Arquivo da tag: nacional

[Caixa de Som] Novidade A2: A dupla que vale por uma banda inteira!

10006341_632479163491106_1043449107_n

Toda banda que se preze há um guitarrista, baixista, tecladista, baterista e vocalista, e nesta ordem o baterista sempre é aquele que fica no fundo do palco, apenas dando a harmonia percussionista que o grupo precisa para manter sua alma essência musical.

Porém, há uma banda, formada apenas por duas pessoas, isso mesmo, uma dupla, onde a bateria fica frente ao palco e o vocal transmite toda emoção e carisma nas canções em extrema afinação.

A dupla Novidade A2, formada pelos músicos Emerson Cotrin e Edna Guedes, chegou com uma proposta diferente, levar o som de vozes afinadas com a presença da bateria para frente do palco, tocando o melhor da música sem preconceitos ou discriminação, simplesmente fazendo boa música e com muita competência.

Confira uma pouco dessa nova empreitada musical, que promete não apenas revolucionar, mas cativar até mesmo os ouvidos nem tão musicais assim;

Conheça mais sobre a dupla na fanpage oficial no Facebook!

Por: Patrícia Visconti

[Cabine da Pipoca] A animação nacional que “mata” até cachorro a grito

Você sabia que se pode matar um cachorro a grito?

matandocachorro

Pois bem, é isso que o diretor, produtor e roteirista Almir Correia decifrou ao produzir a animação “Matando Cachorro”.

A animação até lembra um pouco aquelas produções do Cartoon Network, como “Coragem – O cão covarde” ou a “Vaca e o Frango”, com a diferença de que a criação é nacional, e mais direcionado a rotina do dia-a-dia.

O curitibano e fundador da Zoom Elefante Produção, uma produtora independente que produz conteúdo original audiovisual como: Animações, documentários, videos experimentais, curta e longa metragens, séries para web entre outros.

A animação em destaque é curta, contêm menos de três minutos e teaser nem 1 minuto, mas suas cores vibrantes e seus efeitos de rotação, mostram quão o simples chama atenção, para apresentar algo corriqueiro. Mostrando que as grandes ideias surgem dos momentos mais inoportunos, transformando-as em momentos únicos.

Assista abaixo o teaser de “Matando Cachorro”:



Em breve bateremos um papo com o produtor desta animação, Almir Correia. Contando-nos um pouco sobre essa criação, e também sobre sua carreira e obras já produzidas.

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Feriado, Prêmios e Rock n’ Roll!

1510677_730323790350848_6092155296331768629_n

Feriado próximo ao fim de semana é tudo que o povo gosta, ainda mais quando shows e muito rock and roll para curtir ainda mais o dia de folga.

Na próxima sexta-feira (21), acontece a sexta edição do Prêmio Rock Show, a maior premiação do rock nacional, na Associação Atlética dos Portuários de Santos, em Santos, litoral sul de São Paulo.

No evento, além de premiar os melhores do rock nacional, haverá shows imperdíveis de grandes bandas do gênero no país, entre elas estão, Malta, Forfun, Haikaiss e Sugar Kane. E o tema central da premiação deste ano foi inspirado na arte circense, que contará com interações artísticas com o público, uma plateia de oito mil pessoas, será uma festa de rock, arte e circo para ninguém botar defeito.

O Prêmio Rock Show é a considerada a maior premiação do rock nacional, e em 2014 fora indicadas 30 bandas, em mais de 20 categorias de votação. Que neste ano pela primeira vez, contou com o voto popular pelo site do evento, além de um grupo de especialistas terá o voto de decisão entre as duas bandas mais votadas pelo público em cada uma das categorias.

A curadoria do Prêmio será composta pelo produtor musical Tadeu Patolla (Charlie Brown Jr., Aliados, Strike e outros), o diretor artístico Marcelo Shida (Showlivre), a radialista e apresentadora Luka (Rádio Rock 89FM), o jornalista Lucas Krempell (A Tribuna), o diretor de redação do portal Rock de Verdade, Will “Batera”, o produtor de eventos Celso Bernardes (Rock Show, Zero 13 Produtora) e a empresária Samantha Jesus (Zero 13 Produtora).

