Teatro – A arte de criar e dramatizar diferentes performances com o cunho de emocionar e enternecer o público

image host

Teatralizar… interpretar… atuar… consequentemente formar… EMOCIONAR, informar… INSPIRAR … tudo isso e mais um pouco é o que teatro propõe para quem faz, para quem assisti e para quem vive e respira a arte de dramatizar diariamente ou até mesmo para aquele que dramatiza esporadicamente.

O teatro que vem do grego théatron significa panorama, um local onde as pessoas se reúnem com o objetivo de assistir um espetáculo. Surgiu em decorrência há algumas festas no caso em rituais, cultos ao deus Dionísio o famoso deus do vinho, transformou se com passar dos anos, das décadas e simplesmente desde meados do século VI a.C, vem crescendo, se desenvolvendo, ramificou se em gêneros dramático, cômico, mímica, sombras, bonecos, musical, o que fez com que as pessoas admire cada vez mais essa arte.

image host

No Brasil segundo pesquisas teve seu início no século XVI através das composições teatrais escritas pelos padres Jesuítas com ações de divulgar a fé religiosa, catequizar os índios. Mas, o que importa mesmo é que o teatro transforma, amplia horizontes, rompe barreiras, essa arte pode ser tanto imaterial como material é uma das mais antigas manifestações artísticas, além de ser expressivo a ponto de fazer o público se identificar e se expressar junto.

Afinal, quem nunca disse “Ser ou não ser, eis a questão” é porque ainda não apreciou a dramaturgia de Shakespeare a icônica frase da peça Hamlet, uma das obras primas de William Shakespeare escrita pelo dramaturgo, poeta e ator que inspirou e inspira milhares de criações teatrais espalhadas pelo mundo afora.

No teatro que podemos ser e vê dezenas de personagens icônicas, na ação de atuar, aonde você pode ser quem você nem imagina ser e fazer do faz de conta um eterno brincar de fadas, elfos, fazer as pessoas rirem ou se emocionarem com suas falas, sejam elas irônicas, desleixadas ou densas, reflexivas a ponta de fazer o público chorar.

image host

E é naquele tablado, onde o ator e a atriz prova dos desafios da sua profissão, e pode se deliciar com as maravilhas dos aplausos e assobios de milhares de pessoas. Viver diferentes personagens é mágico.

O teatro vem se reinventando, tentando sobreviver diariamente diante de um cenário caótico por diversos motivos, porém devido a pandemia da Covid 19 a situação ficou muita delicada, mas isso não fez e nem fará a arte do teatro morrer. Pois, como disse a dama da nossa dramaturgia Fernanda Montenegro em uma palestra da Bienal do Livro de 2019, “que o trabalho do ator é de Perseverar“.

image host

Então que o ato de dramatizar, teatralizar seja perseverante, independente da situação que o nosso país, nosso mundo esteja enfrentando.

No dia 27 de Março uma data que foi criada em 1961 pelo Instituto Internacional de Teatro, ligado à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), seja um data para lembrar e relembrar que a arte, a manifestação artística que conhecemos como teatro continue sobrevivendo, que os espaços que abrigam esses espetáculos teatrais sobrevivam. Que o teatro seja um espaço de luta e resistência diariamente. Viva ao Teatro!!!

E para comemorar esse dia em grande estilo porque não prestigiar os diferentes espetáculos teatrais que estão espalhados na Cidade de São Paulo, com intuito de celebrar essa data terá diversas produções com ingressos gratuitos ou a preço popular.

Confira, abaixo, as obras em cartaz:

TEATRO ALFREDO MESQUITA
Kuami
Teatro infantil | Livre | 60 minutos
Datas: 26 e 27/03
Horário: 16h
Gratuito

Em uma jornada musical através do samba, o elefante mirim africano Kuami e sua amiga Janaína, uma sereia aventureira do reino das águas, viajam juntos pela Floresta Amazônica à procura da mãe de Kuami, sequestrada por traficantes de animais. O samba é fio condutor da narrativa entre as duas crianças, que buscam encontrar suas raízes a partir desse ritmo ancestral.

