21º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro celebra a diversidade da sétima arte brasileira

grande-premio-do-cinema-brasileiro-foto-nadja-kouchi-2-1

Na noite da última quarta-feira (10), foi brindada com a 21º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, na Cidade das Artes, no Rio da Janeiro, contando com grandes nomes da sétima arte nacional e artistas ímpares da nossa cinematografia, premiam obras envolvente e pessoas engajadas em difundir e promover o cinema, a cultura e as artes brasileiras.

A premiação é uma realização da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais (ABCAA), com o patrocínio da TV Globo e da Sabesp, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, e homenageia as produções que tiveram destaque em 2021, como o filme dirigido por Wagner Moura, Marighella, que liderou o ranking de indicações com 17 e levando sete prêmios para a casa, na sequência veio O Silêncio da Chuva, do diretor Daniel Filho, que das 11 indicações faturou apenas um estatueta. E ainda a premiação reuniu outros destaques, como 7 Prisioneiros (Alexandre Moratto), Turma da Mônica: Lições (Daniel Rezende), Depois a Louca Sou Eu (Júlia Rezende), entre outros.

gpcine-indicados

Confira abaixo lista completa dos vencedores:

Melhor longa-metragem de ficção: Marighella
Melhor longa-metragem de comédia: Depois a Louca Sou Eu
Melhor longa-metragem de documentário: A Última Floresta
Melhor longa-metragem infantil: Turma da Mônica – Lições
Melhor direção: Daniel Filho, por O Silêncio da Chuva
Melhor primeira direção: Wagner Moura, por Marighella
Melhor atriz: Dira Paes, por Veneza
Melhor ator: Seu Jorge, por Marighella
Melhor atriz coadjuvante: Zezé Motta, por Doutor Gama
Melhor ator coadjuvante: Rodrigo Santoro, por 7 Prisioneiros
Melhor filme íberoamericano: Ema (Chile)
Melhor filme internacional: Nomadland (EUA)
Melhor trilha sonora: André Abujamra e Márcio Nigro, por Bob Cuspe – Nós Não Gostamos de Gente
Melhor série brasileira de animação: Angeli the Killer
Melhor série brasileira de documentário: Transamazônica – Uma Estrada Para o Passado
Melhor série brasileira de ficção – TV paga/streaming: Dom
Melhor série brasileira de ficção – TV aberta: Sob Pressão
Melhor figurino: Verônica Julian, por Marighella
Melhor maquiagem: Martín Macías Trujillo, por Veneza
Melhor direção de arte: Frederico Pinto, por Marighella
Melhor som: George Saldanha, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond Lima e Renan Deodato, por Marighella
Melhores efeitos visuais: Pedro de Lima Marques, por Contos do Amanhã
Melhor direção de fotografia: Adrian Teijido, por Marighella
Melhor roteiro adaptado: Wagner Moura e Felipe Braga, por Marighella
Melhor roteiro original: Henrique dos Santos e Aly Muritiba, por Deserto Particular
Melhor montagem de documentário: Ricardo Farias, por A Última Floresta
Melhor montagem de ficção: Karen Harley, por Piedade
Melhor curta-metragem de ficção: Ato, de Bárbara Paz
Melhor curta-metragem de animação: Mitos Indígenas em Travessia, de Julia Vellutini e Wesley Rodrigues
Melhor curta-metragem de documentário: Yaõkwa – Imagem e Memória, de Rita e Vincent Carelli

por Patrícia Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s