Confira abaixo a relação dos indicados e categorias:

CATEGORIAS NACIONAIS

HIT DO ANO
O Rappa – Anjos / Aliados – Ser Feliz / NX Zero – Hoje o Céu Abriu / Onze:20 – Pra Você

CLIPE DO ANO
Strike/ Aliados / CPM 22 / Capital Inicial

ARTISTA ROCK
CPM22 / Detonautas / Dead Fish / Raimundos

MELHOR SHOW
NX Zero/ Forfun / Strike / Gloria

MELHOR DVD
CPM 22 / Paralamas do sucesso / Sepultura / Noturnal

DISCO DO ANO
Aliados / Charlie Brown Jr. / Scracho / Pitty

REGGAE
Natiruts / Onze20 / Armandinho / Planta & Raiz

INDEPENDENTE
Trela / Folks / Madrenegra / Conexão Baixada

REVELAÇÃO
Malta / Sala Espacial / Medula / Ivo Mozart

METAL
Gloria / Shadow Side / Project 46 / John Wayne

HIP HOP
Haikaiss / Marcelo D2 / Cone Crew Diretoria / Projota

VOCAL
Marcelo Mancini / Bruno Boncini / Di Ferrero / Lucas Silveira

GUITARRA
Marcão / André Maini /Dudu Golzi /Gê Rocha

BAIXO
Kako Grandino / Heitor Gomes / Lena Papini / Diego

BATERIA
Rick Machado / Graveto / Japinha / Dedé

PROGRAMA DE TV
MIX TV / Mano e Minas – Cultura / Play TV / MTV – Colletivation

PROGRAMA DE RÁDIO
Luka – Ramona 89FM / Kiss – Clemente / Chupim – Metropolitana / 102 – Rebu

APOSTA ROCK SHOW*
*Surpresa. O Prêmio tem como característica de todo ano apresentar um artista de destaque da região como a aposta das próximas temporadas para o mercado nacional.

CATEGORIAS REGIONAIS

HIP HOP
Freeside/ Mafia Zen/ Mendez/ N-Dre

ARTISTA REGGAE
Cabana Jack/ Dom Domingues/ Lá California/ Maré/ Tr3vo

ARTISTA ROCK
Audio Local/ Erodelia/ Mar Morto/ Timeless/ Velho Jango

ARTISTA SOLO
Fernanda Fernandes/ João Rock Jr./ Léo Vidal/ Lucas Trevizani/ Nahoy/ Ray Santos

AUMENTA O SOM
Awaking The Crowd/ Carnal Desire/ Odum/ Sinera

DISCO DO ANO EP
Audio Local (A profecia)/ Analisando Sara ( No que você acredita)/ Santo Rock( Ep.Santo Rock)/ Zimbra( Mocado)

INDEPENDENTE
Analisando Sara/ Bayside Kings/ Maori/ Of Side

MELHOR SHOW
Audio Local – Tribal Eventos / Freeside – Capital Disco / Iuhuless – Tribal Eventos / Odum – Tribal Eventos / Velho Jango – Tribal Eventos

POP ROCK
Avera/ Intervibe / Maré / Modernage / Music Box

REVELAÇÃO
Cabana Jack/ Mendez/ Tr3vo/ VibeHouse


SOM ORIGINAL
Bar Original/ Erodelia / Martin / Vetorial A

VÍDEO CLIPE DO ANO
Cabana Jack- Sonhador / Freeside – Só nos dois / Parelio Rock – Maquina / Zimbra – Amanhã

SERVIÇO

6º PRÊMIO ROCK SHOW
Data: 21/11/14
Horário: a partir das 19h
Local: Associação Atlética dos Portuários de Santos
End: Rua Joaquim Távora, n° 424, Santos/SP
Censura: 16 anos – Obrigatória apresentação do documento original com foto na entrada do evento.
Site | Facebook
Evento no Facebook

Ingressos:
Pista: R$30 meia/ R$60 inteira
Pista Premium: R$50 meia/ R$100 inteira

Obs.: lotes limitados.

Meia entrada – com apresentação de documento que assegure o direito, como carteirinha de estudante, ou 1kg de alimento não perecível na entrada do evento, junto com o ingresso).

Pontos de venda:

SANTOS:
– Hawaii Surf Point (Miramar e Praiamar Shopping)
– Bilheteria da Associação Atlética dos Portuários de Santos

SÃO VICENTE:
– Redh Tattoo – Rua Djalma Dutra, n° 20 – Centro

PRAIA GRANDE:
– Hawaii Surf Point (Litoral Plaza)

GUARUJÁ:
– Logiquest – Rua Thiago Ferreira, n° 155 – Vicente de Carvalho

VENDAS ONLINE:  www.compreingressos.com

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] HL Arguments: O alternativo com uma pegada pop!

10406506_758502444191452_1068804157157527421_n

Tocando a essência do Classic Rock, a banda alternativa HL Arguments traz esse toque ao seu som, com letras que falam de amor, relacionamentos e cotidiano em geral de alguém que vive em uma grande metrópole. A maioria delas, interpretadas em inglês, mas todas as canções são de autorais e próprias da HL.

