Arquivo da tag: independente

[Caixa de Som] Bárbara Ohana: O pop nacional, com potencial!

10630699_744403605625796_6896083378787200504_o

Com influência de ícones da música pop, como David Bowie, Madonna, Lykke Li, Radiohead, New Order, Fleetwood Mac e Lana Del Rey, Bárbara Ohana trabalha nesta vibe, caminhando pelo Dream Pop e Indie Glam.

Foto por: Ariela Bueno
Foto por: Ariela Bueno

Cantora, compositora, carioca, mas radicada em São Paulo, ela inciou sua trajetória na música cantando no Meninas Cantoras dos Canarinhos de Petrópolis, cantando em latim, francês e português. Na adolescência, foi estudar nos Estados Unidos, passou uma período por Nova Orleans, Louisiana, onde ela se firmou como cantora e compositora, pois foi a partir daí que ela inciou a compôr em inglês.

Foto por: Ariela Bueno
Foto por: Ariela Bueno

Já na fase adulta, ela regressou ao Brasil, mas especificamente na capital paulista, e peregrinou no Bar Riviera, Cidade Matarazzo, Serralheria, Bar Secreto, além de outros bares e teatros pelo mundo a fora, como Leblon Jazz Festival, Teatro Solar, Nublu (NY), Bossa Lounge (DC), Teatro Candido Mendes e outros.

Bárbara também fez backing vocal de Gilberto Gil, gravando no álbum banda larga Cordel e singles do cantor.
Mas, foi em 2014 que ela chamou atenção pelo seu pop soul, com o lançou o single “Golden Hours”. Com sua voz doce e sutil, mas com muita imponência e suas letras que remetem ao cotidiano, falando de amor, sonhos e realizações.

Assista o primeiro videoclipe de Bárbara, “Golden Hours”:

E na próxima sexta-feira, 29, a cantora se apresenta o lançamento do seu primeiro EP, lançado no começo deste ano, “Dreamers”, na Casa do Mancha, em São Paulo. Uma oportunidade para o público conferir ao vivo toda essência e sutileza que Bárbara expressa artisticamente em suas composições musicais.

Foto por: Lucas Mielnik
Foto por: Lucas Mielnik

Para conhecer mais sobre o trabalho da Bárbara Ohana, acesse:
Site | Facebook | SoundCloud | Youtube | Instagram

Ouça abaixo o single do EP “Dreamers”, “Ordinary Piece”:

SERVIÇO

barbaraBarbara Ohana
Lançamento do EP “Dreamers”
Local: Casa do Mancha
End: Rua Filipe de Alcaçova, s/n – Vila Madalena/ SP.
Data: 29 de maio – sexta-feira
Horário abertura da casa: 19h
Horário show: 21h
Ingresso: R$ 20,00
Capacidade: 100 pessoas
Obs: pagamento apenas em dinheiro e débito
Evento no Facebook: AQUI

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Projeto MOPRI: Poetizando a realidade e somando qualidade

10294346_1479618862267861_559429609810532097_n

Já que nesta semana foi “comemorado” o dia que a Princesa Isabel assinou a Lei Área, no dia 13 de Maio de 1888, onde abolia a escravidão entre os negros, mas isso foi apenas na teoria, pois a situação dos mesmo, não mudou muita coisa, para não dizer que as chibatas dos capataz ordenados pelos senhores doía menos que as discriminações que eles iriam enfrentar perante a sociedade. Aonde a maioria dos negros encontrou grandes dificuldades para conseguir empregos e manter uma vida com o mínimo de condições necessárias, e isso ocorre ainda hoje, mesmo após 127 anos da abolição ainda existe este preconceito.

E baseado nessa ideia, um trio de rappers do Projeto MOPRI estreou nesta semana o videoclipe “Sem Massagem”, onde eles cantam uma realidade distinta daquela periferia mostrada nas telenovelas, onde todo mundo entra sem bater e todos andam sorrindo e saltitando, mas sim uma verdade que nem mesmo os jornais mostram, onde mais de 70% dessas pessoas são negras e vivem as margens da sociedade, recebem muito menos do que os brancos e ainda, tem de ouvir piadinhas pejorativas e medíocres de seres irracionais que acham que estão fazendo piadas.

