“Bilhetes” – Seis histórias com várias histórias distintas

catarse_760x428

Imagina seis histórias distintas, e bilhetes espalhados entre elas, que podem mudar toda a trama da história? Pois bem, este é o novo projeto de Paulo Borges e uma equipe de quadrinistas incríveis, a HQ, “Bilhetes“, que levou o 34º Troféu Angelo Agostini, na categoria “Melhor – lançamento independente” e “melhor roteirista”, para Marcelo Marchi.

Logo na primeira página você já encontrará seis bilhetes, contendo mensagens inusitadas, pertencentes a uma das histórias, mas que todos irão “conversar” uma como a outra, trazendo e provocando reviravoltas, mudando o trajeto da vida dos personagens no decorrer da trama.

Todavia, o leitor não saberá qual bilhete irá aparecer, e isso torna a história ainda mais interessante e dinâmica, pois há pistas que levam as respectivas direções, causando diferentes interpretações, fazendo com que a obra ganha um final a cada leitura realizada. Indo do pátio de um colégio do Ensino Médio ao pátio de uma penitenciária… da agitação de uma balada a um misterioso rapto, levando a uma agradável descoberta repleta do humor ao drama, transformando e desvelando a trama conforme o leitor excede a história.

book_mockup

“Bilhetes” teve lançamento nacional no final de 2017, durante a Comic Con Experience, e por esse dinamismo em não saber qual será o final, têm ganhando diversos leitores que buscam novas histórias e tramas distintas, com um roteiro que ninguém sabe onde vai dar, os bilhetes são implantados dentro da obra para definir qual será o destino a seguir.

A obra foi idealizada pelo quadrinista Paulo Borges (Zé Carioca, Os Trapalhões… reformulou gráfica na obra infantil de Monteiro Lobato, etc), e o roteiro é do Marcelo Marchi (séries “Marias” – Sony, “Perdido no Supermercado”) e criador do blog de humor “Fora do Beiço“, além de uma equipe de desenhistas como, Jean Diaz (Mulher-Maravilha, Fall Out, Mass Effect, Vampirella e Highlander), Laudo Ferreira Jr. (vencedor dos Troféus HQ Mix e Prêmios Angelo Agostini pelas obras À Meia-Noite Levarei Sua Alma e Yeshuah Absoluto e da participação do álbum MSP 50 Mauricio de Sousa), Marco Cortez (“Senninha”, “Sítio do Pica-Pau Amarelo” e dos curtas-metragens “Gummi Bears”, “Alladin” e “O Grilo Feliz”), Augusto Minightti (ilustrador, participou de grandes mostras como a Bienal de Quadrinhos no Rio de Janeiro e o Congresso Internacional de Comics em Angoulême, na França, e produziu artes para as editoras Abril Cultural, Metal Pesado, entre outras) e Julius Ohta (proprietário do estúdio Fuzion, já esteve duas vezes na publicação “200 Best Illustrators Worldwide”, e como colorista participou de projeto como “The Invisible Dirty Old Man (Red Giant Productions)” e Serenity: Downtime and the Other Half).

27332351_202236120516406_3654118129544302544_n
Cortez e Borges durante a 34º Troféu Angelo Agostini.

Um projeto aonde a capa é colorida em papel Triplex, o miolo contendo 64 páginas em preto e branco. No formato 165×250 mm, lombada quadrada colada e papel couché Fosco, saiu com tiragem inicial de 1000 exemplares, e aos que quiserem adquirir só entrar com os respectivos artistas participantes do álbum.

Por Patrícia Visconti

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s