trafega até meia noite em São Paulo.
OBC – E a segurança? Afinal, com o calçadão e o parque mais pessoas frequentarão a região, todavia necessitará de mais guardas fazendo a ronda, certo?!?
SC: Segurança precisa existir sempre, seja com o Parque ou com o Calçadão. É um dever do poder público nos garantir esta segurança. Acho até que estas opções garantiriam uma segurança maior, pois concentram a galera. Acho que regiões povoadas são menos perigosas que zonas desertas. Com relação ao Calçadão, evita-se o risco, inclusive, de atropelamento de pedestres que chegou na Augusta quase aos mesmos índices da Av Paulista, que tem o triplo de pistas.
OBC – Há indícios de quando começará a implantação do projeto?
SC: Vejo que há um novo movimento em prol de uma cidade mais humana e habitável, voltada para o indivíduo, e não só em São Paulo. Lutas por Parques, coletivos em defesa de área verde, protestos contra a verticalização desenfreada, bairros defendendo praças, reivindicações de mais ciclovias na cidade, mobilidade etc. Isso me deixa otimista, mas conheço o caminho das pedras. São dez anos de luta árdua e incansável pelo óbvio – A criação do Parque Augusta. Mas costumo dizer que mais valioso que a conquista é o percurso para alcançá-la. Este que nos enriquece como pessoas e nos traz os verdadeiros valores para criarmos uma sociedade mais digna e igualitária.
________________________________________________________________________________
Alguns ativistas em prol ao parque pelo menos uma vez por mês, como o próprio Sérgio citou na entrevista durante a “Virada Sustentável” pela região, mobilizando a participação de todos, dando uma aula prática de cidadania ecoando em coro os dizeres: “queremos o nosso parque!”. 
Após a realização do manifesto, tudo é relatado e publicado em um blog [acesse aqui], onde também ajuda a compartilhar a ideia na implantação do Parque Augusta.

[Total Flex] O humorista Nando Viana dá continuidade as "Quintas das Comédias" no Teatro Fernando Torres

Dando continuidade a saga do projeto “Quintas das Comédias”, as risadas continuam no Teatro Fernando Torres, com espetáculos de stand ups comedy apresentando grandes humoristas com seus shows solos.
Nesta semana o espetáculo fica por conta do humorista Nando Viana, 29, que se apresenta na próxima quinta-feira (12), com o show “Nem bom, nem mau: Nando Viana” . 

O gaúcho Nando Viana é um dos precursores do gênero em Porto Alegre, trazendo textos de sua autoria, proporcionando um espetáculo repleto de boas risadas, mostrando ao espectador que todos nós temos um lado bom e mau. Explorando situações do cotidiano que causam identificação com o público, proporcionando muitas risadas.
O show surgiu de maneira natural, reunindo em um único espetáculo todo o trabalho já elaborado ao longo de quatro anos de carreira. Um programa imperdível para aqueles que curtem uma boa comédia e querem se divertir dando muitas gargalhadas.
As próximas apresentações do projeto contaram com os humoristas Ênio Vivona, e a dupla Eduardo Jericó e Pierre Rosa. Na quarta semana, dia 19/09, Ênio Vivona, com o espetáculo “Não me chame de Gordinho”. Encerrando essa programação prá lá de especial no dia 26/09, duas feras do humor, Eduardo Jericó e Pierre Rosa.
Serviço:

Nem bom nem mau
Local: Teatro Fernando Torres
Evento: Quintas das Comédias
Endereço: Rua Padre Estevão Pernet, 588 – Tatuapé (Esquina Com Rua Serra do Japi) – próximo aos metros Tatuapé e Carrão
Telefone: (11) 2227-1025
Temporada: única apresentação dia 12/09
Quando: Quinta-Feira
Horário: 21h30
Valor: R$ 40,00 (inteira) R$ 20,00 (meia)
Duração: 70 minutos
Gênero: Stand up Comedy
Estacionamento: Parceria com estacionamento no valor de R$ 20,00 durante o espetáculo.
Quantidade de lugares: 687
Censura: 14 anos
Vendas pela internet: www.ingressorapido.com.br   
Vendas pelo telefone: Ingresso Rápido – 4003-1212
Bilheteria: Aberta de terça a domingo das 14h às 20h e nos dias de espetáculos até o início da montagem.
Ficha técnica:
Elenco: Nando Viana
Produção e Realização: ET Eventos
Assessoria de Imprensa: TRY Comunicação

[Cantinho Literário] Uma biblioteca no caótico trânsito de São Paulo

Essa semana é uma dica para quem anda de táxi pela cidade de São Paulo e também não consegue ficar longe dos livros, vamos falar de Bibliotáxi, com certeza você devem estar imaginando se existe isso é apenas uma ideia de nossas cabeças, mas estamos aqui para mostrar à vocês, que isso existe e pode ser conferida na regiões da Vila Mariana, zona sul da capital paulista, em um ponto na rua Wizard. 

O programa visa estimular a população para o uso de táxi e o seu compartilhamento como alternativa para o uso intensivo de seus automóveis, contribuindo para redução dos congestionamentos na cidade e também tem o objetivo de inserir a cultura de ler, na sociedade brasileira, desta forma bairros e comunidades podendo usufruir da cidade mais inclusiva, saudável e sustentável. 
Veja abaixo um vídeo apresentando o Bibliotáxi, para todos podermos entender o que é este projeto:
E aí gostaram do Bibliotáxi e ficaram curiosos em andar em uma biblioteca ambulante? Então veja mais informações no blog do projeto ou então siga no twitter (@bibliotaxi) e veja mais novidades literárias e sustentáveis do programa Bibliotáxi. 
Boa semana e boa leitura à todos 

[Cyber Cult] Boas práticas na Web

Hoje tive que pensar algo que vai além da tecnologia, não esta totalmente ligado mas são duas propostas que vem caminhando lado a lado, então não resistir e tive que interligar tecnologia ou mais precisamente a internet com o lado empreendedor das pessoas. Ser o mentor de algum projeto em uma era em que tudo se tornou digital, se tornou mais desafiador do que parece, há uma necessidade maior do que simplesmente buscar o cliente, se tornou primordial o curtir e compartilhar.

O empreendedorismo via web se tornou o novo modelo de negocio dos diversos segmentos existentes pelo mundo inteiro. O mundo dos negócios vem exigindo cada vez mais que as grandes ideias ocupem o espaço no mercado, hoje não basta mais ser inovador ou ter ideias revolucionárias, na era do Ctrl C e Ctrl V precisa se pensar diferente, sim diferente, porque de grandes ideias estamos cansados de ver por ai, mas anda faltando o diferencial.

A web esta bombardeada de informação e esses bombardeios explodem nas mãos de milhares de internautas o tempo todo e que por sua vez acabam por se cansar dos velhos conceitos empregados por diversas empresas. Existem organizações que contribuem para o crescimento e o empreendedorismo de varias empresas, existem ate mesmo consultorias via web.

O SEBRAE, por exemplo, disponibiliza em seu portal várias novidades para que os novos e velhos empresários fiquem conectados as diversas novidades que imperam por todo canto. Outra contribuição que a web permite aos empresários é a possibilidade de realizar cursos de curta e media duração pela internet, como por exemplo, cursos que estimulam a criatividade dos homens e mulheres de negócios e ajudam a visar questões como a de sustentabilidade e caso se faça necessário ainda é possível ter uma visita de algum consulto de negócios que fazem um diagnostico e ajudam o empresário a colocar o plano de ação que por diversas vezes fica anos no papel em prática.