Um país onde a população é miscigenada como o Brasil, seria inadmissível algo deste parâmetro, porém a cor da pele, a raça, a religião e o quanto você possuí em sua conta bancária contam mais do que o seu caráter, que na maioria das vezes é ignorado e defasado dentre tantas outras “prioridades” diante a sociedade politicamente correta.

O Projeto MOPRI tem influências de vários gêneros musicais, como Rock, funk, Soul, Hardocore Heavy metal, Chilltrap, Trap Chillstep, Dubstep, apesar da base da banda ser o RAP. Com letras que apresentam uma realidade oculta pela grande mídia, mas muito presente na sociedade, principalmente aquela que corre, que luta e tá na labuta diária par conquistar seu espaço, sua dignidade e não deixar e engolem seu caráter.

10308104_1479618635601217_1025530431118213002_n

A banda é formada pelos músicos Eri Q.I., Lucas Beatmaker e Luciano Mello, que tinham uma química tão forte musicalmente que a interligação foi imediata, e assim se entregando de corpo e alma, os músicos foram somando suas influências musicais com a rotina cotidiano, surgindo um som autoral e verídico, o projeto MOPRI.

Conheça mais do Projeto MOPRI nas redes sociais do trio:
Facebook | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Hotelo: Autêntico e contemporâneo!

1960135_569608523136194_1899480977_n

Os paulistanos da banda Hotelo tem diversas influências, que somadas todas, eles conseguem formar um som único, autêntico e particular. Criando sua própria identidade, sem rótulos definidos e tocando canções do cotidiano que qualquer pessoa que vive numa metrópole como São Paulo, possa experienciar.

Uma banda formada por uma base bem peculiar dos grupos da atualidade de grande sucesso, como guitarra, vocal, baixo e bateria.

Um som que passa do rock ao pop, do reggae ao rap, com umas pitadas de MPB, com uma batida irreverente e contagiante, daquela música que quando começa a ouvir não consegue parar.

Suas principais influências são Skank, Paralamas do Sucesso, The Beatles, Los Hermanos, Blink 182, Raimundos, além de outros artistas e bandas que fazem parte de suas playlists particular, como Sublime. Bob Maley. Planet Hemp. Foo Fighters. Pink Floyd. Criolo. Skank. Peixoto&Maxado. Cazuza. Charlie Brown Jr. Goldfinger. Reel Big Fish. Mamonas Assassinas. Nirvana, entre outros.

19183_756940014403043_7210790139426578048_n

Confira abaixo um pouco do som dos caras no videoclipe de “Velho Esquema”, e para ouvir mais e fazer o download gratuito da Hotelo, acesse o SoundCloud deles e sinta a emoção da poesia musical contemporânea.



Para conhecer mais sobre a Hotelo, acesse o Facebook oficial da banda e fique ligados em shows, lançamentos de EPs, singles e vídeos.

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Heloisa Lucas: A voz rouca e uma atitude louca!

10953949_10205892495296967_4606488788313261494_n

Ela é negra, linda e tem uma voz incansável de se ouvir. Heloisa Lucas, sempre foi uma apaixonada por música, principalmente o pop, o jazz, o rock e o soul, tanto que suas grandes influências são grandes divas da cena musical internacional, como Whitney Houston, Etta James, Mariah Carey, Stevie Wonder, Gladys Knight, e também nacional entre eles Tim Maia e Elis Regina. Mas, esse anseio surgiu quando a cantora tinha apenas 13 anos, influenciada pela grande diva do pop, Mariah Carey.

543941_10202062194581843_1039849565_nUma artista independente que luta para conquistar seu lugar, num mercado tão acirrado e defasado, com músicas sem letras e melodias, a batida perfeita e a intonação adequada fazem a diferença na hora da apresentação, deixando qualquer padrão exigido pela indústria fonográfica descartado, quando o talento e carisma são ápice da arte. Porque como a Heloisa mesmo acredita: “Para quem tem personalidade, discernimento e humildade o sucesso não irá deixar influenciar”.