Ficha técnica:
Direção: Martinha Soares.
Texto: Cidinha da Silva.
Musicistas: Tahyná Oliveira e Victor Motta. Interpretação: Adriana Miranda, Cynthia Regina, Priscila Guedes e Ulisses Dias.

TEATRO CACILDA BECKER
Mirar: quando os olhos levantam
Teatro adulto | +14 anos | 110 minutos
Datas: 25/03 a 17/04
Horários: sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 19h
Gratuito | Retirar ingresso 1h antes

Quatro caminhantes percorrem lugares e histórias da América Latina em uma espécie de busca-viagem por pertencimento. O espetáculo lança mão de expedientes contemporâneos para revelar o lastro da colonização, celebrar apotência da diversidade dos povos e refletir aspectos contraditórios do nosso continente para mirar além das fronteiras.

Ficha técnica:
Direção, dramaturgia e texto: Jé Oliveira. Artistas: Abel Xavier, Carol Vidotti e Emilene Gutierrez. Musicista: Lua Bernardo.

TEATRO PAULO EIRÓ
Temporada Missa Leiga
Musical | +12 anos | 90 minutos
Datas: 24/03 a 10/04
Horários: quintas, sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 19h
Ingressos pagos: R$ 20,00 | Retirar ingresso 1h antes

O autor utiliza da estrutura das missas tridentinas (estrutura usada pela igreja Católica até os anos 60) para criar quadros que levam o público a refletir sobre a liberdade de pensamento e de culto. Sobre liberdades em geral. Trata-se de um musical que convida o público a participar dos debates sociais dos dias atuais, assim como ocorreu no início dos anos 70. Sem se pegar no sentido religioso, por isto o nome Missa Leiga.

Ficha Técnica:
Texto: Chico de Assis. Músicas: Claúdio Petraglia.
Direção Geral: Márcio Boaro.
Elenco: Alessandra Siqueyra, Amanda Nascimento, André Capuano, Arô Ribeiro, Atton, Cecília Barros, Demian Pinto, Ernani Sanchez, Joaz Campos, Luiz Campos, Maíra Chasseraux, Manuel Boucinhas, Mônica Raphael, Rodrigo Ramos, Theófila Lima e Toni D’Agostinho.
Direção musical e músico: Demian Pinto.
Assistente de direção musical e músico: Daniel Baraúna.
Músico: Alberto Eloy.

Bem do seu Tamanho – com o Núcleo Caboclinhas
Teatro infantil | Livre | 50 minutos
Datas: 26 e 27/03
Horários: sábado e domingo, às 16h.
Gratuito | Retirar ingressos 1h antes

Pequena demais para escutar a conversa de adulto ou bem grandinha para chegar em casa com a roupa toda suja? Qual seria, afinal, o verdadeiro tamanho da menina Helena? É a partir dessas situações que Helena começa a questionar o seu tamanho e o tamanho das coisas. Para tirar a dúvida, a menina sai pelo mundo com Bolão – seu Boi de Mamão feito do mamoeiro do quintal da sua casa – e encontra amigos que irão ajudá-la e confundi-la. No final dessa aventura, a menina, junto com seu Boi de Mamão, terá uma grande revelação.

Ficha técnica:
Dramaturgia: Evill Rebouças (Texto adaptado da obra de Ana Maria Machado). Direção: Edu Silva. Elenco: Aline Anfilo, Geni Cavalcante, Giuliana Cerchiari e Luciana Silveira.

Temporada 2022 dos Concertos Ofisa
Música | Livre | 60 minutos
Data: 27/03
Horário: 11h
Gratuito | Retirar ingressos 1h antes

Concertos mensais com a Orquestra Filarmônica Santo Amaro (OFISA), sempre no último domingo do mês, com entrada franca. Com repertório diversificado e a preocupação de formação de público, os concertos são apresentados sempre de forma didática, explanando sobre as obras e autores, a cada música. É um convite para o público mergulhar na música instrumental orquestral.