181420_391229430918757_2047199292_nA banda foi formada em 2010 em São Paulo, pelo cantor e compositor Helio Lima, também vocalista do Flat’n Sharp. Lançou o primeiro álbum homônimo a banda em 2011, desde então vem propagando e divulgando seu trabalho em festivais, coletivos, grandes livrarias, SESC e também em algumas casas de show fora de São Paulo.

Em 2012, a HL regressou ao estúdio para confeccionar o segundo disco do grupo, com músicas próprias o “HL Arguments II” foi lançado em julho de 2013, este compacto além do álbum físico, teve venda exclusiva no iTunes, e os músicos puderam explorar diversos outros instrumentos nos shows e nas gravações.

O grupo é formado por Helio Lima (Vocal/Guitarra), Amanda Labruna (Backing Vocals), Fernando Silvestre (Guitarras) Marcos Cesar (Bateria), a principais influências da HL são, Sigur Rós, Queen, Radiohead, Faces e Broken Social Scene, tod10245412_713474148694282_5551933029644572545_navia a banda tem um em comum que faz o gosto da maioria, que é a banda canadense, Broken Social Scene, talvez pela sonoridade de mesclar vocais masculinos e femininos em suas canções.

Porém, agora sem mais delongas e fiquem com webclipe “New Direction”, single do primeiro álbum da banda, gravado entre os meses de setembro e outubro de 2012.

Para mais informações acesse o site oficial e as redes sociais da HL Arguments e conheça mais desta banda, que apesar de cantar em inglês, não negam suas raízes paulistanas.

SITE | FACEBOOK

Por: Patrícia Visconti

[Cabine da Pipoca] “Uma História de Amor e Fúria”: A história do Brasil em HQ

578379_505716326123337_505890091_n

Quando pensamos em animações, já imaginamos aqueles filmes baseados em HQs japoneses, ou então nas mega produções hollywoodianas e seus super heróis.

Mas, essa história de que animações só é melhor vinda de fora, é coisa do passado, pois filmes alá novela das nove não é mais padrão do cinema nacional, e “Uma história de Amor e Fúria”, lançado em junho de 2013, é prova disso.

Uma narrativa que mescla as evoluções mundanas, mas com uma pano de fundo de um romance de seis séculos, passando por guerras, conflitos e mudanças do cotidiano, o protagonista da história vive neste mundo, onde ele quer se encontrar e viver com sua amada, Janaína.

189810_634237066604595_1361218567_nUm filme para o público jovem e adulto, com uma linguagem em HQ, o longa traz Selton Mello e Camila Pitanga dublando os protagonistas, além da participação de Rodrigo Santoro, fazendo a voz do chefe indígena e de um guerrilheiro. Dirigido, produzido e roteirizado por Luiz Bolognesi. Filme que ganhou o maior festival de animação do mundo, em Annecy.
533269_539279726100330_409528157_n

A HQ que mostra a história do Brasil como você nunca viu, apresentando uma trama dos guerreiros que estão sempre lutando para conquistar o que almejam.

Sinopse:

Um homem com quase 600 anos de idade acompanha a história do Brasil, enquanto procura a ressurreição de sua amada Janaína. Com traço e linguagem de HQ, mostra a história do Brasil como você nunca viu. A versão dos que nunca desistiram de lutar.

228190_568989726462663_1583364631_n

Mais info: Site | Facebook | Twitter | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[CABINE DA PIPOCA] CHEGA AOS CINEMAS “ISOLADOS”, UM SUSPENSE BRASILEIRO

bruno-e-regiane2_credito-dan-behr_trat

 

Em agosto chega nos cinemas de todo o Brasil “ISOLADOS” um suspense dirigido por Tomás Portella, e traz no elenco grandes atores, como Bruno Gagliasso, Regiane Alves e entre eles o ator mineiro de Leopoldina (MG), Fernando Ollivier, 32, que atualmente está morando no Rio de Janeiro devido aos inúmeros trabalhos realizados na televisão.

O filme retrata a viagem do casal de protagonistas Lauro e Renata, que viajam para uma casa obscura na região serrana do Rio, para tentar salvar o relacionamento, mas uma série de assassinatos acabam influenciando na estadia deles.

Neblina em todos os instantes, som de pássaros, cercado verdes, esse é o cenário principal do longa “Isolados”, situado em Petrópolis na região serrana do Rio de janeiro.

unnamed (3)Na história o ator Fernando Ollivier aparece com barba por fazer, cabelos compridos e cara de mal, tudo isso para interpretar o personagem (Necrófilo). Em um cenário sinistro e uma proposta de terror os atores tiveram dificuldade de distanciar a ficção dos personagens. “Por diversas vezes acordava no meio da noite. Sonhava, aliás tinha pesadelo né?”; diz Ollivier em tom de brincadeira. Segundo ele era inversões de papeis mesmo, como se fossem atacados pelos irmãos. Referindo-se a a das cenas em que o personagem teve que matar para comer ele enfatiza; “Essa cena realmente mexeu com meu psicológico!”.