Atualmente a cantora segue se apresentando pelas noites e às vezes pelo dia na grande São Paulo, com suas duas bandas, qual ela faz vocal, sendo elas “Heloisa Lucas & Quarteto Groove” e a “Mesa do Rock”. Bandas que Helo conheceu através de amigos dos amigos que os apresentaram, enquanto a “Mesa do Rock” já conhecia os integrantes faziam um bom tempo pelas andanças na cena alternativa paulistana.1450243_10202639949065344_701931432_n

Heloisa canta com a alma e a perseverança de que seu público será atingido pela sua música, sua obra e sua arte, algo que ela preserva muito, e isso hoje em dia é raro encontrar em cantoras que não apenas visam a vaidade e o egocentrismo, como ela mesmo diz compartilhar música com peculiaridade e originalidade, pois esse é seu desejo como cantora e como artista.

“Meu plano é continuar cantando sempre. Sempre mais e mais. Propagar sempre a música boa e de qualidade”.

Confira uma apresentação da artista no espaço Armazém Cultural em São Paulo:

 

Para quem quiser assistir mais vídeos da cantora, acesse seu canal no Youtube, ou então acesse a página do Quarteto Groove no Facebook.

Por: Patrícia Visconti

[8 Bits] Festival reúne os maiores games independentes do mundo inteiro

000002

Quando pensamos em games, suas criações e eventos relacionados, automaticamente direcionamos nossos pensamentos para o Japão ou Estados Unidos, que hoje em dia são os maiores exportadores de jogos digitais no mundo, porém a América Latina não quer ficar de fora desta empreitada.

Com o maior número de usuários de jogos eletrônicos, a América Latina está engatinhando para chegar próximo ou pelo menos, tentar aparecer neste mercado, competitivo e bastante árduo para se adentrar.

Por isso, o governo brasileiro criou o BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival), um evento que visa reunir os amantes e criadores dos jogos eletrônicos no Brasil e no Brasil, sendo o único festival de Jogos Independentes da América Latina.

Neste ano, o BIG já vai para sua 3ª edição, e em cada uma expõe os melhores jogos independentes do ano em todo o mundo, somando diversos artifícios para priorizar os jogos, como aspectos visuais, sonoros, narrativos, jogabilidade e Inovação.

Na 3ª edição, que acontece entre os dias 1ª a 10 de maio de 2015, o evento deve focar em uma seção para Jogos Educacionais e de Aprendizado. Além dos prêmios dados aos melhores jogos, todos os jogos finalistas estarão disponíveis para serem jogados durante o festival. Alguns deles também estarão disponíveis online. Não perca a oportunidade de participar do BIG Festival.

Para conhecer mais sobre o festival ou se inscrever para participar, acesse o site oficial do BIG Festival.

Por: Patrícia Visconti

[Cantinho Literário] Eloy Nunes transcreve suas emoções e sensações no seu primeiro livro

10463069_1446250172292795_6792062650589509054_n

Um poeta tem a alma leve e sutil, que sente as emoções até mesmo numa conversa informal e descontraída pela Internet, sem pretensão ou preocupação, apenas visando a paixão pela sensação.

10372246_1445701235681022_1871502010385915521_nE foi isso que o poeta, escritor, jornalista, ator e cantor, Eloy de Mello Nunes se inspirou ao produzir seu primeiro livro “Frente Verso Avesso: um poeta desnuda sua alma”, lançado em dezembro de 2014, na Vila Madalena, em São Paulo.

No auge de seus 40 e pouco anos e a interatividade a mil nas redes sociais, Eloy aceitou o desafio em transcrever tudo o que seus sentimentos em 280 páginas, sendo 170 frases e 220 fotos, registradas em três ensaios de André Medeiros Martins – na casa e lugares inusitados do bairro do autor, na Vila Madalena .

10858449_1520676658183479_4897007164049408593_nUma obra que traz uma mistura recheada de sensações, entre sensualidade, melancolia, alegria, e principalmente, amor. Percepções do cotidiano do autor e dos diálogos improváveis protegidos pela “pseudo” anonimato permitido pelas redes.