Ficha técnica:
Regência e Direção artística: Silvia Luisada.
Primeiros Violinos: Spalla: Julio Guizani Sabo, Alison Felix, Carlos Eduardo Mascareno, Luciana Meirinho, Humberto Ferreira, Renato Cruz, William Cruz Costa.
Segundos Violinos: Samir Alves Neves, Diego Costa Gomes, Filipe Sinkos, Paulo Cesar Martins, Victor Lucas Novais Bernardino. Violas: Herbert França, Fernando Roveran, Monik Freitas, Renato Moura, Thiago Costa. Violoncelos: Caio
Guizani Sabo, Eber Martins, Hector Ramos, Luiz Bertonha.
Contrabaixos: Kennneth Stanley Neves dos Santos, Edson Augusto, Nathan Bastos Parente.
Flautas: Milena Duarte, Amanda Estrada (piccolo).
Oboés: Leocádio Lafaiete Gomes Dantas, Amanda Akotirene Ferreira Calixto.
Clarinetes: Dwight Veloso Jr, Jonatas Ramos.
Clarone: Marcos Tavares. Fagote: Erick Canuto.
Trompas: Gustavo Santos Martins, Valquiria Braz e Roger Lacayo.
Trompetes: Silas Pereira de Souza, Matheus Oliveira da Silva.
Trombones: Eli Pereira dos Santos, Higor Lima.
Eufônio: Arley da Silva Rodrigues.
Piano: Denise Peloia Imre.
Percussão: Felipe J. Medina, Hugo Chagas, Thiago Santos Souza.

TEATRO FLÁVIO IMPÉRIO
O Show da Olga
Circo | Livre | 35 minutos
Data: 27/03
Horário: 18h
Gratuito | Retirar ingresso 1h antes

A palhaça Olga está de férias e descobre que tem um show (do qual havia se esquecido) marcado para daqui a uma hora. Desesperada e atrasada, ela cria e ensaia o show junto com a plateia e, no fim das contas, este ensaio geral se torna o próprio espetáculo diante do público! Muita música, histórias e palhaçadas compõem este espetáculo leve, alegre e divertido.

TEATRO JOÃO CAETANO
Sonho de Artista
Teatro | Livre | 55 minutos
Data: 27/03
Horário: 16h
Ingressos: R$16 inteira / R$ 8 meia

Dois artistas saltimbancos que não se conhecem escolhem a mesma praça para realizar a mesma peça, no mesmo dia e horário. Após discutirem e chegarem a um acordo, topam apresentar juntos a fábula comum a ambos, A cigarra e a Formiga. Mas com o aparecimento de uma formiga que quer ser artista, essa antiga história ganha contornos surpreendentes. Será que a formiga conseguirá seguir com o sonho de ser artista?

Ficha técnica:
Texto e direção: Stella Tobar.
Co-direção: João Bourbonnais.
Elenco: Stella Tobar e Giuliano Caratori.
Direção Musical e Trilha Original: Sérvulo Augusto.
Participação especial/Canto da Formiga: Claudia Fier.
Cenário: Zé Valdir Albuquerque.
Figurinos e Design Gráfico: Paula de Paoli.
Iluminação: Giuliano Caratori.
Assessoria de Movimento: Ale Gogliano.
Confecção da Cartola: Cristiane Aguiar.

Ãrrã
Teatro adulto | +12 anos | 60 minutos
Data: 27/03
Horário: 19h
Gratuito | Retirar ingressos 1h antes

Quantas vezes o pensamento está no mesmo lugar onde se está de carne e osso? Que lugar o outro e a alteridade ocupam no nosso tempo? Em cena, os premiados Luciana Paes e Thiago Amaral lançam-se em diversas cenas, flutuantes no tempo e espaço para responder estas perguntas tão essenciais quanto fundadoras no espetáculo vencedor do Prêmio Shell de Melhor Autor (Vinicius Calderoni) em 2015.

Ficha Técnica:
Texto e direção: Vinicius Calderoni.
Elenco: Luciana Paes e Thiago Amaral.

por Joyce Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s