Dentre os trabalhos realizados pelo o ator Fernando Ollivier estão os Filmes: “Vermelho Brasil” com previsão de estreia em meados de junho desse ano nos cinemas. Também nas novelas “Cordel Encantado” e “ Gabriela” da TV Globo. Seu ultimo trabalho foi a participação em “O Caçador”, também na TV Globo.

Atualmente o ator está atuando e produzindo alguns Curtas- metragens independentes.

Conheça mais sobre o ator Fernando Ollivier, em seu FACEBOOK oficial!

Confira abaixo o trailer oficial de ‘Isolados’, que deve chegar às telonas no dia 21 de agosto de 2014.

Por: Tito Martins

[Caixa de Som] O rock nacional está cochilando…

3

A primeira vez em que o Brasil teve contato com um rock mais contestador, agressivo e de grande sucesso popular foi com os Secos & Molhados, em 1973. Tudo bem que o trio vocal formado por Ney Matogrosso, Gerson Conrad e João Ricardo pode ser considerado muito mais roqueiro por suas atitudes do que pela música em si. A própria figura de Ney e trechos como “eu não sei falar na hora de falar / então eu escuto” já causavam incômodos aos militares que governavam o país e erguiam a bandeira da “moral e dos bons costumes”.

Mas o tempo passou. Os brasileiros passaram um tempo sem ter contato com um rock contestador, até que chegou a década de 1980. Com ela, vieram o movimento pelas “Diretas Já”, o Rock in Rio (que impulsionou o rock a virar moda por aqui), o enfraquecimento da ditadura e o tão esperado fim da censura, que, embora tenha demorado um pouquinho para desaparecer de fato, deu um ar de mais liberdade, inclusive ao rock nacional.

Por conta disso, o Ultraje a Rigor pôde chamar àqueles de mereciam de “Filha da p…” (em claro desafio à censura), o Paralamas do Sucesso teve a oportunidade de lançar o seu mais bem-sucedido álbum de estúdio “Selvagem?”- um disco contestador por natureza, que chama a atenção para a desigualdade e exclusão social no sucesso, “Alagados” e alerta para o futuro das crianças em “Teerã”, segunda faixa do disco que leva o nome da capital do Irã. Até mesmo o RPM, grupo de maior sucesso da década, falava em revolução e convidava o público a fazer parte dela em “Rádio Pirata”.
Tudo ia bem, até que chegaram os anos 1990. Como são comuns, as tendências mudam e o rock acabou sendo engolido pelo sertanejo, que virou febre entre o público. Naquele momento, algumas bandas acabaram e outras caíram para a chamada “segunda divisão”, ou seja, não deixaram de existir, mas, sem espaço, acabaram sendo deixadas de lado pela mídia e grande público.

A partir da segunda metade da década de 90, o sertanejo acabou perdendo um pouco de sua força e, neste período, novas bandas apareceram. Nesta fase, apareceram Raimundos – misturando hard core com influências nordestinas. Apesar de não ter tido o compromisso de tocar o dedo em questões sociais, a banda brasiliense merece créditos por causa de suas letras politicamente incorretas e transgressoras. Surgiu nesta época também o Charlie Brown Jr., que, em músicas como “Não é sério”, chamou a atenção para a forma como os jovens são tratados no Brasil.

Mas aí entramos nos anos 2000. Uma leva de bandas apareceu. E o movimento do qual tais grupos apareceram tem nome: Emocore. O que se viu a partir daí foi o retrato mais fiel da “dor de cotovelo”. Para os ouvidos do grande público, chegavam músicas melosas, superficiais, que falavam em sua maioria de amores malsucedidos e abandonos. Até então, nenhuma guitarra havia sido tão chorosa.

E como consequência disso, o rock nacional deixa, a cada dia que passa, de ser transgressor. Hoje ele vive comodamente em um ambiente limitado, deixando de olhar para o que acontece em sua volta. Enquanto os amores perdidos são retratados, desvios políticos acontecem e pessoas continuam passando fome. E, além de questões sociais, também há outros assuntos relevantes para tratar. Basta ter força de vontade, e que o rock nacional desperte do seu cochilo, ou pelo menos abra os olhos para o que acontece ao seu redor.

Por: Rodrigo Almeida