Circunstâncias diluídas em seu processo criativo, marcado pela expressão e reação poética de Eloy, uma obra em suma autoral, que intimida o leitor adentrar nessas percepções, fazendo com que o poeta conversa com o intermediário, transportando-se na mesma harmonia.

10247491_1431731767077969_5453174818126931992_n

Assista abaixo o teaser do livro “Frente Verso Avesso”: um poeta desnuda sua alma”:

´

Conheça mais sobre o artista em:

Site | Facebook | Fanpage do livro | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[Total Flex] Música de qualidade e gratuita marcam presença em mais uma edição do projeto “Som na Faixa”

vai1-546x210

A Vila Madalena é muito conhecida pela diversidade cultural e artística em São Paulo, e isso o projeto “Som na Faixa” remete imensamente essa autenticidade em ampliar e promover essa cultura, principalmente mostrando novos sons e novas bandas, que só querem um lugar para tocar e apresentar sua essência.

No próximo dia 7 de dezembro, acontece mais uma edição deste evento que promete propagar e compartilhar novas facetas da cena independente no país, com um show gratuito e com muita energia da banda Batuntã, que promete mostrar seu ritmo instrumental, com pitadas de canção, o brilho dos metais e a força dos tambores, no Centro Cultural Rio Verde.

Porém o festival não acaba por aí não, pois antes da banda entrar o DJ Tahira traz sua discotecagem eclética, misturando diversos gêneros de várias épocas e sonoridades distintas. Um evento completo, diferente e o melhor gratuito!

Serviço som-na-faixa“Som na Faixa” recebe Batuntã e DJ Tahira

Dia: 7 de dezembro Horários: 17h – DJ Tahira 19h – Batuntã Local: Centro Cultural Rio Verde Endereço: Rua Belmiro Braga, nº 119 – Vila Madalena/ SP.

Informações: Tel.: (11) 3459-5321 E-mail: kiki@centroculturalrioverde.com.br

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Perseverar e nunca desistir…

10632813_500293983407448_2468345904989461082_n

A vida é algo frágil e precioso, que algumas vezes pouco damos importância para a simplicidade de suas ações e deixamos passar, porém é quando passamos por um problema mais grave e sério, é que damos valor o quão somos vulneráveis entre este mundo imenso de bilhões, onde apenas os melhores estão ao nosso lado.

1907326_452605714842942_4070656283750407795_nCom certeza é isso que o Dôdi, ou melhor o músico, cantor e compositor Douglas Jericó sentiu após um trágico acidente que o deixou tetraplégico, porém seus sonhos e anseios em compartilhar sua música aos quatros cantos não o impediram de perseverar e persistir em nunca desistir de cantar.

Dôdi lançou seu primeiro álbum recentemente, com uma produção única e peculiar, o disco traz 14 faixas autorais intitulado, “… e adeus Carina”, com participações de grandes nomes do mundo da música popular atual, como Fernando Anitelli (Teatro Mágico), Galldino Twitticas (O baile de Máscaras), Anderson Karan (Bruno e Marrone), Douglas Felício e Osvaldo Andrade (Planta e Raiz), maestro Hanilton Messias, Pedro Pondé (SCAMBO) e outros 36 músicos trazem ainda mais versatilidade ao compacto que foi masterizado por Ricardo Garcia do MagicMaster e produzido por Ari Junior do estúdio Menorah, e Ronaldo Rossato do estúdio Bonham.

1465259_394326737337507_378550965_n

Nesta obra foi um divisor regresso definitivo ao seu lugar na música após o acidente. Afinal, para quem já foi finalista de um reality show de grande repercussão quão foi o Popstars em 2003, e mencionado e 1609902_427699920666855_1429058763_nanalisado por produtores e cantores renomados, como Rick Bonadio, Ricky Martin, Iara Negrete, Alexandre Schiavo (presidente da Sony music Brasil), não pode abandonar seu sonho por provações postas por Deus, para mostrarmos quão somos fracos e ingênuos ao universo todo que nos cerca. E Dôdi, sempre obstina-se diante a seu destino, pois quando se há propósito a seguir, nada há de intervir.

