“AmarElo” traz a poesia e negritude da comunidade ao palco elitista da sociedade

amarelo-emicida-netflix-e1607441009328

Talvez eu não seja a pessoa mais adequada para falar sobre racismo, mas acredito que respeito e cumplicidade podem ser a peça chave para pensar no coletivo e viver não apenas por raças, mas todo por um, como um único povo que luta junto e prospera com perseverança e união, em um elo de amor e compaixão.

No documentário lançado pela Netflix e produzido pelo poeta e rapper Emicida, “AmarElo – É tudo para Ontem“, demonstra o quão a soma do coletivo pode não apenas levantar montanhar, mas também derrubar paradigmas, trazendo a força inerente que há dentro de cada um que luta e acredita em um mundo melhor.

Jef-Delgado-Emicida-16-H-Theatro-Municipal-91-600x400
Foto por Jef Delgado

Não, não estou sendo utópica ou demagoga, mas sim, pensando com a alma daqueles que estão na labuta como eu ou você, e também quer seu espaço neste mundo que é nosso por igual e direito. Visando no outro e nas conquistas alheias, pois já dizia Raul Seixas, “sonho que se sonha junto, é realidade“, e isso que acredito, no coletivo, na união e na punica verdade que desarma a maldade e a intolerância, O AMOR!

o-documentario-ja-esta-disponivel-na-netflix-1280484
Foto por Jef Delgado

Uma produção impecável, que mostra a singularidade, a representiatividade e representação dos negros e da periferia conquistando seu lugar na sociedade, esta que a todo tempo o usurparam e ironizaram, deixando-os nas áreas de serviço e nos ônibus lotados, mas que agora podem se deleitar de todos os direitos e privilégios que os foram negados, conquistando e representando com arte, cultura e poesia.

Jef-Delgado-Emicida-21-H-Theatro-Municipal-15
Foto por Jef Delgado

AmarElo traz mais do que apenas mostrar referências, mas agrega as diferenças e repudia a hipocrisia e ignorância, que a humanidade renegou aos negros a séculos e os levou às margens da própria história. Dessa, na qual eles serviram de inspiração para aproximar e compartilhar momentos épicos e oportunos que fizeram parte da jornada, em dinfundir sua arte e uma palavra de sabedoria, para que a humanidade possa se conciliar usando da cultura como arma fundamental e eficaz, sem olhar para o tom da pele, mas o que há no coração dentro de cada um, porque TODOS É NÓIZ, já diz a letra “Nóiz”.

 

Por Patrícia Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s