Holly George-Warren celebra os 80 anos de Janis Joplin em uma magistral biografia sobre sua importância para cena musical internacional

42195355-1005

A autora norte-americana Holly George-Warren, indicada duas vezes ao Grammy Awards e premiada de 16 livros, entre eles duas biografias: A Man Called Destruction: The Life and Music of Alex Chilton e Public Cowboy #1: The Life and Times of Gene Autry, além do best-seller do New York Times: A Estrada para Woodstock (com Michael Lang), acaba de lançar uma biografia em celebração aos 80 anos da rockstar Janis Joplin, relembrando a carreira da cantora, que foi símbolo de independência feminina, cuja a importância que foi para o cenário musical internacional.

unnamed-2

A biografia – Janis Joplin: Sua Vida, Sua Música, lançado pela Editora Seoman, a jornalista mostrou a estrela por trás da figura mítica, em sua vida carregada de transgressões, quebras de paradigmas, frustrações amorosas e dissabores familiares, relatando a vida pessoal da cantora. Sendo como uma mulher rebelde, dona de grande astúcia e personalidade complexa, que rompeu regras e desafiou todas as convenções de gênero em sua época, abrindo caminho para as mulheres poderem extravasar suas dores e revolta no cenário artístico sem serem tão oprimidas pelo universo machista existente no meio musical.

A obra também comemora os 50 anos da morte de Janis, mas principalmente aos 80 anos na qual ela faria nesta quinta-feira, 19 de janeiro. Um livro bastante celebrado pela mídia nos Estados Unidos, como The New York Times e The Washington Post, entre outros, revelando de forma uma forma definitiva, a “verdadeira Janis Joplin”, sendo bastante elogiado pelo site oficial da cantora.

A cantora que ganhou notoriedade no rock mundial, por transitar por diversos ritmos, como blues, soul e o folk-rock, em sua carreira solo, ela teve pouco anos de êxito, mas mesmo assim foi capaz de notabilizar canções como “Mercedes Benz”, “Get It While You Can” e “Me and Bobby McGee”. Mas, o que chamava mais atenção em sua sonoriedade era sua erudição, empenho e talento combinados não transformaram a cantora no símbolo que representa.

Joplin expunha seus medos e convicções sobre temas como sexualidade e a psicodelia, ela era responsável por dar fim à tônica de opressão e machismo que pairava no mundo naquela época, influenciando diversas artistas vivenciaram a luta de Janis contra o sexíssimo do mundo do rock, entre elas, Patti Smith, Debbie Harry (Blondie), Cyndi Lauper, Chrissie Hynde (The Pretenders), Kate Pierson (B-52’s) e Ann e Nancy Wilson (Heart), que foram diretamente influenciadas por sua música, atitude e coragem.

hgw-1173lr-small

A biografia da autora e jornalista Holly George-Warren, transmite toda emoção que Janis Joplin passava, de uma forma que ia da melancolia à rebeldia, sempre sendo único. Com sua voz rouca, que todos conhecem, ela transpassava uma alma que sofria e buscava refúgio em si mesmo e Holly retratou em sua obra toda essa busca incessante pelo amor, já que ela nunca teve um relacionamento sólido e duradouro, fazendo-a buscar uma forma de se aliar a sua carreira com o sonho de construir uma uma família, levando ao seu triste fim, com sua morte precoce aos 27 anos, por overdose acidental de heroína.

por Priscila Visconti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s