Confira abaixo o videoclipe do single “Oscilação”, presente em seu primeiro álbum autoral:



Para conhecer mais sobre o trabalho de Dôdi, acesse o site oficial do músico ou então, conecte-se às suas redes sociais.

Site | Facebook | Youtube

Por: Patrícia Visconti

[Total Flex] Arte para Todos

392682_321715911174374_630941099_n

Estava pensando com meus botões, sobre artistas tão bons estarem escondidos em bares suburbanos, e pessoas sem talento algum, ganhando êxito e glamour, perante aos holofotes, e desde que zapeando pelo Facebook encontro um banner que dizia a respeito do tamanho da platéia em relação ao amor e trabalho que o artista quer mostrar ao seu público.

Então, pensei…

Por quê há tantos obreiros da arte oblíquos, tentando e lutando pelo seu espaço ao Sol, enquanto àqueles que apenas visam a fama e grana, estão sendo bajulados por uma mídia hipócrita que apenas vangloria o que aliena, e não o que propaga a cultura?

Atores, músicos, artistas plásticos, fotógrafos, poetas, escritores, entre outras várias facetas da arte que estão sobre becos e ruelas, apenas esperando uma oportunidade, que na maioria das vezes é ofertado por quem nem mesmo contribuí com dinheiro, mas com a divulgação e aplausos, que para os artistas de verdade são mais que válidos, pois enquanto houver uma pessoa para conferir sua arte, eles estarão fazendo seu melhor, diferente de outros aí, que só se importam com quantidade e não qualidade do público presente.

Tanto que, podemos observar diversos artistas de renome abandonando este vínculo de quantidade, imposto pelas produtoras e gravadoras, se tornando independentes e propagando sua arte destinada para aqueles que mais importam à eles, seus fãs. Desvinculando desta grande roda mafiosa que apenas quem ganha são os grandes, e a arte é omitida em forma de marketing exacerbado.

Temos que parar e pensar que artistas de verdade não anseiam apenas do ter, mas sim em compartilhar e difundir sua obra aos quatro cantos do mundo, sem importar com quantidade, mas sim pela qualidade do coletivo a prestigiar a sua arte, multiplicando e ampliando seu ofício à multidões.

Todavia, essa é uma realidade de poucos, e de bons artistas, que se desvinculam dessa indústria fonográfica conceitual, para fazer a seu próprio trabalho, com os intuitos idealizados desde quando começaram, e não maquiados por uma destreza ferrenha e cruel, que idolatra e renega seus ídolos em questão de segundos, levando-os do Sol as trevas, e o transformando em apenas um nada.

Por: Patrícia Visconti

[Caixa de Som] Carol Pereyr: Voz sútil e alma de poeta

1939945_520640381390312_1740908107_n

Baiana de voz meiga, doce e angelical e filha do poeta Roberval Pereyr, a cantora e compositora Carol Pereyr propaga seu nome em carreira solo, com a turnê “Saudades do Brasil”.

Começou sua carreira profissional aos 17 anos, em parceria com Márcio Pazin, cantor e compositor cantarinense, e essa parceria aconteceu de forma natural, quando eles musicavam e interpretavam os poemas que Carol escrevia, além de releituras de grandes compositores. Juntos gravaram dois álbuns, entre eles “Mirante” (2006) e “Morada” (2011), que são uma junção de música e poesia, interagindo as artes e mostrando quão ambas podem caminhar dando o mesmo passo nesta jornada musical, enriquecendo e reinventando novas formas de apresentar a música popular brasileira.

Cantora premiada já participou de diversos programas, concursos e festivais, qual obteve êxito na maioria ganhando grande parte deles, ou chegando a finalista das competições.

Uma artista nata, com alma de poeta, que apenas visa propagar seu ofício dentre a essa imensidão que já existe neste mundo, unificando-as todas em apenas uma única arte. Conheça mais sobre essa cantora sútil e doce, que contagia e emociona à todos que o escuta.

carolp

Mais informações: Site | Facebook | SoundCloud

Assista Carol cantando um de seus singles, “Vapor Barato”:

Por: Patrícia Visconti