Professora da rede municipal de SP concorre ao “Nobel da Educação”

15521568895c8408d9ba290_1552156889_3x2_lg.jpg
Foto por Danilo Verpa/Folhapress

A professora paulista, Débora Garofalo criou um projeto para incentivar a reciclagem dos materiais eletrônicos e motivar os alunos a se engajaram mais em trabalhos sociais, fazendo a diferença dos dos estudantes de uma Escola Municipal do 1º a 9º ano, na periferia da zona sul de São Paulo.

Após a divulgação desta maneira distinta e peculiar de levar situações factuais da sociedade para o ambiente escolar, rendeu destaque não apenas nacional, mas também internacional, fazendo com que a professora entrasse para a lista dos dez finalistas de um prêmio, considerado o Nobel da educação; trata-se do “Global Teacher Prize”.

A insígnia ainda torna mais relevante pelo fato da carreira de mestres no país ser tão desvalorizada, tanto que atualmente somente 2,4% dos jovens a partir dos 15 anos, desejam ingressar nesta área da educação, segundo o relatório Políticas Eficientes para Professores, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Obtendo uma queda exorbitante em uma década, em que o número era de 7,5% dos adolescentes se interessasse pela profissão.

48363219_993310680880097_48115496414871552_n.jpg
Débora no 11º Prêmio Professores do Brasil, condecorada pelo projeto “Robótica com sucata, promovendo a sustentabilidade”

A professora se sente realizada em participar junto a tantos outros mestres, que fizeram a educação no mundo, fazendo com que ponderemos algumas prioridades da educação no Brasil, mostrando um diferencial em relação ao mundo.

“Estar na final do Global Teacher Prize é um grande presente, principalmente por ter a possibilidade de aprender com tantos outros professores que tem feito a diferença na Educação mundial e também a possibilidade de repensarmos a nossa educação, incorporando o ensino de programação e Robótica no currículo”, comenta Débora em suas redes sociais, e ainda completa dizendo: “O mais importante é poder mostrar que há um caminho para os brasileiros transformarem a educação”.

A professora decidiu se inscrever de última hora, com poucas expectativas de que seria selecionada, ela nem acreditou quando foi anunciada de que estava entre os dez melhores professores do mundo, aonde passou na sua cabeça toda sua trajetória como profissional, e quão a educação aplicada no momento oportuno e direto pode transformar as vida das pessoas, com uma educação criativa e diferenciada, fazendo com que os alunos tenham interesse e ânsia em aprender.

54519694_1046326098911888_8534120847743385600_n.jpg
A professora com o Ministro da Educação, Ricardo Velez Rodríguez.

Esse prêmio mostra não apenas um avanço educacional no país, mas também traz a mulher vista de forma distinta na tecnologia, rompendo alguns tabus sobre o tema e valorizando mais o docente desta área, depositando confiança nos estudantes e acreditando numa educação transformadora.

O resultado do prêmio será anunciado no dia 24 de março, nos Emirados Árabes Unidos, e o professor escolhido receberá a quantia de US$ 1 milhão, pela Varkey Foundation, fundação de caridade global focada em melhorar os padrões de educação para crianças carentes.

Por Patrícia Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s